Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
ANÁLISE DA  PROPOSIÇÃO
PROPOSIÇÃO <ul><li>As  armas e os barões  assinalados  (os feitos guerreiros e os navegadores – homens ilustres) Que,  da ...
<ul><li>E também as memórias gloriosas  Daqueles Reis  que foram dilatando  Plano   da História de Portugal A Fé, o Impéri...
<ul><li>Cessem  do sábio Grego  (Ulisses)  e do Troiano  (Eneias)  </li></ul><ul><li>(Deixe-se de se falar de Ulisses e de...
<ul><li>Camões está decidido a tornar conhecido em todo o mundo o valor do  povo português  ( o peito ilustre lusitano ). ...
1ª e 2ª estrofes Pode esquematizar-se o conteúdo dessas duas estrofes da seguinte maneira:  <ul><li>Através da poesia, se ...
1ª estrofe <ul><li>  Camões apresenta três grupos de agentes : </li></ul><ul><li>As  armas e os barões assinalados  são os...
2ª estrofe <ul><li>Os  reis  que contribuíram directamente para a expansão do cristianismo e do império português ( foram ...
<ul><li>A proposição não é uma simples indicação dos seus heróis, mas obedece já a uma estratégia de engrandecimento dos p...
3ª estrofe <ul><li>Na segunda parte, esse esforço de engrandecimento continua, desta vez através de um paralelo com os gra...
<ul><li>E quase a concluir, uma nota final:  ... eu canto o peito ilustre lusitano, / A quem Neptuno e Marte obedeceram . ...
Em Suma: <ul><li>A Proposição é um sumário do poema. </li></ul><ul><li>É minha intenção louvar os heróicos navegadores que...
<ul><li>Louvarei também os reis e outros heróis militares que dilataram a Fé e o Império e converteram à fé cristã as terr...
<ul><li>É meu desejo que os heróis antigos, navegadores como Ulisses,  o sábio grego , e também Eneias,  o Troiano , - gue...
<ul><li>De resto, eu vou cantar o  peito ilustre Lusitano/ a quem Neptuno  (deus do Mar) e  Marte  (deus da Guerra)  obede...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Proposição

35,820 views

Published on

  • Bem eu adoro o teu canal, ajudou-me imenso no estudo dos lusiadas!
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here

Proposição

  1. 1. ANÁLISE DA PROPOSIÇÃO
  2. 2. PROPOSIÇÃO <ul><li>As armas e os barões assinalados (os feitos guerreiros e os navegadores – homens ilustres) Que, da ocidental praia Lusitana, (Portugal) Por mares nunca dantes navegados Plano da Viagem Passaram ainda além da Taprobana , (Ceilão – ilha que os Portuguses descobriram em 1507) Em perigos e guerras esforçados Mais do que prometia a força humana, E entre gente remota edificaram Novo Reino, (Império do Oriente) que tanto sublimaram; </li></ul>
  3. 3. <ul><li>E também as memórias gloriosas Daqueles Reis que foram dilatando Plano da História de Portugal A Fé, o Império, e as terras viciosas (gentias, não cristãs) De África e de Ásia andaram devastando, (percorrendo) E aqueles que por obras valerosas (grandiosas) Se vão da lei da Morte libertando; (esquecimento) (Aqueles que se tornaram imortais na memória dos homems pelos feitos ilustres que realizaram). Cantando espalharei por toda a parte, Plano do Poeta Se a tanto me ajudar o engenho (talento) e arte. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Cessem do sábio Grego (Ulisses) e do Troiano (Eneias) </li></ul><ul><li>(Deixe-se de se falar de Ulisses e de Eneias) As navegações grandes que fizeram; Cale-se de Alexandro (Alexandre Magno) e de Trajano (imperador romano) (Ambos conquistaram grandes impérios) A fama das vitórias que tiveram; Que eu canto o peito ilustre lusitano, (os Portrugueses) A quem Neptuno (deus do Mar) e Marte (deus da Guerra) obedeceram. Plano dos Deuses Cesse tudo o que a Musa antiga (Poesia – Calíope) canta, Que outro valor mais alto se alevanta. Os Lusíadas (I, 1-3) </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Camões está decidido a tornar conhecido em todo o mundo o valor do povo português ( o peito ilustre lusitano ). E para isso estrutura a sua proposição em duas partes ; </li></ul><ul><ul><li>Nas duas estâncias iniciais, enuncia os heróis que vai cantar; </li></ul></ul><ul><ul><li>Na segunda parte, constituída pela terceira estrofe, estabelece um confronto entre os portugueses e os grandes heróis da Antiguidade, afirmando a superioridade dos primeiros sobre os segundos. </li></ul></ul>
  6. 6. 1ª e 2ª estrofes Pode esquematizar-se o conteúdo dessas duas estrofes da seguinte maneira: <ul><li>Através da poesia, se tiver talento para isso, ( Cantando espalharei por toda a parte, Se a tanto me ajudar o engenho e arte ), tornarei conhecidos em todo o mundo: </li></ul><ul><li>os homens ilustres que fundaram o império português do Oriente; </li></ul><ul><li>os reis, que expandiram a fé cristã e o império português; </li></ul><ul><li>todos os portugueses dignos de admiração pelos seus feitos. </li></ul>
  7. 7. 1ª estrofe <ul><li> Camões apresenta três grupos de agentes : </li></ul><ul><li>As armas e os barões assinalados são os responsáveis pela criação do império português na Ásia. É evidente que o poeta destaca principalmente a actividade marítima, os descobrimentos ( Por mares nunca dantes navegados,/ Passaram ainda além da Taprobana ). </li></ul>
  8. 8. 2ª estrofe <ul><li>Os reis que contribuíram directamente para a expansão do cristianismo e do império português ( foram dilatando / A Fé o Império ). Aqui é sobretudo o esforço militar que se evidencia ( andaram devastando ). </li></ul><ul><li>Todos os demais, todos os que se tornem dignos de admiração pelos seus feitos, quaisquer que eles sejam. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>A proposição não é uma simples indicação dos seus heróis, mas obedece já a uma estratégia de engrandecimento dos portugueses. A expressão por mares nunca dantes navegados evidencia o carácter inédito das navegações portuguesas; observe-se o destaque dado à palavra nunca . A exaltação continua com a referência ao esforço desenvolvido, considerado sobre-humano ( esforçados / Mais do que prometia a força humana ). </li></ul>
  10. 10. 3ª estrofe <ul><li>Na segunda parte, esse esforço de engrandecimento continua, desta vez através de um paralelo com os grandes heróis da Antiguidade. O confronto é estabelecido com marinheiros famosos ( Ulisses e Eneias ), eles próprios heróis de duas epopeias clássicas, e conquistadores ilustres (os imperadores Alexandre Magno e Trajano ). A escolha de navegadores e guerreiros não é inocente, visto que é exactamente nessas duas áreas que os portugueses se destacaram. </li></ul>
  11. 11. <ul><li>E quase a concluir, uma nota final: ... eu canto o peito ilustre lusitano, / A quem Neptuno e Marte obedeceram . A submissão do deus do mar (Neptuno) e do deus da guerra (Marte) aos portugueses ( o peito ilustre lusitano ) é uma forma concisa e muito expressiva de exaltar o valor do seu herói. </li></ul>
  12. 12. Em Suma: <ul><li>A Proposição é um sumário do poema. </li></ul><ul><li>É minha intenção louvar os heróicos navegadores que, saídos de Portugal, seguiram por mares nunca dantes navegados , ultrapassando a fraca força humana, e, assim, ultrapassaram a ilha de Ceilão, antiga ilha de Taprobana , tão longínqua e difícil de atingir. </li></ul>
  13. 13. <ul><li>Louvarei também os reis e outros heróis militares que dilataram a Fé e o Império e converteram à fé cristã as terras pagãs de África e de Ásia. Louvarei ainda todos os heróis passados e também presentes – que, por feitos grandiosos, ficarão para sempre recordados pelos homens e pelos tempos fora aqueles que, por obras valerosas se vão da Lei da morte libertando . A todos vou louvar neste meu poema, se para tal tiver talento – se a tanto me ajudar o engenho e a arte . </li></ul>
  14. 14. <ul><li>É meu desejo que os heróis antigos, navegadores como Ulisses, o sábio grego , e também Eneias, o Troiano , - guerreiros célebres como Alexandre Magno e como Trajano, grandes conquistadores e senhores de grandes impérios, sejam esquecidos porque os navegadores e conquistadores que eu vou louvar, portugueses e valentes, os ultrapassaram, pelas suas navegações e conquistas. </li></ul>
  15. 15. <ul><li>De resto, eu vou cantar o peito ilustre Lusitano/ a quem Neptuno (deus do Mar) e Marte (deus da Guerra) obedeceram . Por isso, é meu desejo que cesse tudo o que a Musa (a poesia) antiga canta/ Que outro valor mais alto se alevanta , - o do povo lusíada, povo lusitano. </li></ul><ul><li>in Os Lusíadas em prosa (adaptação) de Amélia Pinto Pais </li></ul><ul><li>Lurdes Martins </li></ul>

×