SlideShare a Scribd company logo
1 of 39
Download to read offline
MORDOMIA BÍBLICA
NO CASAMENTO
Prioridades
Prof. Dr. William L. Moore Apostilia página 76
2
Prioridade Primária
I. Prioridades
A. Avaliando as prioridades do nosso
coração – O que você estima, quer,
valoriza e deseja?
1. Primeira prioridade do coração –
É amar a Deus (Dt. 4:29; 6:5; Mc.
12:29-30
3
Prioridade Primária
I. Prioridades
A. Avaliando as prioridades do nosso
coração – O que você estima, quer,
valoriza e deseja?
1. Primeira prioridade do coração –
É amar a Deus (Dt. 4:29; 6:5; Mc.
12:29-30
Dt. 4:29 de lá, buscarás ao SENHOR, teu
Deus, e o acharás, quando o buscares de
todo o teu coração e de toda a tua alma.
Dt. 6:5 Amarás, pois, o SENHOR, teu
Deus, de todo o teu coração, de toda a tua
alma e de toda a tua força.
4
Prioridade Primária
I. Prioridades
A. Avaliando as prioridades do nosso
coração – O que você estima, quer,
valoriza e deseja?
1. Primeira prioridade do coração – É
amar a Deus (Dt. 4:29; 6:5; Mc.
12:29-30
Dt. 4:29 de lá, buscarás ao SENHOR, teu
Deus, e o acharás, quando o buscares de
todo o teu coração e de toda a tua alma.
Dt. 6:5 Amarás, pois, o SENHOR, teu
Deus, de todo o teu coração, de toda a tua
alma e de toda a tua força.
5
Prioridade Primária
I. Prioridades
A. Avaliando as prioridades do nosso
coração – O que você estima, quer,
valoriza e deseja?
1. Primeira prioridade do coração – É
amar a Deus (Dt. 4:29; 6:5; Mc.
12:29-30
Dt. 4:29 de lá, buscarás ao SENHOR, teu
Deus, e o acharás, quando o buscares de
todo o teu coração e de toda a tua alma.
Dt. 6:5 Amarás, pois, o SENHOR, teu
Deus, de todo o teu coração, de toda a tua
alma e de toda a tua força.
Mc. 12:29-31 Respondeu Jesus: O
principal é: Ouve, ó Israel, o Senhor, nosso
Deus, é o único Senhor! Amarás, pois, o
Senhor, teu Deus, de todo o teu coração,
de toda a tua alma, de todo o teu entendi-
mento e de toda a tua força.
AMARÁS, POIS, O SENHOR
6
Prioridade Primária
A. Avaliando as prioridades do nosso
coração – Que você estima, quer,
valoriza e deseja?
2. Segunda prioridade do coração – É
amar o nosso próximo (família,
amigo, inimigo) (Mt. 5:44; 22:39)
7
Prioridade Primária
A. Avaliando as prioridades do nosso
coração – Que você estima, quer,
valoriza e deseja?
2. Segunda prioridade do coração – É
amar o nosso próximo (família,
amigo, inimigo) (Mt. 5:44; 22:39)
Mt. 5:44 Eu, porém, vos digo: amai os vossos
inimigos e orai pelos que vos perseguem;
Mt. 22:39 O segundo, semelhante a este, é:
Amarás o teu próximo como a ti mesmo.
AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
AMARÁS O TEU PRÓXIMO
COMO A TI MESMO
8
Prioridades Secundárias
B. Avaliando prioridades secundárias
(familiares e não familares)
1. Primeiro, os relacionamentos
familiares são uma prioridade acima
do trabalho, ministério e
relacionamentos externos.
9
Prioridades Secundárias
B. Avaliando prioridade secundárias
(familiares e não familares)
2. Segundo, todos os relacionamentos
(Deus, familiares, não familiares, e até
o inimigo) são uma prioridade acima
dos relacionamentos externos.
10
Prioridades Secundárias
B. Avaliando prioridade secundárias
(familiares e não familares)
3. As prioridades nas Escrituras não são
regras específicas, mas princípios
gerais. (Mt. 22:37-40)
Mt. 22:37-40 Respondeu-lhe Jesus: Amarás
o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de
toda a tua alma e de todo o teu entendimento.
Este é o grande e primeiro mandamento. O
segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu
próximo como a ti mesmo. destes dois manda-
mentos dependem toda a Lei e os Profetas.
A LEI E OS PROFETAS
A BÍBLIA TODA!
11
Avaliação das Nossas Prioridades
C. Avaliando as prioridades (assuntos) fora
do relacionamento
1. Revisão: primeiro, o fundamental no
relacionamento individual da esposa e
do marido é obediência de gratidão a
Deus.
12
C. Avaliando as prioridades (assuntos) fora
do relacionamento
2. Segundo, o fundamental em todos os
“assuntos” (prioridades fora do
relacionamento) é o nosso
relacionamento com Deus e o nosso
próximo (família, amigo, colega de
trabalho, inimigo)
Avaliação das Nossas Prioridades
13
C. Avaliando as prioridades (assuntos) fora
do relacionamento
3. Prioridades fora do relcionamento
(assuntos) são solucionados por amor
e obediência a Deus (relacionamento
prioritário) e relacionamento correto
com os outros (cônjuge, filhos, patrão,
etc.)
Avaliação das Nossas Prioridades
14
C. Avaliando as prioridades (assuntos) fora
do relacionamento
 Nota: Talvez os assuntos não sejam
resolvidos facilmente, confortavelmente
ou de acordo com os desejos, mas você
pode estar com a consciência livre.
(1 Pe. 2:19; 3:16)
1 Pe. 2:19 Porque isto é grato, que alguém
suporte tristezas, sofrendo injustamente,
por motivo de sua consciência para com
Deus.
Consciência para com Deus
Avaliação das Nossas Prioridades
1 Pe. 3:16 Fazendo-o, todavia, com mansi-
dão e temor, com boa consciência, de modo
que, naquilo em que falam contra vós
outros, fiquem envergonhados os que difa-
mam o vosso bom procedimento em Cristo,
Boa Consciência
15
Critérios Avaliar - As Prioridades
D. Critérios utilizados para avaliar as
prioridades.
 Como nós determinamos o que
estimamos, queremos, valorizamos e
desejamos?
1. Quanto tempo (em quantidade)
gastamos pensando em alguém ou
alguma coisa?
16
D. Critérios utilizados para avaliar as
prioridades.
2. O quanto nós desejamos (qualidade)
algo ou alguém?
3. O que sentimos com relação a alguma
coisa ou alguém (os sentimentos
seguem os pensamentos, as ações e
desejos)?
Critérios Avaliar - As Prioridades
17
D. Critérios utilizados para avaliar as
prioridades.
4. Como nós reagimos durante e após
circunstâncias tais como provações,
dor, mágoas? Perda e sofrimentos?
Alegrias e ganhos?
5. Como gastamos nossos recursos ou
tempo? Talentos/habilidades?
Dinheiro/finanças? Dons espirituais?
Critérios Avaliar - As Prioridades
18
D. Critérios utilizados para avaliar as
prioridades.
6. Que escolhas temos feito?
7. Que coisas, pessoas, circunstâncias,
métodos, etc. Você prefere?
Critérios Avaliar - As Prioridades
19
D. Critérios utilizados para avaliar as
prioridades.
 Todos estes, e outros fatores, devem
ser utilizados ao availiar as
prioridades. Por exemplo, usar
apenas “quantidade de tempo” talvez
não prove a maior prioridade da
esposa ou do marido.
Critérios Avaliar - As Prioridades
20
Perguntas Para Ponderar
E. Avaliando a eficiência de nossa vida
dirigida por prioridade:
1. A sua vida é organizada?
2. Você toma decisões rápida e
facilmente em sua vida?
3. Você planeja e organiza bem o seu
tempo?
4. As suas responsabilidades são
claras?
21
Perguntas Para Ponderar
E. Availiando a eficiência de nossa vida
dirigida por prioridade:
5. A sua vida é bem estruturada?
6. É fácil você distinguir e dividir
responsabilidade em prioridades?
22
Perguntas Para Ponderar
E. Availiando a eficiência de nossa vida
dirigida por prioridade:
7. Você se mantém firme nas provações?
8. O quanto de energia você coloca nas
suas responsabilidades?
23
F. Plano de compromentimento
(implementando novas prioridades):
1. Se Comprometer-se a agradar e
glorificar a Deus através de sua vida
mudada e obediente (2 Co. 5:9; Ef.
4:22-24)
Implementação - Novas Prioridades
24
F. Plano de compromentimento
(implementando novas prioridades):
2. Avaliar quais as responsabilidades
que estão negligenciadas devido às
prioridades erradas.
Implementação - Novas Prioridades
25
Implementação - Novas Prioridades
F. Plano de compromentimento
(implementando novas prioridades):
3. Se o novo compromisso pode ser
medido em “tempo”, use página
seguinte e agende todas as suas
responsabilidades.
26
F. Plano de compromentimento
(implementando novas prioridades):
4. Se o novo compromisso envolve
pensamento, desejos, recursos ou
compromissos, escolha pensar e agir
“em verdade” (citando a Palavra de
Deus) com reconhecimento e gratidão
de coração. (1 Ts. 5:18)
Implementação - Novas Prioridades
27
A Prioridade – Nossas Finanças
II. Finanças:
A. Avaliar as suas expectativas
financeiras, atitudes e prioridades e
as de seu cônjuge
 Compreenda que finanças
propriamente ditas não podem
causar conflito.
28
A. Avaliar as suas expectativas financeiras,
atitudes e prioridades e as de seu
cônjuge.
 O conflito conjugal resulta das
diferenças que são tratadas
erroneamente.
 As diferenças transformam-se em
conflito conjugal devido aos desejos
pecaminosos tais como:
A Prioridade – Nossas Finanças
29
A. Avaliar as suas expectativas financeiras,
atitudes e prioridades e as de seu
cônjuge.
 O conflito conjugal resulta das
diferenças que são tratadas
erroneamente.
 As diferenças transformam-se em
conflito conjugal devido aos desejos
pecaminosos tais como:
A Prioridade – Nossas Finanças
30
1. Precocupação e descontentamento =
“Eu não consigo ser feliz a não ser que”
1 Tm. 6:6
2. Medo, avareza e cobiça = “Eu quero
mais, eu preciso de mais . . .” Lc. 12:15
 Após examinar as diferenças e avaliar
os desejos errados (o que transforma
as diferenças em conflitos), então . . .
1 Tm. 6:6 de fato, grande fonte de lucro
é a piedade com o contentamento.
A Prioridade – Nossas Finanças
PIEDADE
CONTENTAMENTO
Lc. 12:15 Então, lhes recomendou: Tende
cuidado e guardai-vos de toda e qualquer
avareza; porque a vida de um homem
não consiste na abundância dos bens que
ele possui.
GUARDAI-VOS
31
B. Resolver conflitos conjugais:
1. Aplicando a prioridade de nosso
relacionamento com Deus.
a. Existem muitas coisas mais
importantes e valiosas do que
dinheiro – Mt. 16:25; Lc. 12:15; Pv.
15:16-17; Hb. 13:15
Mt. 16:25 Porquanto, quem quiser salvar
a sua vida perdê-la-á; e quem perder a
vida por minha causa achá-la-á.
Pv. 15:16-17 Melhor é o pouco, havendo o
temor do SENHOR, do que grande tesouro
onde há inquietação. Melhor é um prato de
hortaliças onde há amor do que o boi
cevado e, com ele, o ódio.
A Prioridade – Nossas Finanças
32
B. Resolver conflitos conjugais:
1. Aplicando a prioridade de nosso
relacionamento com Deus.
a. Existem muitas coisas mais
importantes e valiosas do que
dinheiro – Mt. 16:25; Lc. 12:15; Pv.
15:16-17; Hb. 13:15
Mt. 16:25 Porquanto, quem quiser salvar
a sua vida perdê-la-á; e quem perder a
vida por minha causa achá-la-á.
Pv. 15:16-17 Melhor é o pouco, havendo o
temor do SENHOR, do que grande tesouro
onde há inquietação. Melhor é um prato de
hortaliças onde há amor do que o boi
cevado e, com ele, o ódio.
A Prioridade – Nossas Finanças
33
B. Resolver conflitos conjugais:
1. Aplicando a prioridade de nosso
relacionamento com Deus.
a. Existem muitas coisas mais
importantes e valiosas do que
dinheiro – Mt. 16:25; Lc. 12:15; Pv.
15:16-17; Hb. 13:15
Mt. 16:25 Porquanto, quem quiser salvar
a sua vida perdê-la-á; e quem perder a
vida por minha causa achá-la-á.
Pv. 15:16-17 Melhor é o pouco, havendo o
temor do SENHOR, do que grande tesouro
onde há inquietação. Melhor é um prato de
hortaliças onde há amor do que o boi
cevado e, com ele, o ódio.
A Prioridade – Nossas Finanças
Hb. 13:15 Por meio de Jesus, pois, ofereçamos
a Deus, sempre, sacrifício de louvor, que é o
fruto de lábios que confessam o seu nome.
SACRIFÍCIO DE LOUVOR
34
1. Aplicando a prioridade de nosso
relacionamento com Deus.
b. Dinheiro deve ser considerado
como um ministério e louvor –
2 Co. 9:6-7; Gl. 6:6; Mt. 25:33; Lc.
6:38; Pv. 14:21
2 Co. 9:6-7 E isto afirmo: aquele que semeia
pouco pouco também ceifará; e o que semeia
com fartura com abundância também ceifará.
Cada um contribua segundo tiver proposto
no coração, não com tristeza ou por
necessidade; porque Deus ama a quem dá
com alegria.
SEMEIAR E CEIFAR
A Prioridade – Nossas Finanças
Lc. 6:38 dai, e dar-se-vos-á; boa medida,
recalcada, sacudida, transbordante,
generosamente vos darão; porque com a
medida com que tiverdes medido vos
medirão também.
BOA MEDIDA
MEDIRÃO TAMBÉM
35
B. Resolver conflitos conjugais:
2. Sendo grato com o pouco/muito que
Deus tem lhe dado.
a. Deus lhe deu a habilidade de ganhar
dinheiro – Dt. 8:18; 1 Crs. 29:11-12;
Pv. 10:22; 1 Sm. 2:7
b. Tudo o que temos pertence a Deus –
Sl. 24:1; 1 Crs. 29:11-14; 1 Tm. 6:17;
1 Co. 4:7
A Prioridade – Nossas Finanças
1 Crs. 29:11-12 Teu, SENHOR, é o poder, a
grandeza, a honra, a vitória e a majestade;
porque teu é tudo quanto há nos céus e na
terra; teu, SENHOR, é o reino, e tu te exaltaste
por chefe sobre todos. Riquezas e glória vêm
de ti, tu dominas sobre tudo, na tua mão há
força e poder; contigo está o engrandecer e a
tudo dar força.
“Riquezas e glória vêm de ti”
1 Crs. 29:13-14 Agora, pois, ó nosso Deus,
graças te damos e louvamos o teu glorioso
nome. Porque quem sou eu, e quem é o meu
povo para que pudéssemos dar voluntaria-
mente estas coisas? Porque tudo vem de ti, e
das tuas mãos to damos.
“tudo vem de ti”
“das tuas mãos to damos”
36
B. Resolver conflitos conjugais:
3. Trabalhando muito e honestamente –
Ex. 20:19; Pv. 6:6-11; Tito 3:14; 1 Tm.
5:8
A Prioridade – Nossas Finanças
Pv. 6:6-11 Vai ter com a formiga, ó pregui-
çoso, considera os seus caminhos e sê sábio
. . . Ó preguiçoso, até quando ficarás deitado?
Quando te levantarás do teu sono? Um pouco
para dormir, um pouco para tosquenejar, um
pouco para encruzar os braços em repouso,
“até quando ficarás deitado?”
1 Tm. 5:8 Ora, se alguém não tem cuidado dos
seus e especialmente dos da própria casa, tem
negado a fé e é pior do que o descrente.
Tito 3:14 Agora, quanto aos nossos, que
aprendam também a distinguir-se nas boas
obras a favor dos necessitados, para não se
tornarem infrutíferos.
“pior do que o descrente”
“não se tornarem infrutíferos”
37
C. Assunto de rotina
1. Escolariade: público vs. Particular
2. Aluguel vs. Comprar uma casa
3. Percentagem da renda orçada para
várias despesas
4. Diretrizes e prioridades para dar para
os outros
5. Dívidas
A Prioridade – Nossas Finanças
MORDOMIA BÍBLICA
NO CASAMENTO
Prioridades
Prof. Dr. William L. Moore
39
Dr. William L. Moore (Bill)
9011 Falcons Run
Fort Wayne, IN 46825
EUA
E-mail:
bnmoore@attglobal.net
wmoore@abwe.cc
bmoore@lakewoodpark.org
bmoore@verizon.net
BOA NOITE PARA TODOS!

More Related Content

Similar to 05 W - MORDOMIA BÍBLICA NO CASAMENTO.ppt

LBA Lição 12 - Quem ama cumpre plenamente a lei divina
LBA Lição 12 - Quem ama cumpre plenamente a lei divinaLBA Lição 12 - Quem ama cumpre plenamente a lei divina
LBA Lição 12 - Quem ama cumpre plenamente a lei divinaNatalino das Neves Neves
 
Palestra namoro
Palestra   namoroPalestra   namoro
Palestra namoroJoel Silva
 
Quem Ama Cumpre Plenamente a Lei Divina.
Quem Ama Cumpre Plenamente a Lei Divina.Quem Ama Cumpre Plenamente a Lei Divina.
Quem Ama Cumpre Plenamente a Lei Divina.Márcio Martins
 
O fruto do espírito a essencia do carater cristão
O fruto do espírito a essencia do carater cristãoO fruto do espírito a essencia do carater cristão
O fruto do espírito a essencia do carater cristãoEduardo Sousa Gomes
 
Pai nosso 3 - Tema 25/05/12
Pai nosso 3 - Tema 25/05/12Pai nosso 3 - Tema 25/05/12
Pai nosso 3 - Tema 25/05/12EBJ IPBCP
 
Ouvir a palavra e comunicando o amor
Ouvir a palavra e comunicando o amorOuvir a palavra e comunicando o amor
Ouvir a palavra e comunicando o amorRenato Lopes
 
Seja feita a tua vontade
Seja feita a tua vontadeSeja feita a tua vontade
Seja feita a tua vontadeMichel Plattiny
 
Lição 12 quem ama cumpre plenamente a lei
Lição 12  quem ama cumpre plenamente a lei Lição 12  quem ama cumpre plenamente a lei
Lição 12 quem ama cumpre plenamente a lei antonio vieira
 
Escola de servos
Escola de servosEscola de servos
Escola de servosrevgarbin
 
Analise Teológica frase Deus ama o pecador.pptx
Analise Teológica frase Deus ama o pecador.pptxAnalise Teológica frase Deus ama o pecador.pptx
Analise Teológica frase Deus ama o pecador.pptxJooPauloJesus4
 
Campo de batalha da mente joyce meyer
Campo de batalha da mente   joyce meyerCampo de batalha da mente   joyce meyer
Campo de batalha da mente joyce meyerElton Vinicius
 
Libertos ao infinito deste amor
Libertos ao infinito deste amorLibertos ao infinito deste amor
Libertos ao infinito deste amorLH Tools
 
Desenvolvendo uma fé que funciona
Desenvolvendo uma fé que funcionaDesenvolvendo uma fé que funciona
Desenvolvendo uma fé que funcionaLenilson Silva
 

Similar to 05 W - MORDOMIA BÍBLICA NO CASAMENTO.ppt (20)

LBA Lição 12 - Quem ama cumpre plenamente a lei divina
LBA Lição 12 - Quem ama cumpre plenamente a lei divinaLBA Lição 12 - Quem ama cumpre plenamente a lei divina
LBA Lição 12 - Quem ama cumpre plenamente a lei divina
 
Resenha reconstruindo sua vida emocional
Resenha reconstruindo sua vida emocionalResenha reconstruindo sua vida emocional
Resenha reconstruindo sua vida emocional
 
Palestra namoro
Palestra   namoroPalestra   namoro
Palestra namoro
 
Quem Ama Cumpre Plenamente a Lei Divina.
Quem Ama Cumpre Plenamente a Lei Divina.Quem Ama Cumpre Plenamente a Lei Divina.
Quem Ama Cumpre Plenamente a Lei Divina.
 
O fruto do espírito a essencia do carater cristão
O fruto do espírito a essencia do carater cristãoO fruto do espírito a essencia do carater cristão
O fruto do espírito a essencia do carater cristão
 
Pai nosso 3 - Tema 25/05/12
Pai nosso 3 - Tema 25/05/12Pai nosso 3 - Tema 25/05/12
Pai nosso 3 - Tema 25/05/12
 
12 mentiras
12 mentiras12 mentiras
12 mentiras
 
Palestras finanças familiar
Palestras finanças familiarPalestras finanças familiar
Palestras finanças familiar
 
Ouvir a palavra e comunicando o amor
Ouvir a palavra e comunicando o amorOuvir a palavra e comunicando o amor
Ouvir a palavra e comunicando o amor
 
Seja feita a tua vontade
Seja feita a tua vontadeSeja feita a tua vontade
Seja feita a tua vontade
 
Preparação e educação e processo
Preparação e educação e processoPreparação e educação e processo
Preparação e educação e processo
 
Lição 12 quem ama cumpre plenamente a lei
Lição 12  quem ama cumpre plenamente a lei Lição 12  quem ama cumpre plenamente a lei
Lição 12 quem ama cumpre plenamente a lei
 
Uma vida-com-proposito
Uma vida-com-propositoUma vida-com-proposito
Uma vida-com-proposito
 
Escola de servos
Escola de servosEscola de servos
Escola de servos
 
Analise Teológica frase Deus ama o pecador.pptx
Analise Teológica frase Deus ama o pecador.pptxAnalise Teológica frase Deus ama o pecador.pptx
Analise Teológica frase Deus ama o pecador.pptx
 
Downloads aula_09_1814
 Downloads aula_09_1814 Downloads aula_09_1814
Downloads aula_09_1814
 
Campo de batalha da mente joyce meyer
Campo de batalha da mente   joyce meyerCampo de batalha da mente   joyce meyer
Campo de batalha da mente joyce meyer
 
Noite das Profissões
Noite das ProfissõesNoite das Profissões
Noite das Profissões
 
Libertos ao infinito deste amor
Libertos ao infinito deste amorLibertos ao infinito deste amor
Libertos ao infinito deste amor
 
Desenvolvendo uma fé que funciona
Desenvolvendo uma fé que funcionaDesenvolvendo uma fé que funciona
Desenvolvendo uma fé que funciona
 

More from Luiz Gomes

Projeto vida conjugal.pptx
Projeto vida conjugal.pptxProjeto vida conjugal.pptx
Projeto vida conjugal.pptxLuiz Gomes
 
09 CRIAR FILHOS BIBLICAMENTE.ppt
09 CRIAR FILHOS BIBLICAMENTE.ppt09 CRIAR FILHOS BIBLICAMENTE.ppt
09 CRIAR FILHOS BIBLICAMENTE.pptLuiz Gomes
 
4-evangelism - port..ppt
4-evangelism - port..ppt4-evangelism - port..ppt
4-evangelism - port..pptLuiz Gomes
 
P5-Teologia gera metodologia.pptx
P5-Teologia gera metodologia.pptxP5-Teologia gera metodologia.pptx
P5-Teologia gera metodologia.pptxLuiz Gomes
 
10 Congr Anual Igrejas em Células - Sessão 3.pptx
10 Congr Anual Igrejas em Células - Sessão 3.pptx10 Congr Anual Igrejas em Células - Sessão 3.pptx
10 Congr Anual Igrejas em Células - Sessão 3.pptxLuiz Gomes
 
10 Congr Anual Igrejas em Células - Sessão 2.pptx
10 Congr Anual Igrejas em Células - Sessão 2.pptx10 Congr Anual Igrejas em Células - Sessão 2.pptx
10 Congr Anual Igrejas em Células - Sessão 2.pptxLuiz Gomes
 
10 Congr Anual Igrejas em Células - Sessão 1.pptx
10 Congr Anual Igrejas em Células - Sessão 1.pptx10 Congr Anual Igrejas em Células - Sessão 1.pptx
10 Congr Anual Igrejas em Células - Sessão 1.pptxLuiz Gomes
 
10 Congr Anual Igrejas em Células - Introdução.pptx
10 Congr Anual Igrejas em Células - Introdução.pptx10 Congr Anual Igrejas em Células - Introdução.pptx
10 Congr Anual Igrejas em Células - Introdução.pptxLuiz Gomes
 
CCMN Brazil.ppt
CCMN Brazil.pptCCMN Brazil.ppt
CCMN Brazil.pptLuiz Gomes
 
seminario_melhorando_as_dinamicas.ppt
seminario_melhorando_as_dinamicas.pptseminario_melhorando_as_dinamicas.ppt
seminario_melhorando_as_dinamicas.pptLuiz Gomes
 
Fortalecendo a Visao 1 Anatomia.ppt
Fortalecendo a Visao 1 Anatomia.pptFortalecendo a Visao 1 Anatomia.ppt
Fortalecendo a Visao 1 Anatomia.pptLuiz Gomes
 
Reconectando as gerações - Daphne Kirk - português.ppt
Reconectando as gerações -  Daphne Kirk - português.pptReconectando as gerações -  Daphne Kirk - português.ppt
Reconectando as gerações - Daphne Kirk - português.pptLuiz Gomes
 
P5-Formação Espiritual.pptx
P5-Formação Espiritual.pptxP5-Formação Espiritual.pptx
P5-Formação Espiritual.pptxLuiz Gomes
 
P8 - Treinamento do Líder de Célula.pptx
P8 - Treinamento do Líder de Célula.pptxP8 - Treinamento do Líder de Célula.pptx
P8 - Treinamento do Líder de Célula.pptxLuiz Gomes
 
Implantando o Trabalho em Conjunto Infantil.pptx
Implantando o Trabalho em Conjunto Infantil.pptxImplantando o Trabalho em Conjunto Infantil.pptx
Implantando o Trabalho em Conjunto Infantil.pptxLuiz Gomes
 
LOVE FAMILY.pptx
LOVE FAMILY.pptxLOVE FAMILY.pptx
LOVE FAMILY.pptxLuiz Gomes
 
Bloqueando comunicacao entre clientes
Bloqueando comunicacao entre clientesBloqueando comunicacao entre clientes
Bloqueando comunicacao entre clientesLuiz Gomes
 

More from Luiz Gomes (17)

Projeto vida conjugal.pptx
Projeto vida conjugal.pptxProjeto vida conjugal.pptx
Projeto vida conjugal.pptx
 
09 CRIAR FILHOS BIBLICAMENTE.ppt
09 CRIAR FILHOS BIBLICAMENTE.ppt09 CRIAR FILHOS BIBLICAMENTE.ppt
09 CRIAR FILHOS BIBLICAMENTE.ppt
 
4-evangelism - port..ppt
4-evangelism - port..ppt4-evangelism - port..ppt
4-evangelism - port..ppt
 
P5-Teologia gera metodologia.pptx
P5-Teologia gera metodologia.pptxP5-Teologia gera metodologia.pptx
P5-Teologia gera metodologia.pptx
 
10 Congr Anual Igrejas em Células - Sessão 3.pptx
10 Congr Anual Igrejas em Células - Sessão 3.pptx10 Congr Anual Igrejas em Células - Sessão 3.pptx
10 Congr Anual Igrejas em Células - Sessão 3.pptx
 
10 Congr Anual Igrejas em Células - Sessão 2.pptx
10 Congr Anual Igrejas em Células - Sessão 2.pptx10 Congr Anual Igrejas em Células - Sessão 2.pptx
10 Congr Anual Igrejas em Células - Sessão 2.pptx
 
10 Congr Anual Igrejas em Células - Sessão 1.pptx
10 Congr Anual Igrejas em Células - Sessão 1.pptx10 Congr Anual Igrejas em Células - Sessão 1.pptx
10 Congr Anual Igrejas em Células - Sessão 1.pptx
 
10 Congr Anual Igrejas em Células - Introdução.pptx
10 Congr Anual Igrejas em Células - Introdução.pptx10 Congr Anual Igrejas em Células - Introdução.pptx
10 Congr Anual Igrejas em Células - Introdução.pptx
 
CCMN Brazil.ppt
CCMN Brazil.pptCCMN Brazil.ppt
CCMN Brazil.ppt
 
seminario_melhorando_as_dinamicas.ppt
seminario_melhorando_as_dinamicas.pptseminario_melhorando_as_dinamicas.ppt
seminario_melhorando_as_dinamicas.ppt
 
Fortalecendo a Visao 1 Anatomia.ppt
Fortalecendo a Visao 1 Anatomia.pptFortalecendo a Visao 1 Anatomia.ppt
Fortalecendo a Visao 1 Anatomia.ppt
 
Reconectando as gerações - Daphne Kirk - português.ppt
Reconectando as gerações -  Daphne Kirk - português.pptReconectando as gerações -  Daphne Kirk - português.ppt
Reconectando as gerações - Daphne Kirk - português.ppt
 
P5-Formação Espiritual.pptx
P5-Formação Espiritual.pptxP5-Formação Espiritual.pptx
P5-Formação Espiritual.pptx
 
P8 - Treinamento do Líder de Célula.pptx
P8 - Treinamento do Líder de Célula.pptxP8 - Treinamento do Líder de Célula.pptx
P8 - Treinamento do Líder de Célula.pptx
 
Implantando o Trabalho em Conjunto Infantil.pptx
Implantando o Trabalho em Conjunto Infantil.pptxImplantando o Trabalho em Conjunto Infantil.pptx
Implantando o Trabalho em Conjunto Infantil.pptx
 
LOVE FAMILY.pptx
LOVE FAMILY.pptxLOVE FAMILY.pptx
LOVE FAMILY.pptx
 
Bloqueando comunicacao entre clientes
Bloqueando comunicacao entre clientesBloqueando comunicacao entre clientes
Bloqueando comunicacao entre clientes
 

Recently uploaded

O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptxPIB Penha
 
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxLição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxCelso Napoleon
 
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024RaniereSilva14
 
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdfRoteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdfLehonanSouza
 
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxLição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxCelso Napoleon
 
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalLIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalAmaroJunior21
 
slide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaslide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaFranklinOliveira30
 

Recently uploaded (8)

O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdfO Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
 
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
 
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxLição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
 
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
 
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdfRoteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
 
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxLição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
 
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalLIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
 
slide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaslide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarística
 

05 W - MORDOMIA BÍBLICA NO CASAMENTO.ppt

  • 1. MORDOMIA BÍBLICA NO CASAMENTO Prioridades Prof. Dr. William L. Moore Apostilia página 76
  • 2. 2 Prioridade Primária I. Prioridades A. Avaliando as prioridades do nosso coração – O que você estima, quer, valoriza e deseja? 1. Primeira prioridade do coração – É amar a Deus (Dt. 4:29; 6:5; Mc. 12:29-30
  • 3. 3 Prioridade Primária I. Prioridades A. Avaliando as prioridades do nosso coração – O que você estima, quer, valoriza e deseja? 1. Primeira prioridade do coração – É amar a Deus (Dt. 4:29; 6:5; Mc. 12:29-30 Dt. 4:29 de lá, buscarás ao SENHOR, teu Deus, e o acharás, quando o buscares de todo o teu coração e de toda a tua alma. Dt. 6:5 Amarás, pois, o SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força.
  • 4. 4 Prioridade Primária I. Prioridades A. Avaliando as prioridades do nosso coração – O que você estima, quer, valoriza e deseja? 1. Primeira prioridade do coração – É amar a Deus (Dt. 4:29; 6:5; Mc. 12:29-30 Dt. 4:29 de lá, buscarás ao SENHOR, teu Deus, e o acharás, quando o buscares de todo o teu coração e de toda a tua alma. Dt. 6:5 Amarás, pois, o SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força.
  • 5. 5 Prioridade Primária I. Prioridades A. Avaliando as prioridades do nosso coração – O que você estima, quer, valoriza e deseja? 1. Primeira prioridade do coração – É amar a Deus (Dt. 4:29; 6:5; Mc. 12:29-30 Dt. 4:29 de lá, buscarás ao SENHOR, teu Deus, e o acharás, quando o buscares de todo o teu coração e de toda a tua alma. Dt. 6:5 Amarás, pois, o SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força. Mc. 12:29-31 Respondeu Jesus: O principal é: Ouve, ó Israel, o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor! Amarás, pois, o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendi- mento e de toda a tua força. AMARÁS, POIS, O SENHOR
  • 6. 6 Prioridade Primária A. Avaliando as prioridades do nosso coração – Que você estima, quer, valoriza e deseja? 2. Segunda prioridade do coração – É amar o nosso próximo (família, amigo, inimigo) (Mt. 5:44; 22:39)
  • 7. 7 Prioridade Primária A. Avaliando as prioridades do nosso coração – Que você estima, quer, valoriza e deseja? 2. Segunda prioridade do coração – É amar o nosso próximo (família, amigo, inimigo) (Mt. 5:44; 22:39) Mt. 5:44 Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem; Mt. 22:39 O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. AMAI OS VOSSOS INIMIGOS AMARÁS O TEU PRÓXIMO COMO A TI MESMO
  • 8. 8 Prioridades Secundárias B. Avaliando prioridades secundárias (familiares e não familares) 1. Primeiro, os relacionamentos familiares são uma prioridade acima do trabalho, ministério e relacionamentos externos.
  • 9. 9 Prioridades Secundárias B. Avaliando prioridade secundárias (familiares e não familares) 2. Segundo, todos os relacionamentos (Deus, familiares, não familiares, e até o inimigo) são uma prioridade acima dos relacionamentos externos.
  • 10. 10 Prioridades Secundárias B. Avaliando prioridade secundárias (familiares e não familares) 3. As prioridades nas Escrituras não são regras específicas, mas princípios gerais. (Mt. 22:37-40) Mt. 22:37-40 Respondeu-lhe Jesus: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. destes dois manda- mentos dependem toda a Lei e os Profetas. A LEI E OS PROFETAS A BÍBLIA TODA!
  • 11. 11 Avaliação das Nossas Prioridades C. Avaliando as prioridades (assuntos) fora do relacionamento 1. Revisão: primeiro, o fundamental no relacionamento individual da esposa e do marido é obediência de gratidão a Deus.
  • 12. 12 C. Avaliando as prioridades (assuntos) fora do relacionamento 2. Segundo, o fundamental em todos os “assuntos” (prioridades fora do relacionamento) é o nosso relacionamento com Deus e o nosso próximo (família, amigo, colega de trabalho, inimigo) Avaliação das Nossas Prioridades
  • 13. 13 C. Avaliando as prioridades (assuntos) fora do relacionamento 3. Prioridades fora do relcionamento (assuntos) são solucionados por amor e obediência a Deus (relacionamento prioritário) e relacionamento correto com os outros (cônjuge, filhos, patrão, etc.) Avaliação das Nossas Prioridades
  • 14. 14 C. Avaliando as prioridades (assuntos) fora do relacionamento  Nota: Talvez os assuntos não sejam resolvidos facilmente, confortavelmente ou de acordo com os desejos, mas você pode estar com a consciência livre. (1 Pe. 2:19; 3:16) 1 Pe. 2:19 Porque isto é grato, que alguém suporte tristezas, sofrendo injustamente, por motivo de sua consciência para com Deus. Consciência para com Deus Avaliação das Nossas Prioridades 1 Pe. 3:16 Fazendo-o, todavia, com mansi- dão e temor, com boa consciência, de modo que, naquilo em que falam contra vós outros, fiquem envergonhados os que difa- mam o vosso bom procedimento em Cristo, Boa Consciência
  • 15. 15 Critérios Avaliar - As Prioridades D. Critérios utilizados para avaliar as prioridades.  Como nós determinamos o que estimamos, queremos, valorizamos e desejamos? 1. Quanto tempo (em quantidade) gastamos pensando em alguém ou alguma coisa?
  • 16. 16 D. Critérios utilizados para avaliar as prioridades. 2. O quanto nós desejamos (qualidade) algo ou alguém? 3. O que sentimos com relação a alguma coisa ou alguém (os sentimentos seguem os pensamentos, as ações e desejos)? Critérios Avaliar - As Prioridades
  • 17. 17 D. Critérios utilizados para avaliar as prioridades. 4. Como nós reagimos durante e após circunstâncias tais como provações, dor, mágoas? Perda e sofrimentos? Alegrias e ganhos? 5. Como gastamos nossos recursos ou tempo? Talentos/habilidades? Dinheiro/finanças? Dons espirituais? Critérios Avaliar - As Prioridades
  • 18. 18 D. Critérios utilizados para avaliar as prioridades. 6. Que escolhas temos feito? 7. Que coisas, pessoas, circunstâncias, métodos, etc. Você prefere? Critérios Avaliar - As Prioridades
  • 19. 19 D. Critérios utilizados para avaliar as prioridades.  Todos estes, e outros fatores, devem ser utilizados ao availiar as prioridades. Por exemplo, usar apenas “quantidade de tempo” talvez não prove a maior prioridade da esposa ou do marido. Critérios Avaliar - As Prioridades
  • 20. 20 Perguntas Para Ponderar E. Avaliando a eficiência de nossa vida dirigida por prioridade: 1. A sua vida é organizada? 2. Você toma decisões rápida e facilmente em sua vida? 3. Você planeja e organiza bem o seu tempo? 4. As suas responsabilidades são claras?
  • 21. 21 Perguntas Para Ponderar E. Availiando a eficiência de nossa vida dirigida por prioridade: 5. A sua vida é bem estruturada? 6. É fácil você distinguir e dividir responsabilidade em prioridades?
  • 22. 22 Perguntas Para Ponderar E. Availiando a eficiência de nossa vida dirigida por prioridade: 7. Você se mantém firme nas provações? 8. O quanto de energia você coloca nas suas responsabilidades?
  • 23. 23 F. Plano de compromentimento (implementando novas prioridades): 1. Se Comprometer-se a agradar e glorificar a Deus através de sua vida mudada e obediente (2 Co. 5:9; Ef. 4:22-24) Implementação - Novas Prioridades
  • 24. 24 F. Plano de compromentimento (implementando novas prioridades): 2. Avaliar quais as responsabilidades que estão negligenciadas devido às prioridades erradas. Implementação - Novas Prioridades
  • 25. 25 Implementação - Novas Prioridades F. Plano de compromentimento (implementando novas prioridades): 3. Se o novo compromisso pode ser medido em “tempo”, use página seguinte e agende todas as suas responsabilidades.
  • 26. 26 F. Plano de compromentimento (implementando novas prioridades): 4. Se o novo compromisso envolve pensamento, desejos, recursos ou compromissos, escolha pensar e agir “em verdade” (citando a Palavra de Deus) com reconhecimento e gratidão de coração. (1 Ts. 5:18) Implementação - Novas Prioridades
  • 27. 27 A Prioridade – Nossas Finanças II. Finanças: A. Avaliar as suas expectativas financeiras, atitudes e prioridades e as de seu cônjuge  Compreenda que finanças propriamente ditas não podem causar conflito.
  • 28. 28 A. Avaliar as suas expectativas financeiras, atitudes e prioridades e as de seu cônjuge.  O conflito conjugal resulta das diferenças que são tratadas erroneamente.  As diferenças transformam-se em conflito conjugal devido aos desejos pecaminosos tais como: A Prioridade – Nossas Finanças
  • 29. 29 A. Avaliar as suas expectativas financeiras, atitudes e prioridades e as de seu cônjuge.  O conflito conjugal resulta das diferenças que são tratadas erroneamente.  As diferenças transformam-se em conflito conjugal devido aos desejos pecaminosos tais como: A Prioridade – Nossas Finanças
  • 30. 30 1. Precocupação e descontentamento = “Eu não consigo ser feliz a não ser que” 1 Tm. 6:6 2. Medo, avareza e cobiça = “Eu quero mais, eu preciso de mais . . .” Lc. 12:15  Após examinar as diferenças e avaliar os desejos errados (o que transforma as diferenças em conflitos), então . . . 1 Tm. 6:6 de fato, grande fonte de lucro é a piedade com o contentamento. A Prioridade – Nossas Finanças PIEDADE CONTENTAMENTO Lc. 12:15 Então, lhes recomendou: Tende cuidado e guardai-vos de toda e qualquer avareza; porque a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui. GUARDAI-VOS
  • 31. 31 B. Resolver conflitos conjugais: 1. Aplicando a prioridade de nosso relacionamento com Deus. a. Existem muitas coisas mais importantes e valiosas do que dinheiro – Mt. 16:25; Lc. 12:15; Pv. 15:16-17; Hb. 13:15 Mt. 16:25 Porquanto, quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a vida por minha causa achá-la-á. Pv. 15:16-17 Melhor é o pouco, havendo o temor do SENHOR, do que grande tesouro onde há inquietação. Melhor é um prato de hortaliças onde há amor do que o boi cevado e, com ele, o ódio. A Prioridade – Nossas Finanças
  • 32. 32 B. Resolver conflitos conjugais: 1. Aplicando a prioridade de nosso relacionamento com Deus. a. Existem muitas coisas mais importantes e valiosas do que dinheiro – Mt. 16:25; Lc. 12:15; Pv. 15:16-17; Hb. 13:15 Mt. 16:25 Porquanto, quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a vida por minha causa achá-la-á. Pv. 15:16-17 Melhor é o pouco, havendo o temor do SENHOR, do que grande tesouro onde há inquietação. Melhor é um prato de hortaliças onde há amor do que o boi cevado e, com ele, o ódio. A Prioridade – Nossas Finanças
  • 33. 33 B. Resolver conflitos conjugais: 1. Aplicando a prioridade de nosso relacionamento com Deus. a. Existem muitas coisas mais importantes e valiosas do que dinheiro – Mt. 16:25; Lc. 12:15; Pv. 15:16-17; Hb. 13:15 Mt. 16:25 Porquanto, quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a vida por minha causa achá-la-á. Pv. 15:16-17 Melhor é o pouco, havendo o temor do SENHOR, do que grande tesouro onde há inquietação. Melhor é um prato de hortaliças onde há amor do que o boi cevado e, com ele, o ódio. A Prioridade – Nossas Finanças Hb. 13:15 Por meio de Jesus, pois, ofereçamos a Deus, sempre, sacrifício de louvor, que é o fruto de lábios que confessam o seu nome. SACRIFÍCIO DE LOUVOR
  • 34. 34 1. Aplicando a prioridade de nosso relacionamento com Deus. b. Dinheiro deve ser considerado como um ministério e louvor – 2 Co. 9:6-7; Gl. 6:6; Mt. 25:33; Lc. 6:38; Pv. 14:21 2 Co. 9:6-7 E isto afirmo: aquele que semeia pouco pouco também ceifará; e o que semeia com fartura com abundância também ceifará. Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria. SEMEIAR E CEIFAR A Prioridade – Nossas Finanças Lc. 6:38 dai, e dar-se-vos-á; boa medida, recalcada, sacudida, transbordante, generosamente vos darão; porque com a medida com que tiverdes medido vos medirão também. BOA MEDIDA MEDIRÃO TAMBÉM
  • 35. 35 B. Resolver conflitos conjugais: 2. Sendo grato com o pouco/muito que Deus tem lhe dado. a. Deus lhe deu a habilidade de ganhar dinheiro – Dt. 8:18; 1 Crs. 29:11-12; Pv. 10:22; 1 Sm. 2:7 b. Tudo o que temos pertence a Deus – Sl. 24:1; 1 Crs. 29:11-14; 1 Tm. 6:17; 1 Co. 4:7 A Prioridade – Nossas Finanças 1 Crs. 29:11-12 Teu, SENHOR, é o poder, a grandeza, a honra, a vitória e a majestade; porque teu é tudo quanto há nos céus e na terra; teu, SENHOR, é o reino, e tu te exaltaste por chefe sobre todos. Riquezas e glória vêm de ti, tu dominas sobre tudo, na tua mão há força e poder; contigo está o engrandecer e a tudo dar força. “Riquezas e glória vêm de ti” 1 Crs. 29:13-14 Agora, pois, ó nosso Deus, graças te damos e louvamos o teu glorioso nome. Porque quem sou eu, e quem é o meu povo para que pudéssemos dar voluntaria- mente estas coisas? Porque tudo vem de ti, e das tuas mãos to damos. “tudo vem de ti” “das tuas mãos to damos”
  • 36. 36 B. Resolver conflitos conjugais: 3. Trabalhando muito e honestamente – Ex. 20:19; Pv. 6:6-11; Tito 3:14; 1 Tm. 5:8 A Prioridade – Nossas Finanças Pv. 6:6-11 Vai ter com a formiga, ó pregui- çoso, considera os seus caminhos e sê sábio . . . Ó preguiçoso, até quando ficarás deitado? Quando te levantarás do teu sono? Um pouco para dormir, um pouco para tosquenejar, um pouco para encruzar os braços em repouso, “até quando ficarás deitado?” 1 Tm. 5:8 Ora, se alguém não tem cuidado dos seus e especialmente dos da própria casa, tem negado a fé e é pior do que o descrente. Tito 3:14 Agora, quanto aos nossos, que aprendam também a distinguir-se nas boas obras a favor dos necessitados, para não se tornarem infrutíferos. “pior do que o descrente” “não se tornarem infrutíferos”
  • 37. 37 C. Assunto de rotina 1. Escolariade: público vs. Particular 2. Aluguel vs. Comprar uma casa 3. Percentagem da renda orçada para várias despesas 4. Diretrizes e prioridades para dar para os outros 5. Dívidas A Prioridade – Nossas Finanças
  • 39. 39 Dr. William L. Moore (Bill) 9011 Falcons Run Fort Wayne, IN 46825 EUA E-mail: bnmoore@attglobal.net wmoore@abwe.cc bmoore@lakewoodpark.org bmoore@verizon.net BOA NOITE PARA TODOS!