Successfully reported this slideshow.
Your SlideShare is downloading. ×

Release Novo CAGED out 2021

Ad
Ad
Ad
Ad
Ad
Ad
Ad
Ad
Ad
Ad
Ad
OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DA BAHIA
RELEASE DO NOVO CAGED – ANÁLISE OUTUBRO DE 2021
Integra o Produto 2.1 do Plano de Trabal...
EXPEDIENTE DA SECRETARIA DO TRABALHO, EMPREGO, RENDA E
ESPORTE DO GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA
RUI COSTA
Governador
JOÃO LEÃ...
EXPEDIENTE DO DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E
ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS – DIEESE
Direção Técnica
Fausto Augusto ...
Advertisement
Advertisement
Loading in …3
×

Check these out next

1 of 13 Ad

More Related Content

Similar to Release Novo CAGED out 2021 (20)

More from TRAMPO Comunicação e Eventos Soares (20)

Advertisement

Recently uploaded (20)

Release Novo CAGED out 2021

  1. 1. OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DA BAHIA RELEASE DO NOVO CAGED – ANÁLISE OUTUBRO DE 2021 Integra o Produto 2.1 do Plano de Trabalho Contrato de Prestação de Serviços Nº. 027/2021 – SETRE-BA e DIEESE DEZEMBRO DE 2021 SALVADOR/BA
  2. 2. EXPEDIENTE DA SECRETARIA DO TRABALHO, EMPREGO, RENDA E ESPORTE DO GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA RUI COSTA Governador JOÃO LEÃO Vice-Governador DAVIDSON DE MAGALHÃES SANTOS Secretário do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte JUREMAR DE OLIVEIRA Chefe de Gabinete MARCELO BRITO DA SILVA Superintendente de Desenvolvimento do Trabalho MILTON BARBOSA DE ALMEIDA FILHO Superintendente de Economia Solidária DANILO XAVIER Diretor-Geral FREDERICO FERNANDES Coordenador do Observatório do Trabalho da Bahia SETRE – Secretaria de Trabalho, Emprego, Renda e Esporte Endereço: 2ª Avenida, nº 200, Plataforma III - 3º andar, Sala 306 – CAB Salvador - Bahia – Brasil - CEP: 41.745-003 http://www.setre.ba.gov.br
  3. 3. EXPEDIENTE DO DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS – DIEESE Direção Técnica Fausto Augusto Jr – Diretor Técnico Patrícia Toledo Pelatieri – Diretora Técnica Adjunta José Silvestre Prado de Oliveira – Diretor Técnico Adjunta Coordenação Geral do Projeto Patrícia Toledo Pelatieri – Diretora Técnica Adjunta Ana Georgina Dias – Supervisora do Escritório Regional do DIEESE na Bahia Flávia Santana Rodrigues – Técnica Responsável pelo Projeto Técnica Responsável pelo Estudo Flávia Santana Rodrigues DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos Rua Aurora, 957 – Centro – São Paulo – SP – CEP 01209-001 Fone: (11) 3821 2199 – Fax: (11) 3821 2179 – E-mail: institucional@dieese.org.br Site: http://www.dieese.org.br Observatório do Trabalho da Bahia Rua do Cabral, nº 15, Sindicato dos Metalúrgicos – Nazaré Salvador - Bahia – Brasil - CEP: 40.055-010 Fone: (71) 3242 7880 – E-mail: observatorioba@dieese.org.br Site: http://www.portaldotrabalho.ba.gov.br
  4. 4. Serviços lidera a criação de empregos na Bahia em outubro de 2021 A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho (SEPRT), do Ministério da Economia (ME), é responsável pela divulgação dos dados do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), que é composto pelas informações compatibilizadas do Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial), Caged e Empregador WEB. Há diferenças metodológicas entre o Caged e o Novo Caged1 e por esse motivo o Novo Caged possui uma série histórica nova, iniciada em janeiro de 2020, não sendo possível fazer comparações com os dados da série histórica do Caged. Além disso, o Novo Caged passou a incorporar a movimentação e saldo dos trabalhadores formais temporários, categoria profissional captada pelo eSocial. É importante destacar que os dados do Novo Caged sofrem atualizações contínuas e por isso estão sujeitos a alterações futuras. Os dados de outubro de 2021 foram divulgados pela SEPRT, ME, nesta terça-feira, 30 de novembro de 2021. Grandes números do Brasil Em outubro de 2021, foi registrado um saldo de 253.083 empregos com carteira assinada no Brasil. Nos dez primeiros meses de 2021, o saldo ajustado2 registrado no país foi de 2.645.974 empregos, revertendo o saldo negativo acumulado em igual período, com a perda de 408.516 empregos, ocorridos por conta da pandemia da Covid-19, sobretudo, em abril e maio de 2020. Ressalte-se que o desempenho da geração de empregos no ano de 2020 foi negativo3 (-191.502 empregos). Entretanto, em relação a outubro de 2020 (366.295 empregos), o saldo atual reduziu. Grandes Números da Bahia A Bahia apresentou saldo de 12.462 empregos celetistas em outubro de 2021, obtido pela diferença da movimentação de 65.413 admissões e 52.951 desligamentos (Gráfico 2). Esse saldo foi maior do que os 11.489 empregos criados em setembro, indicando um leve aumento das contratações formais no ano de 2021, após a desaceleração no ritmo de crescimento de agosto para setembro. Vale ressaltar que o saldo de outubro diminuiu em 1 Com a transferência da declaração do Caged para o eSocial, instituído pelo Decreto nº 8373, de 11 de dezembro de 2014, houve redução no conteúdo da informação dos desligamentos, motivando a criação do Novo Caged. Para consulta detalhada das diferenças metodológicas entre o Caged e o Novo Caged, ver Nota Técnica em: http://pdet.mte.gov.br/. 2 Os dados incorporam declarações feitas fora do prazo e foram consultados no site do Programa de Disseminação das Estatísticas do Trabalho (PDET) em 01/12/2021. 3 Após os dados serem revisados pela segunda vez pelo Governo Federal, com o ajuste do saldo anteriormente divulgado, para incluir as subnotificações dos desligamentos nas declarações feitas pelas empresas.
  5. 5. relação ao resultado registrado no mesmo mês do ano passado (14.351 empregos) (Gráfico 1). De janeiro a outubro de 2021, foram criados 118.745 empregos na Bahia, com os ajustes das declarações entregues fora do prazo, resultado expressivo e contrário ao verificado no período equivalente em 2020 (-30.618 empregos). Vale destacar que o presente ano apresenta uma trajetória diferente à de 2020, porque no ano anterior a perda de empregos com o amplo fechamento dos estabelecimentos, para evitar o contágio da Covid-19, se deu de forma imediata em março, assim que se descobriu pessoas com a doença no país e na Bahia, causando saldos negativos significativos até maio. Além disso, houve atraso no envio das informações de empresas que fecharam seus negócios e demitiram seus trabalhadores ao eSocial, propiciada pela mudança metodológica da forma de declaração do registro e pelas dificuldades impostas pela pandemia. Cabe pontuar que, em 2020, as pessoas perderam seus empregos em março (-16.573), em um cenário de muita incerteza, medo e pouco conhecimento sobre o vírus pelas autoridades sanitárias no mundo. Com o aumento progressivo de casos e óbitos, em abril, houve o ápice da queda de empregos (- 39.759), durante o período da primeira onda da Covid-19, e a perda continuada de postos formais foi desacelerando até junho (Gráfico 1). Ressalte-se que o fechamento de vagas de empregos foi maior no início das medidas de isolamento social de combate à pandemia da Covid-19 e conforme estas medidas foram sendo progressivamente flexibilizadas, visando atingir o pleno funcionamento das atividades econômicas, o saldo de empregos celetistas acumulado no período foi se recuperando. Não obstante, nota-se que o ritmo de crescimento dos empregos voltou a cair desde o mês de setembro (pico do saldo no ano), até culminar com o saldo negativo em dezembro de 2020 (-4.246 empregos). No início de 2021, a Bahia enfrentou o que os médicos sanitaristas identificaram como uma segunda onda de contágio da pandemia da Covid-19, inclusive, muito mais intensa do que se vivenciou no período em que se atingiu os maiores números de casos confirmados e de óbitos e as mais elevadas taxas de ocupação de leitos de UTI Covid em 2020. Desde julho, os indicadores epidemiológicos da Covid-19 na Bahia estão cada vez mais controlados, com o avanço da cobertura vacinal da população e com isso o nível de atividade econômica no estado está progressivamente sendo retomado. Não obstante, a situação do mercado de trabalho do estado em 2021 reflete em boa medida a reposição de postos de trabalho, que foram desligados por causa do fechamento dos setores não essenciais da economia, e conforme o nível de contratações sejam equiparados
  6. 6. ao que se tinha no período pré pandêmico, a dinâmica de criação de empregos formais tende a desacelerar, ficando dependente do desempenho e dinâmica geral da economia, que está em crise. O principal indutor do crescimento da demanda agregada representado pelos gastos do Governo não tem acontecido. Além disso, uma série de fatores constrangem a possibilidade de crescimento continuado da formalização do mercado de trabalho, a saber: os programas de transferência direta de renda para a parcela mais vulnerável da população, que estimulam o consumo, como o auxílio emergencial e o Bolsa Família foram extintos; o programa de manutenção emprego e preservação da renda também foi encerrado; a renda do trabalho está em queda e a carestia dos produtos da cesta básica, sobretudo, dos preços administrados (combustíveis e energia elétrica) reforçam a corrosão do poder de compra dos trabalhadores. Diante desse cenário, não há expectativa favorável para que os empresários façam novos investimentos, nem que as famílias ampliem o seu consumo, melhorando as condições do mercado de trabalho baiano. GRÁFICO 1 Evolução mensal do saldo de empregos celetistas Bahia, janeiro de 2020 a outubro de 2021 Fonte: SEPRT, ME. Caged e Novo Caged. Elaboração: DIEESE. Observatório do Trabalho da Bahia. Nota: Com as declarações fora do prazo. A Bahia no Brasil No conjunto das Unidades da Federação e Distrito Federal, a Bahia ocupou a sétima posição em termos de saldo de empregos em outubro de 2021, ficando acima dos resultados de 19 estados e Distrito Federal. Cabe salientar que além da Bahia, os demais estados e o Distrito Federal tiveram saldos positivos no mês, menos o Amapá (-95). O maior saldo de empregos foi registrado em São Paulo (76.952) e o menor saldo positivo foi registrado em Roraima (474) (Gráfico 2).
  7. 7. GRÁFICO 2 Saldo de empregos celetistas Unidades da Federação e Distrito Federal, outubro de 2021 Fonte: SEPRT, ME. Novo Caged. Elaboração: DIEESE. Observatório do Trabalho da Bahia. Nota: Sem as declarações fora do prazo. A Bahia na região Nordeste Em outubro de 2021, a Bahia teve a maior geração de empregos do Nordeste, com o seu saldo representando 24,2% dos 51.455 empregos da região. Pernambuco ficou na segunda posição, com o saldo de 11.152 empregos e o Piauí, com o menor saldo (1.396) (Gráfico 3). GRÁFICO 3 Saldo de empregos celetistas Estados do Nordeste, outubro de 2021 Fonte: SEPRT, ME. Novo Caged. Elaboração: DIEESE. Observatório do Trabalho da Bahia. Nota: Sem as declarações fora do prazo. Distribuição setorial O resultado do saldo de empregos da Bahia, em outubro de 2021, foi positivo para todos os setores de atividade, exceto a Agropecuária (-193). O setor de Serviços liderou a abertura de vagas, com 6.753 empregos, seguido por Comércio (2.850), Indústria (1.562) e Construção (1.490) (Gráfico 4).
  8. 8. Observa-se que os setores de Serviços e Comércio vêm se recuperando ao longo de 2021, o que pode estar relacionado à flexibilização das medidas de isolamento, com a abertura gradativa das atividades econômicas e o retorno do auxílio emergencial, a partir de abril até setembro, que mesmo tendo um menor alcance (público alvo e valor significativamente menor do que quando foi criado em 2020), estimula algum consumo das famílias beneficiárias. Vale salientar que o Comércio e os Serviços foram os setores que mais tiveram perda de postos celetistas durante o período de medidas rígidas de distanciamento social na primeira onda da pandemia da Covid-19. Entretanto, estes setores, paulatinamente, começaram a recompor os postos de trabalho fechados a partir do segundo semestre de 2020, com a reabertura gradativa das atividades consideradas não essenciais, a partir da flexibilização das medidas de contenção do contágio da Covid-19. Já em 2021, estes setores registraram saldos positivos de empregos no primeiro bimestre de 2021, mesmo com o retorno do fechamento das atividades econômicas não essenciais. Embora o Programa de manutenção do emprego e preservação da renda (BEm) tenha sido encerrado em dezembro de 2020, os dados de janeiro de 2021 não refletiram negativamente a ausência do benefício emergencial às empresas que aderiram a esse programa, porque para realizar os acordos de suspensão ou reduções proporcionais da jornada de trabalho (25%, 50% e 70%) e salário, as empresas se comprometeram a não demitir os trabalhadores atingidos por um período posterior de meses equivalentes ao tempo de duração dos acordos firmados. Ademais, o melhor desempenho do segmento formal do mercado de trabalho na Bahia pode ter sido afetado por um retardamento das demissões na declaração de estabelecimentos de diversos setores econômicos, sobretudo, nas micro e pequenas empresas do Comércio, por conta da falência desses negócios com o acirramento da crise generalizada que está instalada no país.
  9. 9. GRÁFICO 4 Saldo de empregos celetistas, segundo setores de atividade econômica Bahia, outubro de 2021 Fonte: SEPRT, ME. Novo Caged. Elaboração: DIEESE. Observatório do Trabalho da Bahia. Nota: Sem as declarações fora do prazo. Nos Serviços, o maior saldo positivo foi do subsetor Informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas (2.442), sendo sucedido por Transporte, armazenagem e correio (2.041) e Alojamento e alimentação (1.958 empregos). Já Administração pública, defesa e seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais foi o único subsetor com saldo negativo (-138 empregos) (Gráfico 5). GRÁFICO 5 Saldo de empregos celetistas, segundo subsetores do setor de Serviços Bahia, outubro de 2021 Fonte: SEPRT, ME. Novo Caged. Elaboração: DIEESE. Observatório do Trabalho da Bahia. Nota: Sem as declarações fora do prazo. No subsetor de Informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas, todos os segmentos geraram emprego. Atividades administrativas e serviços complementares destacou-se, com 1.585 empregos, sendo seguido por Atividades profissionais, científicas e técnicas (372) (Tabela 1).
  10. 10. Ressalte-se que o subsetor da Administração pública tem na área da saúde uma atividade essencial central no combate à Covid-19, cuja demanda de força de trabalho permaneceu aquecida durante todo o período da pandemia. Entretanto, em outubro de 2021, o saldo do grupamento da Saúde humana e serviços sociais foi negativo (-410 empregos), indicando o fechamento de postos formais temporários criados para reforçar o atendimento da rede hospitalar existente, bem como a sua ampliação (criação de leitos, hospitais de campanha, etc.), durante os momentos mais críticos da pandemia da Covid-19. A Administração pública, defesa e seguridade social, diferentemente, criou postos, com o saldo de 370 empregos. Na educação, o fechamento das escolas, para evitar o contágio da Covid-19, se iniciou em março de 2020 e foi mantido durante todos os meses que sucederam até fevereiro de 2021. Porém, com a aprovação do calendário escolar e previsão do início do ano letivo para 03 de maio de 2021, combinando atividades presenciais e remotas, por meio de tv e aplicativos, empregos vinham sendo criados desde março. Em outubro, o saldo foi de -98 empregos. Em Outros serviços, o grupamento de Outras atividades de serviços destacou-se com 309 empregos, seguido por Artes, cultura, esporte e recreação (141 empregos). TABELA 1 Saldo de empregos celetistas, segundo grupamentos de atividade econômica do setor de Serviços Bahia, outubro de 2021 Fonte: SEPRT, ME. Novo Caged. Elaboração: DIEESE. Observatório do Trabalho da Bahia. Notas: Sem as declarações fora do prazo. Em Outros serviços, a categoria Organismos internacionais e outras instituições extraterritoriais não registrou saldo. Grupamentos de atividade econômica de Serviços Total Transporte, armazenagem e correio 2.041 Alojamento e alimentação 1.958 Informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas 2.442 Informação e comunicação 355 Atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados 70 Atividades imobiliárias 60 Atividades profissionais, científicas e técnicas 372 Atividades administrativas e serviços complementares 1.585 Administração pública, defesa e seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais -138 Administração pública, defesa e seguridade social 370 Educação -98 Saúde humana e serviços sociais -410 Serviços domésticos 0 Outros serviços 450 Artes, cultura, esporte e recreação 141 Outras atividades de serviços 309 Organismos internacionais e outras instituições extraterritoriais
  11. 11. O saldo positivo na Indústria (1.562 empregos) foi afetado, sobretudo, pelo desempenho da Indústria de transformação (1.264), representando 80,9% do total. Com saldos positivos menos expressivos, vieram Indústrias extrativas (229), Água, esgoto, atividades de gestão de resíduos e descontaminação (55) e Eletricidade e gás (14) (Gráfico 6). Segundo dados do Novo Caged, dos 24 grupamentos de atividade da Indústria de transformação, oito fecharam vagas de empregos formais em outubro de 2021, com destaque para Fabricação de produtos de borracha e de material plástico (-115 empregos), Metalurgia (-47) e Fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias (-31 empregos), refletindo o fechamento do Complexo Ford Nordeste, cuja indústria estava instalada em Camaçari. Em sentido contrário, o maior saldo positivo ficou com o grupamento de Preparação de couros e fabricação de artefatos de couro, artigos para viagem e calçados (727 empregos), seguido por Fabricação de produtos alimentícios (232) e Confecção de artigos do vestuário e acessórios (186). GRÁFICO 6 Saldo de empregos celetistas, segundo subsetores do setor da Indústria Bahia, outubro de 2021 Fonte: SEPRT, ME. Novo Caged. Elaboração: DIEESE. Observatório do Trabalho da Bahia. Nota: Sem as declarações fora do prazo. Distribuição ocupacional Nos grandes grupos ocupacionais, os maiores saldos positivos, em outubro, foram dos Trabalhadores dos serviços, vendedores do comércio em lojas e mercados (5.926 empregos), Trabalhadores da produção de bens e serviços industriais (7) (3.240) e Trabalhadores de serviços administrativos (2.722). Já os Trabalhadores agropecuários, florestais e da pesca (-170) e Membros superiores do poder público, dirigentes de organizações de interesse público e de empresas, gerentes (-17) tiveram saldo negativo (Gráfico 7).
  12. 12. GRÁFICO 7 Saldo de empregos celetistas, segundo grande grupo ocupacional Bahia, outubro de 2021 Fonte: SEPRT, ME. Novo Caged. Elaboração: DIEESE. Observatório do Trabalho da Bahia. Nota: O total inclui os não identificados. Distribuição intraestadual Em outubro de 2021, a contribuição positiva ao saldo estadual foi conferida, sobretudo, pelo Interior do estado (municípios não metropolitanos), com 7.840 empregos, o correspondente a 62,9% do total, enquanto a Região Metropolitana de Salvador4 (RMS), gerou 4.622 empregos, representando 37,1%. Na RMS, doze municípios tiveram saldos positivos de empregos, com destaque para Salvador (3.393) e Mata de São João (583). Já Dias D’Ávila foi o único município metropolitano com saldo negativo (-382). Vera Cruz (3) e Itaparica (6), por seu turno, tiveram os menores saldos positivos. No interior do estado, Feira de Santana (793), Porto Seguro (687) e Vitória da Conquista (652) sobressaíram-se com os saldos positivos mais significativos em outubro de 2021. Contrariamente, Ibirapuã (-331) e São Desidério (-274) tiveram os maiores saldos negativos no mês. Perfil do trabalhador do saldo de empregos A maioria dos empregos criados, em outubro, pertencia a homens (7.324 empregos ou 58,8% do total), ficando as mulheres com 5.138 ou 41,2% dos postos formais gerados. A faixa de idade com maior saldo positivo foi dos jovens com 18 a 24 anos (6.539), sucedida por trabalhadores com 25 a 29 anos (2.075), enquanto o saldo negativo foi do segmento de 4 Região compreendida pelos municípios de Camaçari, Candeias, Dias D'Ávila, Itaparica, Lauro de Freitas, Madre de Deus, Mata de São João, Pojuca, Salvador, São Francisco do Conde, São Sebastião do Passé, Simões Filho e Vera Cruz.
  13. 13. 50 a 64 anos (-133). No tocante a escolaridade, houve geração de emprego para os trabalhadores de todos os níveis de instrução, destacando-se o saldo dos trabalhadores com ensino Médio completo (10.255), equivalendo a 82,3% do total, sendo seguido pelos trabalhadores com ensino Médio incompleto (1.093 ou 8,8%). No outro extremo, o menor saldo positivo foi dos trabalhadores com ensino Fundamental incompleto (51 empregos ou 0,4%) (Gráfico 8). GRÁFICO 8 Saldo de empregos celetistas, segundo atributos de sexo, idade e escolaridade Bahia, outubro de 2021 Fonte: SEPRT, ME. Novo Caged. Elaboração: DIEESE. Observatório do Trabalho da Bahia. Consulte esse release e demais produtos desenvolvidos pelo Observatório do Trabalho da Bahia, acessando o portal eletrônico do Observatório, através do site da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (SETRE). Disponível em: http://geo.dieese.org.br/bahia/ Observatório do Trabalho da Bahia Atributos Total Homens 7.324 Mulheres 5.138 Até 17 anos 401 18 a 24 anos 6.539 25 a 29 anos 2.075 30 a 39 anos 1.883 40 a 49 anos 1.398 50 a 64 anos 299 65 anos ou mais -133 Analfabeto 68 Fundamental incompleto 51 Fundamental completo 299 Médio incompleto 1.093 Médio completo 10.255 Superior incompleto 335 Superior completo 361

×