Successfully reported this slideshow.
Your SlideShare is downloading. ×

Conjuntura Semanal #093 J. S. Gabrielli.pdf

Ad
Ad
Ad
Ad
Ad
Ad
Ad
Ad
Ad
Ad
Ad
Loading in …3
×

Check these out next

1 of 4 Ad

Conjuntura Semanal #093 J. S. Gabrielli.pdf

Download to read offline

Crise da CPI e prisão do ex-ministro do MEC atinge Bolsonaro. Pesquisas indiam estabilidade da diferença de Bolsonaro e Lula e falta de perspectivas de crescimento de Ciro. Artur Lira e Centrao se articulam para se posicionar em 2023. Inflação volta a crescer e crise dos combustiveis não tem ainda solução. EUA regridem no direito ao aborto.

Crise da CPI e prisão do ex-ministro do MEC atinge Bolsonaro. Pesquisas indiam estabilidade da diferença de Bolsonaro e Lula e falta de perspectivas de crescimento de Ciro. Artur Lira e Centrao se articulam para se posicionar em 2023. Inflação volta a crescer e crise dos combustiveis não tem ainda solução. EUA regridem no direito ao aborto.

Advertisement
Advertisement

More Related Content

More from TRAMPO Comunicação e Eventos Soares (20)

Recently uploaded (20)

Advertisement

Conjuntura Semanal #093 J. S. Gabrielli.pdf

  1. 1. Conjuntura Semanal 27 de junho de 2022 Jose Sergio Gabrielli de Azevedo. jsgazevedo@gmail.com P E C d o C e n t r ã o preocupa STF Luiz Fux, presidente do STF demonstrou ao Senado sua preocupação com a chamada PEC do Centrão, que possibilita ao Congresso a revisão de atos decididos pelo STF. Na Câmara, o Centrão promete reavivar discussões como o mandato dos ministros do STF como retaliação às oposições do STF as iniciativas de limitações de seus poderes. Bolsonaro participa de jantar com Gilmar Mendes Fora da agenda o fi cial, na casa do presidente da Câmara Artur Lira, Bolsonaro se encontrou com Gilmar Mendes, decano do STF que recebia homenagem pelos seus 20 anos na alta corte. Bolsonaro não deu declarações à imprensa depois do jantar. BRICS: cupula pede negociação Em reunião virtual os lideres dos BRICS criticaram as sanções unilaterais à Rússia e pediram uma solução negociada para a guerra da Ucrânia, maior atenção para África e reforma das instituições multilaterais. CMN não altera metas i n fl a c i o n a r i a s d e 2023-2024 O CMN não alterou as metas in fl acionarias de 2023 e 2024, reduzindo a meta de 2015 para 3%. A meta foi amplamente ultrapassada em 2022 e o BACEN tem que dar explicações, ao mesmo tempo em que aperta a politica monetária. Em 2023 a manutenção da meta, com o BACEN autônomo, deve criar uma pressão das autoridades monetárias sobre o Governo novo. Arrecadação Federal bate recordes A arrecadação de tributos federais em maio de 2022 foi 4,13% superior, em termos reais, já descontada a in fl ação, do que em maio de 2021. Petrobras: recordista de dividend yield Segundo a TC/Economatica, as ações da Petrobras deram um dividend yield, soma da valorização das ações e dividendos, de 40,97% em 12 meses, o maior entre as 25 maiores petroleiras com ações listadas nas bolsas. D e l e g a d o d a P F denuncia interferencia O delegado Bruno Calandrini, responsável pela prisão do ex-ministro Milton Ribeiro comentou com colegas interferências “indevidas” nas investigações. Revogada a prisão de MIlton Ribeiro O juiz Ney Belo, do TRF-1, candidato a uma vaga no STJ, revogou a prisão preventiva do ex-ministro Milton Ribeiro. N o v a c r i s e P F - Bolsonaro Com o 4º diretor geral no governo Bolsonaro a alta cúpula da PF se vê em nova crise de credibilidade com o vazamento de informações que podem ter interferido nas investigações do ex-ministro Milton Ribeiro. D a d o s d o G o o g l e T r e n d s i n d i c a m impacto As buscas sobre temas relacionados com a prisão do ex-ministro Milton Ribeiro foram dez vezes maiores que o segundo tema mais procurado. Milton Ribeiro teve 200 mil acessos e os 2º temas- terremoto e Fluminense e Cruzeiro- tiveram 20 mil acessos na quarta feira da prisão. Nº 93 F o n t e : E s t a d ã o 25/06/2022 Fonte:https://tinyurl.com/k7dj2bh2 Fonte: https://tinyurl.com/v3k6vter
  2. 2. 01 Acompanhando Movimentações políticas • O TSE decidiu que as coligações para Governador e Senador devem ser as mesmas, di fi cultando as possibilidades de alternativas politicas em alguns estados que não conseguiram contemplar as mesmas alianças para os dois cargos em disputa. • Eduardo Paes (PSD) costura a possibilidade de um segundo palanque para Lula no RJ, se distanciando de Ciro Gomes, desde que Lula não dê apoio exclusivo a Marcelo Freixo (PSB) no estado. Cesar Maia (PSDB) foi convidado para vice de Freixo, causando mal estar na campanha de Santa Cruz apoiado por Paes. • Rodrigo Maia (PSDB) quer convencer Eduardo Paes(PSD) a desistir de apoiar Felipe Santa Cruz para ampliar a viabilidade da candidatura de Marcelo Freixo(PSB) para governador do RJ tendo como vice o PSDB, apoiando Lula. • Os festejos juninos no Nordeste foram palcos para as disputas regionais, intensi fi cando os con fl itos e ajustando as alianças. Bolsonaro fez um tour pela região. • EM SP, Marcio França (PSB) tenta se aproximar do PSD de Kassab e da União Brasil de Bivar para enfrentar a pressão do PT para a retirada de sua candidatura em apoio a Haddad (PT) no estado. Depois de conversar com Lula, França informou ao presidente do PSB sua disposição de manter sua candidatura. • Ainda em SP, Kassab pode ser suplente de senador de Datena na chapa do bolsonarista Tarcisio de Fritas, indicando também o seu vice. O PSD de SP estaria no mesmo palanque de Bolsonaro. • NO RS, Eduardo Leite(PSDB) cobra o apoio do MDB e ameaça com o rompimento da aliança nacional com Simone Tebet(MDB). O MDB gaucho quer manter a candidatura ao governo de Gabriel Souza, ex-presidente da Assembleia Legislativa. • Tasso Jereissati (PSDB) espera a solução dos impasses do RS para se apresentar como candidato a vice de Simone Tebet (MDB) servindo como ponte para a aproximação com Ciro Gomes (PDT) e o empresariado. • Lula tem intensi fi cado os encontros com empresários em que debate propostas de programa economico e quebrando resistências. • A campanha de Bolsonaro dá sinais de que a ampliação das politicas sociais, como Auxilio Emergencial e vale-caminhoneiro, serão cada vez mais importantes para a campanha depois da crise com a prisão do ex- ministro Milton Ribeiro e denuncias de que Bolsonaro teria interferido nas investigações. • Com protagonismo executivo cada vez maior, o presidente da Câmara Artur Lira (PP) se movimenta cada vez mais mirando sua reeleição em 2023, qualquer que seja o cenário pós eleições. Busca ampliar o Centrão, tentando atrair o PSD, faz o jogo de Bolsonaro em pautas econômicas, amplia as ações com partidos da direita e começa a dar sinais de fl ertar com a oposição. • PL, PP, Republicanos e PSD devem ter cerca de 200 deputados na nova legislatura e Artur Lira maneja o orçamento secreto para assegurar o apoio dessa base para sua reeleição, em articulação com a manutenção de Rodrigo Pacheco (PSD) na presidência do Senado. • A grande preocupação do governo Bolsonaro nesse momento é a possível instalação de uma CPI no Senado para investigar a prisão de Milton Ribeiro e a gestão do MEC com o gabinete paralelo de pastores evangélicos controlando as vendas do FNDE. Alguns resultados dos pesquisas DataFolha • Rejeição a Bolsonaro permanece estável, apesar das crises recentes. • Nordestinos, mulheres e mais pobres são os que mais consideram o governo ruim. • Com 53% dos votos válidos, Lula venceria no 1º turno, situação estável em relação a ultima pesquisa. Lula cresce entre os empresários e mais ricos, perdendo espaço no meio. • Votos espontâneos e induzidos de Bolsonaro são muito próximos, indicando teto de crescimento. • Diferença de Lula e Bolsonaro na espontânea é muito grande, ainda que estável. • Tebet, com apoio do MDB/PSDB, aparece com a mesma pontuação que Vera Lucia (PSTU). Retrocesso nos EUA: Suprema Corte acaba com direito ao aborto Em uma decisão considerada um retrocesso depois de 49 anos de direito ao aborto, a Suprema Corte dos EUA rejeitou esse direito, abrindo espaços para que os estados que assim desejarem refaçam suas leis estaduais, proibindo esse direto conquistado das mulheres. Há expectativas de que haverá uma diferenciação estadual no pais com estados mais liberais mantendo esse direito e outros proibindo a pratica ou restringido o seu alcance. Também há temores de que a onda conservadora avance também sobre outras conquistas comportamentais, como o casamento entre pessoas do mesmo sexo e politicas anti-homofóbicas. No Brasil, várias entidades protestam contra um formulário do Ministério de Saude que di fi culta o aborto legal no país e pedem a sua revogação.
  3. 3. 02 Detalhamentos Economia Criativa • A Net fl ix, enfrentando queda de assinantes, começa a considerar a possibilidade de veicular publicidade no seu streaming. Para isso contaria com a parceria da Universal e da Google. Nova onda de demissões foi anunciada nessa semana. • Aos 88 anos morreu Danuza Leão, ícone da moda e das festas no Brasil dos anos 60 e 70. Gilberto Gil completou 80 anos. • A concorrência da Tik Tok, chinesa com a Meta, americana, dona do Facebook e Instagram, vem se intensi fi cando com aumento da capacidade de arrecadação dos chineses. A receita publicitária de 2021 foi de US$ 4 bilhões e deve superar os 12 bilhões em 2022. O governo americano começa uma ofensiva contra a expansão da plataforma da China. • A publicidade brasileira recebeu mais prêmios em 2021 sobre 2020 no Festival de Criatividade de Cannes desse ano. Militares e evangélicos • O Senado aprovou PL que possibilita as igrejas evangélicas detentoras de concessões de radio e TV venderem toda a sua programação para terceiros aumentando o mercado desse tipo de transmissão. Vai agora para sanção de Bolsonaro. Em aprovação simbólica no Senado o PL recebeu votos contrários do PT e PSOL na Câmara. • Ministério da Defesa entra com queixa-crime para investigar declarações de Ciro Gomes acusando as Forças Armadas de conivente com os crimes na Amazonia. • A posição do Ministério de Defesa é mais uma tentativa dos militares in fl uírem no processo eleitoral, depois da posição anterior de unilateralmente indicar fi scais das urnas ao TSE e manter a posição de suspeição sobre as urnas eletrônicas. IBRE/FGV prevê piora da economia no 2S22 Corrupção e governo Bolsonaro Protestos indígenas no Equador, crise e preço do diesel Depois da prisão do ex-Ministro Milton Ribeiro fi cará muito difícil Bolsonaro continuar com sua versão de governo sem corrupção. O ex-ministro de Educação, o presbítero Milton Ribeiro teve prisão preventiva decretada nas investigações sobre corrupção com o FNDE e os pastores que controlavam o MEC. Flavio Bolsonaro tenta aparentar calma considerando que não há respingos na campanha do pai e parte para o ataque ao PT, mais do que defender o governo. Bolsonaro disse que “botava a cara no fogo” por Milton Ribeiro mas agora diz que ele pague por seus erros. A oposição, liderada pelo senado Randolfe Rodrigues (Rede) tenta articular uma CPI sobre o MEC no Senado. A Bancada Evangélica agora quer se distanciar do pastor Milton Ribeiro e dos pastores-lobistas Arilton Moura e Gilmar Santos, da Assembleia de Deus Cristo Para Todos. O deputado Sóstenes Cavalcante (PL-RJ), líder da Frente Parlamentar Evangélica, diz que o escândalo não vai afetar a adesão a Bolsonaro no segmento. Protestando contra o governo de Guillermo Lasso no Equador os indígenas querem a redução do preço da gasolina e diesel, a renegociação de dívidas dos trabalhadores rurais com bancos, mais empregos e o fi m da concessão de licenças de mineração em suas terras. Os protestos, cada vez mais radicalizados, já duram duas semanas e provocaram a decretação de estado de exceção em várias regiões equatorianas. Já ocorreram quatro mortes e muitos feridos em manifestações com repressão violenta. Lasso, de Covid, tenta reabrir negociações mas os protestos continuam. As relações do governo conservador de Lasso e a Assembleia Nacional também fi cam muito tensas, com avanços de pedidos para a remoção do presidente. De acordo com a Constituição equatoriana os legisladores podem remover o presidente, em casos de crises politicas e sociais graves. A remoção exigiria o apoio de 92 dos 137 parlamentares, mas Lasso também pode dissolver o Parlamento e convocar novas eleições. A crise está instalada e a principal motivação imediata é o aumento dos preços dos combustíveis. O consumo das familias, que foi um fator de crescimento no 1T22 deve se contrair no 2S22, por causa da queda dos rendimentos reais, assim como o investimento, que já vinha caindo, deve se contrair ainda mais como resultado da politica de juros altos, para tentar conter a in fl ação. O impacto provisório da abertura da economia com o avanco da vacinação, que impulsionou os serviços e o comércio no 1T22 também deixará de atuar, agravando a situação no fi nal do ano, sinalizando problemas também para 2023. Twitter e eleições na Colombia e Brasil Tanto bolsonaristas, como lulistas repercutiram no Twitter o resultado das eleições de Gustavo Petro na Colômbia. Os bolsonaristas, com metade das menções, criticaram o resultado, lembraram do Foro de SP e das FARC, assim como a resistência ao comunismo "que não deve” se espalhar no Brasil. Os lulistas celebraram os resultados sinalizando para sua repetição nas eleições brasileiras desse ano. Os dados foram coletados pela Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getulio Vargas (FGV DAPP).
  4. 4. 03 Gráficos e Números Notícias do Agronegócio por Clovis Caribé Movimentações no “andar de cima” A Pobreza registrou um recorde atípico no Centro- O e s t e , s í m b o l o d a p u j a n ç a d o agronegócio, território que se bene fl ação, apesar da elevação dos juros básicos da economia. Em maio o IPCA-15 foi de 0,59% passando para 0,69% em junho. Reajustes de planos de saude, medicamentos, taxas de água e esgoto, entre os preços administrados e passagens aéreas e carros novos foram os principais responsáveis pela aceleração do aumento dos preços. A maior variação ocorreu nos preços de produtos de vestuário. Um dado positivo foi a redução da dispersão dos aumentos, atingindo menos produtos do que as variações de maio. Os efeitos da elevação da SELIC deverão se ampliar no 2S22, também com contração da atividade econômica.

×