Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Nova Evangelização e Cultura Digital<br />Paulo Sérgio Tenreiro Magalhães - FacTeo<br />Luís Miguel Figueiredo Rodrigues –...
Novo Fórum<br />«tratava-se de um espaçourbanoapinhado e movimentado, quereflectia a culturacircunvizinha e criavaumacultu...
<ul><li>Transformaçõesrevolucionárias no comércio, naeducação, napolítica, no jornalismo e nasrelaçõestransnacionais e 
Manifestamnãosó no modo de osindivíduos se comunicarem entre si, masna forma de as   pessoascompreenderem a suaprópriavida
Interactivae bilateral. Jánão se trata da comunicação unilateral e vertical do passado</li></ul>Cultura Digital<br />
<ul><li>Maiorincidêncianapopulaçãojovem
 Emerge uma nova relaçãopsicológica da pessoa com o tempo e o espaço
Presta-se atençãoàquiloque é tangível, útil e alcançávelinstantaneamente, emdetrimento da reflexão e ponderação</li></ul>C...
Quatro dinâmicas compreensivas:<br /><ul><li> Integração – interacção  com todos as formas artísticas e tecnológicas
 Interactividade– o ‘utilizador’ cria as suas próprias experiências e interage com outros (até ao infinito?)
Hipermédia– unem-se elementos até aqui separados (som, imagem, texto, filme…)
Imersão – entrar-se no mundo virtual, às vezes a três dimensões. </li></ul>Cultura Digital<br />
<ul><li>Presença online “estática” (o início da WWW)
Conteúdoscolocados e controladospelo“dono” do site.
Conteúdosemtexto, porvezesacompanhados de imagens.
Presença online “dinâmica”
Conteúdoscolocados e controladospelo “dono” do Site.
Conteúdosemtexto, acompanhados de imagens, de animações, de ficheiros de som e de vídeos.
Presença online “interactiva”
Conteúdoscolocadospelo“dono” do site e pelosseusutilizadores (com ousemnecessidade de registoprévio, com ousemmoderação/ce...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Nova evangelização e cultura digital

1,681 views

Published on

Apresentação realizada em Viana do Castelo, nas XX jornadas de Estudos Teológicos

Published in: Spiritual
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Nova evangelização e cultura digital

  1. 1. Nova Evangelização e Cultura Digital<br />Paulo Sérgio Tenreiro Magalhães - FacTeo<br />Luís Miguel Figueiredo Rodrigues – FacCiS<br />Viana do Castelo – 3 de Fevereiro de 2011<br />
  2. 2. Novo Fórum<br />«tratava-se de um espaçourbanoapinhado e movimentado, quereflectia a culturacircunvizinha e criavaumaculturaquelhe era própria.(…) Assimcomo as novas fronteiras dos outros tempos, tambémestaestácheia da ligação entre perigos e promessas, e não é desprovida do sentidode aventuraquecaracterizouosoutrosgrandesperíodos de mudança. Para a Igreja, o novo mundo do espaçocibernético é umaexortação à grandeaventura do uso do seupotencialpara proclamar a mensagemevangélica» (João Paulo II)<br />
  3. 3. <ul><li>Transformaçõesrevolucionárias no comércio, naeducação, napolítica, no jornalismo e nasrelaçõestransnacionais e 
  4. 4. Manifestamnãosó no modo de osindivíduos se comunicarem entre si, masna forma de as   pessoascompreenderem a suaprópriavida
  5. 5. Interactivae bilateral. Jánão se trata da comunicação unilateral e vertical do passado</li></ul>Cultura Digital<br />
  6. 6. <ul><li>Maiorincidêncianapopulaçãojovem
  7. 7. Emerge uma nova relaçãopsicológica da pessoa com o tempo e o espaço
  8. 8. Presta-se atençãoàquiloque é tangível, útil e alcançávelinstantaneamente, emdetrimento da reflexão e ponderação</li></ul>Cultura Digital<br />
  9. 9. Quatro dinâmicas compreensivas:<br /><ul><li> Integração – interacção com todos as formas artísticas e tecnológicas
  10. 10. Interactividade– o ‘utilizador’ cria as suas próprias experiências e interage com outros (até ao infinito?)
  11. 11. Hipermédia– unem-se elementos até aqui separados (som, imagem, texto, filme…)
  12. 12. Imersão – entrar-se no mundo virtual, às vezes a três dimensões. </li></ul>Cultura Digital<br />
  13. 13. <ul><li>Presença online “estática” (o início da WWW)
  14. 14. Conteúdoscolocados e controladospelo“dono” do site.
  15. 15. Conteúdosemtexto, porvezesacompanhados de imagens.
  16. 16. Presença online “dinâmica”
  17. 17. Conteúdoscolocados e controladospelo “dono” do Site.
  18. 18. Conteúdosemtexto, acompanhados de imagens, de animações, de ficheiros de som e de vídeos.
  19. 19. Presença online “interactiva”
  20. 20. Conteúdoscolocadospelo“dono” do site e pelosseusutilizadores (com ousemnecessidade de registoprévio, com ousemmoderação/censura do que é colocado).
  21. 21. Presença online “imersiva”
  22. 22. Baseada no contexto de imersão 3D.
  23. 23. Emfase de evoluçãorápida.
  24. 24. Indivíduorepresentadopor um “avatar”.
  25. 25. Presençaemespaçospúblicoscomo o Second Life oucriação de espaçosimersivosprópriosdentro dos sites “normais”.</li></ul>Níveis de presença na internet<br />
  26. 26. <ul><li>Fórum
  27. 27. As mensagenssãoenviadas para um grupo de “assinantes” do fórum e ficamdisponíveis online para consulta posterior.
  28. 28. As mensagenssãoorganizadasportema de discussão.
  29. 29. Os temaspodem ser começadosapenaspelosmoderadores do fórum, ouporqualquerutilizador.
  30. 30. Blog
  31. 31. Tipo especial de site na Internet, caracterizadosporfuncionarem um poucocomo um diário. Situaçõesdignas de registosãonoticiadasoucomentadas no blog. Os “seguidores” do blog podem, então, comentar as mensagensanteriores, sejam as entradasoriginais do blog (os posts) ouoscomentáriosanteriorescolocadosporoutrosutilizadores.
  32. 32. Micro-blogging – twitter, Frazer (fr), TeLog (Br)…
  33. 33. Os posts sãomuitocurtos, com um númerolimitado de caracteres (porexemplo, 200).
  34. 34. Concebidos para pequenas e frequentesindicaçõesaogrupo, seja para divulgação de eventos, seja para actualização do estadopsicológico/físico de quememite as mensagens.
  35. 35. RedesSociais</li></ul>Principais formas de interactividade<br />
  36. 36. “Igreja” no SeconfLife ( imagens de 2007)<br />
  37. 37. “Igreja” no SeconfLife ( imagens de 2007)<br />
  38. 38. “Igreja” no SeconfLife ( imagens de 2007)<br />
  39. 39. Quandofalha a manutenção, o site pode ser utilizadoporterceiros para a concretização de actoscriminosos, comoservir de plataforma para comunicação de sites pedófilos:<br />Perigos<br />
  40. 40. Novos mundos, novas oportunidades<br />
  41. 41. Os médiatêm um grandepoder de partilha e possibilidade de relacionamentos, ‘encontros’<br />Acesso, praticamenteilimitado, a toda a informação e recursosimateriais<br /> Grande contracção do tempo e do espaço (quetambémpode ser umadificuldade)<br />Possibilidades externas<br />
  42. 42. Prevalência do efémero<br />Informaçãoerrónea e nãotratada, geradora de "divisões" e não de maioraproximaçãohumana<br /> A informaçãoveiculada, emvez de 'dizer' a realidade, 'cria' a realidade: a verdade é o que 'aparece‘<br />Mas, semgrandesexageros, podemosdizerque no mundo digital tende-se a:<br />Recusar a Lei<br />Recusartoda e qualquermediação<br />Recusarumapalavra/comunicaçãoencarnada/encorpda<br />Dificuldades externas<br />
  43. 43. Há um grandeoptimismoeclesialemrelaçãoaos cross media<br /> Oferece um acessodirecto e imediato a importantesrecursosreligiosos e espirituais: bibliotecasgrandiosas, museus e lugares de culto, osdocumentos do ensinamento do Magistério, osescritos dos Padres e dos  Doutores da Igreja, assimcomo a sabedoriareligiosa de todosos tempos<br />Promoveque indivíduos a entrarememcontacto com as pessoas de boa vontadequenutremosmesmosinteresses e queparticipamnasvirtuaiscomunidades de fé para se encorajarem e auxiliaremumasàsoutras<br />Possibilidades internas<br />
  44. 44. Hásectoreseclesiaisalheiosdestarealidade<br />Sítiosdefinidoscomo «católicos», masquenão o são<br />Porvezes, procura-se marcarpresença, massemestratégia e semqualidade<br />Criação de umareligiosidade ‘à medida’ (new age)<br />Tende a desaparecer o papel da Instituição (eclesial)<br />Dificuldades internas<br />
  45. 45. Somoschamados à Comunhão,peloDeus Trindade<br />Mas... «é importanteque a comunidade cristãdescubraformasmuitoespeciais de ajudaraquelesque, pelaprimeiravez, entramemcontacto com a Internet, a passar do mundo virtual do espaçocibernético para o mundo real da comunidade cristã» (João Paulo II).<br />Disponibilizar<br /><ul><li>Informação
  46. 46. Formação
  47. 47. Recursos</li></ul>• Estarna web com 'espírito' cristão<br /> Verdade<br /> Coerência de posições<br /> Testemunho ‘digital’<br />Estarna web com 'espírito' cristão<br />
  48. 48. «A Internet podeoferecermagníficasoportunidades de evangelização, se for usada com competência e umaclaraconsciência das suasforças e debilidades» (João Paulo II, 2002).<br />Organizar-se e ter uma estratégia «cristã»<br />Utilizar os recursos existentes, com sentido do belo e da pobeza/desprendimento<br />Utilizar assertivamente a imagem, o som e o TEXTO.<br />Desafios à Comunidade eclesial<br />
  49. 49. Reconhecer, valorizar e aproveitar os sítios institucionais <br />[v.g. www.agencia.ecclesia.pt|www.vatican.va]<br />‘Ligar’ as presenças católicas na web que já existem, dentro de cada ‘território’ (Diocese, Paróquia, movimento…), com o objectivo de ‘recriar’ os elos comunitários.<br /> Melhorar a comunicação eclesial (interna e externa)<br /> Usar a web para aprofundar e exprimir a fé (com ligação à Comunidade): pensar a fé; auxilio à formação, divulgação de eventos significativos.<br />Como? <br />
  50. 50. Obrigado!!<br />Paulo Sérgio Tenreiro Magalhães - FacTeo<br />Luís Miguel Figueiredo Rodrigues - FacCiS<br />

×