Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 103-104

3,459 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
3,459
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3,021
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 103-104

  1. 1. Pergunta implicava mais interpretaçãocomentário do que relato (por vezes, faltou a explicação acerca do simbolismo dos três espaços).
  2. 2. Coimbra não não é um dos espaços mais importantes. E não parece que apareça conotada (na obra, que é que interessa) com o conhecimento ou a aquisição de saberes úteis ao voo.
  3. 3. Em alguns dos textos se vê que o livro não está todo lido.
  4. 4. No Memorial Em Memorial
  5. 5. alto da vela coimbra são sebastião da pedreira
  6. 6. Em Coimbra é o local onde Coimbra é o local
  7. 7. voo Baltasar
  8. 8. Na frase («Amor com amor se paga»), o sujeito é «Amor». Na frase «Amor com amor se paga», o sujeito é «Amor».
  9. 9. São Sebastião da Pedreira – Local de: Trabalho criativo e manual; Amor; Convívio e cumplicidade; Medo (por transgressão às mãos da Inquisição); superação do medo; libertação.
  10. 10. Mafra – Local de: Edificação do convento; Trabalho; Miséria, degradação humana («Ilha da Madeira»); Celebração do poder religioso e régio.
  11. 11. Já estão em Gaveta de Nuvens os textos cujas reformulações me foram enviadas até há pouco (a nota que pus é da primeira versão).
  12. 12. Nem sempre instruções foram lidas Por exemplo: pedira que anexo fosse ConventodeHeliodorodo12.º1.ª
  13. 13. Ver bem as instruções e o meu exemplo. Referências completas, quer da composição quer de Memorial (ver como faço eu); Pôr o link — preferir vídeos originais, ou até oficiais, dos cantores (evitar versões editadas por populares); Tentarem focar-se num dado passo da obra (eu escolhi a morte de Francisco Marques).
  14. 14. «Construção» (Chico Buarque / Chico Buarque), Construção, 1971 José Saramago, Memorial do Convento, 13.ª edição, Lisboa, Caminho, 1984, pp. 256-261
  15. 15. Começa por se considerar que o convento de Mafra é o {centro / epicentro / diâmetro / fulcro} de Memorial do Convento.
  16. 16. A primeira cena (da adaptação feita pelo grupo Éter} tem como personagens {D. João V e D. Nuno da Cunha / D. João V e um franciscano / Bartolomeu e Baltasar / D. João V e o padre Bartolomeu}.
  17. 17. Para Carlos Reis, o começo do romance tem alguma coisa de {surrealista / inesperado / paródico / satírico}.
  18. 18. O narrador do documentário considera que naquele tempo andavam de mãos dadas os poderes {espiritual e carnal / temporal e espiritual / espiritual e militar / espiritual e secular}.
  19. 19. Considera ainda que a construção do convento é, relativamente ao que o autor quer contar, o {fim último / ponto de partida / âmago / tronco}.
  20. 20. Saramago nasceu em 1922 numa aldeia {alentejana / ribatejana / minhota / da Côte d’Azur}.
  21. 21. Antes de profissional da escrita, Saramago foi {mendigo, arrumador de carros, banqueiro / futebolista, modelo, ator / serralheiro, funcionário administrativo, desenhador / professor, funcionário administrativo, publicitário}
  22. 22. O seu primeiro romance foi {A terra do pecado / Terra do pecado / Os Maias / Levantado do Chão}
  23. 23. A viúva de Saramago chama-se {Pilar del Rio / Pila del Rio / Pilar del Mar / Pilar del Ribero}.  
  24. 24. Para ela, o trabalho o marido, ao trabalhar, assemelhava-se a um {artista ou compositor / artesão ou camponês / operário têxtil e futebolista / revisor e burocrata}.
  25. 25. Por dia, Saramago escrevia, geralmente, {duas / três / quatro / cinco} páginas.
  26. 26. Rui Tavares descobre em duas personagens de livros de José Saramago semelhanças com o escritor, reportandose a {Levantado do Chão e Ensaio sobre a Cegueira / História do Cerco de Lisboa e Todos os nomes / A viagem do elefante e Ensaio sobre a lucidez / A Caverna e O homem duplicado}.
  27. 27. No fim dos anos cinquenta, José Saramago trabalhou em {Paris / editora / Espanha / escolas}.
  28. 28. Tornar-se-ia depois, por alturas do 25 de abril, diretor-adjunto do {Diário de Notícias / Voz Ativa / Jornal de Letras / Diário de Lisboa}
  29. 29. É demitido aos {cinquenta / zero / cento e dez / cinquenta e três} anos.
  30. 30. Manual de pintura e caligrafia é um {manual / ensaio de romance / poema em prosa / flop}.
  31. 31. O primeiro livro em que Saramago subverteu as regras de pontuação foi {Memorial do Convento / Levantado do Chão / As pequenas memórias / A Jangada de Pedra}.
  32. 32. Quando descobriu Memorial do Convento, a então jornalista e futura mulher de Saramago estava acompanhada de {quatro amigas / cinco amigas / três caniches / setenta e oito amigos}.
  33. 33. Carlos Reis destaca no amor de Blimunda e Baltasar o tratar-se de um amor {físico / intuitivo / carnal / platónico}.
  34. 34. Rui Tavares considera Bartolomeu de Gusmão um {barroco / pré-iluminista / aldrabão da pior espécie / padre castiço}.
  35. 35. TPC — Vê resto do documentário (em Gaveta de Nuvens há link).
  36. 36. Quantificador Existencial Universal Numeral Relativo Interrogativo
  37. 37. Universal (relativo a todos os elementos de um conjunto) todo, toda, todos, todas nenhum, … qualquer, … ambos, … tudo, … cada, …
  38. 38. Existencial (não remete para a totalidade de um conjunto) algum, alguns, alguma, algumas bastante, … muito, … pouco, … tanto, … vários, …
  39. 39. Numeral Cardinal dois, três, quatro, … Fracionário um quarto, dois quintos, … Multiplicativo dobro, triplo, quádruplo, …
  40. 40. Relativo quanto, … Interrogativo quanto?, …
  41. 41. Pronomes relativos Variáveis Singular Plural Masculino Feminino Masculino o qual a qual os quais as quais Invariáveis que quem Feminino
  42. 42. Outras palavras relativas Advérbio relativo onde Determinantes relativos cujo, cuja, cujos, cujas Quantificadores relativos quanto, quanta, quantos, quantas
  43. 43. Lentamente Bem Comparativo Mais lentamente que Melhor que | Mais bem que Tão lentamente comoTão bem como Menos lentamente que Menos bem que Superlativo absoluto analítico Muito lentamente Muito bem Superlativo absoluto sintético Lentissimamente Otimamente Superlativo relativo O mais lentamente que O melhor que O menos lentamente que O menos bem que
  44. 44. Gentílico = português, inglês, coimbrão, …

×