Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 71-72

530 views

Published on

Aula 71-72

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 71-72

  1. 1. Vítor / Victor Remonta a / Remete para
  2. 2. a maneira que a maneira como
  3. 3. apresenta um cómico de é um cómico de há cómico de suscita cómico de provoca cómico de é um processo de cómico de
  4. 4. As personagens de Pero Marques e Vítor do Penedo têm decerto semelhanças. Surpreendem por serem disparatadas, pouco perspicazes. Suscitam ambas o riso do espetador ou do leitor, essencialmente pelo seu caráter ingénuo. Além deste cómico de caráter, predo- minante, surgem passos em que podemos encontrar processos de humor identificá- veis como resultado da situação (gerando quiproquós) — por exemplo, na série
  5. 5. «Rádio Calypso», ofacto de Vítor do Penedo aparecer como o invariável interlocutor dos inquéritos e passatempos promovidos por Markl é exemplo de cómico de situação — ou de recursos de linguagem (cfr. a brincadeira com a última palavra proferida pelo Penedo pai). Entretanto, se as aproximam características comuns de inteligência — ou de falta dela —, talvez seja difícil pretender que Vítor e Pero configurem um
  6. 6. mesmo tipo. Pero Marques será a personagem que corresponde realmente ao esterótipo do provinciano, simplório mas generoso. Quanto a Vítor do Penedo, não será o emblema de um perfil social ou regional determinado (a própria pronúncia meridional é acessória). Falta- lhe complexidade psicológica para ser personagem redonda, mas também não será rigorosamente previsível, plana.
  7. 7. No regresso do Carnaval ter leitura de livro terminada.
  8. 8. Por favor, tratar os livros com os cuidados que qualquer livro merece: Não forçar a lombada, e os cadernos, espalmando-os; Não escrever sobre eles; Não folhear bruscamente, arriscando rasgos; Não os besuntar com o sebo das vossas mãos imundas e nojentas.
  9. 9. ato = divisão da obra dramática em partes, em função do tempo (e, muitas vezes, do espaço — correspondendo, então, a uma mudança do cenário); os atos podem ser separados por intervalos. cena = momento da acção em que estão em cena as mesmas personagens.
  10. 10. géneros teatrais = farsa, tragédia, drama, comédia, tragicomédia, etc.
  11. 11. didascália = texto secundário de uma peça de teatro (o texto principal serão as falas), com instruções para encenação. Cfr. Glossário na p. 155. O termo tem origem na tragédia grega, quando o autor acumulava as funções com a de encenador (didascalos). Como o encenador estava presente, os textos da antiga tragédia não precisavam de didascálias.
  12. 12. Título da peça Auto de Inês Pereira
  13. 13. Autor [feito por] Gil Vicente
  14. 14. Há indicação de género? Farsa de folgar
  15. 15. Farsa = Género do teatro medieval, caracterizado pelo Engano, por uma intriga curta e concentrada, por um reduzido número de personagens e pela verosimi- lhança de situações (circunstâncias realistas, com personagens com filhos, profissão, etc.). Ao objetivo cómico e burlesco próprio do género, Gil Vicente adiciona uma componente moralizante.
  16. 16. Há indicação sobre a primeira representação? Representado ao muito alto e poderoso rei dom João o terceiro, no seu convento de Tomar. Era do Senhor de 1523
  17. 17. Há lista de personagens? Inês Pereira, sua Mãe, Lianor Vaz, Pero Marques, dois judeus (Latão e Vidal), Escudeiro, Moço, um Ermitão
  18. 18. Quantos atos há? Não estão assinalados. Um, se quisermos.
  19. 19. Há descrição do cenário de cada ato? Não há.
  20. 20. As cenas estão numeradas? [Cenas não estão numeradas, nem indicadas.]
  21. 21. Há didascálias junto das falas das personagens? «Entra logo Inês Pereira e finge que está lavrando só em casa, e canta esta cantiga:»
  22. 22. Mote: «Mais quero asno que me leve do que cavalo que me derrube». Razão de ter sido dado a Gil Vicente este mote: pretendia-se confirmar que Gil Vi- cente era mesmo o autor das suas peças e não as copiava de outros.
  23. 23. Cria o começo de um livro de teatro, incluindo: Título da peça Lista de personagens Ato Primeiro [com didascália do cenário do:] Duas curtas cenas do Ato I: Cena I / Cena II Deves seguir a disposição típica dos textos teatrais (as didascálias ficarão sublinhadas). Quanto a assunto, prefiro que o texto seja verosímil. Como é óbvio, a peça ficará suspensa a partir da cena II, pouco avançando em termos de ação.
  24. 24. Como sabes, o que define a mudança de cena é a entrada (ou a saída) de personagens. O teu texto tem de ter duas cenas.
  25. 25. Título Lista de personagens Ato Primeiro didascália do cenário Cena I Cena II
  26. 26. TPC — Lança as correções que fiz no texto da ‘palavra de estimação’ e envia-me o ficheiro já passado a limpo. (Não tenho posto nas folhas a nota, mas dá-la-ei ao texto depois de reformulado.)

×