Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 5-6

1,260 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 5-6

  1. 1. Tavares, uma das que foram coligidas no livro Não te deixarei morrer, David Croquete. [Não te deixarei morrer, David Croquete] Diga-se que a referência do texto não ficou perfeita, já que falta o nome da crónica. Devia estar assim: Tavares, Miguel Sousa (2001), «Ao longo do caminho», Não te deixarei morrer, David Crockett, 8.ª ed., Lisboa, Oficina do Livro.
  2. 2. Lembro-me que, quando tinha cinco anos, vi uma foca lindíssima. Lembro-me que vi uma foca lindíssima quando tinha cinco anos. Lembro-me que vi uma foca lindíssima, quando tinha cinco anos.
  3. 3. Cheguei a casa e vi a minha mãe e falei à minha avó e esta deu-me os parabéns. Cheguei a casa, vi a minha mãe, falei à minha avó e esta deu-me os parabéns.
  4. 4. Conta-Corrente, IV Autor Vergílio Ferreira Género Diário Pessoa Primeira
  5. 5. Tempo Perfeito (1.º parágrafo, reportado a «ontem»); Presente do Indicativo (2.º parágrafo, mais sobre «hoje»). Narrador/Escritor Coincidem.
  6. 6. Personagem/Tempo Personagem está a reportar-se a um passado recente ou a refletir sobre o seu presente. Discurso/Ação Haverá dispersão, repetições, características de um texto que é fragmentado pelos dias, circunstancial, virado para o que vai acontecendo, sem o hierarquizar.
  7. 7. «Ao longo do caminho» Autor Miguel Sousa Tavares Género Crónica (com elementos autobiográficos) Pessoa Primeira
  8. 8. Tempo Presente, sobretudo (perfeito e imperfeito nas alusões ao passado). Narrador/Escritor Coincidem, embora o texto também se foque em outra personagem, o filho do cronista.
  9. 9. Personagem/Tempo Personagem já viveu parte do que conta, mas ainda não faz uma retrospetiva da vida. Discurso/Ação Os factos narrados pretendem apoiar os argumentos que constituem o essencial da crónica.
  10. 10. «A minha adolescência tem sido um céu baixo e pesado, em que existem, por vezes, pequenas abertas». Aproveita esta frase num texto diarístico. Podes fazer os fragmentos de um, dois ou três dias. O trecho começará pela data. A frase que pus em cima tem de surgir em algum ponto do teu texto.
  11. 11. O narrador é de 1.ª pessoa, claro, mas isso não te vincula ao que estejas a relatar ou a opinar: o narrador não tem de corresponder sempre ao autor.
  12. 12. (Poderias relancear o que se diz sobre o género «diário» na p. 117, ou olhar de novo a página de Vergílio Ferreira, mas talvez seja mais prático centrares-te já no teu próprio texto.)
  13. 13. Vamos ver o início do filme A história da minha vida (Mensonges et trahisons), o relato autobiográfico de um autor de autobiografias. Nele se articulam duas autobiografias: a de Kevin, escrita afinal por Raphaël, e a que é narrada em off, que é a do próprio Raphaël.
  14. 14. Segundo Raphaël, Muriel tem uma característica muito distintiva, a de ser sempre franca. Se quisermos pensar no efeito que esta idiossincrasia pode ter nas conversas em que Muriel participa, diremos que, ao cumprir tão à letra a máxima conversacional de qualidade, ela acaba por infringir constantemente o princípio de cortesia.
  15. 15. Droit au but (Direito [Direto] ao assunto) Autor Kevin-Raphaël Género Autobiografia Pessoa Primeira
  16. 16. Tempo Perfeito Narrador/Escritor Não coincidem. Personagem/Tempo Personagem já viveu o que conta e olha-o já em síntese.
  17. 17. Discurso/Ação A narrativa pretende-se estruturada, escolhendo-se apenas o que é significativo na vida do biografado.
  18. 18. TPC — Completa, melhora, o texto diarístico começado em aula (trazendo-me a mesma folha). Ainda aceito o «Alfabeto Pessoal» (ver Sumários e tepecês, aula 3-4) na próxima aula. Quando puderes, relanceia as páginas de gramática sobre ‘Princípios de cooperação e de cortesia’ que copiei em Gaveta de Nuvens.

×