Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Filosofia e democracia da grécia

1,063 views

Published on

Published in: Education
  • Be the first to comment

Filosofia e democracia da grécia

  1. 1. FACIG_JUNHODE2013 Disciplina:HistóriaAntiga Tema:DemocraciaeFilosofianaGrécia Curso:PrimeiroPeríododeHistória Professor:ME. GermanoMoreiraCampos
  2. 2. Democracia
  3. 3. Atenas Atenas _ diferente e mais dinâmica que Esparta. Fundada pelos Jônicos. Se localizava esta na península Ática. O poder estava nas mãos da Aristocracia (eupátridas). Eupátridas(“bem nascidos”) eram a elite, ricos donos das melhores terras.
  4. 4. Organização social de Atenas Eupatridas Georgoís demiurgos thetas
  5. 5. • “[...] Os pobres em geral, pequenos camponeses e artesãos, passavam por grandes penúria e, endividados , eram mesmo escravizados por dívidas. (FUNARI, 2001, pg 33) • Conforme Atenas aumentava seu contato com o mar, a chamada “Demos” em especial os comerciantes adquiriam mais poderes. • Começaram a pressionar a aristocracia. • Surgimento do código de Drácon.
  6. 6. O código de Drácon • “[...] Representou um avanço pois tornou as leis públicas e aplicáveis a todos, mas não acabou com a hegemonia econômica dos aristocratas que continuaram a dominar a vida política mais significativa. Por isso nem os problemas nem a ameaça de guerra civil acabaram. (FUNARI, 2001, pg 33)
  7. 7. Sólon, arconte ateniense Institui um novo conselho a “bulé” . Concedeu mais poderes a “Eclésia”. Acabou com o sistema de escravidão por dívida. Favoreceu o sistema econômico.
  8. 8. Pisístrato o tirano Confiscou os domínios da nobreza e ampliou o numero de pequenos proprietários Tinha um grande apoio popular. Construiu Palácios. Favoreceu o crescimento econômico ateniense
  9. 9. Clístenes Mudou o sistema de voto Criou o ostracismo Concedeu mais poderes a bulé .
  10. 10. Na democracia ateniense existia dois tipos de leis As leis divinas As leis dos homens
  11. 11. •As leis dos homens passavam pelo conselho criado por Sólon a Bulé esse nome remete a uma troca de ideias.
  12. 12. Democracia e escravidão A democracia ateniense dependia da escravidão A maior parte dos cidadãos que dela podiam usufruir eram os camponeses ou pequenos artesãos
  13. 13. A democracia ateniense foi vista de forma negativa por pensadores modernos.
  14. 14. Filosofia
  15. 15. A Religião na Grécia antiga • Citação: • “Com tantos mitos, como os gregos chegaram ao pensamento racional, aquele que explica o mundo pela faculdade que tem o ser humano de avaliar e julgar?. Esta deve ser uma pergunta na cabeça do leitor [...].” (FUNARI. 2001, página 62) • Não há um rompimento radical entre o pensamento mitológico e o pensamento racional. • Razão um conceito essencial “logos”, que significa ao mesmo tempo , “palavra”, “discurso”.
  16. 16. Desenvolvimento do pensamento filosófico • Povo de característica comercial, onde o contato com outros povos se faz necessário para o desenvolvimento das suas atividades. • Os gregos estavam consequentemente em convívio com outros mitos que não os seus. • O Pensamento filosófico surgiu primeiramente na parte mais comercial da Grécia: a “Jônia na Ásia Menor” e na florescente “Magna Grécia”, no sul da Itália.
  17. 17. Colonização grega
  18. 18. Colonização grega
  19. 19. • “A filosofia começou ocupando-se do problema da origem do mundo e da verdadeira realidade, da unidade por detrás das aparências [...].”(FUNARI. 2001, página 62). • Na Jônia, certos homens começaram interrogar. • A filosofia surgiu no período Arcaico com a Escola de Mileto, da qual destacaram-se Tales, Anaxímenes e Anaximandro. Na concepção dessa escola, tudo na natureza descendia de um elemento básico (água, ar ou matéria).
  20. 20. Correntes filosóficas
  21. 21. Pré-Socráticos
  22. 22. Tales (cerca de 636 anos A. C.) • Acreditava que cada coisa, incluindo o sol, a lua, as estrelas, a terra, as árvores, as flores, os animais, as aves e os seres humanos que habitam a terra, provieram, originalmente, de uma única e mesma substância: a água. • “[...] Tales é um bom exemplo da originalidade dos filósofos gregos, pois foi influenciado por egípcios e mesopotâmicos e sua ênfase religiosa na água para afirma que “no princípio era a água”, mas, a partir daí, formulou, de forma original, os princípios do que viria a ser a geometria abstrata”.(FUNARI. 2001, página 63)
  23. 23. Anaxímenes • Anaxímenes, dizia que tudo era feito de ar. A vida, explicava ele, é ar. Lançado pelas narinas, formou o coração, os pulmões, os músculos, o sangue e todas as outras partes do corpo. O ar se condensou para formar o vapor. O vapor solidificou-se para formar a água. A água condensou-se para formar lodo, areia e rochas. E assim por diante, por toda a escala da criação.
  24. 24. Algunsdestespensadores chegaramacontestaaprópria validadedamitologiaantropomórfica,comseusdeusesem formahumana,comofoiocasodeXenófanes: “Homero e Hesíodo atribuem aos deuses comportamentos reprováveis entre os homens, como, o adultério e o engano de uns aos outros. Os mortais imaginam que os deuses nasceram, têm roupas, voz e aparência humana como eles mesmos. Assim, os etíopes dizem que seus deuses são negros, enquanto os deuses trácios têm olhos azuis e cabelos ruivos. Mais, na verdade, existe apenas um deus o maior entre deuses e homens, não parecido com os mortais, nem em seu corpo, nem em pensamento”.
  25. 25. O que é o ser? • “Não é possível ao homem entrar duas vezes no mesmo rio”(Heráclito) • “O ser é”(Parmênides)
  26. 26. Sofistas
  27. 27. • Sofista era aquele que conquistava o saber (do grego: Sophia = sabedoria, os sábios) • Os sofistas surgiram na Grécia como um movimento filosófico bastante peculiar, preocupados em dignificar e valorizar o homem, gradativamente através do estudo e da reflexão. • O movimento sofista com o tempo se descaracterizou, fazendo uma leitura diferente daquela estabelecida por Protágoras. • Ensinavam com gosto, desde que para isto recebessem. • Os sofistas não acreditavam em verdades absolutas, em sua opinião, havia visões diferentes sobre o mundo e as coisas.
  28. 28. • Para Protágoras, “o homem é a medida de todas as coisas”. • O mundo não passava de um sonho, produto da criação humana, já que o homen era a medida de todas as coisas, tudo era possível. Qualquer teoria podia ser encarada como falsa ou verdadeira, porque tudo se justificava através dos diferentes pontos de vista. (tese defendida pelo sofista, Gorgias de Leontini)
  29. 29. Socráticos
  30. 30. Sócrates Com o corpo envolto num áspero manto, a cabeça descoberta e os pés descalços, vagava pelas ruas de Atenas e permitia a todos que se abeberassem avidamente na sua inesgotável taça de sabedoria. Tinha a profissão de escultor, mas raramente nela trabalhou. Preferia moldar ideias abstratas. (O livro das Maravilhas da Filosofia Henry Thomas)
  31. 31. Maiêutica • Ao seu método chamado de maiêutica (no grego = parto das ideias ou técnica de dar a luz), era essencial: “conhece-te a ti mesmo” esta frase inscrita no templo de Apolo, era a recomendação básica de Sócrates a seus discípulos fazendo uma alusão à necessidade do autoconhecimento, a importância de não estagnar na periferia das coisas, mas ser audaz perscrutando o seu interior, pois ai reside à essência de tudo.
  32. 32. TécnicasdeSócrates:
  33. 33. Platão O mais importante de todos os discípulos de Sócrates foi Platão (gr. Πλάτων), que exerceu enorme influência na filosofia, na religião, na educação, na literatura e até mesmo na língua grega. Platão nasceu em Atenas, por volta de -428, e era membro de uma aristocrática e ilustre família. Descendia dos antigos reis de Atenas, de Sólon e era também sobrinho de Crítias (-460/- 403) e Cármides.
  34. 34. Platão um típico conservador • Segundo Funari: • Platão pertencia a mais antiga aristocracia ateniense. • Viveu as constantes lutas entre democracia e aristocracia na sua juventude. • Fundou um escola filosófica com o nome de ACADEMIA. • Tinha fama de desligado pois voltava-se, cada vez mais para o mundo das ideias.
  35. 35. A República de Platão. • A sua celeste descrição do paraíso terrestre. • República ideal na “visão de Platão”. • Formação de um estado filosófico investimento na educação das crianças. • As crianças dotadas apenas de pequena capacidade mental hão de ser relegadas para as classes mais baixas: as dos lavradores. As restantes têm de continuar sua educação por mais dez anos. Essa educação adiantada, ou de colégio, consistirá num estudo completo das ciências: aritmética, geometria e astronomia.
  36. 36. • O estado ideal, insiste Platão, deve ser governado por filósofos. "A menos que os filósofos se tornem governantes, ou os governantes estudem filosofia, não terão fim os dissabores humanos." A finalidade desses governantes- filósofos é estabelecer a justiça universal entre os homens. • Então propõe um modelo de sociedade com apenas três grupos: filósofos, guerreiros e artes.
  37. 37. Pensamento Hierarquizado
  38. 38. Aristóteles Principal discípulo de Platão, é considerado o filósofo grego que mais influenciou o Ocidente. Deixou trabalhos preciosos nas áreas da Física, Biologia, Astronomia e Política.
  39. 39. • “Nascido em Stageira em 384 a.C. , com 17 anos tornou-se aluno na Academia de Platão.”(FUNARI, 2001, 69) • Depois da morte de seu mestre, Aristóteles saiu de Atenas e continuou seus estudos. • Funda a sua própria escola filosófica, conhecida como Liceu, em honra ao deus “Apolo Lício”, um ginásio com percursos cobertos, chamado em grego peripatoi, de onde deriva o nome da escola Peripatética.
  40. 40. • Para ele o mundo das ideias não existia separado das coisas que vemos, mas constituía sua essência; admitia erros no sentido, mas defendia que estes erros poderiam ser corrigidos através do emprego adequado da razão. • Portanto, para Aristóteles não bastava ter só o conhecimento do mundo, era preciso também agir sobre o mundo, logo, procurou sempre elaborar uma visão mais cientifica da realidade e desenvolveu a lógica para servir de ferramenta básica para o raciocínio.
  41. 41. Escola de Atenas
  42. 42. Rostos de alguns filósofos
  43. 43. Curiosidades
  44. 44. O professor de suicídio • Os filósofos gregos embrenharam-se em curiosos desvios de especulação. • Um desses filósofos, Hegesias, chegou à convicção de que a vida era um engano trágico e que todos os homens o melhor que tinham a fazer era morrer. • E induziu muitos rapazes ao suicídio. Quanto a ele, viveu até a bem madura idade de oitenta anos. • Quando lhe perguntavam porque ele próprio não praticava o que pregava, dava uma resposta bem lógica. "Sou a única pessoa na Grécia que pode induzir os jovens ao suicídio. Se eu morrer, não haverá ninguém que me tome o lugar. É, pois, meu dever penoso viver, afim de poder ensinar aos outros o prazer delicioso da morte".
  45. 45. Considerações finais
  46. 46. • A característica deste período histórico Grego, que corresponde ao século V a.C. foi à efervescência das ideias, numa perspectiva racional onde se buscou dissecar o homem e as suas relações com o seu meio e sobre tudo consigo mesmo. Sem sombra de duvida, estes foram momentos gloriosos da filosofia grega, outrossim, ainda mais grandiosa a exaltação de Atenas, como cidade mãe, das artes, da inteligência, da cultura, da democracia e de tudo aquilo que tão belamente enobreceu o gênero humano no seu desenvolvimento sócio-político- cultural.(Por Prof. Everaldo Atanásio)
  47. 47. Fontes do trabalho • Acessado 04052013 www.brasilescola.com http://www.google.com.br/imgres?q=imagens+da+democracia+ ateniense&start=204&sa=X&hl=pt- BR&biw=1016&bih=592&tbm= • DIA 27 DE ABRIL http://cpantiguidade.wordpress.com/2010/04/08/a-filosofia- grega-no-periodo-classico/ • Dia 01 de maio http://www.historiamais.com/filosofiagrega.htm • FUNARI, Pedro Paulo. Grécia e Roma. São Paulo: Contexto, 2002.
  48. 48. GILBERTO LEONARDOSOUSA LUÍSCARLOS Grupo:

×