Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

MODERNISMO EM PORTUGAL

73,670 views

Published on

Published in: Travel, Business

MODERNISMO EM PORTUGAL

  1. 1. O Modernismo em Portugal Amadeu de Souza-Cardoso José de Almada Negreiros Fernando Pessoa
  2. 2. <ul><li>A evolução política da Europa e a degradação da 1ª República propiciaram o aparecimento de correntes literárias mais ou menos contraditórias. </li></ul><ul><li>Destacam-se: </li></ul><ul><li>O Integralismo Lusitano; </li></ul><ul><li>O Grupo Seara Nova </li></ul>O grupo da Seara Nova
  3. 3. Na Pintura: No início do século XX, Portugal continuava na linha do naturalismo, praticado por grandes mestres como: Pousão, Malhoa, Columbano ou Carlos Reis José Malhoa , O Fado, 1910 Museu Malhoa , Caldas Da Rainha
  4. 4. Henrique Pousão , Cecília, 1882
  5. 5. Columbano , A Chávena de Chá, 1898
  6. 6. <ul><li>Conclusão: todos procuravam retratar os valores genuínos de uma sociedade predominantemente rural e satisfaziam o gosto de uma burguesia nostálgica dos valores tradicionais </li></ul>José Malhoa , As Promessas, 1933
  7. 7. <ul><li>O Modernismo </li></ul><ul><li>Na pintura, o primeiro modernismo ficou ligado a várias exposições que se realizaram a partir de 1911. Artistas (entre os quais se destacam: Manuel Bentes , Emmérico Nunes , Almada Negreiros , Cristino Cruz , Stuart Carvalhais , Jorge Barradas , António Soares , Mily Possoz , etc.) procuravam, através das suas obras fazer uma crítica política, social e clerical. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Os enquadramentos das pinturas eram frequentemente boémios e urbanos. </li></ul>Cristiano Cruz , Senhoras à mesa do café, 1919
  9. 9. <ul><li>Com a eclosão da Primeira Guerra Mundial, regressaram a Portugal Vários artistas que estudavam em Paris (Amadeu de Souza - Cardoso, Guilherme Santa – Rita, Eduardo Viana e José Pacheco). Refugiaram-se aqui também o casal Robert e Sónia Delaunay . </li></ul>Fotografia de Santa Rita
  10. 10. Amadeu de Souza-Cardoso , Álbum XX Dessins, 1912
  11. 11. Revista ABC , capas de Manuel Bentes e Jorge Barradas Manuel Bentes, organizador da Exposição Livre (1911)
  12. 12. <ul><li>Formaram-se dois núcleos inovadores: um em Lisboa, liderado por Almada Negreiros e Santa Rita, que se juntaram a Fernando Pessoa e Mário de Sá Carneiro, dinamizadores da Revista Orpheu; outro grupo no Norte em torno do casal Delaunay, de Eduardo Viana e Amadeu. </li></ul>Capa nº 1 de Orpheu, desenho de José Pacheco
  13. 13. Fernando Pessoa (a maior revelação do Orpheu), fotografia e retrato da autoria de Almada Negreiros Encenação sobre…
  14. 14. FIM Quando eu morrer batam em latas Rompam aos saltos e aos pinotes Façam estalar no ar chicotes, Chamem palhaços e acrobatas. Que o meu caixão vá sobre um burro Ajaezado à andaluza: A um morto nada se recusa, E eu quero ir de burro… Mário de Sá Carneiro, Paris, 1916 Fotografia de Mário de Sá Carneiro Poemas
  15. 15. <ul><li>A revista Portugal Futurista , publicada em 1917 ( e apreendida logo pela polícia) contou com grandes nomes do modernismo e foi um marco incontornável do movimento futurista português. </li></ul>Capa de Portugal Futurista, 1917 Almada Negreiros, “1ª Conferência Futurista”,em Portugal Futurista
  16. 16. Santa-Rita Pintor ,Cabeça cubo-futurista, 1912 Em conclusão: estes artistas divulgaram as novas correntes culturais e propuseram um corte radical com o passado. Excêntricos e provocadores escandalizaram os seus contemporâneos.
  17. 17. Eduardo Viana ,K4. O Quadrado Azul, 1916
  18. 18. Eduardo Viana , Nu (mulher Deitada), 1925
  19. 19. Amadeu , A Máscara do Olho Verde, 1915 Amadeu “impressionista, cubista, futurista, abstraccionista?... De tudo um pouco”. Segundo Almada foi “a primeira descoberta de Portugal na Europa do século XX!”
  20. 20. Amadeu , Pintura,1917
  21. 21. Amadeu de Souza-Cardoso , Coty, 1917
  22. 22. Nos anos 20 inicia-se um segundo movimento modernista Que continua a conciliar as artes e as letras Aquilino Ribeiro José Régio Miguel Torga
  23. 23. <ul><li>Revelaram-se os escritores: José Régio, Casais Monteiro, Miguel Torga, Aquilino Ribeiro, Ferreira de Castro. </li></ul><ul><li>Nas artes distinguem-se: Dórdio Gomes, Mário Eloy, Sarah Afonso, Carlos Botelho, Abel Manta, Bernardo Marques, Júlio (Reis Pereira), Vieira da Silva. </li></ul><ul><li>Além de outros, que vêm da primeira geração, como: Almada e Eduardo Viana. </li></ul>Casais Monteiro
  24. 24. <ul><li>As revistas mais importantes são: a Contemporânea (1922-26) e a Presença (1927-40). </li></ul>Capa da revista Contemporânea da autoria de Almada Capa da Revista Presença
  25. 25. <ul><li>As exposições independentes, os cafés e os clubes que decoravam, tal como as revistas, eram os grandes espaços de afirmação dos artistas plásticos. </li></ul>Almada , Auto-Retrato num Grupo, 1925 (Brasileira do Chiado)
  26. 26. <ul><li>A partir de 1933, António Ferro assume a direcção do Secretariado da Propaganda Nacional que procura divulgar as novas correntes estéticas. </li></ul><ul><li>Por oposição a esta “oficialização do modernismo”, António Pedro Organizou, em 1936, a exposição dos Artistas Modernos Independentes . </li></ul>
  27. 27. Abel Manta, Jogo de Damas (1927)
  28. 28. Mily Possoz Menina da Boina Verde, 1930
  29. 29. Mário Eloy, Bailarico no bairro, 1936
  30. 30. Carlos Botelho , Lisboa e o Tejo, 1935
  31. 31. Júlio Reis Pereira , Boneco, (1902-1983)
  32. 32. Sara Afonso , Casamento na Aldeia, 1937
  33. 33. Sara Afonso , Meninas, 1928
  34. 34. Almada Negreiros , painéis da Gare Marítima de Alcântara.Temas:”Lá vem a nau Catrineta que traz muito que contar” e “Quem não viu Lisboa Não viu coisa boa”.
  35. 35. Almada Negreiros , Maternidade, 1935
  36. 36. Júlio Pomar , Almoço do Trolha, 1937
  37. 37. <ul><li>O Neo-Realismo e o Surrealismo Estes movimentos irão afirmar-se nos anos 40. </li></ul><ul><li>Destacam-se os pintores: António Pedro, António Dacosta, Marcelino Vespeira, Mário Cesariny e Moniz Pereira. </li></ul>
  38. 38. <ul><li>Na literatura: Alves Redol e Soeiro Pereira Gomes </li></ul>Soeiro Pereira Gomes Alves Redol
  39. 39. António Pedro, Intervenção Romântica, 1940
  40. 40. Cadavre-Exquis, pintura colectiva de António Domingues, Fernando Azevedo, António Pedro, Marcelino Vespeira e Moniz Pereira, 1949
  41. 41. Vieira da Silva , Bibliothèque en Feu, 1974 FIM

×