Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Teoria da Autopoiese - Maturana e Varela

22,823 views

Published on

Published in: Education

Teoria da Autopoiese - Maturana e Varela

  1. 1. TEORIAS DA AUTOPOIESE Maturana e Varela PROFA. DRA. LUCILA PESCE PPG TIDD PUC/SP
  2. 2. Maturana e Varela (1995) <ul><li>Dinâmica social humana como fenômeno biológico. </li></ul><ul><li>Toda vez que há um fenômeno social há um acoplamento estrutural de indivíduos. </li></ul><ul><li>A comunicação ocorre no acoplamento social. </li></ul><ul><li>Comunicação e a ontologia do observador : cada pessoa interpreta a realidade de acordo com sua própria determinação estrutural. </li></ul>PROFA. DRA. LUCILA PESCE
  3. 3. Maturana e Varela (1995) <ul><li>Linguagem </li></ul><ul><li>A história evolutiva do homem associa-se às condutas linguísticas. </li></ul><ul><li>Sistema social humano e a ampliação da criatividade de seus membros. </li></ul><ul><li>Conduta cultural como um caso particular de conduta comunicativa. </li></ul>PROFA. DRA. LUCILA PESCE
  4. 4. Maturana e Varela (1995) <ul><li>Domínios linguísticos e consciência humana </li></ul><ul><li>O que determina a coordenação comportamental é o significado que o observador atribui às condutas e não o acoplamento estrutural dos participantes. </li></ul>PROFA. DRA. LUCILA PESCE
  5. 5. Maturana e Varela (1995) Condutas linguísticas Acoplamento estrutural ontogênico
  6. 6. Maturana e Varela (1995) <ul><li>A linguagem permite a que opera nela descrever-se a si mesmo e às suas circunstâncias ( ibid ., p. 233). </li></ul>PROFA. DRA. LUCILA PESCE
  7. 7. Maturana e Varela (1995) Reflexão linguística Domínio semântico Observador Somos observadores e existimos num domínio semântico criado pelo nosso operar linguístico ( ibid ., p. 234).
  8. 8. Maturana e Varela (1995) <ul><li>Mente e consciência </li></ul><ul><li>Oriundas do intenso acoplamento linguístico. </li></ul><ul><li>Modo diário como organizamos e damos coerência às nossas reflexões. </li></ul>PROFA. DRA. LUCILA PESCE
  9. 9. Maturana e Varela (1995) REFLEXÃO IDENTIDADE Na linguagem humana
  10. 10. Maturana e Varela (1995) Coordenações comportamentais (no cotidiano) Comunicação EXPERIÊNCIA
  11. 11. Maturana e Varela (1995) CONSCIÊNCIA MENTE Acoplamento social
  12. 12. PROFA. DRA. LUCILA PESCE Escher, Drawing Hands
  13. 13. Maturana e Varela (1995) EXPERIÊNCIA MUNDO VIVIDO HISTÓRIA BIOSSOCIAL O CONHECER E O CONHECEDOR
  14. 14. Maturana e Varela (1995) <ul><li>O conhecer humano é vivido em uma tradição cultural. </li></ul><ul><li>Refutar as certezas. </li></ul><ul><li>Fundamento biológico do fenômeno social –considerar o ponto de visto do outro, no nosso domínio experiencial. </li></ul><ul><li>Linguagem e reflexividade. </li></ul>PROFA. DRA. LUCILA PESCE
  15. 15. Maturana e Varela (1995) Conhecimento Ação Linguagem O caráter ético da construção do conhecimento
  16. 16. Pesce (2000) <ul><li>Autopoiese </li></ul><ul><li>Dinâmica constitutiva da organização circular dos seres vivos em sua autoprodução única, na relação com o operar cognitivo. </li></ul>PROFA. DRA. LUCILA PESCE
  17. 17. Pesce (2000) <ul><li>Ontologia do observador </li></ul><ul><li>O observador é participante constitutivo e ativo do observado. </li></ul><ul><li>Inexistência de uma realidade única e objetiva, porque a experiência de cada observador é única. </li></ul><ul><li>Ontologia do observador e o trabalho educacional que leva em conta o multiculturalismo. </li></ul>PROFA. DRA. LUCILA PESCE
  18. 18. Pesce (2000) <ul><li>Organização e estrutura </li></ul><ul><li>Dinâmica circular de ambos os elementos, na autopoiese dos seres vivos. </li></ul><ul><li>Relação biunívoca entre o ser o e fazer. </li></ul><ul><li>Autopoiese garantida pela permanência da organização e alteração das estruturas. </li></ul>PROFA. DRA. LUCILA PESCE
  19. 19. Pesce (2000) <ul><li>Acoplamento estrutural </li></ul><ul><li>Surge como resultado das modificações das unidades interatuantes. </li></ul><ul><li>As perturbações compensatórias no acoplamento estrutural do sistema ao meio provocam a cognição. </li></ul><ul><li>Aponta o caráter relacional da cognição. </li></ul><ul><li>Evolução adaptativa como adaptação ontogenética, no acoplamento estrutural entre sistema e meio. </li></ul>PROFA. DRA. LUCILA PESCE
  20. 20. Pesce (2000) <ul><li>Cognição como fenômeno biológico </li></ul><ul><li>Conhecimento como ação efetiva, para além da representação de uma realidade independente. </li></ul><ul><li>Evolução como processo de adaptação contínua, com destaque para a criatividade. </li></ul><ul><li>Motivação endógena para com o conhecimento (fruição e cognição). </li></ul>PROFA. DRA. LUCILA PESCE
  21. 21. Pesce (2000) <ul><li>A linguagem na teoria da autopoiese </li></ul><ul><li>Caráter dinâmico e relacional. </li></ul><ul><li>Linguajar (linguagem, ação, emoção). </li></ul><ul><li>Interação linguística como foro para a ação. </li></ul><ul><li>Duplo papel: de reprodução e de reconstrução. </li></ul><ul><li>Desenvolvimento linguístico como interação recursiva dos sistemas autopoiéticos. </li></ul>PROFA. DRA. LUCILA PESCE
  22. 22. Pesce (2000) <ul><li>TIC e Autopoiese </li></ul><ul><li>Não são as TIC que guiam a vida moderna, mas nossas emoções. </li></ul>PROFA. DRA. LUCILA PESCE
  23. 23. Pesce (2000) <ul><li>Autopoiese e Educação Eco-sistêmica </li></ul><ul><li>conhecimento como fenômeno biológico; </li></ul><ul><li>motivação endógena para com o conhecimento; </li></ul><ul><li>íntima relação entre o ser e o fazer , na autopoiese dos seres vivos; </li></ul><ul><li>valor da criatividade na cognição dos sistemas vivos; </li></ul><ul><li>caráter relacional da cognição, tecido pelo acoplamento estrutural ; </li></ul><ul><li>relação entre linguagem, ação e emoção; </li></ul>PROFA. DRA. LUCILA PESCE
  24. 24. Pesce (2000) <ul><li>Autopoiese e Educação Eco-sistêmica </li></ul><ul><li>ambigüidade da linguagem (no linguajear ), enquanto reprodutora e reconstrutora do mundo; </li></ul><ul><li>manutenção da identidade do ser vivo garantida por sua autopoiese; </li></ul><ul><li>na autopoiese, a manutenção da organização , pelas contínuas alterações de suas estruturas , no seu acoplamento estrutural entre sistema e meio . </li></ul>PROFA. DRA. LUCILA PESCE
  25. 25. Questão para discussão <ul><li>Que elementos da Teoria da Autopoiese de Maturana e Varela podem ser pertinentes ao estudo dos AVA? </li></ul>PROFA. DRA. LUCILA PESCE
  26. 26. Referências bibliográficas <ul><li>MATURANA, Humberto e VARELA, Francisco. (1995). A árvore do conhecimento : as bases biológicas do entendimento humano. Campinas: Editorial Psy. pp. 205-266. </li></ul><ul><li>PESCE, Lucila. (2000). Visão educacional eco-sistêmica: uma contribuição a partir de Maturana e Varela. Revista da APG – PUC/SP . Ano IX, n. 23. pp. 141-154. </li></ul>PROFA. DRA. LUCILA PESCE

×