Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Livro Verde: Educação na Sociedade Informação

3,609 views

Published on

Published in: Education
  • Be the first to comment

Livro Verde: Educação na Sociedade Informação

  1. 1. Educação na sociedade da informação BRASIL. MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA. O Livro Verde da Sociedade de Informação no Brasil . Brasília, set/2000. Capítulo 4 (pp.44-56). http://www.socinfo.org.br/livro_verde/download.htm
  2. 2. Do que se trata <ul><li>A educação como elemento-chave na construção de uma sociedade baseada na informação, no conhecimento e no aprendizado. </li></ul><ul><li>Educar em uma sociedade da informação significa muito mais que treinar as pessoas para o uso das TIC . Trata-se de investir na criação de competências que lhes permitam: </li></ul>
  3. 3. Do que se trata <ul><ul><li>ter uma atuação efetiva na produção de bens e serviços, </li></ul></ul><ul><ul><li>tomar decisões fundamentadas no conhecimento e operar com fluência os novos meios e ferramentas em seu trabalho. </li></ul></ul><ul><ul><li>trata-se também de formar os indivíduos para “ aprender a aprender ”. </li></ul></ul>
  4. 4. Educação para a cidadania <ul><ul><li>Qual o papel das TIC na construção de uma sociedade que tenha a inclusão e a justiça social como uma das prioridades principais? Para além da visão reducionista da educação como capacitação tecnológica, na sociedade contemporânea. </li></ul></ul><ul><ul><li>Democratização dos processos sociais, para fomentar a transparência de políticas e ações de governo e para incentivar a mobilização dos cidadãos e sua participação ativa nas instâncias cabíveis. </li></ul></ul>
  5. 5. Pontos importantes <ul><ul><ul><li>Infra-estrutura de Informática e Redes para Educação: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Computadores e software educacional nas salas de aula e/ou laboratórios das escolas, </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Conectividade em rede. </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>O Brasil enfrenta desafios: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Os preços de equipamentos, software e telecomunicações são muito mais altos do que nos países mais avançados. </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Não há tradição de envolvimento ativo do setor privado em suporte a causas educacionais e/ou sociais. </li></ul></ul></ul></ul>
  6. 6. Novos meios de aprendizagem <ul><ul><ul><li>O que se pode fazer com TIC em educação? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Propiciam uma rápida difusão de material didático e de informações de interesse para pais, professores e alunos. </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Permitem a construção interdisciplinar de informações produzidas individualmente ou em grupo por parte dos alunos e o desenvolvimento colaborativo de projetos por parte de alunos geograficamente dispersos. </li></ul></ul></ul></ul>
  7. 7. Novos meios de aprendizagem <ul><ul><ul><li>A Internet fomentou o interesse em Educação a Distância como mecanismo complementar, substitutivo ou integrante de ensino presencial. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>O aumento considerável da audiência de um curso ou palestra, tanto no tempo como no espaço, através do uso de meios eletrônicos. </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>A oferta de oportunidades de aprendizado para estudo em casa ou no trabalho , em qualquer horário, ampliando as possibilidades de oferta de educação continuada. </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>A individualização do processo educativo , mesmo em esquemas de grande escala, devido à maior interatividade propiciada pela Internet. </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>A organização do trabalho em equipe de intensa cooperação, mesmo envolvendo pessoas geograficamente dispersas e trabalhando em horários distintos. </li></ul></ul></ul></ul>
  8. 8. Novos meios de aprendizagem <ul><ul><ul><li>Potencializar a EaD: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Investir no seu aperfeiçoamento; </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Regulamentar a atividade; </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Definir e acompanhar indicadores de qualidade. </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Breve histórico: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Década de 60 – UNESCO: TIC como vetores de desenvolvimento econômico e social. </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Décadas de 70 e 80 – planos nacionais de capacitação tecnológica. </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Década de 90 – geração (transferência para o setor produtivo), aplicação (em novos bens e serviços) e uso das TIC. </li></ul></ul></ul></ul>
  9. 9. O desafio da formação tecnológica <ul><ul><ul><ul><li>A alfabetização digital precisa ser promovida em todos os níveis de ensino, do fundamental ao superior, por meio da renovação curricular - LDBEN/96. </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>A geração de novos conhecimentos - em nível de pós-graduação, também viabilizada pela formação profissional em nível de graduação: engenharia de computação, telecomunicações, ciências da informação, comunicação social, cinema e animação, etc. </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>A aplicação de TIC pode ser objeto de formação desde o nível médio, sobretudo no âmbito de cursos técnicos em informática, eletrônica, etc. A aplicação é também o foco central de cursos de graduação e pós, em TIC. </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>A aplicação de TIC em quaisquer outras áreas tais como saúde, transportes, biologia etc. </li></ul></ul></ul></ul>
  10. 10. Novos currículos <ul><ul><ul><ul><li>Um reposicionamento dos Parâmetros Curriculares Nacionais deve ser considerado. </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Alguns pontos a ponderar: </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>No nível médio , novas profissões surgiram com a difusão de TIC, particularmente a Internet. Por exemplo: projetista de web, especialista em arquitetura de informações; administrador de redes, etc... (os Centros Federais de Educação Tecnológica, Senac) </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>No nível de graduação : alguns currículos estão obsoletos e os cursos de formação de professores necessitam de formação em TIC. </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>No nível de pós-graduação em TIC: necessidade de se acelerar a formação de especialistas, não somente para fazer face às necessidades do mercado, mas para se adequar à velocidade de evolução das TIC. </li></ul></ul></ul></ul></ul>
  11. 11. Onde estamos <ul><li>Informatização em escolas: maior nas regiões Sul e Sudeste; Proinfo (1997, 223 NTE – 2484 esclas = aquém da proposta original). </li></ul><ul><li>Professor universitário : usuário de TIC, mas pouco a incorpora no aumento de eficácia do aprendizado. </li></ul><ul><li>Currículos escolares : não incluem formação sobre o uso e discussão sobre os principais aspectos e problemas da sociedade da informação. </li></ul>
  12. 12. Onde estamos - EaD <ul><li>TV Escola (SEAD - 1996) – 29 milhões de alunos da ed. básica. </li></ul><ul><li>Telecurso 2000 (Sefor, CNI, Sesi, Fiesp – 1998) – formação no ensino fundamental e médio. </li></ul><ul><li>UFSC – lato e stricto sensu . </li></ul><ul><li>Consórcio Unirede – 62 universidades públicas brasileiras. </li></ul>
  13. 13. Onde estamos – Capacitação Avançada em TIC <ul><li>Microeletrônica: USP, Unicamp, UFRGS etc. </li></ul><ul><li>Damanda por profissionais qualificados - ampliação da pós-graduação no país. </li></ul><ul><li>Tempo médio necessário para formação completa é longo (56 meses para doutorado e 30 para mestrado). </li></ul><ul><li>Ampliação da pós-graduação e aceleração do tempo de formação. </li></ul><ul><li>Atualização sistemática dos profissionais formados gera necessidade de ampliação do lato sensu e de formação continuada. </li></ul><ul><li>A pesquisa no Brasil é predominantemente desenvolvida nas universidades (países desenvolvidos – forte articulação entre os setores acadêmico e industrial – projetos mobilizadores). </li></ul>
  14. 14. Para onde vamos <ul><li>Aumentar drasticamente o nível de alfabetização digital do país. </li></ul><ul><li>Buscar modelo de conectividade amplo de escolas públicas e privadas . </li></ul><ul><li>Qualificar minimamente novos profissionais de nível técnico e superior de todas as áreas nas TIC. </li></ul><ul><li>Aumentar significativamente a formação de especialistas nas TIC, em todos os níveis. </li></ul><ul><li>Fazer uso em grande escala das TIC em EaD . </li></ul><ul><li>Laboratórios virtuais de apoio à pesquisa interdisciplinar por parte de especialistas geograficamente dispersos. </li></ul><ul><li>Utilizar como tema transversal nos níveis de ensino fundamental e médio a leitura crítica e a produção de informações no meio promovido pelas TIC . </li></ul>
  15. 15. Questões para discussão <ul><li>Em que medida as ações propostas no item “o que fazer”, do texto Educação na Sociedade da Informação atendem às demandas sociais delineadas no texto? </li></ul><ul><li>Considerando que o documento é de 2000, quais das ações propostas já tiveram algum avanço? </li></ul><ul><li>Qual o impacto das demandas sociais da contemporaneidade na organização dos novos espaços de construção do conhecimento? </li></ul>

×