Contribuições da filosofia da idade antiga a psicologia atual

2,659 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,659
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
25
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Contribuições da filosofia da idade antiga a psicologia atual

  1. 1. Contribuições da filosofia da idade antiga a psicologia atual Os sofistas foram os primeiros a dedicar-se à questão do homem e seu lugar na sociedade. “O homem é a medida de todas as coisas”, disse o sofista Protágoras, com isso ele queria dizer que o certo e o errado, o bem e o mal, sempre deveriam ser avaliados em relação às necessidades do homem. A psicologia sofreu grandes transformações ao longo dos séculos, iniciou-se como filosofia contemplativa e após vários momentos da história, foi somente no final do século XIX que nasceu a psicologia científica propriamente dita. Para isso contou com três sistemas filosóficos: o empirismo, o associacionismo e o materialismo científico.Observando por este ângulo podemos dizer que a psicologia nasceu, desenvolveu-se e firmou-se como científica a partir de idéias filosóficas. Foi com Platão, no período antropocêntrico, que desabrochou a primeira e verdadeira raiz da psicologia, quando descobriu-se que o homem não era constituído só de corpo físico, mas, que nele existia algo imaterial. Esse algo imaterial recebeu o nome de alma, mente ou psiquismo. Surge então o dualismo mente x corpo. Mesmo sabendo-se que os fenômenos corporais e fisiológicos são distintos dos psicológicos, hoje considera-se que o homem é uma única soma de corpo e mente. Descartes afirma que a mente e o corpo, embora distintos, são capazes de interagir dentro do organismo humano. Define então que a mente é capaz de exercer influência sobre o corpo do mesmo
  2. 2. modo que o corpo pode influenciar a mente. De acordo com sua teoria a mente é imaterial, ou seja, não tem substância física, mas é provida de capacidade de pensamento e de outros processos cognitivos, os quais são motivo de estudo da psicologia atual. Demócrito considerava que o universo era composto de átomos, materiais indivisíveis, que se moviam constantemente e de várias maneiras. Hoje a física quântica tentou dividir este átomo até chegar ao mínimo possível, e o único resultado que obtiveram foi que o átomo é constituído de informações, muitas estas que estão sendo estudadas e explicadas através de algumas correntes psicológicas. Heráclito observava que o mundo estava em constante mudança, e que o permanente era apenas ilusão de nossos sentidos. Dava mais ênfase ao processo, à dinânima e não ao elemento estático, pra ele tudo no universo, com o tempo se transformava. Foi muito importante no sentido de lembrar aos psicólogos contemporâneos que não estão trabalhando com unidades fixas, mas sim com seres humanos biopsicosociais, que possuem processos mutáveis onde a variação é inevitável. A doutrina das idéias de descartes serviu como catalizador das diversas tendências convergentes da nova psicologia. Dentre as contribuições mais importantes destacam-se: a concepção mecanicista do corpo, a teoria do ato reflexo, a interação mente- corpo, a localização das funções mentais no cérebro e a doutrina das idéias inatas. Mas a conclusão definitiva deste conceito é ainda uma questão que aceita novos estudos, está em aberto.O que podemos pensar é
  3. 3. que foi na idade antiga que deu-se a descoberta e a aceitabilidade do atual objeto de estudo da psicologia, o psique humano. Ainda com Platão, a partir de seus questionamentos de como se adquire o conhecimento e qual o processo, se origina o inatismo. Aristóteles dá origem ao empirismo, e as preocupações dos empiristas formavam o objeto de estudo básico da psicologia que tinham como princípios: o processo da sensação, a análise da experiência consciente nos elementos, as experiências mentais mediante o processo da associação, e os processos conscientes. Esses sistemas filosóficos em toda a história e atualmente na psicologia, dividem as correntes existentes ora por uma, ora por outra. E existe ainda uma terceira corrente que considera que o homem possui certos conceitos inatos e outros adquiridos. Ainda à luz dos pensamentos de Aristóteles, encontram-se estudos sobre a sensação, os sentidos, a memória, o sono e a insônia, a geriatria, a extensão e a brevidade da vida, a juventude e a velhice, a vida, a morte e a respiração. Todos esses pontos, e de certa forma decorrentes da distinção entre corpo-alma, foram retomados pela idade moderna, e estão mais atuais do que nunca nos estudos da psicologia. Estudos, como o dos sentidos da sensação e da memória, serviram de base, principalmente para os filósofos do empirismo crítico, do materialismo científico, do associacionismo e mesmo, da psicologia científica. Aspectos como o sono, a insônia e a geriatria foram alvo de estudos da psicanálise.
  4. 4. O estudo da juventude, da geriatria etc, fazem parte da psicologia aplicada. Sócrates define a separação entre homens e animais ao postular que a razão era a principal característica humana, se sobrepondo aos instintos.Também nos deixou uma valiosa contribuição a psicologia, “a arte do dialogo”, uma forma de interagir com o sujeito, fazendo com que ele mesmo saiba o que esta certo ou errado, pois segundo ele o verdadeiro conhecimento vem de dentro. Ele coloca que todos nós sabemos a solução de nossos problemas, basta ouvir a nós mesmos, essa técnica ainda é usada na psicologia contemporânea por algumas correntes psicológicas e linhas de pensamento. Isso nos mostra claramente, o quanto, as idéias e estudos dos filósofos, da idade antiga, formaram a característica científica da psicologia e perpetuaram nas existentes linhas da psicologia atual. Luciano Souza lucianosouza77@hotmail.co.uk ULBRA - Gravataí Outubro/2006

×