Mediação e redes sociais na tutoria

1,831 views

Published on

Palestra via satélite na Associação Nacional de Tutores de Educação a Distância (ANATED). 27/10/2012

Published in: Education
2 Comments
6 Likes
Statistics
Notes
  • A licença é Atribuição – Uso Não Comercial – Compartilhamento pela mesma Licença (by-nc-sa). Esta licença permite que outros remixem, adaptem e criem obras derivadas sobre a obra original, desde que com fins não comerciais e contanto que atribuam crédito ao autor e licenciem as novas criações sob os mesmos parâmetros. Outros podem fazer o download ou redistribuir a obra da mesma forma que na licença anterior, mas eles também podem traduzir, fazer remixes e elaborar novas histórias com base na obra original. Toda nova obra feita a partir desta deverá ser licenciada com a mesma licença, de modo que qualquer obra derivada, por natureza, não poderá ser usada para fins comerciais.
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • gostei muito da apresentação Luciano Sathler!

    gostaria de sugerir a especificação da licença e tomara que seja uma 'arejada', que permita o compartilhamento em bons usos.. ;)

    Fala compartilhamentos gratuitos mas se tem licenças copyright não podem muitas coisas nos usos ser partilhados.. a essência destes na web 2.0 não seriam as licenças abertas?
    Dessa perspectiva, os 'conteúdos' podem ser beta, 'convites' a coautorias.. que diz?
    Trii a relação entre pull e push!! No dia que as pessoas compreenderem que é o que faz a diferença entre um mundo mecanicista e o desejado (?) mais humanizado, dialógico, democrático, 'aprendente', criativo e autoral.. uhuu

    Será que avas já não estão sendo substituídos por 'n' interfaces web?
    Acrescentaria as estratégias didáticas dialogar com escuta ativa para trocar apreender os muitos Outros aprendentes, trocar sentidos, significados e, a partir daí, empreender cocriar um plano beta de coaprendizagens colaborativas, coresponsáveis, significativas, úteis a coletividade, em um bom design que favoreça a interatividade, o envolvImento natural, a coinvestigação, experimentação, mediação, acompanhamento, analise e avaliações retroalimentadoras do processo..
    O que fala de 'nem tod@s treem vocação para ser CRIA'.. penso que tem - em diferentes níveis. A habilidade foi em alguns negada, rejeitada, ignorada, escamoteada que alguns a esqueceram por desuso, por não mais se autorizarem a tal, mas somos todos águias'! Ou não?!
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total views
1,831
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
423
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
2
Likes
6
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Mediação e redes sociais na tutoria

  1. 1. Mediação e Redes Sociais na Tutoria Prof. Luciano Sathler Diretor da Associação Brasileira de Educação a Distância ANATED – 27/10/2012
  2. 2. http://www.scoop.it/t/educacao-3-0-uma-jornada http://www.lucianosathler.pro.br
  3. 3. Mediação ou Interação?Tutor EstudanteConteúdo do curso Mediação Interação
  4. 4. Redes sociais onlineGrupos de pessoas com interessescoincidentes, cuja socialização sedá exclusivamente ou também pormeio da internet, onde elaboram, http://lucianosathler.pro.brapreciam, alteram e compartilhampalavras, imagens, áudio ou vídeo entre si ou publicamente.
  5. 5. Pirâmide de Criam interação e participação Colaboram nas redes sociais Endossam conteúdoConsomem conteúdo
  6. 6. Taxonomiados ObjetivosEducacionais Avaliação Nível de Síntese Complexi- dade Análise Cognitiva Aplicação Compreensãowww.lucianosathler.pro.br Memorização
  7. 7. ANDERSON, L.W.; KRATHWOHL, D.R. (Orgs.). A taxonomy for learning, teaching, and assessing: A revision of Bloom’s taxonomy of educational objectives (New York: Allyn-Bacon Longman, 2001) Revistawww.lucianosathler.pro.br Taxonomia dos Objetivos Educacionais Criar Aplicar Avaliar Analisar Lembrar Entender dade Nível de Cognitiva Complexi-
  8. 8. Características da WEB 2.0
  9. 9. Níveis de engajamento com as mídias sociais Leitor Participante Criador Cria e Contribui compartilha conteúdos revisa, classifica, co menta, edita e compartilha itens Pesquisa Criawebsites, podcasts, oportunidades de colaboração sites de Compartilha http://lucianosathler.pro.br de outros, por compartilhamento(documentos, filmes links meio de blogs, wikis ou redes, músicas, apresenta sociais ções, blogs, wikis) Se conecta por mensagens instantâneas, microbl og ou sites de redes sociais
  10. 10. Aprendizagem MóvelPersonalizada
  11. 11. Conteúdo gerado pelo usuário
  12. 12. Ubiquidade
  13. 13. Convergência
  14. 14. A day made of glass 2 2012
  15. 15. CompartilhamentoColaboração Ferramentas Aprendizagem com redes sociais Tagging Conteúdo gerado pelo usuário Voto Redes
  16. 16. Nível de conectividade da O futuro da Web WEB 3.0 WEB X.0 Web Semântica Meta Web Conecta conhecimento Conecta inteligência informação WEB 1.0 WEB 2.0 Steve Wheller, 2012 A Web Redes Sociais Conecta informação Conecta pessoas Nível de conectividade social
  17. 17. Princípios da http://lucianosathler.pro.br Pedagogia da AbundânciaWELLER, M. (2011). A pedagogy of abundance. Spanish Journal of Pedagogy, 249 pp. 223–236.
  18. 18. O conteúdo está disponívelgratuitamente, em uma ou outraversãoO conteúdo é abundanteO conteúdo é variado, não maisbaseado predominantementeem texto
  19. 19. Compartilhar é fácilÉ barato organizar pessoas aoredor de temas de interessecomumAs conexões são leves,podendo ser acionadas oucanceladas a qualquermomento
  20. 20. Assume a liberdade, aimprevisibilidade como parte doprocesso de aprendizagemO conteúdo gerado pelosusuários é valorizado, em suamultiplicidade de formas eassuntos
  21. 21. Centrado no Centrado no professor aprendente Foco no processo Foco no resultado Conteúdo definido Conteúdo definido pela percepção de pela percepção de necessidade do necessidade de outros aprendente Relacionamentos, Cursos, workshops conversaçãoSugestão de leitura: SIEGEL, D. Pull: O futuro da internet e o impacto da web semântica em seus negócios. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010
  22. 22. AVA vão evoluir para apoiar (não gerenciar) a aprendizagem formal + informal + social + não-formalwww.lucianosathler.pro.br
  23. 23. Estratégias para uma atuação didática na WEB 2.0http://lucianosathler.pro.br Envolver Criar Discutir Promover Medir
  24. 24. http://lucianosathler.pro.br
  25. 25. http://lucianosathler.pro.br Conhecimento sobre o conteúdo Fluência InformacionalPensamento Capacidade Crítico de Apresentação
  26. 26. ELEMENTOS DO PROCESSO DE ANDRAGOGIA ABORDAGEM ABORDAGEMELEMENTO TRADICIONAL ANDRAGÓGICA Fornecer informações Preparar para a participação1. Preparar os Ajudar a desenvolver Mínima aprendentes expectativas realistas Começar a pensar nos conteúdos http://lucianosathler.pro.br
  27. 27. ELEMENTOS DO PROCESSO DE ANDRAGOGIA ABORDAGEM ABORDAGEMELEMENTO TRADICIONAL ANDRAGÓGICA Tranquilo, confiante, respeito mútuo Orientado à Informal, caloroso, autoridade2.Clima colaborativo, Formal Apoiador, abertura e Competitivo autenticidade, humanização
  28. 28. ELEMENTOS DO PROCESSO DE ANDRAGOGIA ABORDAGEM ABORDAGEM ELEMENTO TRADICIONAL ANDRAGÓGICA Metodologias de planejamento Pelo3.Planejamento mútuo por professor aprendizes e facilitador
  29. 29. ELEMENTOS DO PROCESSO DE ANDRAGOGIA ABORDAGEM ABORDAGEM ELEMENTO TRADICIONAL ANDRAGÓGICA4.Diagnóstico das Pelo Por meio de necessidades professor avaliação mútua
  30. 30. ELEMENTOS DO PROCESSO DE ANDRAGOGIA ABORDAGEM ABORDAGEM ELEMENTO TRADICIONAL ANDRAGÓGICA5.Definição de Pelo Por meio de objetivos de professor negociação aprendizagem
  31. 31. ELEMENTOS DO PROCESSO DE ANDRAGOGIA ABORDAGEM ABORDAGEM ELEMENTO TRADICIONAL ANDRAGÓGICA Sequenciado de Lógica do6. Desenho dos acordo com a assuntoplanos de prontidão Unidades deaprendizagem Unidades de conteúdo problemas
  32. 32. ELEMENTOS DO PROCESSO DE ANDRAGOGIA ABORDAGEM ABORDAGEM ELEMENTO TRADICIONAL ANDRAGÓGICA Técnicas7. Atividades de Técnicas de experienciaisaprendizagem transmissão (investigação)
  33. 33. ELEMENTOS DO PROCESSO DE ANDRAGOGIA ABORDAGEM ABORDAGEM ELEMENTO TRADICIONAL ANDRAGÓGICA Novo diagnóstico mútuo das Pelo8. Avaliação necessidades professor Mensuração mútua do programa
  34. 34. REIS, S. M. ; RENZULLI, J. S. CompassLearning White Paper on Differentiation, 2011. Conteúdo Estratégias de Curricular Ensino(Conhecimento) (Pedagogia) IESOrganização da Resultados dos sala de aula alunos (Estilos (Gestão) de Expressão) As dimensões da personalização
  35. 35. PERSONALIZAR O CONTEÚDOPersonalizar a matriz curricular e osritmos para atender o melhordesempenho acadêmico dosestudantes e alavancar osresultados
  36. 36. REIS, S. M. ; RENZULLI, J. S. CompassLearning White Paper on Differentiation, 2011. Conteúdo Estratégias de Curricular Ensino(Conhecimento) (Pedagogia) IESOrganização da Resultados dos sala de aula alunos (Estilos (Gestão) de Expressão) As dimensões da personalização
  37. 37. PERSONALIZAR ESTILOS DE ENSINARCada estudante tem seu estilo únicode aprendizagem, adaptar atividades a esses estilos aumenta o engajamento As dimensões da personalização
  38. 38. REIS, S. M. ; RENZULLI, J. S. CompassLearning White Paper on Differentiation, 2011. Conteúdo Estratégias de Curricular Ensino(Conhecimento) (Pedagogia) IESOrganização da Resultados dos sala de aula alunos (Estilos (Gestão) de Expressão) As dimensões da personalização
  39. 39. PERSONALIZAR OS RESULTADOS SOLICITADOS Ao levar em consideração as formas que os estudantes preferem se expressar aumenta a qualidade e a satisfação com o trabalhoAs dimensões da personalização
  40. 40. REIS, S. M. ; RENZULLI, J. S. CompassLearning White Paper on Differentiation, 2011. Conteúdo Estratégias de Curricular Ensino(Conhecimento) (Pedagogia) IESOrganização da Resultados dos sala de aula alunos (Estilos (Gestão) de Expressão) As dimensões da personalização
  41. 41. PERSONALIZAR A SALA DE AULAOrganizar os alunos em grupos deinteresses e capacidades similaresou complementares abre espaçopara mais colaboração As dimensões da personalização
  42. 42. Obrigado!

×