Os projetos didáticos

55,937 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
18 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
55,937
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
202
Actions
Shares
0
Downloads
1,441
Comments
0
Likes
18
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Os projetos didáticos

  1. 1. Os projetos didáticos <br />E sua organização da prática pedagógica<br />
  2. 2. O que é um projeto? <br />Quais são as características básicas de um projeto?<br /> O que diferencia um projeto de outras atividades profissionais?<br /> Quais são as providências essenciais a tomar durante a criação, planejamento e gestão de um projeto? <br />Refletir:<br />
  3. 3. Projeto não é apenas um plano de trabalho ou um conjunto de atividades bem organizadas. Há muito mais na essência de um bom projeto.<br />Primeiramente é preciso entender o que tem incentivado o uso de projetos como ferramenta didática.<br />Projetos Didáticos <br />
  4. 4. <ul><li>É centrado na realidade de situações e problemas reais, concretos, contextualizados, e portanto, significativos, que interessam aos alunos e direcionam uma aprendizagem com sentido;
  5. 5. Preve o conhecimento como instrumento para compreensão e possível intervenção na realidade
  6. 6. As ações e os conhecimentos necessários para a compreensão da realidade são discutidos e planejados entre professor e alunos;</li></ul>O que justifica o uso de projetos<br />
  7. 7. <ul><li>A aprendizagem ocorre durante todo o processo e não envolve somente conteúdos, mas traz conhecimentos sobre como conviver, negociar e se posicionar; estimula a buscar e selecionar informações além de fazer o aluno compreender a importância do sujeito;
  8. 8. Exige atitudes de responsabilidade, cooperação e autonomia;
  9. 9. O professor intervém no processo de aprendizagem dos alunos, criando situações problematizadoras, introduzindo novas informações, dando condições para que eles avancem em seus esquemas de compreensão da realidade; </li></li></ul><li>Numa breve orientação de projeto, elaborada pelo Ministério da Educação, podemos refletir sobre alguns caminhos que vêm sistematizar a prática.<br />Essa modalidade de organização do trabalho pedagógico prevê um produto final cujo planejamento tem objetivos claros, dimensionamentos de tempo, divisão de tarefas e, por fim, a avaliação final em função do que se pretendia. Tudo isso feito de forma compartilhada e com cada estudante tendo autonomia pessoal e responsabilidade coletiva para o bom desenvolvimento do projeto.<br />Fonte: BRASIL. Ministério da Educação. Ensino Fundamental de nove anos. Brasília: FNDE, Estação Gráfica, 2006. p. 119.<br />O que prevê um projeto?<br />
  10. 10. O professor torna-se o facilitador. Ele não é a única fonte de informação, no entanto cabe a ele planejar as ações e permitir a negociação dos alunos em todo o processo, socializando as informações que serão usadas, buscando soluções e incentivando-os na busca de informações que se deseja obter. Para isso, é preciso estar “íntimo” dos alunos, no que diz respeito a conhecer como eles pensam e quais as estratégias que serão utilizadas para desafiá-los a irem além do que eles já construíram.<br />O papel do professor no trabalho com projetos<br />
  11. 11. Dificilmente escolheremos trabalhar com projeto se este não for uma extensão da nossa forma de trabalho na escola. Trabalhar com projetos exige muito mais do que dar aulas ou passar conteúdos, exige um envolvimento muito grande de todos da escola.<br />Quem faz o projeto?<br />
  12. 12. O aluno passa a ser o informante. Para isso, ele precisa estar envolvido ativamente, como também conhecer todo o projeto e sugerir as etapas que serão vivenciadas, de forma a cooperar com interesse e curiosidade para realizar as pesquisas em diferentes fontes, podendo trabalhar individualmente, em grupos ou com toda a turma. <br />O papel do aluno no trabalho com projetos<br />
  13. 13. Além da disposição para fazer o projeto caminhar, torna-se importantíssimo que o professor tenha disponibilidade para registrar as práticas vivenciadas nas etapas.<br />Observe como isso pode acontecer:<br />O que não pode faltar num projeto?<br />
  14. 14. O Processo de Elaboração/Planejamento<br />Selecionando as informações que sustentem o projeto através do estabelecimento de objetivos e resultados esperados no ensino e na aprendizagem.<br />A Execução/Orientação<br />Desenvolvendo atividades coletivas que sigam uma seqüência gradual, bem como utilizando registros feitos pelo professor (passo a passo), a fim de organizar melhor o percurso das atividades propostas.<br />A Revisão/Avaliação<br />Através da auto-avaliação, dos alunos e do professor, em relação aos encaminhamentos utilizados no processo de aprendizagem, retomando as hipóteses iniciais dos alunos para relacioná-las aos conhecimentos adquiridos. <br />
  15. 15. Produz atividades novas.<br />Exige envolvimento dos alunos.<br />Organiza e valoriza, ainda mais, o conhecimento escolar.<br />Conscientiza os alunos do seu processo de aprendizagem.<br />Vai além dos limites do currículo escolar.<br />Permite a interdisciplinaridade de forma mais flexível.<br />O professor é o pesquisador do seu próprio trabalho.<br />Quais as vantagens do trabalho com projetos didáticos?<br />
  16. 16. Do início do projeto até chegar ao final, muito há de se fazer. Sabemos que não existe uma receita pronta, por isso é necessário colocar a “mão na massa”, ou seja, colocar as ações em prática. Para ajudá-lo, selecionamos algumas dicas que servem para elaboração de projetos didáticos.<br />1. Tema do Projeto Tem a ver com o(s) assunto(s) que será(ão) abordado(s).<br />2. Ano/CicloLocalização de ano escolar e faixa etária dos alunos envolvidos.<br />3. DuraçãoÉ o tempo que será estabelecido para o estudo do tema. Este poderá ser variável, de acordo com os critérios previstos.<br />4. Área(s) de Conhecimento(s)Diz respeito à(s) disciplina(s) que será(ão) contemplada(s) no projeto.<br />5. Apresentação/JustificativaExplica, em linhas gerais, a escolha do tema e a forma de trabalho de acordo com os objetivos e os conteúdos do projeto.<br />6. ObjetivosProcuram levar em conta os conceitos, os procedimentos e as atitudes previstas para ampliar os conhecimentos dos alunos do Ano/Ciclo.<br />Por onde começar um projeto?<br />
  17. 17. 7. Etapas PrevistasConduzem os processos didáticos que serão utilizados para determinar o que e como os alunos irão aprender.<br />Contrato didático: conta com o comprometimento dos alunos para se envolverem nas etapas do projeto, visando o produto final conhecido por eles.<br />Encaminhamento das atividades e cronograma: levantamento de hipóteses e questionamentos sobre o tema a partir de pistas oferecidas durante o processo, levando em conta os conhecimentos prévios dos alunos e suas dúvidas sobre o tema em estudo.<br />Rotinas de atividades a serem realizadas: elaboração de estratégias que permitam a busca de informações que estimulem a aprendizagem e a troca dos conhecimentos entre os alunos, a exemplo de pesquisas, filmes, debates, entrevistas, documentários, eventos, ensaios, visitas a exposições, experimentos, etc. Define os materiais necessários e explora as produções dos alunos em materiais confeccionados por eles: cartazes, livros, faixas, etc.<br />Produto final: exposição dos materiais ou vivência de atividades com destinatários reais (função social).<br />
  18. 18. 8. Resultados EsperadosAvaliação do processo de aprendizagem esperado para os alunos e dos procedimentos utilizados pelo professor durante todo o projeto, confirmando ou reformulando as etapas para garantir a compreensão de todos.<br />Por certo, o trabalho não termina aqui, ele pode estar apenas começando. De tudo, fica a idéia de que trabalhar com projetos desenvolve competências tanto para quem aprende como para quem ensina. <br />
  19. 19.    O tema do projeto deve ser escolhido pelo professor, pois ele sabe os objetivos didáticos e os conteúdos que deseja trabalhar, mas existe um espaço para a tomada de decisão dos alunos. <br />É preciso estabelecer, em primeiro lugar, o que os alunos já têm condições de decidir sozinhos e deixá-los agir. <br />         O tema pode ser levado pelo professor, mas os alunos têm de estar interessados em desenvolvê-lo.<br />A escolha do tema<br />
  20. 20. Definição do problema. Projetos bem sucedidos, de forma geral, são definidos a partir do problema a ser resolvido e da clareza com que se define a solução do problema. O mais importante é definir com clareza os objetivos do projeto. Uma vez decidida a realização de um projeto, deve-se discutir exaustivamente como o problema pode ser resolvido e as características do resultado final, descritas nos objetivos do projeto ou em suas metas. Sempre que possível, o próprio título do projeto deve indicar as características do resultado final. Por exemplo: reforma, instalação e colocação em funcionamento da cantina escolar. Quanto mais tarde se deixa para realizar essas discussões e definições, mais difícil se torna a implementação do projeto.<br />Condições para o êxito<br />
  21. 21. Envolvimento da equipe. Quanto mais o projeto representa um desafio para a equipe envolvida, maior é a probabilidade de que venha a ter sucesso. Projetos bem sucedidos criam na equipe uma sensação de propriedade:<br />“Este é o nosso projeto, o problema que temos de resolver”.<br />
  22. 22. Planejamento. Projetos bem sucedidos são muito bem planejados. Uma vez estabelecidos os planos, no entanto, a equipe tem grande liberdade para executá-los. A probabilidade de o projeto ter sucesso aumenta se durante a sua implementação houver um cronograma de providências e resultados bem elaborado, a partir do qual, os participantes possam controlar o bom andamento dos trabalhos em direção aos resultados previstos. Outro fator que contribui com o sucesso de um projeto é procurar prever problemas que possam surgir em sua implantação e, com a antecedência necessária, preparar-se para resolvê-los, caso eles realmente aconteçam. Existem projetos que necessitam de recursos financeiros para sua implementação. Nesses casos, é preciso haver um bom planejamento dos custos do projeto, considerando-se quanto se vai gastar e de onde sairá o dinheiro. A existência de um coordenador é também uma providência necessária para que um projeto seja bem implementado e atinja a meta definida. <br />
  23. 23. O projeto começa a se tornar uma realidade, diversas pessoas já estão em plena atividade resolvendo problemas, tomando providências, realizando tarefas necessárias à consecução dos objetivos. Durante esse período de implementação do projeto, é muito importante que a equipe, liderada pelo coordenador, mantenha-se atenta à execução do cronograma, acompanhando se as coisas estão dando certo, se o que foi imaginado está se realizando. O papel do coordenador nesse processo é muito importante, pois essa preocupação com a avaliação deve estar presente todo o tempo, desde o começo da execução do cronograma, e não somente quando o projeto está no final, ou quando as coisas já não deram certo. Por exemplo, se uma tarefa deve estar pronta dentro de uma semana e ainda não há perspectivas de ser resolvida, o coordenador precisa chamar o responsável, ver o que está acontecendo, se a pessoa precisa de ajuda, se há algum problema relacionado com a própria tarefa e se tudo estará resolvido no prazo previsto. A avaliação permanente deve se concretizar em ações corretivas, assim, se for preciso, o coordenador deve tomar as providências necessárias para que a tarefa esteja feita no prazo.<br />A implementação do projeto e a avaliação permanente<br />

×