Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

shcoklovyti

557 views

Published on

  • Be the first to comment

shcoklovyti

  1. 1. REDAÇÃO DISSERTATIVA- ARGUMENTATIVA A dissertação é dividida em TRÊS partes – Introdução, desenvolvimento e conclusão. Na dissertação NUNCA usamos: eu, eu acho, eu acredito, na minha opinião e etc. Isto porque ela devem ser escritas na 3° pessoa do singular. O certo seria: sabe- se, deve-se, importante se faz, tem-se. OU em último caso, 3ª pessoa do plural: devemos, podemos, sabemos, e palavras conjugadas da mesma Também deve-se EVITAR "Todo mundo", "todo o planeta", "todas pessoas", "todos". Pois a dissertação não admite generalização. Logo, devemos usar "a maioria", "grande parte", "parcela da população", um significativo número" etc.
  2. 2. Introdução A introdução como o próprio nome já diz é onde é mostrado ao leitor o assunto que será abordado ou o ponto de vista que será defendido. O ideal é que seja feito não muito extenso para não cansar o leitor, mas que exclame perfeitamente o assunto que será abordado nos próximos parágrafos. A introdução deve ser elaborada em um parágrafo de aproximadamente 5 linhas, só em UM parágrafo, NUNCA mais do que um parágrafo.
  3. 3. Desenvolvimento O desenvolvimento da sua redação será a parte onde você mostrará seus argumentos para defender ou explicar o assunto, coloque no texto todas as informações necessárias, mas sempre de forma clara e explicativa. Esteja sempre atento ao que escreve, se possível revise bem o desenvolvimento da sua redação para que não escreva coisa sem nexo. O desenvolvimento deve ser elaborado de 1 à 3 parágrafos, sendo o mais recomendado 2 parágrafos, de 5 a 8 linhas cada um.
  4. 4. Conclusão A conclusão é o encerramento da dissertação, portanto nunca apresente informações novas nela; se ainda há argumentos a serem discutidos, não inicie a conclusão. Ela ressalta o que já foi dito, ou traz uma POSSÍVEL solução.É parte de fechar a sua redação dissertativa, é hora de mostrar ao leitor o seu pensamento final sobre esse assunto. Este parágrafo deve concluir toda a redação, e não apenas o argumento do último parágrafo do desenvolvimento. A conclusão deve ser elaborada em um parágrafo de aproximadamente 5 linhas, no máximo 8. NUNCA mais que um parágrafo. Comece sempre a conclusão com palavras como: logo, portanto, por isso, por conseguinte, assim, então, desta forma... Com isso, vai estar mostrando ao leitor que você está concluindo a sua redação
  5. 5. INTRODUÇÃO DESENVOLVIMENTO 1 DESENVOLVIMENTO 2 CONCLUSÃO OU INTRODUÇÃO DESENVOLVIMENTO 1 DESENVOLVIMENTO 2 DESENVOLVIMENTO 3 CONCLUSÃO
  6. 6. Tema: Redução da menoridade no Brasil. Na sociedade atual, muitos crimes vêm sendo cometidos por infratores menores de dezoito anos. As penas a eles aplicadas são relativamente pequenas e não os inibem de praticar novos delitos. A maioria destes jovens, contudo, são de regiões periféricas e não têm o devido acesso á educação. É de se notar que o crescente número de infrações realizadas por crianças e adolescentes, aparentemente, só tende a aumentar, tal como vem acontecendo. Crimes como roubo e tráfico se mostram cada vez mais presente nas ações destes jovens. A falta de estudo e de condições sociais favoráveis, certamente, é um ponto que fortalece o envolvimento com ações criminosas. Dispersos, tratados com descaso e sem perspectiva, muitos jovens veem no crime a possível solução para seus problemas. A necessidade de se diminuir a menoridade penal, nas condições atuais, de fato, se mostra gritante. Contudo, no dia que o país investir em educação e não em formas de conter os efeitos gerados pela falta desta, talvez, sequer precisemos de penas.
  7. 7. Tema: Viver em rede no século 21: os limites entre o público e o privado. (enem 2011). Uma característica inerente às sociedades humanas é sempre buscar novas maneiras de se comunicar: cartas, telegramas e telefonemas são apenas alguns dos vários exemplos de meios comunicativos que o homem desenvolveu com base nessa perspectiva. E, atualmente, o mais recente e talvez o mais fascinante desses meios, são as redes virtuais, consagradas pelo uso, que se tornam cada vez mais comuns. Orkut, Twiter e Facebook são alguns exemplos das redes sociais (virtuais) mais acessadas do mundo e, convenhamos, a popularidade das mesmas se tornou tamanha que não ter uma página nessas redes é praticamente como não estar integrado ao atual mundo globalizado. Através desse novo meio as pessoas fazem amizades pelo mundo inteiro, compartilham ideias e opiniões, organizam movimentos, como os que derrubaram governos autoritários no mundo árabe e, literalmente, se mostram para a sociedade. Nesse momento é que nos convém cautela e reflexão para saber até que ponto se expor nas redes sociais representa uma vantagem. Não saber os limites da nossa exposição nas redes virtuais pode nos custar caro e colocar em risco a integridade da nossa imagem perante a sociedade. Afinal, a partir do momento em que colocamos informações na rede, foge do nosso controle a consciência das dimensões de até onde elas podem chegar. Sendo assim, apresentar informações pessoais em tais redes pode nos tornar um tanto quanto vulneráveis moralmente. Dado isso, é essencial que nessa nova era do mundo virtual, os usuários da rede tenham plena consciência de que tornar pública determinadas informações requer cuidado e, acima de tudo, bom senso, para que nem a própria imagem, nem a do próximo possa ser prejudicada. Isso poderia ser feito pelos próprios governos de cada país, e pelas próprias comunidades virtuais através das redes sociais, afinal, se essas revelaram sua eficiência e sucesso como objeto da comunicação, serão, certamente, o melhor meio para alertar os usuários a respeito dos riscos de seu uso e os cuidados necessários para tal.

×