Morfologia e anatomia de caule e raíz

60,815 views

Published on

Morfologia e anatomia de caule e raíz

  1. 1. Raízes
  2. 2. Funções : <ul><li>Absorver e conduzir água e minerais dissolvidos; </li></ul><ul><li>Acumular nutrientes e fixar a planta ao solo; </li></ul><ul><li>Diferencia-se do caule por sua estrutura, pelo modo como se forma e pela falta de apêndices, como gemas (meristemas externos) e folhas. </li></ul>
  3. 3. Regiões da raiz: <ul><li>Coifa ou caliptra: é rígida, consequentemente morta, e protege aos meristemas, como um &quot;dedal&quot;, contra o atrito e a ação de microorganismos; a coifa estará ausente nas raízes sugadoras ou haustórios. </li></ul><ul><li>Zona lisa ou crescimento: apresenta meristemas primários que alongam a raiz (crescimento subterminal). </li></ul><ul><li>Zona pilífera ou absorção: apresenta expansões de células da epiderme com a função de absorção. </li></ul><ul><li>Zona suberosa ou ramificação: caracteriza-se pelas ramificações. </li></ul><ul><li>Colo ou coleto: zona de transição entre raiz e caule. </li></ul>
  4. 4. <ul><ul><ul><ul><li>Caliptra </li></ul></ul></ul></ul>
  5. 5. Classificação das raízes: <ul><li>Classificadas de acordo com o ambiente em que vivem e com as funções que desempenham: </li></ul><ul><li>Raízes terrestres; </li></ul><ul><li>Raízes aéreas; </li></ul><ul><li>Raízes aquáticas. </li></ul>
  6. 6. Raízes terrestres <ul><li>Axiais ou Pivotante: raiz subterrânea que apresenta um eixo principal de onde partem ramificações secundárias. Exemplo: Pinheiro do Paraná ( Araucaria angustifolia ); </li></ul><ul><li>Fasciculadas ou Cabeleira: raiz em forma de cabeleira, sem a formação de um eixo principal. Occorre em monocotiledôneas como o milho ( Zea mays ). </li></ul>
  7. 7. Tuberosas: Armazenam substâncias nutritivas .
  8. 8. Raízes Aéreas ou adventícias: podem surgir em qualquer parte do sistema caulicular da planta ou mesmo das folhas (begônias), servindo às mais diversas finalidades.
  9. 9. Suportes ou escora: P artem do caule e atingem o solo, e sua principal função é aumentar a fixação do vegetal.
  10. 10. Tabulares : são achatadas, e encontradas em florestas densas, sendo responsáveis pela fixação, podendo também serem respiratórias.
  11. 11. Estrangulantes: Raiz que se enrola nas árvores que lhe serve de suporte provocando posteriormente o estrangulamento delas. São exemplos os cipós-mata-pau ( Ficus sp.).
  12. 12. Sugadoras ou Haustórios: Presentes em hemiparasitas e holoparasitas, perfuram o caule do hospedeiro em busca se nutrir. Crescem até o sistema vascular da planta hospedeira da qual retira os nutrientes (seiva). Ex: cipó-chumbo e erva de passarinho.
  13. 13. Exemplo de Haustório: erva de passarinho
  14. 14. <ul><li>Respiratórias ou Pneumatóforos: </li></ul><ul><li>ramificações com geotropismo negativo que buscam oxigênio cujo teor reduziu-se num solo alagado. É o caso das raízes secundárias da Rizophora mangle . </li></ul>
  15. 15. <ul><li>Cinturas: raiz com tecidos especializados em absorver e reter água diretamente do ar atmosférico, característica fundamental para as epífitas, plantas inquilinas que vivem sobre outras plantas, geralmente em busca de um ótimo em luminosidade. Ocorre nas raízes das orquídeas. </li></ul>
  16. 16. Grampiformes: semelhantes a pequenos grampos para a fixação de plantas trepadeiras. Ex: Hera.
  17. 17. Raízes aquáticas: Apresentam parênquima aerífero bem desenvolvido. Não apresentam coifa. Ex: raízes do aguapé e vitória-régia.
  18. 18. ANATOMIA DA RAIZ Figura 17: Esquema dum corte transversal duma raiz primária de trigo ( Triticum aestivum ), na zona pilosa, mostrando as três vias para o movimento radial radicular da água. Adaptado de Salisbury e Ross (1992), fig.7.7, pag. 140
  19. 19. Anatomia da Raiz
  20. 20. Anatomia das Raízes
  21. 24. Endoderme
  22. 25. Caules
  23. 26. Caules <ul><li>Órgão geralmente aéreo com função de condução, sustentação e reserva alimentar. </li></ul>Origem Formado a partir do caulículo presente na semente.
  24. 27. Os caules geralmente possuem nó e entrenó.
  25. 28. Classificação dos Caules Caules aéreos eretos Tronco – é lenhoso, bem desenvolvido e ramificado. Plantas de grande porte.
  26. 29. Haste – É pouco desenvolvido, clorofilado e pouco lignificado. Estípe – Caule cilíndrico, não ramificado, com folhas somente nas extremidades. Não engrossa.
  27. 30. Colmo – Dividido em nós e entrenos. Pode ser oco ou fazer reservas.
  28. 31. Caules Aéreos Trepadores São caules que se apóiam em outras estruturas.
  29. 32. Sarmentosos – São caules de plantas trepadeiras e usam gavinhas ou raízes grampiformes. Volúveis – São de plantas trepadeiras, porém usam o próprio caule para se apoiarem.
  30. 33. Caule aéreo rastejante Estolão – Caules que crescem horizontalmente sobre o solo.
  31. 34. Caules Subterrâneos Rizomas – Desenvolvem-se horizontalmente de onde partem raízes adventícias. Tubérculos – Caules ricos em reserva de substância nutritiva. Possui brotos.
  32. 35. Bulbos – Caules protegidos por folhas modificadas, que acumulam substância nutritiva. Escamoso – As folhas se sobrepõem. Tunicados – As folhas envolvem completamente uma as outras. Sólidos – A região do prato é maior que as escamas.
  33. 36. Caules aquáticos – São aqueles adaptados a vida submersa
  34. 37. Caules modificados <ul><li>Suculentos –Especializados em armazenar água, geralmente de regiões áridas. </li></ul>Cladódios – Caules suculentos, achatados e verdes com função fotossintetizante.
  35. 38. Caule alado – Caule achatado e em forma de folha. Gavinha – Modificações caulinares. Servem para fixação.

×