Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Informação, tecnologia e globalização

7,255 views

Published on

As mudanças contemporâneas e os impactos organizacionais

Published in: Leadership & Management
  • Be the first to comment

Informação, tecnologia e globalização

  1. 1. Informação, tecnologia e globalização As mudanças tecnológicas e os impactos nas sociedades contemporâneas Prof. Leonardo Moraes - 2014
  2. 2. Previsibilidade Hierarquia bem definida Decisões centralizadas Distinção entre quem “pensa, mas não faz” e quem “faz, mas não pensa ou não deveria pensar...” Valores: obediência, pontualidade Contextualização As sociedades industriais
  3. 3. Na segunda metade do último século vários acontecimentos de importância histórica transformaram o cenário social da vida humana. Durante a década de 1960 e princípio da década de 1970 vários sociólogos renomados formularam uma interpretação da sociedade moderna que denominaram de teoria da sociedade pós-industrial. Essas teorias tinham como foco principal a evolução da sociedade para uma economia de serviços e uma „sociedade do conhecimento‟; além das mudanças sociais e políticas conseqüentes. Contextualização As sociedades pós-industriais
  4. 4. Indicadores: Perspectiva Internacional Categorias Ocupacionais – EUA (1900-1999) 0% 5% 10% 15% 20% 25% 30% 35% 40% 45% 50% 1900 1910 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1980 1991 1999 Agricultura Trabalhadores da indústria Serviços "Criativos" Fonte: U.S. Bureau of Labour Statistics 1999, in: Richard Florida, “The Rise of the Creative Class, Basic Books, 2002, pag. 332
  5. 5. 1991: o ano em que o dispêndio do capital com equipamentos de informação superou o de bens de capital típicos da era industrial Fonte: STEWART, Thomas A. Capital Intelectual. Rio de Janeiro: Campus,1998. 60,3 63,4 68,6 96,7 77,2 107 18,8 28,6 27,4 52 61,5 112 1965 1970 1975 1980 1983 1991 Gastos em U$ bi Gastos com tecnologia de produção Gastos com tecnologia de informação
  6. 6. Mudanças na forma de Trabalhar – Estados Unidos 40% 35% 30% 15% 10% 5% 15% 20% 25% 30% 35% 40% 2000 2005 2010 Mesma hora, mesmo lugar Sozinho (a) Local diferente, hora diferente Local diferente, mesma hora A forma de trabalhar também está mudando bastante .... aumentando a colaboração à distância... Fonte: Gartner, in: “Building a Knowledge and Decision Superior Force, Colonel Timothy E. Eayre, USA, DCIO, U.S. Joint Staff, KM World 2002, Santa Clara-CA, October 29-31, 2002
  7. 7. 12,0 28,8 32,6 48,7 50,9 57,9 66,3 66,4 0,0 10,0 20,0 30,0 40,0 50,0 60,0 70,0 1985 1987 1989 1991 1993 1995 1997 1999 Ano do Evento % dos Trabalhos (Co-Autoria) ALTEC: Proporção de trabalhos escritos em co-autoria (1985-1999) Fonte: Tarcizio Quirino et alii: “Inovação Tecnológica, sua Política e Gestão no Mundo Ibérico: Como a Disciplina se Reflete no Congresso da ALTEC”, artigo apresentado na ALTEC, Costa Rica, 2001 Um dos exemplos é na produção científica que de atividade individual passou a ser essencialmente coletiva...
  8. 8. UMA VISÃO DAS MUDANÇAS
  9. 9. Conceito que permite o entendimento das transformações estruturais enfrentadas periodicamente pelas sociedades: PTE – Paradigma Tecno-Econômico. Explica as diferentes dinâmicas e padrões de geração, uso e difusão de tecnologias e outras inovações associadas que provocam transformações em toda economia e na sociedade. 3 características dos fatores-chave: amplas possibilidades de aplicação, demanda crescente e queda persistente de seu custo unitário. OUTRA VISÃO: OS PARADIGMAS TECNO-ECONÔMICOS
  10. 10. FASE PRIMEIRO SEGUNDO TERCEIRO Início e término 1770/80 a 1830/40 1830/40 a 1880/90 1880/90 a 1920/30 Descrição mecanização força a vapor e ferrovia energia elétrica, engenharia pesada Fator-chave1 algodão e ferro fundido carvão e transporte aço Setores alavancadores do crescimento têxteis e seus equipamentos, fundição e moldagem de ferro, energia hidráulica máquinas e navios a vapor, máquinas e ferramentas, equipamentos ferroviários engenharia e equipamentos elétricos, engenharia e equipamentos pesados2 Infra-estrutura canais, estradas ferrovias, navegação mundial energia elétrica Outros setores crecendo rapidamente máquinas a vapor, maquinaria aço, eletricidade, gás, corantes sintéticos, engenharia pesada indústria automobilística e aeroespacial, rádio e telecomunicações, metais e ligas leves, bens duráveis, petróleo e plásticos Países líderes Grã-Bretanha, França e Bélgica Grã-Bretanha, França, Bélgica, Alemanha e EUA Alemanha, EUA, Grã- Bretanha, França, Bélgica, Suíça e Holanda Países em desenvolvimento Alemanha e Holanda Itália, Holanda, Suíça, Austria-Hungria Itália, Austria-Hungria, Canadá, Suécia, Dinamarca, Japão e Rússia Fonte: LASTRES, H. M. M.; FERRAZ, J. C. Economia da Informação, do Conhecimento e do Aprendizado,. (ver na bibliografia)
  11. 11. FASE QUARTO QUINTO Início e término 1920/30 a 1970/80 1970/80 a ? Descrição produção em massa, "fordismo" tecnologias da informação Fator-chave1 petróleo e derivados microeletrônica, tecnologia digital Setores alavancadores do crescimento automóveis e caminhões, tratores e tanques, indústria aeroespacial, bens duráveis, petroquímicos equipamentos de informática e telecomunicações, robótica, serviços info intensivos, softwares Infra-estrutura auto-estradas, aeroportos, caminhos aéreos redes e sistemas, 'information highways' Outros setores crecendo rapidamente fármacos, energia nuclear, microeletrônica, telecomunicações biotecnologia, nanotecnologia, atividades espaciais Países líderes Alemanha, EUA e outros paíse da CEE, Japão, Rússia, Suécia e Suíça Japão, EUA, Alemanha, Suécia, outros países da CEE, Taiwan e Coréia Países em desenvolvimento Países do Leste Europeu, Brasil, México, Argentina, Coréia, China, India, Taiwan Brasil, México, Argentina, India, Indonésia, Turquia,Venezuela, Egito Fonte: LASTRES, H. M. M.; FERRAZ, J. C. Economia da Informação, do Conhecimento e do Aprendizado,. (ver na bibliografia)
  12. 12. O preço médio de um circuito integrado caiu de U$50 em 1962 para U$ 1 em 1971. Em 1971 cabiam 2300 transistores em um chip do tamanho da cabeça de uma tachinha. Em 1993 cabiam 35 milhões e em 2008, 234 milhões. O custo médio de processamento da informação caiu de aproximadamente U$ 75 por cada milhão de operações, em 1960, para menos de um centésimo de centavo de dólar em 1990. crescente capacidade de codificação de conhecimentos e a maior velocidade, confiabilidade e baixo custo de transmissão, armazenamento e processamento de enormes quantidades dos mesmos e de outros tipos de informação; a aceleração do processo de geração de novos conhecimentos e de fusão de conhecimentos, assim como a intensificação do processo de adoção e difusão de inovações, implicando ainda mais veloz redução dos ciclos de vida de produtos e processos; MUDANÇAS TECNOLÓGICAS IMPACTOS MUDANÇAS TECNOLÓGICAS...
  13. 13. COMPETIÇÃO EM ESCALA MUNDIAL: NECESSIDADE DE ESTRATÉGIAS CONJUNTAS ENTRE O ESTADO E O SETOR PRIVADO VISANDO O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE DAS EMPRESAS E DOS PAÍSES; GLOBALIZAÇÃO DOS MERCADOS, DAS FINANÇAS, DO COMÉRCIO, DA CULTURA E DOS PROBLEMAS ECONÔMICOS E FINANCEIROS; PROTECIONISMO CRESCENTE DOS PAÍSES DESENVOLVIDOS, DIFICULTANDO O ACESSO DE OUTROS PAÍSES DE INDUSTRIALIZAÇÃO TARDIA AOS MERCADOS E ÀS INOVAÇÕES; ÊNFASE NA CRIAÇÃO DE REDES DE COOPERAÇÃO INTRA E INTER-EMPRESAS E PAÍSES. MACRO-TRANSFORMAÇÕES NO AMBIENTE ECONÔMICO DA SOCIEDADE
  14. 14. Essa revolução tecnológica ,centrada nas TICs , impõe uma nova base material, tecnológica, da atividade econômica e da organização social. CONSEQUÊNCIAS: A “ACELERAÇÃO” DO TEMPO O “ENCURTAMENTO” DO ESPAÇO AUMENTO EXPONENCIAL DA QUANTIDADE DE INFORMAÇÕES DISPONÍVEIS Novos Produtos, processos e insumos Novos mercados Novas formas de organização MACRO-TRANSFORMAÇÕES NO AMBIENTE ECONÔMICO DA SOCIEDADE
  15. 15. O tempo... Pre Dir1 Sup1 Dep1 Div2 Set4 Sup2 Dir2 Sup3 Antes das redes de computadores as simples tramitação de documentos – à época datilografados e enviados fisicamente por malotes – poderia levar semanas ou meses, dependendo do porte e da base geográfica da organização.
  16. 16. Contextualização
  17. 17. A emergência da economia global Gestão e controle em um mercado global; Competição em mercados mundiais; Grupos de trabalho globais; Sistemas de entrega globais. A transformação das economias industriais Economias baseadas no conhecimento e na informação; Produtividade; Novos produtos e serviços; Conhecimento: um ativo produtivo e estratégico fundamental; Concorrência baseada em tempo; Produtos de vida mais curta; Ambiente turbulento; Base de conhecimento do funcionário limitada; Transformação da empresa Achatamento; Descentralização; Flexibilidade; Independência de localização; Baixos custos de transação e coordenação; Empowerment; Trabalho colaborativo e em equipe; MUDANÇAS QUE IMPACTARAM O AMBIENTE ORGANIZACIONAL
  18. 18. Informação, Conhecimento e o Mundo dos Negócios A Informação e o Conhecimento tornaram-se um fator econômico mais importante. Importância da vinculação entre o conhecimento teórico o sua aplicação ao dia-a-dia das organizações. Conhecimento associado à ação. Conhecimento sobre seu mercado, seus processos, seus clientes, sua tecnologia, seus concorrentes. Contextualização
  19. 19. Informação, Conhecimento e o Mundo organizacional Aspectos que adicionam valor aos produtos e serviços:  Habilidade técnica, projeto de produto, apresentação de marketing, criatividade e inovação Aspectos intangíveis baseados no conhecimento Conclusões: Informação e conhecimento como fontes vitais de inovação e vantagem competitiva sustentável Informação e conhecimento são ativos, e assim devem ser gerenciados. A sociedade contemporânea
  20. 20. Sociedade do conhecimento: Mudanças, rupturas Agilidade Autonomia “Empowerment” Valores: criatividade, iniciativa, improviso A sociedade contemporânea
  21. 21. O FUTURO DOS GOVERNOS NA SOCIEDADE CONHECIMENTO •Ruptura com o passado •Mudanças Ficar à margem das mudanças significa perder legitimidade e autoridade TIC PESSOAS PRINCÍPIOS PROCESSOS ESTRUT. ORGANIZAC. O SETOR PÚBLICO NA ERA DO CONHECIMENTO
  22. 22. Alvarenga Neto, Rivadávia Correa Drumond. Gestão do conhecimento em organizações: proposta de mapeamento conceitual integrativo. Item 2.2 do Cap 2 da TESE CASTELLS, M. - A Era da Informação: Economia, Sociedade e Cultura – vol. 1: A Sociedade em Rede. 6ª Ed.São Paulo: Paz e Terra, 1999. DAVENPORT, T.H., BECK, J.C. A Economia da Atenção. Rio de Janeiro: Campus, 2001. KUMAR, K. – Da Sociedade Pós-Industrial à Pós-Moderna : novas teorias sobre o mundo contemporâneo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editores, 1997. LASTRES, H. M. M.; FERRAZ, J. C. Economia da Informação, do Conhecimento e do Aprendizado, In: Informação e Globalização na Era do Conhecimento.Rio de Janeiro: Campus, 1999. MORAES, L. B. de. O fim de uma Era - As transformações do Séc. XX. Notas de aula. BIBLIOGRAFIA
  23. 23. CURIOSIDADES 1943 - Em parceria com a marinha Norte-Americana, a IBM construiu o Mark I, totalmente eletromecânico, com 17 m de comprimento, 2,5 m de altura e 5 toneladas. Item 2.2 do Cap 2
  24. 24. CURIOSIDADES MACROTRANSFORMAÇÕES NO AMBIENTE TECNOLÓGICO DA SOCIEDADE NENHUMA OUTRA TECNOLOGIA FOI ASSIMILADA TÃO RAPIDAMENTE NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA - O RÁDIO LEVOU 38 ANOS PARA ATINGIR OS PRIMEIROS 50 MILHÕES DE USUÁRIOS; - A TELEVISÃO ABERTA 16 ANOS; - A TELEVISÃO A CABO 10 ANOS; - A INTERNET MENOS DE 5 ANOS. COMPARE: UMA EDIÇÃO DO THE NEW YORK TIMES EM UM DIA DA SEMANA CONTÉM MAIS INFORMAÇÃO DO QUE O COMUM DOS MORTAIS PODERIA RECEBER DURANTE TODA A VIDA NA INGLATERRA DO SÉC. XVII... (DAVENPORT & BECK, 2001) DESMATERIALIZAÇÃO: Em 1993 as matérias primas não representavam mais do que 2% a 3% do custo de produção dos componentes microeletrônicos (depois disso já houve um avanço na miniaturização). - Um acordo entre o governo americano e a indústria automobilística, em 1997, estipulou a redução a um terço do consumo de combustível e emissão de CO2, e teve como conseqüência a redução de 50% na massa média dos veículos. Portanto, 50% menos de „matéria‟. Cada vez mais “as coisas têm menos coisas”...
  25. 25. ITEM Visto pela paradigma industrial Visto pelo paradigma do conhecimento. Pessoas Geradores de custos ou recursos Geradores de receita Base de poder dos gerentes Nível relativo na hierarquia organizacional Nível relativo de conhecimento Luta de poder Trabalhadores físicos versus capitalistas Trabalhadores do conhecimento versus gerentes Principal tarefa da gerência Supervisão de subordinados Apoio aos colegas Informação Instrumento de controle Ferramenta para o recurso da comunicação Produção Trabalhadores físicos processando recursos físicos para criar recursos tangíveis Trabalhadores do conhecimento converte conhecimento em estruturas intangíveis Fluxo de informações Via hierarquia organizacional Via redes colegiadas Forma básica de receita Tangível (dinheiro) Intangível (aprendizado, novas ideias, novos clientes, P&D) Estrangulamentos na produção Capital financeiro e habilidades humanas Tempo e conhecimento Manifestação da produção Produtos tangíveis (hardware) Estruturas intangíveis (conceitos e software) Fluxo da produção Regido pela máquina, seqüencial Regido pelas idéias, caótico Efeito de porte Economia de escala no processo de produção Economia de escopo nas redes Relacionamento com o cliente Unilateral pelos mercados Interativo pelas redes pessoais Conhecimento Uma ferramenta ou um recurso entre outros O foco empresarial Finalidade de aprendizado Aplicação de novas ferramentas Criação de novos ativos Valores do mercado acionário Regidos pelos ativos tangíveis Regidos pelos ativos intangíveis
  26. 26. Prof. Leo Moraes - 2009 No mundo Compartilhe suas apresentações! E tenha acesso à milhões de apresentação do mundo inteiro. Faça parte da comunidade: www.slideshare.com . DICA DO DIA

×