Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
ESCOLA, EDUCAÇÃO E QUALIDADE
OBJETIVOS <ul><li>Os objetivos da pesquisa foram: </li></ul><ul><li>levantar as concepções de qualidade da e na educação, ...
SUJEITOS <ul><li>Foram entrevistadas 51 (cinqüenta e uma) pessoas, todas ligadas, enquanto profissionais, a uma ou mais in...
AMBIENTES <ul><li>Os profissionais foram entrevistados em seu próprio local de trabalho. Assim, 14 estavam ambientados em ...
METODOLOGIA <ul><li>A pesquisa baseou-se em um questionário composto de 19 questões, sendo 02 fechadas e dicotômicas, 11 d...
RESULTADOS
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
<ul><li>A breve pesquisa revelou que aquelas pessoas que trabalham na educação escolar acentuam, em um percentual bastante...
<ul><li>Isso nos levou à hipótese de que, mesmo reconhecendo a importância da qualidade formal no processo educativo, as p...
<ul><li>A qualidade “diferenciada”, plena, que forja a educação integral, que instaura a verdadeira formação de qualidade ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Escola, EducaçãO E Qualidade

1,290 views

Published on

O discurso sobre a qualidade na educação sempre faz referência à tecnologia, descurando que a verdadeira qualidade consiste no tipo de relação humana que se estabelece em qualquer ambiente, sobretudo o escolar.

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Escola, EducaçãO E Qualidade

  1. 1. ESCOLA, EDUCAÇÃO E QUALIDADE
  2. 2. OBJETIVOS <ul><li>Os objetivos da pesquisa foram: </li></ul><ul><li>levantar as concepções de qualidade da e na educação, conforme percebidas pelos profissionais que atuam em instituições de ensino da cidade; </li></ul><ul><li>verificar quais as atividades e procedimentos das instituições onde trabalham justificam a “qualidade” das mesmas; </li></ul><ul><li>destacar quais os pontos que melhor caracterizam a qualidade nas instituições onde realizam seu trabalho educativo; </li></ul><ul><li>perceber quais os pontos que devem ser superados para que a “qualidade” seja uma realidade mais concreta. </li></ul>
  3. 3. SUJEITOS <ul><li>Foram entrevistadas 51 (cinqüenta e uma) pessoas, todas ligadas, enquanto profissionais, a uma ou mais instituições de ensino. No total foram 43 docentes, 5 coordenadores, 1 diretor, 1 inspetor e 1 auxiliar de coordenação, sendo 44 do sexo feminino e 7 do sexo masculino, com idades variando entre 21 e 56 anos (média de 37 anos). Desse universo, 11 têm somente o ensino médio, 27 possuem curso superior, 12 cursaram especialização e apenas 1 tem mestrado. </li></ul>
  4. 4. AMBIENTES <ul><li>Os profissionais foram entrevistados em seu próprio local de trabalho. Assim, 14 estavam ambientados em instituições de ensino privadas/particulares, 6 em instituições cooperadas, 3 em instituições públicas municipais e 1 em instituição conveniada. A maioria – 27 das pessoas entrevistadas – estava ligada a instituições públicas estaduais. </li></ul>
  5. 5. METODOLOGIA <ul><li>A pesquisa baseou-se em um questionário composto de 19 questões, sendo 02 fechadas e dicotômicas, 11 de múltipla escolha (fechadas ou encadeadas) e 07 abertas. A diretividade ficou por conta da própria estrutura do questionário, com os aplicadores limitando-se, no máximo, a esclarecer as questões encadeadas. Não houve uma preocupação com a segmentação dos profissionais, quanto ao cargo ocupado, nem quanto ao nível do ensino a que estivesse ligado (se educação infantil, ensino fundamental ou ensino médio). Buscou-se uma segmentação mais definida em relação ao sistema de ensino (se privado/particular ou público). </li></ul>
  6. 6. RESULTADOS
  7. 20. <ul><li>A breve pesquisa revelou que aquelas pessoas que trabalham na educação escolar acentuam, em um percentual bastante elevado, as relações humanas estabelecidas no processo educativo: sejam entre corpo docente e discente, sejam entre equipe educativo-pedagógica e família, sejam entre a própria equipe técnica-pedagógica e administrativa. </li></ul>
  8. 21. <ul><li>Isso nos levou à hipótese de que, mesmo reconhecendo a importância da qualidade formal no processo educativo, as profissionais e os profissionais da educação escolar advogam a necessidade de um passo além, o que poderíamos reconhecer, com DEMO, como sendo a qualidade política. </li></ul>
  9. 22. <ul><li>A qualidade “diferenciada”, plena, que forja a educação integral, que instaura a verdadeira formação de qualidade envereda pela qualidade política – caracterizada pelo agir comprometido com a ética, que leva ao reconhecimento do “outro como um si mesmo”, diria Ricoeur. O agir qualitativamente, no sentido pleno (formal e político do termo), visa a educação plena para a plenitude da sociedade... </li></ul>

×