Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Upcoming SlideShare
Florence Residencial
Next

1

Share

Patologia do sono

Related Books

Free with a 30 day trial from Scribd

See all

Related Audiobooks

Free with a 30 day trial from Scribd

See all

Patologia do sono

  1. 1. Faculdade de Medicina de LisboaMódulo X - Medicina Geral e Ciências SociaisTurma 4; Grupo BAmorim AFFerreira RMadeira SMatias INunes SParreira LPrevalência de Sintomatologia associada aPatologia do Sononos Utentes do C. S. de Benfica
  2. 2. PATOLOGIA DO SONO?Porquê?
  3. 3. Patologia do SonoSleep duration and mortality: asystematic review and meta-analysisNos doentesque dormempoucoRisco Relativo demortalidade portodas as causas1,1x superioraos demaisSleep disruption and decline inmarital satisfaction across thetransition to parenthoodAlteração dosono no pós-partoContribui paraDiminuição dasatisfaçãoconjugalRR=1,1Fam Syst Health. 2009 Jun;27(2):153-60.J Sleep Res. 2009 Jun;18(2):148-58.
  4. 4. MÉTODOSO que fizemos?
  5. 5. n=300 (1% da população do C.S.Benfica)14.12.09  08.01.10
  6. 6. 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 24Escala de Epworth25,9%SimNãoDoresSimNãoCongestão nasalSimNãoApneiaSimNãoBoca secaSimNãoAnsiedade/depressão aodeitarSintomasNocturnos SimNãoCefaleiasSintomasDiurnosSimNãoProblemas notrabalhoSimNãoAcidentes notrabalhoSimNãoSonolênciadiurnaSimNãoFadiga
  7. 7. CARACTERIZAÇÃO DA AMOSTRADe quem falamos? Do que falamos?
  8. 8. Caracterização da AmostraTotal Homens Mulheres Valor-pTotal 300 96 204Idade (anos) 51,77±19,49 54,8±1,9 50,5±1,4 nsDorme mal 37,9% 30,9% 41,4% nsSonolência diurna excessiva 22,4% 15,8% 19,6% nsProblemas no trabalho 54,6% 9,4% 11,3% nsSem antecendentes 27,2% 29,2% 26,5% nsn=300 (1% da população do C.S.Benfica)
  9. 9. SINTOMAS DIURNOSSonolência e Dificuldades nas Actividades diárias
  10. 10. p<0,001Teste de Mann-Whithney8,715,185,213,95Sintomas diurnosSonolento durante o dia6.90%27.30%93.10% 72.70%Não SonolentoConsequências?Com Problemas no Trabalho Semp<0,001IC=]2,33;10,88[OR=5,0318.30%81.70%
  11. 11. PATOLOGIA ASSOCIADA AO SONO1. AOS2. Depressão3. Insónia4. Patologia OA
  12. 12. 1. Apneia Obstrutiva do SonoInterrupção da respiração normal durante o sonopelo colapso da via aérea(5+ episódios/ hora) 3ª doença respiratória mais prevalente(1ªAsma; 2ªDPOC) Até 20% de prevalência na populaçãoAOS não tratada ou não diagnosticadaapresenta graves consequênciasFactor de risco independente emodificável de doença cardiovascular!Stress oxidativoSensibilidade barorreflexaInflamação sistémicaPostgrad Med. 2009 Jul;121(4):33-41.Cochrane Database of Systematic Reviews 2006, Issue 3. Art. No.: CD001106.Cochrane Database of Systematic Reviews 2001, Issue 1. Art. No.: CD002875.Rev Invest Clin. 2008 Nov-Dec;60(6):502-16.Cardiovasc Diabetol. 2006 Nov 1;5:22.Eur Respir J. 2009 Apr;33(4):907-14.Lancet. 2005 Mar 19-25;365(9464):1046-53.Manifestação de síndrome metabólica?
  13. 13. 1. Apneia Obstrutiva do SonoSintomasNocturnosRessonar alto, comepisódios de 20-30s desilêncioApneiaEngasgar-seDispneiaDesassossegoAcordar várias vezesNictúriaDiaforesePiroseBoca secaSintomasDiurnosSonolênciaFadigaCefaleias matinaisFalta de concentraçãoDiminuição da líbido eimpotênciaDiminuição da atençãoDepressãoAlterações dapersonalidadeFactores de Risco•Obesidade•Género Masculino•Congestão nasal•Idade>65A•História familiar•Álcool ou sedativos•Privação de sono•Posição supina•Alergias respiratóriasPostgrad Med. 2009 Jul;121(4):33-41.
  14. 14. 1. Apneia Obstrutiva do Sono22,34%5%8%5 ou mais sintomas AOS Com critérios diagnóstico5 ou maisdas características de AOS•58,2% são homens (p<0,001)•59,7% tem menos de 65A (valor-p não significativo)35.554.264.5 48.5Sem Com critériosPrevalência de HTA?Com HTA SemP=0,069IC=]0,927;4,972[OR=2,14
  15. 15. 1. Apneia Obstrutiva do SonoCPAP“ContinuousPositiveAirwayPressure” Tónus Muscular das Vias AéreasPerda de peso Higiene do sono Exercício FísicoBeneficios sintomáticos HTA Risco de eventos CVPostgrad Med. 2009 Jul;121(4):33-41.Cochrane Database of Systematic Reviews 2006, Issue 3. Art. No.: CD001106.Cochrane Database of Systematic Reviews 2001, Issue 1. Art. No.: CD002875.
  16. 16. 2. InsóniaCaracterísticasDificuldade e receio em adormecerDificuldade em manter o sonoAcordar muito cedoSensação de sono “não-reparador”Fadiga, adinamia e sonolência diurnaDificuldade de concentraçãoIrritabilidadeHistória de depressão ou ansiedadeSexo feminino
  17. 17. 39%33%13% 5%Sonolento durante o dia Problemas no trabalhoConsequências?Com características de Insónia SemP<0,001IC=]2,30;8,23[OR=4,35P<0,001IC=]4,19;20,31[OR=9,232. Insónia20%80%6 ou maisdas 9 características deinsónia consideradas25%32%7.70% 8.10%Fármacos Anti-Depressivos Fármacos AnsiolíticosMedicados?Com Insónia Semp<0,001IC=]2,18;13,31[OR=5,38P=0,003IC=]1,52;10,45[OR=3,98p<0,001IC=]9,04;3,75[OR=18,48* Sem diferença estatisticamente significativa no valor de Epworth patológico.•86,9% são mulheres (p<0,001)•67,9% tem menos de 65A (valor-p não significativo)
  18. 18. 2. InsóniaActuar na causaHigiene do sono• Evitar• sestas prolongadas• ficar demasiado tempo na cama• praticar exercício físico poucoantes de adormecer• consumo da cafeína• Tentar• Tomar banho ou bebidas quentesantes de adormecer• Manter um horário regular paraadormecer e cordar• Expôr-se a luz solar nos primeiros30 minutos após o acordar• Manter quarto escuro e silenciosoTerapêutica Farmacológica• Antidepressivos• Ansiolíticos
  19. 19. 2. Insónia  Depressão• Depressão ↔ Insónia↑ Risco de suicídio↑ Risco de recorrência de depressãoCNS Drugs. 2009;23(4):309-29.19%81%Queixas de Depressão oumedicado com AntidepressivosInsónia24%Sem76%!Cuidar dosono quandose cuida dadepressão!•82,5% são mulheres (p=0,01)•64,9% tem menos de 65A (valor-p não significativo)
  20. 20. 767613216Sem Com patologia AOSem Com queixas álgicas relacionadas com o sono4. Patologia Osteo-Articularp<0,001IC=]4,49;15,16[OR=8,25* Sem diferença estatisticamente significativa no valor de Epworth patológico ou nas queicas de dormirem pouco tempo.•N=92 doentes com patologia OA•62,5% tem menos de 65A (p=0,03)•76,3% são mulheres (p=0,002)23.00%48.70% 49.30%13.50% 24.30% 26.70%Sonolento durante o dia Acordado por nãoconseguir dormirDormir malConsequências?Com queixas álgicas Sem1.922.952.67Odd Ratio
  21. 21. RESULTADOS “NEGATIVOS”Associações sem valor estatisticamente significativo
  22. 22. Idoso95205>65anosSem relaçãoestatísticaValor-pestatisticamentesignificativo
  23. 23. HábitosHábitosConsumo de caféTrabalhar por turnosDesportoConsequênciasValor de Epworth médioTempo que dormeDormir poucoNão conseguir dormirDormir malAcordar durante a noiteProblemas no trabalhoSonolência diurna
  24. 24. CONCLUSÕES
  25. 25. Conclusões• As queixas relacionadas com a patologia do sono são muitoprevalentes• O diagnóstico precoce destes doentes será muitoprovelmenete feito ao nível dos cuidados de saúde primários• É recomendado que o médico esteja alerta para estasintomatologia
  26. 26. BIBLIOGRAFIA
  27. 27. Bibliografia• Ferro J, Pimentel J, Neurologia - Princípios, Diagnóstico e Tratamento, Lisboa: LIDEL - Edições técnicas, 2006• Kryger M, Roth T, Dement, WC, Principles and practice of Sleep Medicine, Third Edition, Pennsylvania, USA: WBSaunders Company, 2000• Ohayon MM, Prevalence and comorbidity of sleep disorders in general population, Rev Prat. 2007 Sep30;57(14):1521-8.• Sigurdson K, Ayas NT, The public health and safety consequences of sleep disorders, Can J PhysiolPharmacol. 2007 Jan;85(1):179-83• Shneerson J, Wright JJ. Lifestyle modification for obstructive sleep apnoea. Cochrane Database of SystematicReviews 2001, Issue 1. Art. No.: CD002875. DOI: 10.1002/14651858.CD002875• Giles TL, Lasserson TJ, Smith B, White J, Wright JJ, Cates CJ. Continuous positive airways pressure forobstructive sleep apnoea in adults. Cochrane Database of Systematic Reviews 2006, Issue 3. Art. No.:CD001106. DOI: 10.1002/14651858.CD001106.pub3.• Lieberman JA 3rd, Obstructive sleep apnea (OSA) and excessive sleepiness associated with OSA: recognition inthe primary care setting, Postgrad Med. 2009 Jul;121(4):33-41.• Jennum P, Riha RL, Epidemiology of sleep apnoea/hypopnoea syndrome and sleep-disordered breathing, EurRespir J. 2009 Apr;33(4):907-14.• Gruber A, Horwood F, Sithole J, Ali NJ, Idris I, Obstructive sleep apnoea is independently associated with themetabolic syndrome but not insulin resistance state, Cardiovasc Diabetol. 2006 Nov 1;5:22.• Torre-Bouscoulet L, Castorena-Maldonado A, Sada-Ovalle I, Meza-Vargas MS, [Mechanisms of cardiovasculardamage in obstructive sleep apnea], Rev Invest Clin. 2008 Nov-Dec;60(6):502-16• Jindal RD., Insomnia in patients with depression: some pathophysiological and treatment considerations, CNSDrugs. 2009;23(4):309-29.
  • alesandratorezanifoletto

    May. 12, 2013

Views

Total views

721

On Slideshare

0

From embeds

0

Number of embeds

2

Actions

Downloads

0

Shares

0

Comments

0

Likes

1

×