Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

1551 Deficiencia Auditiva

13,965 views

Published on

DEFICIENCIA AUDITIVA

  • i'd like to know if have tratment for toxoplasmoses
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here

1551 Deficiencia Auditiva

  1. 1. DEFICIÊNCIA AUDITIVA Silvana Badin [email_address]
  2. 2. DEFINIÇÃO <ul><li>Deficiência auditiva é considerada genericamente como a diferença existente entre a perfomance do indivíduo e a habilidade normal para a detecção sonora de acordo com padrões estabelecidos pela American National Standards Institute (ANSI – 1989). </li></ul>Silvana Badin
  3. 3. DEFINIÇÃO <ul><li>QUALQUER ALTERAÇÃO OU DISTÚRBIO NO PROCESSAMENTO NORMAL DA AUDIÇÃO, SEJA QUAL FOR A CAUSA, TIPO OU GRAU DE SEVERIDADE, CONSTITUI UMA ALTERAÇÃO AUDITIVA, DETERMINANDO, PARA O INDIVÍDUO, UMA DIMINUIÇÃO DA SUA CAPACIDADE DE OUVIR E PERCEBER OS SONS. </li></ul>Silvana Badin
  4. 4. PERÍODO DE AQUISIÇÃO Silvana Badin
  5. 5. ADQUIRIDAS <ul><li>QUANDO O INDIVÍDUO PERDE A AUDIÇÃO NO DECORRER DA SUA VIDA. NESSE CASO A SURDEZ PODERÁ SER PRÉ OU PÓS-LINGUAL, DEPENDENDO DE SUA OCORRÊNCIA TER DE DADO ANTES OU DEPOIS DA AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM </li></ul>Silvana Badin
  6. 6. CAUSAS DA SURDEZ Silvana Badin
  7. 7. PRÉ-NATAIS <ul><li>FATORES GENÉTICOS </li></ul><ul><li>FATORES HEREDITÁRIOS </li></ul><ul><li>TOXOPLASMOSE </li></ul><ul><li>RUBÉOLA </li></ul><ul><li>CITOMEGALOVÍRUS </li></ul><ul><li>EXPOSIÇÃO DA MÃE A DROGAS ATOTÓXICAS </li></ul>Silvana Badin
  8. 8. PERI-NATAIS <ul><li>PREMATURIDADE </li></ul><ul><li>ANÓXIA </li></ul><ul><li>TRAUMA DE PARTO </li></ul>Silvana Badin
  9. 9. PÓS-NATAIS <ul><li>MENINGITE </li></ul><ul><li>CAXUMBA </li></ul><ul><li>SARAMPO </li></ul><ul><li>MEDICAMENTOS OTOTÓXICOS </li></ul><ul><li>AVANÇO DA IDADE </li></ul><ul><li>ACIDENTES </li></ul>Silvana Badin
  10. 10. TIPOS DE PERDA AUDITIVA Silvana Badin
  11. 11. CONDUTIVA <ul><li>QUANDO ESTÁ LOCALIZADA NO OUVIDO EXTERNO E/OU OUVIDO MÉDIO. </li></ul><ul><li>AS PRINCIPAIS CAUSAS DESTE TIPO SÃO AS OTITES, ROLHA DE CERA E ACÚMULO DE CERA. </li></ul><ul><li>NA MAIORIA DOS CASOS, ESSAS PERDAS SÃO REVERSÍVEIS APÓS O TRATAMENTO </li></ul>Silvana Badin
  12. 12. NEUROSSENSORIAL <ul><li>QUANDO A ALTERAÇÃO ESTÁ LOCALIZADA NO OUVIDO INTERNO, ESSE TIPO DE LESÃO É IRREVERSÍVEL </li></ul><ul><li>ESSE TIPO DE LESÃO É IRREVERSÍVEL; A CAUSA MAIS COMUM É A MENINGITE E A RUBÉOLA MATERNA. </li></ul>Silvana Badin
  13. 13. MISTA <ul><li>QUANDO A ALTERAÇÃO AUDITIVA ESTÁ LOCALIZADA NO OUVIDO EXTERNO E/OU MÉDIO E OUVIDO INTERNO. </li></ul><ul><li>GERALMENTE OCORRE DEVIDO A FATORES GENÉTICOS, DETERMINANTES DE MÁ FORMAÇÃO. </li></ul>Silvana Badin
  14. 14. CENTRAL <ul><li>A ALTERAÇÃO PODE SE LOCALIZAR DESDE O TRONCO CEREBRAL ATÉ ÀS REGIÕES SUBCORTICAIS E CÓRTEX CEREBRAL. </li></ul>Silvana Badin
  15. 15. GRAU DE COMPROMETIMENTO <ul><li>AUDIÇÃO NORMAL – de 0 a 15dB </li></ul><ul><li>SURDEZ LEVE – de 16 A 40 dB </li></ul><ul><li>SURDEZ MODERADA – de 41 a 55 dB </li></ul><ul><li>SURDEZ ACENTUADA – de 56 a 70 dB </li></ul><ul><li>SURDEZ SEVERA – de 71 a 90 dB </li></ul><ul><li>SURDEZ PROFUNDA – acima de 91 dB </li></ul>Silvana Badin
  16. 16. RELAÇÃO ENTRE O GRAU DE SURDEZ E O DESENVOLVIMENTO INFANTIL Silvana Badin
  17. 17. SURDEZ LEVE <ul><li>A CRIANÇA É CAPAZ DE PERCEBER OS SONS DA FALA </li></ul><ul><li>ADQUIRE E DESENVOLVE A LINGUAGEM ORAL ESPONTANEAMENTE </li></ul><ul><li>O PROBLEMA GERALMENTE É TARDIAMENTE DESCOBERTO </li></ul><ul><li>DIFICILMENTE SE COLOCA O APARELHO DE AMPLIFICAÇÃO PORQUE A AUDIÇÃO É MUITO PRÓXIMA DO NORMAL </li></ul>Silvana Badin
  18. 18. SURDEZ MODERADA <ul><li>A CRIANÇA PODE DEMORAR UM POUCO PARA DESENVOLVER A FALA E A LINGUAGEM </li></ul><ul><li>APRESENTA ALTERAÇÕES ARTICULATÓRIAS (TROCAS NA FALA) POR NÃO PERCEBER OS SONS COM CLAREZA </li></ul><ul><li>TEM DIFICULDADE DE PERCEBER A FALA EM AMBIENTES RUIDOSOS </li></ul><ul><li>SÃO CRIANÇAS DESATENTAS E COM DIFICULDADE NO APRENDIZADO DA LEITURA E DA ESCRITA </li></ul>Silvana Badin
  19. 19. SURDEZ SEVERA <ul><li>A CRIANÇA TERÁ DIFICULDADES EM ADQUIRIR A FALA E A LINGUAGEM ESPONTANEAMENTE </li></ul><ul><li>PODERÁ ADQUIRIR VOCABULÁRIO DO CONTEXTO FAMILIAR </li></ul><ul><li>EXISTE A NECESSIDADE DO USO DE APARELHO DE AMPLIFICAÇÃO E ACOMPANHAMENTO ESPECIALIZADO </li></ul>Silvana Badin
  20. 20. SURDEZ PROFUNDA <ul><li>A CRIANÇA DIFICILMENTE DESENVOLVERÁ A LINGUAGEM ORAL ESPONTANEAMENTE </li></ul><ul><li>SÓ RESPONDE AUDITIVAMENTE A SONS MUITO INTENSOS COMO: BOMBAS, MOTOR DE CARRO, AVIÃO </li></ul><ul><li>FREQÜENTEMENTE UTILIZA A LEITURA ORO-FACIAL </li></ul><ul><li>NECESSITA FAZER USO DE APARELHO DE AMPLIFICAÇÃO </li></ul><ul><li>ACOMPANHAMENTO ESPECIALIZADO </li></ul>Silvana Badin
  21. 21. IDENTIFICAÇÃO DA SURDEZ <ul><li>AUSÊNCIA OU INTERRUPÇÃO DO BALBUCIO A PARTIR DO OITAVO MÊS </li></ul><ul><li>AUSÊNCIA DE REAÇÕES A RUÍDOS AMBIENTAIS E FAMILIARES </li></ul><ul><li>AS PRIMEIRAS PALAVRAS COM APARECIMENTO TARDIO </li></ul><ul><li>EXCESSO DE COMUNICAÇÃO GESTUAL E POUCA EMISSÃO DE PALAVRAS </li></ul><ul><li>SOLICITAÇÃO CONSTANTE PARA QUE SEJAM REPETIDAS AS PALAVRAS E INSTRUÇÕES </li></ul>Silvana Badin
  22. 22. IDENTIFICAÇÃO DA SURDEZ <ul><li>FALA SEMPRE MUITO ALTO OU BAIXO </li></ul><ul><li>DORES OU SUPURAÇÕES CONSTANTES NOS OUVIDOS </li></ul><ul><li>CABEÇA VIRADA PARA OUVIR MELHOR, EM POSIÇÃO POUCO COMUM </li></ul><ul><li>OLHAR DIRIJIDO PARA OS LÁBIOS DE QUEM FALA E NÃO PARA OS OLHOS </li></ul><ul><li>RESPOSTAS MUITO FREQÜENTES A RUÍDOS ANTES DO QUE A VOZES </li></ul><ul><li>FALTA DE INTERESSE ÀS SOLICITAÇÕES DO PROFESSOR, DANDO A IMPRESSÃO DE DESATENÇÃO OU “PREGUIÇA” </li></ul><ul><li>FRASES NÃO ESTRUTURADAS </li></ul>Silvana Badin
  23. 23. PREVENÇÃO Silvana Badin
  24. 24. PREVENÇÃO <ul><li>REALIZAR CAMPANHAS DE VACINAÇÃO E SANEAMENTO BÁSICO PARA ERRADICAR AS DOENÇAS INFECTO-CONTAGIOSAS </li></ul><ul><li>FAZER ACOMPANHAMENTO PRÉ-NATAL, EVITANDO AS INFECÇÕES, AS DROGAS, A DESNUTRIÇÃO </li></ul><ul><li>NÃO LIMPAR OS OUVIDOS COM GRAMPOS, PALITOS OU OBJETOS PONTIAGUDOS </li></ul><ul><li>NO CASO DE SENSAÇÃO DE “OUVIDO CHEIO”OU COCEIRAS E DORES, PROCURAR UM MÉDICO OTORRINOLARINGOLOGISTA </li></ul><ul><li>CUIDAR DA FEBRE ALTA </li></ul>Silvana Badin
  25. 25. PREVENÇÃO <ul><li>NÃO EVITAR O ESPIRRO; ISTO DESEQUILIBRA O FUNCIONAMENTO DA TUBA AUDITIVA, PROVOCANDO DESARTICULAÇÃO DA CADEIA OSSICULAR </li></ul><ul><li>RUÍDOS MUITO INTENSOS PODEM MATAR AS CÉLULAS DO OUVIDO INTERNO. USAR PROTETORES </li></ul><ul><li>QUANDO HOUVER CASOS DE SURDEZ E/OU OUTRAS DEFICIÊNCIAS NA FAÍLIA, BUSCAR ACONSELHAMENTO GENÉTICO ANTES DE ENGRAVIDAR </li></ul><ul><li>EVITAR AUTOMEDICAÇÃO E NÃO PINGAR QUALQUER SUBSTÂNCIA NO OUVIDO SEM CONSULTAR O MÉDICO </li></ul><ul><li>TER CUIDADO COM ACIDENTES </li></ul>Silvana Badin
  26. 26. Silvana Badin                                                                    
  27. 27. <ul><li>SONHAR... É A LEI MAIOR DO SER HUMANO, O QUE DÁ SENTIDO À SUA EXISTÊNCIA </li></ul><ul><li>ACREDITAR... É UNIR FORÇAS DE TODOS E ELABORAR O SONHO </li></ul><ul><li>CONSTRUIR... COM A UNIÃO DE TODOS TORNAR O SONHO REALIDADE </li></ul>Silvana Badin
  28. 28. <ul><li>EDIFICAR... É SONHAR MAIS, ACREDITAR MAIS, CONSTRUIR CADA VEZ MAIS SONHOS </li></ul>                                                                                                                                                                                                             

×