LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do FimPROFECIAS SOBRE O TEMPO DO FIM                          Leandro Bertoldo
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim                                 Dedico este livro à educadora e irmã em Cri...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim                          “Estamos vivendo no período mais solene da históri...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim                                    SumárioLeandro BertoldoIntroduçãoPrefáci...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim                                Leandro Bertoldo     Leandro Bertoldo é filh...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fimvos conversos nas Escrituras Sagradas e prepará-los para tornarem-se fiéis d...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim                                     Introdução     As mais fortes evidência...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim                                        Prefácio      Este texto foi concebi...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fimdesta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo ...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim                             AbreviaturasAA    –   Atos dos ApóstolosBC    –...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim                                                               Capítulo 1   ...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim    “Eis que o dia do Senhor vem, horrendo, com furor e ira ardente, para pô...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim     Muitas passagens bíblicas do Antigo Testamento anunciam em alto e bom s...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim     O profeta Isaías afirmou que os “carros” do Senhor vêm “como um torveli...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim    De onde vinha a glória de Deus?    Como era a voz de Deus?    Por que a ...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim     “Sobre as alturas” (Miquéias 1:3) o Senhor “parou, e mediu a terra”. O ...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim24:14). O mundo inteiro terá que se decidir entre o sinal de Deus e o sinal ...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim     No dia da ardente ira do Senhor, o Sol, a Lua e as estrelas parecerão e...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fimcondei-nos do rosto daquele que está assentado sobre o trono, e da ira do Co...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim                                                             Capítulo 2     ...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim2. Apocalipse 12:3-4     “E viu-se outro sinal no céu; e eis que era um gran...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim     Quando o Filho de Deus nasceu no seio da Igreja, Satanás que estava à e...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim28:18). Agora a semente da mulher poderá com justiça esmagar a cabeça da ant...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim     Numa tentativa desesperada e inútil para impedir o resgate dos pecadore...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim     Ambos os versículos fazem referência ao mesmo período de tempo. O resul...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fimmandados pelo general Berthier invadiu Roma e prendeu o papa Pio VI, que foi...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fimforam perseguidos, presos, torturados, trucidados e assassinados por influên...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fimferir blasfêmias ao introduzir doutrinas contrárias à vontade do Senhor. Ess...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fimpreparado por Deus”, e foi cuidado por Deus durante mil duzentos e sessenta ...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do FimDeus, a qual teve que fugir para o deserto durante um período de mil duzento...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim     Sob a Igreja Adventista do Sétimo Dia pesa a solene responsabilidade de...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim                                                                      Capítu...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim    Ao que a besta era semelhante?    O que o dragão deu à besta?     A best...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fimmitido fazer guerra aos santos, e vencê-los; e deu-se-lhe poder sobre toda a...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim     Em sua obra intitulada Divina Comédia, Dante Alighieri acusou diretamen...
LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim    “E vi uma de suas cabeças como ferida de morte, e a sua chaga mortal foi...
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Profecias Sobre o Tempo do Fim
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Profecias Sobre o Tempo do Fim

5,058 views

Published on

Autor: Leandro Bertoldo. Acesse o blog: http://pesquisasbibli

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
5,058
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
312
Actions
Shares
0
Downloads
159
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Profecias Sobre o Tempo do Fim

  1. 1. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do FimPROFECIAS SOBRE O TEMPO DO FIM Leandro Bertoldo
  2. 2. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim Dedico este livro à educadora e irmã em Cristo Ione Chueri dos Santos Exemplo digno de fé a ser imitado.
  3. 3. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim “Estamos vivendo no período mais solene da história deste mundo.O destino das imensas multidões da Terra está preste a decidir-se”. Ellen Gould White Escritora, conferencista, conselheira, e educadora norte-americana. (1827-1915)
  4. 4. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim SumárioLeandro BertoldoIntroduçãoPrefácioAbreviaturas1. O Grande e Terrível Dia do Senhor 2. A Perseguição contra a Igreja de Deus 3. A Besta e Sua Imagem 4. O Sinal da Besta 5. A Chuva Serôdia 6. A Grande Tribulação dos Santos 7. As Sete Últimas Pragas 8. Os Cento Quarenta e Quatro Mil 9. A Ressurreição Especial10. A Volta de Jesus11. Os Sinais da Volta de Jesus – I12. Os Sinais da Volta de Jesus – II13. Aguardando a Segunda Vinda do Senhor14. O Juízo Retribuitivo – Juízo do Advento15. A Ressurreição Geral dos Justos16. A Destruição dos Ímpios17. O Milênio18. O Reino de Deus19. Os Herdeiros do Reino de Deus20. A Capital do Reino de Deus21. Os Moradores da Nova Jerusalém22. O Fim do Céu e da Terra23. O Juízo Divino – Parte Geral24. A Fase Investigativa do Juízo – Juízo Pré-Advento25. A Fase Comprobatória do Juízo – Juízo Pós-Advento26. A Fase Executiva do Juízo – Juízo FinalApêndiceBibliografiaEndereços
  5. 5. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim Leandro Bertoldo Leandro Bertoldo é filho de José Bertoldo Sobrinho e de Anita Leandro Bezerra. Nasceuna cidade de São Paulo – SP, aos 03 de março de 1959. É casado com Daisy Menezes Berto-ldo. Sua filha Beatriz Maciel Bertoldo é advogada e conciliadora judicial. Leandro é donoamoroso das amorosas cachorras: Fofa, Pitucha, Calma e Mimo. É conferencista e escritor. Seus livros são conhecidos em todo o Brasil e fora dele. Até opresente momento possui publicado dezenove livros abrangendo as mais diversas áreas doconhecimento humano, tais como física, matemática, química, teologia e poesias. Em 1979, quando era estudante matriculado no curso de Ciências Exatas e Tecnológicasna Universidade de Mogi das Cruzes – UMC, Leandro desenvolveu uma série de pesquisascientíficas relacionadas com as áreas da Física e da Matemática, as quais vem publicando nodecorrer dos anos. Posteriormente, bacharelou-se em Direito. E, atualmente, é funcionário doPoder Judiciário do Estado de São Paulo. Por intermédio da colega de trabalho Célia Regina Xavier, recebeu o curso “Encontrocom a Vida”. E, influenciado pelos livros “Caminho a Cristo”, “O Desejado de Todas asNações”, “O Grande Conflito”, “Estudos Bíblicos – Doutrinas Fundamentais das EscriturasSagradas” e pela “Bíblia Sagrada”, converteu-se ao cristianismo em 23/04/1986. Em agosto de 1986, matriculou-se na classe bíblica dirigida pelo distinto professor Pe-dro B’ärg. Nessa classe recebeu os primeiros estudos bíblicos e debateu com o professor osgrandes temas das Escrituras Sagradas, tais como determinismo, predestinação, livre-arbítrioetc. Ainda sob a orientação do professor Pedro B’ärg, aprendeu a ministrar estudos bíblicos. Em 26/09/1987 foi batizado pelo pastor David Marsk. E, a partir de novembro de 1987,foi solicitado a realizar uma série de palestras nas igrejas de Biritiba Mirim, Brás Cubas,Jundiapeba, Mogi das Cruzes e Sabaúna. Suas exposições versavam sobre as principais Dou-trinas Bíblicas. Por iniciativa da irmã Ozilda Pereira Moreira e apoiado pela ilustre família Ozias Perei-ra, foi nomeado professor da Escola Sabatina. Logo após, foi convidado para apresentar au-las na classe bíblica pelo querido diretor da Escola Sabatina, Antonio Prado Júnior. Além das atividades como palestrante e professor, realizou durante três anos (1988-1990) consecutivos trabalhos missionários na Vila Industrial, distribuindo folhetos de casaem casa e ministrando estudos bíblicos aos mais diversos interessados. Sua namorada DaisyMenezes juntou-se a ele nessas atividades evangelísticas. Em 1993 veio a conhecer o irmão Paulo César Mazanti, e juntos realizaram, com grandeaproveitamento, durante muitos anos, trabalhos evangelísticos em classes bíblicas, residên-cias, igrejas e na Favela do Gica. Todas essas atividades resultaram em almas ganhas paraCristo. Atendendo ao convite do irmão Edson Félix, o trio Leandro Bertoldo, Paulo César Ma-zanti e Moacir dos Passos, realizaram aos domingos do primeiro semestre de 1999, comgrande sucesso, uma série de conferências bíblicas na então iniciante igreja de “César deSouza”, fundada pelo carismático pastor Paulo Queiroz. No dia 07 de fevereiro de 2004, junto com o amigo Paulo Mazanti, concebeu e passou acoordenar a classe pós-batismal, a qual tem por objetivo fundamental fortalecer a fé dos no-
  6. 6. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fimvos conversos nas Escrituras Sagradas e prepará-los para tornarem-se fiéis discípulos deCristo. O método da classe é o seguinte: “veja como faço e faça como faço”. Leandro foi Secretário do Ministério Pessoal, Tesoureiro, Professor de Escola Sabatina,Promotor de Literatura, Professor de Classe Bíblica, Coordenador de Classe Bíblica e An-cião. Atualmente, coordena as “classes bíblicas” e as “classes pós-batismais” da igreja ondecongrega, localizada na Rua Cel. Santos Cardoso, nº 434, Jardim Santista – Mogi das Cruzes– SP. Paulo Mazanti (1967-2008) nos deixou em 06 de setembro de 2008 e agora dorme noSenhor. Paulo descansou de suas obras plenamente arraigado na fé, convicto de que em bre-ve Jesus voltará e ressuscitará todos os santos para a vida eterna. E, enquanto esse eventofaustoso não ocorre, sua vida continua dando testemunho de um cristão esforçado e dedicadona obra do Senhor, sempre disposto em fazer o bem sem olhar a quem. “Bem-aventurados osmortos que desde agora morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito para que descansem dos seustrabalhos, e as suas obras os sigam” (Apocalipse 14:13).
  7. 7. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim Introdução As mais fortes evidências das verdades espirituais e doutrinárias contidas nas páginasdas Escrituras Sagradas encontram respaldo no cumprimento das profecias bíblicas. Exceto aBíblia Sagrada, nenhum outro livro possui essa especificação. A esse respeito escreveu oprofeta Isaías: “Buscai no livro do Senhor, e lede; nenhuma destas cousas falhará, nem umanem outra faltará; porque a minha própria boca o ordenou, e o seu espírito mesmo as ajunta-rá” (Isaías 34:16). O Senhor prova Sua divindade e onisciência através das profecias: “Lem-brai-vos das cousas passadas desde a antiguidade: que eu sou Deus, e não há outro Deus, nãohá outro semelhante a mim. Que anuncio o fim desde o princípio e desde a antiguidade ascousas que ainda não sucederam; que digo: O meu conselho será firme, e farei toda a minhavontade” (Isaías 46:9-10). As profecias bíblicas são como uma janela aberta para o futuro, que permite ao cristãoter um vislumbre da vindoura história da humanidade. As profecias cumpridas possuem trêsfunções básicas na vida espiritual do cristão, a saber: 1ª) evidenciam a origem divina dasEscrituras Sagradas; 2ª) geram na mente e espírito do cristão uma firme fé nas mensagensbíblicas; 3ª) provam que as demais profecias ainda não cumpridas, se concretizarão quandochegar o momento. Desde o seu início o cristianismo tem-se fundamentado nas profecias bíblicas. DisseJesus: “Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que demim testificam” (João 5:39). “E, começando por Moisés, e por todos os profetas, explicava-lhes o que dele se achava em todas as Escrituras” (Lucas 24:27). Esse espírito de examinar as profecias bíblicas deve continuar a fortalecer a fé dos san-tos do Altíssimo nos últimos dias da história deste mundo. O apóstolo João registrou umabem-aventurança para quem atenta para as palavras proféticas do Apocalipse: “Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisasque nela estão escritas; porque o tempo está próximo” (Apocalipse 1:3). Falando sobre asprofecias, o apóstolo Paulo admoestou os cristãos de Tessalônica com as seguintes palavras:“Não desprezeis as profecias”. (I Tessalonicenses 5:20). “Em vista do testemunho da Inspiração, como ousam os homens ensinar que o Apoca-lipse é um mistério, fora do alcance da inteligência humana? É um mistério revelado, umlivro aberto. O estudo do Apocalipse encaminha o espírito às profecias de Daniel, e ambosapresentam importantíssimas instruções, dadas por Deus ao homem, relativas a fatos a acon-tecerem no final da história deste mundo” (GC, 341). Portanto, os cristãos são exortadospelo Espírito Santo a ler, estudar e conhecer as profecias bíblicas em profundidade, casocontrário o Senhor não teria se dado ao trabalho de inspirar os homens santos a escrevê-las. Destarte, é com incontida satisfação que o autor entrega ao grande público ledor a pre-sente obra, intitulada “Profecias Sobre o Tempo do Fim”. Janeiro/2009.
  8. 8. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim Prefácio Este texto foi concebido como base para um curso de Escatologia Bíblica, com duraçãode um semestre, oferecido uma vez por semana aos estudantes regularmente matriculadosem classes bíblicas e classes pós-batismais, e ele foi assim utilizado em diversas versõespreliminares. A obra foi inteiramente produzida no último trimestre de 2008. É resultado das intensasatividades do autor, nos últimos dez anos, como coordenador e professor de classes bíblicase classes pós-batismais. Ela é fruto de um processo evolutivo da compreensão do autor para-lelo à repetida ministração desse curso nos segundos semestres de 2007 e 2008 nas classesbíblicas e pós-batismais. A obra registra em vinte e seis capítulos as principais profecias para o “tempo do fim”,cada qual, tratando de um tema profético específico. Muitos dos estudos teológicos aquiapresentados são bastante conhecidos no mundo cristão, alguns outros nem tanto, e outrospouco debatidos ou desconhecidos do grande público, mas todos eles possuem uma forte eirrefutável exegese bíblica. Além disso, textos selecionados do “Espírito de Profecia”, sãolargamente utilizados para dar perspectiva e demonstrar o fundamento e a realidade dos as-suntos aqui tratados. Cada um dos capítulos encontra-se estruturado por uma coleção de versículos bíblicos,acompanhados por perguntas, os quais por sua vez levam às explicações apresentada no tex-to do autor. Os versículos, tanto os incluídos no corpo do texto como os de caráter geral queestruturam cada capítulo da obra, não pretendem ser exaustivos em qualquer sentido, masvisam apenas orientar e fundamentar de forma sistemática os comentários apresentados. O texto não exige, da parte dos estudantes, familiaridade prévia com as profecias bíbli-cas, mas apenas o conhecimento básico das doutrinas fundamentais das Sagradas Escrituras. Desde já, autor agradece aos irmãos Maurício Shoji Kimoto, Moacir dos Passos e NiltonSatio Murakami pela apresentação destes estudos proféticos nas classes bíblicas e pós-batismais, o que muito beneficiou no reexame do texto original; mas, em especial, agradecea sua esposa Daisy Menezes Bertoldo e a sua filha Beatriz Maciel Bertoldo, pela leitura ecríticas construtivas do texto original, o que veio a ajudar na eliminação de certos vícios ma-teriais, tais como obscuridades, contradições e omissões. Evidentemente cabe ao autor todaresponsabilidade por eventuais incorreções remanescentes. Durante todo o tempo de sua elaboração, este trabalho foi realizado com espírito de ora-ção e súplicas pela iluminação do Espírito Santo, tendo o autor a plena consciência de que averdade bíblica profética precisa ser exposta – custe o que custar – ao público cristão quevive no tempo do fim. O Senhor as deixou registradas nas páginas sagradas com esse propó-sito. “Ao nos aproximarmos do fim da história deste mundo, devem as profecias relativas aosúltimos dias exigir especialmente nosso estudo. O último livro dos escritos do Novo Testa-mento está cheio de verdades que precisamos compreender. Satanás tem cegado o espírito demuitos de modo que se têm contentado com qualquer desculpa por não tornarem o Apoca-lipse motivo de seu estudo. Mas Cristo, por intermédio de Seu servo João declara aqui o queserá nos últimos dias; e Ele diz: ‘Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras
  9. 9. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fimdesta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo”(Apocalipse 1:3)” (TM, 16). Finalmente, é com espírito de humildade que o autor suplica a indulgência do leitor poreventuais falhas que porventura tenham ocorrido.
  10. 10. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim AbreviaturasAA – Atos dos ApóstolosBC – The Seventh day Adventist Bible Commentary (Vols. I-VII)CES – Conselhos Sobre a Escola SabatinaDTN – O Desejados de Todas as NaçõesEd – EducaçãoEF – Eventos FinaisEv. – EvangelismoGC – O Grande ConflitoLA – O Lar AdventistaM – ManuscritoMar – Maranata! - Meditação MatinalMDC – O Maior Discurso de CristoME – Mensagens Escolhidas (Vols. I-III)MR – Manuscript ReleaseMs – Ellen G. White ManuscriptOE – Obreiros EvangélicosPC – Para Conhecê-LoPE – Primeiros EscritosPP – Patriarcas e ProfetasPR – Profetas e ReisRH – Review and HeraldT – Testimonies (Vols. I-IX)TM – Testemunho para Ministro e ObreirosTS – Testemunhos Seletos (Vols. I-III)VC – Visões do Céu
  11. 11. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim Capítulo 1 O Grande e Terrível Dia do SenhorINTRODUÇÃO1. II Pedro 3:10 “Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão comgrande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra e as obras que nela há, sequeimarão”. O que virá como ladrão? O que passarão com grande estrondo? O que se queimarão? O “dia do Senhor” é uma clara referência escatológica ao dia do juízo retribuitivo,quando o Senhor “dará a cada um segundo as suas obras” (Mateus 16:27). Será o “últimodia” (João 6:39-40) da história da civilização humana. É o dia em que Jesus retornará aoplaneta Terra “com poder e grande glória” (Lucas 21:27). O apóstolo Pedro afirmou que “o dia do Senhor virá como o ladrão de noite”. Jesus dis-se que “daquele dia e hora ninguém sabe” (Marcos 13:32). Portanto, o regresso do Senhorserá um evento faustoso, mas totalmente inesperado pela humanidade “porque o Filho dohomem há de vir à hora em que não penseis” (Mateus 24:44). Jesus anunciou que o “evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemu-nho a todas as gentes” (Mateus 24:14). Isso não quer dizer que todo o mundo se converterá àverdade, mas quer dizer que todas as pessoas terão conhecimento do evangelho. Apesar dis-so, todas as nações se arvorarão contra as verdades eternas da Palavra de Deus. Portanto, oSenhor voltará numa época de densas trevas espirituais (Isaías 60:2). Naquela ocasião a hu-manidade não estará preocupada em obedecer estritamente aos ensinos da Bíblia Sagrada,consequentemente, não estará preparada para subsistir no dia do Senhor, razão pela qual “to-das as tribos da terra se lamentarão” (Mateus 24:30). Assim clamou o profeta Sofonias: “O grande dia do Senhor está perto, está perto, e seapressa muito a voz do dia do Senhor: amargamente clamará ali o homem poderoso. Aqueledia é um dia de indignação, dia de angústia e de ânsia, dia de alvoroço e de desolação, dia detrevas e de escuridão, dia de nuvens e de densas trevas” (Sofonias 1:14-15). No dia do Senhor, “os céus passarão com grande estrondo”. Isto implica em dizer que aatmosfera terrestre explodirá num “grande estrondo”, transformando-se numa gigantescabola de fogo que envolverá várias regiões do planeta destruindo toda forma de vida terrestre.Então os elementos atmosférico, ardendo pelo ardor do calor produzido na explosão do hi-drogênio, se desfarão. Em decorrência, a Terra e todas as obras realizadas pelos homens se-rão totalmente queimadas pelo fogo.2. Isaías 13:9-11
  12. 12. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim “Eis que o dia do Senhor vem, horrendo, com furor e ira ardente, para pôr a terra emassolação, e destruir os pecadores dela. Porque as estrelas dos céus e os astros não deixa-rão brilhar a sua luz; o sol se escurecerá ao nascer, e a lua não fará resplandecer a sua luz.E visitarei sobre o mundo a maldade, e sobre os ímpios a sua iniquidade: e farei cessar aarrogância dos atrevidos, e abaterei a soberba dos tiranos”. Quem será destruído no dia do Senhor? Quem não deixará brilhar a sua luz? O profeta Isaías foi levado a vaticinar que o dia do Senhor será assombroso, devido auma série de acontecimentos extraordinários que ocorrerão no céu e na terra. Conformeafirmou o profeta, será um dia que vem com furor e ira ardente. Um dia em que tudo o quehá sobre a Terra será totalmente devastado. Nesse dia todos os pecadores impenitentes serãodestruídos da face da Terra. No grande dia do Senhor, vários fenômenos sobrenaturais ocorrerão no céu. As estrelase todos os astros do céu não resplandecerão. O profeta ainda proclama que naquele dia o solse escurecerá logo ao nascer e à noite, a Lua e as estrelas não brilharão. Portanto, sem a luzdo sol, das estrelas ou da Lua, haverá um enorme período de escuridão sobre a Terra. “Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem” (Mateus 24:30). Naquele dia aúnica luz que a humanidade observará no céu será um pequeno, mas intenso brilho, localiza-do na direção do oriente (Ezequiel 43:2). A princípio, esse brilho será ofuscado por densasnuvens negras. E na distância, parecerá muito pequeno; mas à medida que se aproximar daTerra vindo do oriente, esse ponto luminoso aumentará gradativamente de tamanho e de in-tensidade luminosa. Esse brilho é chamado na Bíblia Sagrada de “grande glória” do SenhorJesus (Lucas 21:27), que retorna à Terra acompanhado por todos os santos anjos (Mateus25:31) “para pôr a terra em assolação”. Naquele dia “todas as tribos da terra se lamentarão, everão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória” (Mateus24:30). “Por uma fenda nas nuvens, fulgura uma estrela cujo brilho aumenta quadruplicadamen-te em contraste com as trevas. Fala de esperança e alegria aos fiéis, mas de severidade e iraaos transgressores da lei de Deus” (GC, 644). Jesus retorna a este mundo para colocar um fim na maldade do homem. Ele vem paravisitar a iniquidade do ímpio e destruir os pecadores da Terra. Nesse dia o Senhor “fará ces-sar a arrogância dos atrevidos” e abaterá “a soberba dos tiranos”. “Porque o dia do Senhordos Exércitos será contra todo o soberbo e altivo, e contra todo o que se exalta, para que sejaabatido” (Isaías 2:12).VINDA DO SENHOR3. Salmos 50:3-4 “Virá o nosso Deus, e não se calará; adiante dele um fogo irá consumindo, e haverágrande tormenta ao redor dele. Chamará os céus, do alto, e a terra, para julgar o seu po-vo”. Quem virá? O que irá consumindo?
  13. 13. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim Muitas passagens bíblicas do Antigo Testamento anunciam em alto e bom som a vindado “nosso Deus”. O nosso Deus que virá é o Senhor Jesus Cristo que “oferecendo-se umavez, para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperampara a salvação” (Hebreus 9:28). Dizem as Escrituras Sagradas: “virá o nosso Deus, e não se calará”. Portanto, o Senhornão mais ficará indiferente à maldade do mundo e a iniquidade dos ímpios, mas virá paraabater a arrogância dos atrevidos e a soberba dos tiramos (Isaías 13:9-11). O Senhor não viráem oculto, silenciosamente, invisível ou em segredo. “Porque, assim como o relâmpago saido oriente e se mostra até ao ocidente, assim será também a vinda do Filho do homem” (Ma-teus 24:27). “E todo o olho o verá... e todas as tribos da terra se lamentarão” (Apocalipse1:7). “Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido e com voz de arcanjo, e com atrombeta de Deus” (I Tessalonicenses 4:16). Deste modo a Bíblia Sagrada revela que a voltado Senhor não terá nada de oculto ou de secreto. Também está escrito que Jesus não voltarásomente para algumas poucas pessoas. “Portanto, se vos disserem: Eis que ele está no deser-to, não saiais; eis que ele está no interior da casa, não acrediteis” (Mateus 24:26). O salmista afirma que “adiante dele um fogo irá consumindo”. Essa é a forma pela qual,muitos dos antigos profetas, descreviam a “glória” de Jesus na sua vinda (Mateus 25:31).Essa glória que envolve o Senhor é “como labareda de fogo” (II Tessalonicenses 1:8) que,como fogo, devora e assola tudo ao seu redor. No dia do Senhor, todas as nações do mundo “verão vir o Filho do homem nas nuvens,com grande poder e glória” (Marcos 13:26) “e haverá grande tormenta ao redor dele”. Por-tanto, quando o Senhor vier “sobre as nuvens do céu” (Mateus 24:30) haverá tempestadesviolentas, com chuvas de raios acompanhadas de ventos intensos que formarão grandes fura-cões. “E então será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca, eaniquilará pelo esplendor da sua vinda”. (II Tessalonicenses 2:8). O dia do Senhor é um dia de juízo (Salmos 62:12; Isaías 34:8; Apocalipse 18:6). Essejuízo é chamado teologicamente de juízo retribuitivo. “E eis que cedo venho, e o meu galar-dão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra” (Apocalipse 22:12). Portanto, osenhor virá com recompensa de Deus (Isaías 35:4), para retribuir a cada pessoa o que as suasobras merecem. E, nesse dia, o Senhor “chamará os céus, do alto, e a terra, para julgar o seupovo”. “E os que fizeram o bem sairão para a ressurreição da vida” (João 5:29).4. Isaías 66:15-16 “Porque, eis que o Senhor virá em fogo; e os seus carros como um torvelinho; paratornar a sua ira em furor, e a sua repreensão em chamas de fogo. Porque com fogo e com asua espada entrará o Senhor em juízo com toda a carne; e os mortos do Senhor serão multi-plicados”. Como o virá o Senhor? Com o que o Senhor entrará em juízo? Isaías afirmou “que o Senhor virá em fogo”. Esta foi a expressão empregada pelo profe-ta de Deus para descrever a glória do Senhor Jesus na Sua vinda a este mundo. Essa glória étão devastadora para o pecador que Isaías foi levado a questionar o povo: “Quem dentre nóshabitará com o fogo consumidor? quem dentre nós habitará com as labaredas eternas?” (Isaí-as 33:14). A Bíblia Sagrada também ensina que a glória do Senhor é tão intensa que o seufulgor apresenta o aspecto de um relâmpago.
  14. 14. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim O profeta Isaías afirmou que os “carros” do Senhor vêm “como um torvelinho”. A ex-pressão “carros” é uma figura de linguagem empregada pelo profeta para descrever os anjosque vêm com o Senhor, preparados para batalha daquele grande dia. Foi com uma expressãosemelhante que o profeta Eliseu mostrou ao seu moço o exército do Senhor (II Reis 6:17).Foi do mesmo modo que o profeta Eliseu descreveu o arrebatamento de Elias ao céu (II Reis2:11). O Senhor vem à Terra “para tornar a sua ira em furor”. O Senhor retorna “para fazerjuízo contra todos e condenar dentre eles todos os ímpios” (Judas 1:15). O Senhor vem paraconcretizar sua condenação num juízo retribuitivo contra os ímpios e pecadores. A Bíblia afirma que o Senhor vem para tornar “a sua repreensão em chamas de fogo”,porque com o esplendor de sua glória e com a espada de sua boca o Senhor entrará em juízocontra todos os ímpios habitantes do mundo. Naquele grande dia, nenhum pecador poderá subsistir diante do intenso fulgor da glóriado Senhor ou da espada de Sua boca. Mas todos eles serão instantaneamente fulminadosdiante da “presença espantosa do Senhor” (Isaías 2:19). Nenhum pecador poderá prevalecercontra o poder da espada da boca do Senhor (Apocalipse 19:21). Desta maneira, naquelegrande dia, “os mortos do Senhor serão multiplicados” (Isaías 66:16).5. Miquéias 1:3-4 “Porque eis que o Senhor sai do seu lugar, e descerá, e andará sobre as alturas da ter-ra. E os montes debaixo dele se derreterão, e os vales se fenderão, como a cera diante dofogo, como as águas que se precipitam num abismo”. Por onde o Senhor andará? O que ocorrerá com os montes debaixo dele? As Escrituras Sagradas ensinam que depois de quarenta dias de Sua ressurreição, JesusCristo foi arrebatado para o céu (Atos 1:3, 9-11). Elas também informam que “o mesmo Se-nhor descerá do céu” (I Tessalonicenses 4:16). Portanto, o Senhor sairá do Seu lugar no céue descerá ao planeta Terra, e “andará sobre as alturas da terra”, como que suspenso no ar, emmeio aos relâmpagos e ao som de trovão. Em Sua segunda vinda, o Senhor Jesus não pousará em nenhum lugar da superfície doplaneta. E, conforme a Bíblia Sagrada ensina, Ele ficará “nos ares” onde se encontrará comtodos os salvos (I Tessalonicenses 4:17). No grande dia do Senhor, quando Ele sair do Seu lugar e andar sobre as alturas da Terra,“os montes debaixo dele se derreterão... como a cera diante do fogo”, consequentemente,todas as obras criadas pelos seres humanos serão queimadas. E, devido aos grandes terremotos que ocorrerão no planeta, por ocasião da proximidadedo grande dia do Senhor, muitos “vales se fenderão” e as lavas dos montes derretidos corre-rão através desses vales “como as águas que se precipitam num abismo”.GLÓRIA DE DEUS6. Ezequiel 43:2 “E eis que a glória do Deus de Israel vinha do caminho do oriente; e a sua voz era co-mo a voz de muitas águas, e a terra resplandeceu por causa da sua glória”.
  15. 15. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim De onde vinha a glória de Deus? Como era a voz de Deus? Por que a Terra resplandeceu? O profeta Ezequiel – arrebatado em visão – viu a glória de Deus vindo da direção dooriente. É dessa direção da Terra que Jesus virá com milhares de milhares e milhões de mi-lhões de santos anjos. O som da voz do Senhor foi comparado pelo profeta Ezequiel “como a voz de muitaságuas”. O apóstolo João também descreveu o som de Sua voz “como a voz de muitas águas”(Apocalipse 1:15). Isso indica o som de uma voz altissonante, cheia de vigor e tremenda-mente poderosa, que chega a causar temor em quem ouve. O profeta ainda afirma que “a terra resplandeceu por causa da sua glória”. A glória doSenhor é tão intensa que toda a Terra é iluminada pelo seu fulgor. Sabemos que no dia do Senhor, todos os astros do céu deixarão de emitir e refletir a sualuz. Naquele grande dia do Senhor, a única luz que iluminará a Terra será a luz oriunda daglória do Senhor. Num fundo celestial escuro, toda a atenção da humanidade estará voltadapara a glória dessa luz sobrenatural. “Surge logo no Oriente uma pequena nuvem negra, aproximadamente da metade dotamanho da mão de um homem. É a nuvem que rodeia o Salvador, e que, a distância, pareceestar envolta em trevas. O povo de Deus sabe ser esse o sinal do Filho do homem” (GC,646).7. Habacuque 3:4-6 “E o seu resplendor era como a luz, raios brilhantes saíam da sua mão, e ali estava oesconderijo da sua força. Adiante dele ia a peste, e raios de fogo sob os seus pés. Parou, emediu a terra: olhou, e separou as nações: e os montes perpétuos foram esmiuçados, osouteiros eternos se encurvaram: o andar eterno é seu”. Como era o resplender da glória de Deus? O que saia das mãos do Senhor? O profeta Habacuque, falando da glória do Senhor no dia de Sua vinda, afirma que “oseu resplendor era como a luz”. Isso mostra claramente que quando Jesus retornar a este pla-neta Ele estará envolto numa luz tão intensa como a luz do Sol, a ponto de iluminar toda aTerra. Segundo o profeta, das mãos do Senhor saiam “raios brilhantes”. No passado, aquelassantas mãos foram feridas e traspassadas pelos cravos que prenderam o Senhor da vida numacruz de madeira. Agora em suas mãos “estava o esconderijo de sua força”. Aquelas mãosque salvam os santos também exercem o juízo contra todos os ímpios e pecadores. Além dos “raios brilhantes” saírem da mão do Senhor, o profeta também afirma que viu“raios de fogo sob os seus pés”. Os pés do Senhor também foram traspassados por cravos aoserem pregados na cruz. Mas, no grande dia do Senhor, todos podem ver claramente “raiosde fogo sob os seus pés”. Enquanto o Senhor se desloca nas alturas do céu, adiante dEle a peste antecipa a des-truição dos ímpios. Em muitos, “a sua carne será consumida, estando eles de pé, e lhes apo-drecerão os olhos nas suas órbitas, e lhes apodrecerá a língua na sua boca” (Zacarias 14:12).
  16. 16. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim “Sobre as alturas” (Miquéias 1:3) o Senhor “parou, e mediu a terra”. O Senhor avaliou eviu a devastação provocada pelo homem em sua sede de ganância pelo lucro. Mas, agorachegou o grande dia do Senhor “o tempo de destruíres os que destroem a terra” (Apocalipse11:18). A seguir o Senhor “olhou, e separou as nações”. Os ímpios “por castigo padecerão eter-na perdição, ante a face do Senhor e a glória do seu poder” (II Tessalonicenses 1:9). E osjustos vivos e os justos ressuscitados serão arrebatados para encontrar o Senhor nos ares (ITessalonicenses 4:17). “E os montes perpétuos foram esmiuçados”. Diante da glória do Se-nhor os montes se desmoronam. “Os outeiros eternos” se encurvaram transformados em lavapelo intenso calor provocado pela glória do Senhor.SINAIS INDICADORES8. Atos 2:19-21 “E farei aparecer prodígios em cima, no céu: e sinais em baixo na terra, sangue, fogo evapor de fumo. O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue antes de chegar o grande eo glorioso dia do Senhor. E acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor serásalvo”. O que se converterá em trevas antes do dia do Senhor? O que se converterá em sangue antes do dia do Senhor? “Antes de chegar o grande e o glorioso dia do Senhor” ocorrerão vários “prodígios emcima, no céu”. Isso é uma clara alusão aos fenômenos sobrenaturais que ocorrerão com oscorpos celestes antes da volta do Senhor. Também acontecerão vários sinais na Terra, comoterremotos, furacões, vulcões em erupções com “fogo e vapor de fumo”, resultando em mui-tas perdas de vidas. “O sol se converterá em trevas... antes de chegar o grande e o glorioso dia do Se-nhor”. Esse fenômeno sobrenatural ocorreu em 19 de maio de 1780. É conhecido na históriauniversal como o “dia escuro”. Nesse dia, “pela manhã surgiu claro o Sol, mas logo se ocul-tou. As nuvens se tornaram sóbrias e delas, negras e ameaçadoras como logo se mostraram,chamejavam relâmpagos; ribombavam trovões, caindo leve aguaceiro. Por volta das novehoras, as nuvens se tornaram mais finas, tomando uma aparência bronzeada ou acobreada, ea terra, pedra, árvores, edifícios, água e as pessoas tinham aspecto diferente por causa dessaestranha luz sobrenatural. Alguns minutos mais tarde, pesada nuvem negra se espalhou portodo o céu, exceto numa estreita orla do horizonte, e ficou tão escuro como usualmente é àsnove hora de uma noite de verão” (GC, 306). Quando chegou a noite daquele “dia escuro”, aLua se converteu em sangue. “Posto que às nove horas daquela noite a Lua surgisse cheia,‘não produziu o mínimo efeito em relação àquelas sombras sepulcrais.’ Depois de meia-noite as trevas se desvaneceram, e a Lua, ao tornar-se visível, tinha a aparência de sangue”(GC, 307). Conforme profetizado, esses fenômenos ocorreriam antes do grande dia do Se-nhor. E de fato ocorreram. Todavia, fenômenos semelhantes ocorrerão, quando chegar ogrande dia do Senhor. Nesse dia, o Sol, a Lua e as estrelas serão envolvidas em sombras im-penetráveis. Mas “antes de chegar o grande e o glorioso dia do Senhor”, o evangelho eterno “serápregado em todo o mundo, em testemunho a todas as gentes, e então virá o fim” (Mateus
  17. 17. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim24:14). O mundo inteiro terá que se decidir entre o sinal de Deus e o sinal da besta. Será umconflito de consciência muito grande. Não será nada fácil uma decisão para entrar no cami-nho apertado e estreito, uma vez que os homens vinham andando pelo caminho largo e espa-çoso. Mas “todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo”. Esse “invocar” será efi-caz se for acompanhado de uma total consagração a Deus. Isso implica numa total obediên-cia ao evangelho de Cristo e numa total e irrestrita obediência à Lei de Deus, conforme cons-tam das Escrituras Sagradas.9. I Tessalonicenses 5:2-3 “Porque vós mesmos sabeis muito bem que o dia do Senhor virá como o ladrão de noi-te. Pois, que, quando disserem: Há paz e segurança; então lhes sobrevirá repentina destrui-ção, como as dores de parto àquela que está grávida; e de modo nenhum escaparão”. Como virá o dia do Senhor? Quando disserem: paz e segurança, o que ocorrerá? Todos aqueles que estudam a Bíblia Sagrada sabem “muito bem que o dia do Senhorvirá como o ladrão de noite”. Da mesma forma como o ladrão vem à noite, quando menos seespera, o dia do Senhor também virá de forma inesperada. O cristão deve estar sempre vigi-ando e orando. “E, se não vigiares, virei sobre ti como um ladrão, e não saberás a que horasobre ti virei” (Apocalipse 3:3). Quando o mundo se organizar numa sociedade global, quando as fronteiras entre os paí-ses forem derrubadas, quando a moeda, o governo e a religião forem universais, então aguerra será abolida do planeta e a criminalidade diminuirá drasticamente, então os homenspresumirão que há paz e segurança. Mas a paz e a segurança são falsas, pois está prevista na Bíblia Sagrada que quando so-brevier esta suposta “paz e segurança”, “então lhes sobrevirá repentina destruição”, a qualvirá “como as dores de parto àquela que está grávida; e de modo nenhum escaparão”. Estando os homens orgulhosos de suas grandes realizações científicas, políticas, sociaise econômicas, então de forma inesperada o mundo entrará num conflito mundial que somen-te terminará quando Jesus aparecer “sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória”(Mateus 24:30). Essa destruição virá repentinamente e de forma inesperada; ela aumentaráde intensidade pouco a pouco, como as dores do parto, e somente terminará com a vinda doSenhor. Esse evento ocorrerá como resultado dos quatro anjos soltarem os quatro ventos daterra, que são símiles de guerras (Apocalipse 7:1-3). À essa destruição, soma-se também aqueda das sete últimas pragas, que devastarão as cidades do mundo.10. Isaías 13:13 “Pelo que farei estremecer os céus; e a terra se moverá do seu lugar, por causa do fu-ror do Senhor dos Exércitos, e por causa do dia da sua ardente ira”. O que estremecerá? O que se moverá do seu lugar? Quando ocorrer o grande dia do Senhor a Terra se moverá de sua órbita natural. Aosolhos dos habitantes do mundo parecerá que os céus estão estremecendo. Fenômeno seme-lhante ocorre nos dias de hoje quando, da perspectiva dos homens, parece que o Sol move-seem torno da Terra, sendo que na realidade, é a Terra que se move em torno do Sol.
  18. 18. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim No dia da ardente ira do Senhor, o Sol, a Lua e as estrelas parecerão estar sendo sacudi-das por alguma violenta força, mas na realidade é a Terra que “se moverá do seu lugar”. A Bíblia Sagrada atribui o fenômeno do descolamento da Terra do seu eixo ao “furor doSenhor dos Exércitos” e ao “dia de sua ardente ira”. É assim chamado porque o atrevimentodo pecador atingiu tal ponto que o Senhor se vê obrigado a dar um basta ao pecado. Jesus Cristo ratificou a profecia de Isaías quando afirmou que “as potências dos céusserão abaladas” (Mateus 24:29). As potências dos céus são o Sol, a Lua e as estrelas. Todosesses astros serão abalados quando a Terra se mover “do seu lugar”. O profeta Joel também profetizou o mesmo fenômeno que ocorrerá no grande dia doSenhor com as seguintes palavras: “Diante dele tremerá a terra, abalar-se-ão os céus; o sol ea lua se enegrecerão, e as estrelas retirarão o seu resplendor” (Joel 2:10). Portanto, o profetafoi muito claro: Diante do “Senhor da Glória” (I Coríntios 2:8), a Terra tremerá e consequen-temente “abalar-se-ão os céus”. Joel acrescenta ainda mais que naquele grande dia “o sol e alua se enegrecerão, e as estrelas retirarão o seu resplendor”, confirmando que o grande dia doSenhor será um dia de escuridão absoluta.CONCLUSÃO11. Isaías 2:19 “Então os homens se meterão nas concavidades das rochas, e nas cavernas da terra,por causa da presença espantosa do Senhor, e por causa da glória da sua majestade, quan-do ele se levantar para assombrar a terra”. Por que os ímpios se meterão nas cavernas? Quando o Senhor aparecer nas alturas do céu, “todas as tribos da terra se lamentarão”(Mateus 24:30), então “os homens se meterão nas concavidades das rochas, e nas cavernasda terra”. Por esse tempo, a pregação do evangelho eterno por todo o mundo, em testemunho atodas as pessoas, terá sido concluída (Mateus 24:14). Consequentemente, todos os habitantesdo mundo tiveram que tomar uma tremenda decisão. Tiveram que optar entre Cristo ou omundo, entre o caminho estreito e apertado ou o caminho largo e espaçoso, entre o sinal dabesta ou o sinal de Deus, entre obedecer aos mandamentos de Deus ou desprezá-los. E diante “da presença espantosa do Senhor” (Isaías 2:21), que vem “sobre as nuvens docéu” (Mateus 24:30), os ímpios habitantes do mundo ficam aterrorizados, e assustados pro-curam um esconderijo “nas concavidades das rochas, e nas cavernas da terra”. Diante da glória da majestade do Senhor, que é tão intensa e fulgurante quanto ao brilhodo relâmpago, “os reis da terra, e os grandes, e os ricos, e os tribunos, e os poderosos, e todoo servo, e todo o livre, se esconderam nas cavernas e nas rochas das montanhas” (Apocalipse6:15). Essas cavernas surgiram em várias regiões como resultado do grande terremoto que aba-lou a estrutura do planeta nos últimos instantes da história do mundo (Apocalipse 16:18).Destarte os ímpios e pecadores “se meterão nas concavidades das rochas, e nas cavernas daterra” no grande dia do Senhor “quando ele se levantar para assombrar a terra”. Esta expres-são é empregada por Isaías porque para os ímpios a vinda de Jesus será uma cena insuportá-vel e assombrosa. Tanto é que eles dirão “aos montes e aos rochedos: Caí sobre nós, e es-
  19. 19. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fimcondei-nos do rosto daquele que está assentado sobre o trono, e da ira do Cordeiro. Porque évindo o grande dia da sua ira; e quem poderá subsistir?” (Apocalipse 6:16-17).12. Isaías 25:9 “E naquele dia se dirá: Eis que este é o nosso Deus, a quem aguardávamos, e ele nossalvará: este é o Senhor, a quem aguardávamos: na sua salvação gozaremos e nos alegra-remos”. O que exclamarão os justos naquele dia? Em contraste com aqueles que recusaram a obedecer aos mandamentos de Deus e queaceitaram a imposição do sinal da besta, a Bíblia Sagrada faz referência a um seleto grupo defiéis observadores da lei de Deus, os quais recusando o sinal da besta, sofreram tremendasprovações: “aqui está a paciência dos santos: aqui estão os que guardam os mandamentos deDeus e a fé de Jesus” (Apocalipse 14:12). Esse pequeno grupo de cristãos, por insistirem emguardar todos os mandamentos de Deus, inclusive o dia do sábado, são tidos como a escóriada sociedade. Mas eles, conscienciosamente, aguardam a vinda do Senhor. Quando tudo parecer trevas, quando parecer que os fiéis remanescentes terão que selar asua vida com sangue, “então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; e todas as tribosda terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com podere grande glória” (Mateus 24:30). Naquele dia, os filhos de Deus, rejubilando exclamarão: “Eis que este é o nosso Deus, aquem aguardávamos, e ele nos salvará: este é o Senhor, a quem aguardávamos: na sua salva-ção gozaremos e nos alegraremos”. Além de guardarem “os mandamentos de Deus e a fé de Jesus”, observamos, que pelaexpressão de gozo dos santos, que eles são constituídos por um grupo de pessoas que estavahá algum tempo aguardando o advento do Senhor, razão pela qual exclamam por duas vezes:“este é o nosso Deus, a quem aguardávamos”. Pelas palavras pronunciadas pelos santos do Altíssimo, podemos constatar que, naquelaocasião em especial, eles estavam passando por alguma grande provação e aflição de espíri-to, pois ao notarem “no céu o sinal do Filho do homem” (Mateus 24:30), passam a exclamar:“ele nos salvará... na sua salvação gozaremos e nos alegraremos”.
  20. 20. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim Capítulo 2 A Perseguição contra a Igreja de DeusINTRODUÇÃO1. Apocalipse 12:1-2 “E viu-se um grande sinal no céu: uma mulher vestida do sol, tendo a lua debaixo dosseus pés, e uma coroa de doze estrelas sobre a sua cabeça. E estava grávida, e com dores departo, e gritava com ânsias de dar à luz”. Que grande sinal foi visto no céu? Qual era a situação da mulher? O apóstolo João estava exilado em Patmos. Naquela rochosa ilha do mar Egeu, ele tevealguns arrebatamentos de sentidos e recebeu várias visões proféticas na forma de símilesdescrevendo o futuro da humanidade e da Igreja de Deus. Uma dessas visões refere-se à “mulher vestida do sol”. Em profecia, “mulher” simbolizaa Igreja (II Coríntios 11:2). E “uma mulher vestida do sol” simboliza a igreja verdadeira, quesob o comando de Cristo – “a luz do mundo” (João 8:12) – e que emite a luz da verdade(Salmos 119:105). Essa “mulher vestida do sol” faz contraste com a mulher “vestida de púr-pura e de escarlata”, que simboliza uma Igreja infiel à verdade bíblica (Apocalipse 17:4). A mulher vestida do sol tinha “a lua debaixo dos seus pés”. Isso é uma clara alusão àantiga dispensação de holocaustos de animais para expiação de pecados. Do mesmo modocomo a Lua não possui luz própria, mas ilumina porque reflete a luz do Sol, assim também,a antiga dispensação não possuía luz própria, mas iluminava porque apontava para a “luz domundo”: Cristo (João 8:12). A Lua estava localizada “debaixo” dos pés de mulher porque desde a fundação do mun-do a Igreja de Deus foi assentada sobre a base da expiação de pecados pelo sangue de ani-mais, os quais apontavam para “o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” (João1:29). A mulher vestida do Sol possuía “uma coroa de doze estrelas sobre a sua cabeça”. Essacoroa de doze estrelas é um símile das doze tribos de Israel, que coroam a Igreja verdadeiraantes da cruz. Essa coroa com doze estrelas também é um símile dos doze apóstolos de Jesusque coroam a verdadeira Igreja após a cruz. A mulher vestida do Sol “estava grávida”. Ela havia concebido o Seu Filho no Jardimdo Éden, no exato momento em que o homem pecou comendo do fruto da árvore da ciênciado bem e do mal. Ao pronunciar a pena contra os transgressores de Seu mandamento, Deuscolocou uma eterna inimizade entre Satanás e a Igreja. Além disso, o Senhor prometeu que asemente da mulher feriria a cabeça de Satanás, representado pela serpente (Gênesis 3:15). João, descrevendo a gestação da mulher, diz que ela estava “com dores de parto, e grita-va com ânsias de dar à luz”. Com isso fica claro que a plenitude dos tempos havia chegado eque Deus estava prestes a enviar o Seu filho a este mundo (Gálatas 4:4).
  21. 21. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim2. Apocalipse 12:3-4 “E viu-se outro sinal no céu; e eis que era um grande dragão vermelho, que tinha setecabeças e dez chifres, e sobre as suas cabeças sete diademas. E a sua cauda levou após si aterça parte das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra; e o dragão parou diante da mu-lher que havia de dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe tragasse o filho”. Que outro sinal foi visto no céu? Diante de quem o dragão parou? O que o dragão desejava fazer ao filho? João afirma que também viu “um grande dragão”. A própria Bíblia diz que o dragão éum símile da “antiga serpente, chamada o Diabo, e Satanás, que engana todo o mundo”(Apocalipse 12:9). Esse dragão era vermelho, que é a cor do sangue e símbolo do pecado(Isaías 1:18). O dragão “tinha sete cabeças e dez chifres”. As sete cabeças são símiles de sete grandespoderes que se opuseram à verdade e ao povo de Deus no decorrer da história da Igreja. Es-ses sete poderes foram: Egito, Assíria, Babilônia, Medo-Persa, Grécia, Roma Pagã e RomaPapal. Os sete diademas sobre a cabeça do dragão representam a forma de governo vitalícioe imperial desses poderes. Os “dez chifres” são símiles dos dez reinos que resultaram da fragmentação do ImpérioRomano. Em 476 d.C., o Império Romano atacado pelos povos bárbaros, fragmentou-se emdez partes: Lombardos - Itália; Francos - França; Saxônio - Inglaterra; Alamanos - Alema-nha; Suevos - Portugal; Visigodos - Espanha; Burgundos - Suíça; Vândalos; Hérulos; Os-trogodos. O apóstolo João diz que o dragão com a sua cauda “levou após si a terça parte das estre-las do céu”. Em profecia o termo “cauda” é símile de engano, mentira, falsidade etc. (Isaías9:15) e “estrelas” é símile de anjos (Apocalipse 1:20), que num sentido mais amplo são in-terpretados como mensageiros de Deus. As Escrituras Sagradas revelam que Satanás, empregando as armas da mentira (João8:44), enganou e persuadiu para o seu lado um terço dos anjos. Como resultado de suas ati-vidades enganadoras, houve numa tremenda batalha no céu (Apocalipse 12:7). A princípioera uma batalha de ideologias, que acabou partindo para a violência (Ezequiel 28:16). MasSatanás não prevaleceu nessa batalha. “Ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foramlançados com ele” (Apocalipse 12:9). Após Deus ter revelado a Adão e Eva que da Igreja nasceria a semente que os resgatariada maldição e esmagaria a cabeça da serpente (Gênesis 3:15), Satanás ficou à espreita, espe-rando a vinda do Salvador para que quando Ele nascesse pudesse destruí-Lo.3. Apocalipse 12:5 “E deu à luz um filho, um varão que há de reger todas as nações com vara de ferro; e oseu filho foi arrebatado para Deus e para o seu trono”. A quem a mulher deu a luz? Para onde foi arrebatado seu filho? “Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho” (Gálatas 4:4). Foi entãoque a mulher – Igreja – deu à luz ao seu Filho. Esse Filho é conhecido universalmente pelonome de Jesus Cristo.
  22. 22. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim Quando o Filho de Deus nasceu no seio da Igreja, Satanás que estava à espreita tentoumatá-lo. Para isso ele usou as instituições publicas sobre as quais mantinha poder. Naquelaépoca, Herodes era rei da Judéia e sabendo – por meio dos reis magos – que o Messias tinhanascido, intentou eliminá-lo. Como não conhecia quem Ele era ou onde poderia encontrá-Lo,mandou matar todas as crianças abaixo de dois anos de idade, numa tentativa inútil de atin-gir o Filho da mulher (Mateus 2:16). A Bíblia Sagrada afirma que esse Filho é o homem queregerá todas as nações do mundo com firmeza e determinação. Os evangelhos de Mateus, Marcos, Lucas e João relatam os feitos de Jesus. Eles mos-tram que depois de batizado, Jesus Cristo foi de todos modos severamente tentado por Sata-nás, até que por fim foi levado a uma morte atroz numa cruz. Depois de Sua ressurreição, Jesus ficou vivendo entre os discípulos por quarenta dias,após os quais “foi arrebatado para Deus e para o seu trono”, razão pela qual Jesus afirmou:“Saí do Pai, e vim ao mundo: outra vez deixo o mundo, e vou para o Pai” (João 16:28). O momento do arrebatamento de Jesus foi descrito por Lucas com precisão e detalhes:“E quando dizia isto, vendo-o eles, foi elevado às alturas, e uma nuvem o recebeu, ocultan-do-o a seus olhos. E estando com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia, eis que juntodeles se puseram dois varões vestidos de branco. Os quais lhe disseram: Varões galileus, porque estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há devir assim como para o céu o vistes ir” (Atos 1:9-11).PERSEGUIÇÃO DA IGREJA4. Apocalipse 12:10 “E ouvi uma grande voz no céu, que dizia: Agora chegada está a salvação, e a força, eo reino do nosso Deus, e o poder do seu Cristo; porque já o acusador de nossos irmãos éderribado, o qual diante do nosso Deus os acusava de dia e de noite”. Com o arrebatamento de Cristo o que é chegada? Quem foi derrubado com a vitória de Cristo? João afirma que ouviu uma potente voz sendo proferida no céu. Essa voz dizia o seguin-te: “agora chegada está a salvação”. Isto significa que a salvação dos homens chegou com onascimento, morte e ressurreição do “Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” (João1:29). Com o arrebatamento do Filho para junto de Deus, o plano da salvação – elaboradoantes mesmo da fundação do mundo (Efésios 1:4; I Pedro 1:20) – estava sendo consolidado.Agora, Deus pode com justiça salvar o pecador arrependido, haja vista que Cristo recebeu nacruz o salário do pecado que cabe aos homens. A voz também dizia que “agora chegada está... a força, e o reino do nosso Deus”. Diantedesta afirmativa fica claro que, com a morte e ressurreição de Cristo, Deus adquiriu forçapara reivindicar Sua justiça perante o Universo. Com a morte do Filho de Deus ficou patenteaos olhos de todos os anjos, qual é o verdadeiro resultado da rebelião contra Deus. A voz também disse que “agora chegada está... o reino de Deus”. Trata-se do reino dagraça, o qual foi de fato implantado com a morte e ressurreição de Cristo. O reino da glóriasomente chegará quando Cristo retornar a este mundo pela segunda vez. A voz ouvida por João também afirmava que “agora chegada está... o poder do seu Cris-to”. Com a Sua morte e ressurreição, Cristo adquiriu todo poder no céu e na Terra (Mateus
  23. 23. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim28:18). Agora a semente da mulher poderá com justiça esmagar a cabeça da antiga serpente(Gênesis 3:15). “A salvação, e a força, e o reino do nosso Deus, e o poder do seu Cristo” somente che-garam porque com a morte e ressurreição de Cristo “o acusador de nossos irmãos é derriba-do”. Esse acusador é uma clara referência a Satanás. Foi Jesus quem disse: “agora é o juízodeste mundo: agora será expulso o príncipe deste mundo” (João 12:31). Na cruz do calvário,Satanás foi derrotado. Naquele lugar, a batalha milenar entre o bem e o mal, que havia sidoiniciada no céu, finamente teve o seu desfecho. A partir daquele momento em diante, Sata-nás se tornou um inimigo vencido. Satanás nada tinha do que acusar a Jesus (João 14:30). Ossantos anjos já não têm mais nenhuma dúvida quanto ao caráter moral do reino de Satanás.Ao levar Cristo à cruz, Satanás apenas feriu o calcanhar de Cristo – a semente da mulher –mas morrendo como holocausto pelo pecado, Cristo adquiriu o poder para com justiça ferir acabeça da antiga serpente (Gênesis 3:15). Antes de sua derrota na cruz, Satanás tinha livre acesso aos concílios celestes que Deusrealizava com os representantes de todos os mundos. Nesses concílios, Satanás costumavaapresentar-se como representante do planeta Terra. Diante de Deus, essa asquerosa criaturase tornou um formidável acusador dos santos do Altíssimo. A Bíblia Sagrada registra quenum desses concílios, Satanás apresentou-se como representante deste mundo: “E vindo umdia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio também Satanásentre eles” (Jó 1:6). Em dois concílios Satanás acusou a Jó de ser fiel a Deus por interesseem bens materiais (Jó 1:9-11).5. Apocalipse 12:12-13 “Pelo que alegrai-vos, ó céus, e vós que neles habitais. Ai dos que habitam na terra eno mar; porque o diabo desceu a vós, e tem grande ira, sabendo que já tem pouco tempo. E,quando o dragão viu que fora lançado na terra, perseguiu a mulher que dera à luz o va-rão”. O que o dragão fez contra a mulher? Pela formidável vitória alcançada por Cristo na cruz, todos os habitantes dos céus sãoagora convocados a se alegrarem com o triunfo do Senhor. Finalmente, o caráter e a obra deSatanás ficaram patentes aos olhos de todos os habitantes do Universo. Apesar da grande alegria expressa pelos habitantes dos céus pela vitória de Cristo, infe-lizmente para os habitantes do planeta Terra é pronunciado um “ai”, o qual representa dores,lutos, sofrimentos, tristezas, angústias, aborrecimentos etc. Com a perda do seu acesso aos concílios celestiais, Satanás desceu entre os seres huma-nos com grande ira. Ele foi vencido na cruz e agora sabe que tem pouco tempo de existência.Ele, que era um “querubim ungido” (Ezequiel 28:14), que foi criado para existir para sem-pre, agora – por causa da sua derrota na cruz – a ele é dito: “nunca mais serás para sempre”(Ezequiel 28:19). Quando Satanás foi lançado fora dos concílios celestiais, ele ficou restrito a este planeta.Durante milênios, Satanás havia ficado na espreita para destruir o Filho de Deus que nasceriada Igreja. Porém, como “o seu filho foi arrebatado para Deus e para o seu trono” (Apocalipse12:5), Satanás passou a perseguir sistematicamente a Igreja. Sua intenção é impedir a prega-ção do evangelho eterno, em todo o mundo, para evitar o fim de todas as coisas (Mateus24:14).
  24. 24. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim Numa tentativa desesperada e inútil para impedir o resgate dos pecadores e o fim do seureino de trevas, Satanás moveu as autoridades judaicas para perseguir a Igreja que havia con-cebido o Filho de Deus, depois empregou o poder do Império Romano, e logo após usou opoder político-religioso papal, o qual substituiu o governo pagão de Roma (Apocalipse 13:5-7) e, no futuro, empregará o poder político-religioso da imagem da besta.FUGA DA IGREJA6. Apocalipse 12:14 “E foram dadas à mulher duas asas de grande águia, para que voasse para o deserto,ao seu lugar, onde é sustentada por um tempo, e tempos, e metade de um tempo, fora davista da serpente”. Para onde a Igreja deveria ir rapidamente? Deveria ficar fora da vista de quem? Por quanto tempo deveria ser sustentada? Diante da crescente perseguição movida por Satanás contra a verdadeira Igreja, ela rece-beu da parte de Deus “duas asas de grande águia, para que voasse para o deserto”. A referên-cia profética a “asas” é um símile de rapidez. E a alusão ao “deserto” é um símile de regiõesdesabitadas, despovoada, afastadas dos grandes centros urbanos ou civilizados. O apóstolo João afirma que a mulher fugiu para o deserto, ficando “fora da vista da ser-pente”. Diante dessa afirmativa, fica claro que a Igreja saiu fora do palco da história domundo. Para poder escapar da destruição, a Igreja teve que fugir rapidamente para regiõesafastadas, fora da vista de um poder político-religioso apóstata que estava assumindo o poderem Roma. Estando no deserto, a verdadeira Igreja foi “sustentada por um tempo, e tempos, e meta-de de um tempo”. Mas qual é o significado desta frase? Muito simples! Na língua hebraicaexistem três “graus de número”: 1º) singular = um; 2º) dual = dois; 3º) plural = mais dedois. Ocorre que a palavra “tempos” é dual, indicando exatamente dois tempos. Como cada“tempo” corresponde a 360 dias proféticos, então um tempo, dois tempos e metade de umtempo corresponde numericamente a 360 + (2 x 360) + 360/2 = 360 + 720 + 180 = 1260 diasproféticos. Ocorre que, conforme Ezequiel 4:6-7, cada dia profético corresponde a um ano literal.Portanto, os 1260 dias proféticos correspondem a 1260 anos literais. Logo, a Igreja de Deusficaria esquecida no deserto durante um longo período de 1260 anos.7. Apocalipse 12:6 “E a mulher fugiu para o deserto, onde já tinha lugar preparado por Deus para que alifosse alimentada durante mil duzentos e sessenta dias”. Para onde a Igreja fugiu? Durante quanto tempo ficou escondida? Este versículo bíblico é paralelo ao anterior. Ambos afirmam a mesma coisa, mas comdiferentes palavras. O versículo afirma que a verdadeira Igreja “fugiu para o deserto”, ondefoi mantida por Deus.
  25. 25. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim Ambos os versículos fazem referência ao mesmo período de tempo. O resultado numé-rico do período de “um tempo, e tempos, e metade de um tempo” é explicitamente mencio-nado por João como sendo “mil duzentos e sessenta dias”. Portanto, está demonstrado que oraciocínio empregado para calcular “um tempo, e tempos, e metade de um tempo” está cor-reto e, realmente, corresponde a “mil duzentos e sessenta dias”. Mas por que razão a Igreja de Deus teve que fugir para o deserto? Quando começou acontagem do período de mil duzentos e sessenta dias? Ora, tudo teve início no ano 313,quando o imperador romano Constantino assinou o “Edito de Milão”. Por esse edito, todosos cristãos passaram a ter plena liberdade de culto, pois até então, eles eram sistematicamen-te perseguidos pelo Império Romano. A partir do Edito de Milão, a Igreja ficou sob a proteção do Império Romano e tornou-seEstatal. Com o decorrer dos anos, várias heresias pagãs, especialmente adaptadas para oscristãos, se infiltraram na coração da Igreja por meio dos decretos imperiais ou por meio dainfluência dos costumes dos lideres pagãos. Todavia, alguns poucos homens fiéis às verda-des bíblicas resistiram a essas heresias. Naquela época, eles permaneceram inabaláveis dian-te da apostasia generalizada. Eles eram os únicos representantes da verdadeira Igreja na faceda Terra. Durante esses séculos de apostasia, os reinos dos Vândalos, Hérulos e Ostrogodos havi-am aderido à heresia ariana, a qual negava a divindade de Jesus Cristo. Tal heresia foi criadapor Ário (256-336 d.C.) e condenada pela Igreja romana no Concílio de Nicéia em 325 d.C.e no de Constantinopla em 381 d.C. Os Vândalos, Hérulos e Ostrogodos constituíam três, das dez nações que resultaram dafragmentação do Império Romano. Como essas três nações seguiam uma heresia condenadapela igreja romana, elas opuseram certa resistência ao Edito de Justiniano, o qual foi emitidono ano 533 e que nomeava o bispo de Roma como o “corretor dos hereges” e “cabeça detodas as igrejas” (Código de Justiniano, livro I, título I). A pedido do bispo de Roma, e para fazer valer o seu decreto, Justiniano ordenou que ogeneral Belisário subjugasse as nações arianas. Sua campanha foi coroada de estrondososucesso. Com a derrocada dos ostrogodos, última das nações arianas, o Edito de Justinianopassou de fato a vigorar em 538. Nesse mesmo ano a Alemanha, Áustria, Espanha, França,Inglaterra, Itália, Iugoslávia e Portugal, influenciadas pelo general Belisário, foram levadas areconhecer o bispo de Roma como a suprema autoridade em questões de fé e corretor doshereges. No ano de 538 d.C., o bispo de Roma era Virgilio. Ele de fato, tornou-se o primeiro pa-pa. É bem verdade que bem antes dessa época o bispo de Roma vinha gradativamente adqui-rindo uma certa proeminência sobre os demais bispos. Tal fato ocorria porque ele possuía oseu bispado localizado no centro da capital do Império Romano e vivia ao lado dos impera-dores romanos. A partir de 538 d.C. iniciou-se o fatídico período de mil duzentos e sessenta anos. AIgreja de Deus teve que fugir para não ser extinta pelo poder papal. Esse poder, como corre-tor dos hereges e com a força do Estado, tornou-se opressor e condenava qualquer doutrinaque divergisse daquela oficialmente aceita pela igreja estatal, mesmo que tal doutrina fosse averdadeira Palavra de Deus. Começando a contar o período de mil duzentos e sessenta anos a partir de 538 d.C. che-ga-se a 1798 d.C. (538 + 1260 = 1798). Neste ano terminou o poder perseguidor do papado.Em 17 de fevereiro de 1798, Napoleão Bonaparte com um exército de 100.000 homens co-
  26. 26. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fimmandados pelo general Berthier invadiu Roma e prendeu o papa Pio VI, que foi levado parao cativeiro na cidade francesa de Valença. Com a prisão do papa, Napoleão anulou o Códigode Justiniano e, consequentemente, extinguiu o poder temporal dos papas sobre as nações domundo.ATIVIDADES DO DRAGÃO8. Daniel 7:25 “E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidaráem mudar os tempos, e a lei; e eles serão entregues na sua mão por um tempo, e tempos, emetade dum tempo”. Quem seria destruído durante esse período? Este versículo, registrado pelo profeta Daniel, vem complementar os dois anteriores quese encontram no livro do Apocalipse. O que eles possuem em comum é o mencionado perí-odo de “um tempo, e tempos, e metade dum tempo”, que corresponde a “mil duzentos e ses-senta dias” (apocalipse 12:6). Portanto, conclui-se que tanto Daniel como o Apocalipse fa-zem referência ao mesmo poder perseguidor. O profeta Daniel foi explicito em mostrar a razão pela qual a Igreja teve que fugir para odeserto. Observe o que esse poder faria à mulher durante esse período (538-1798): a) proferi-ria palavras contra Deus, b) destruiria os santos de Deus, c) mudaria os tempos e a lei, d) ossantos seriam perseguidos durante um tempo, tempos e metade de um tempo. Profetizando a respeito do poder que sucederia ao Império Romano, Daniel afirmou queesse poder proferiria “palavras contra o Altíssimo”. As palavras pronunciadas contra Deussão palavras contrárias à vontade revelada por Deus nas Escrituras Sagradas. Entre as pala-vras que esse poder pronunciaria contra o Altíssimo se destacam as seguintes: 1) A palavra papa quer dizer pai. Mas, Jesus disse que “a ninguém na terra chameisvosso pai, porque um só é o vosso Pai, o qual está nos céus” (Mateus 23:9). 2) O papa não é Deus, mas ele arroga a si a autoridade para perdoar pecado. QuandoJesus arrogou a Si tal autoridade, Ele foi acusado de blasfemar, porque os judeus não o reco-nhecendo como Deus, afirmaram o seguinte: “por que diz este assim blasfêmias? Quem po-de perdoar pecados, senão Deus!” (Marcos 2:7). Portanto, o papa está blasfemando quandoatribui a si a autoridade para perdoar pecado e estabelecer penitência. 3) O papa como chefe máximo da Igreja Católica é conivente com a idolatria, veneraçãoe culto de imagens, o que é terminantemente proibida pela Bíblia Sagrada: “Não farás para tiimagem de escultura... não te encurvarás a elas nem as servirás” (Êxodo 20:4-5). Falando desse poder blasfemo, Paulo profetizou: “Ninguém de maneira alguma vos en-gane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem dopecado, o filho da perdição. O qual se opõe, e se levanta contra tudo o que se chama Deus,ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecerDeus” (II Tessalonicenses 2:3-4). O profeta Daniel afirmou que esse poder “destruirá os santos do Altíssimo”. Realmente,o poder papal estava por trás dos reis e do Tribunal da Inquisição. Esse famigerado tribunaltinha por objetivo julgar na área civil todos que praticassem algum ato contra os dogmas daIgreja Católica. Durante o período de mil duzentos e sessenta anos, os santos do Altíssimo
  27. 27. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fimforam perseguidos, presos, torturados, trucidados e assassinados por influência desse poder,tido como universal. Foi por essa razão que os santos tiveram que fugir para o deserto duran-te esse longo período de opressão papal (Apocalipse 12:14). Um outro ponto importante, profetizado por Daniel, foi que esse poder “cuidará em mu-dar os tempos”. Mas que tempo esse poder mudou? Muito simples! Esse poder modificou ostempos em vários aspectos: a) estabeleceu a era cristã, iniciado a contagem do calendário apartir do suposto ano do nascimento de Cristo; b) interferiu no calendário bíblico, adotandouniversalmente o Calendário Juliano, que posteriormente foi substituído pelo CalendárioGregoriano; c) também mudou a contagem do dia, que segundo a Bíblia Sagrada é contadode pôr-do-sol a pôr-do-sol (Gênesis 1:5, 8, 13, 19, 23 e 31; Levítico 23:32) e não de meia-noite a meia-noite. Daniel também havia profetizado que esse poder mudaria a lei. Mas a que lei Danielestava se referindo? Certamente não às leis dos homens, que são diferentes para diferentespovos e são modificadas de acordo com as necessidades dos homens e pela vontade dos go-vernantes. Só existe uma lei relevante que nenhum ser humano poderia atrever-se a modifi-car, posto que foi legislada por Deus. Essa lei é conhecida como sendo o decálogo. De fato, no Catecismo da Igreja Católica encontram-se as provas dessa modificação: a)o segundo mandamento, que proíbe a idolatria, veneração ou o culto de imagens foi tirado dalei de Deus; b) para manter o número de dez mandamentos no catecismo, o décimo manda-mento do decálogo foi desdobrado em dois; c) esse poder também interferiu com o quartomandamento da lei de Deus, que ordena a santificação do sábado, que é o sétimo dia da se-mana, e substituiu-o pela observância do domingo, que é o primeiro dia da semana.9. Apocalipse 13:5-7 “E foi-lhe dada uma boca para proferir grandes coisas e blasfêmias; e deu-se-lhe poderpara continuar por quarenta e dois meses. E abriu a sua boca em blasfêmias contra Deus,para blasfemar do seu nome, e do seu tabernáculo, e dos que habitam no céu. E foi-lhe per-mitido fazer guerra aos santos, e vencê-los; e deu-se-lhe poder sobre toda a tribo, e língua,e nação”. Por quanto tempo a besta proferiria blasfêmias? Contra quem a besta foi fazer guerra? Sobre o que a besta recebeu poder? O versículo em questão é paralelo ao anterior. Ambos fazem referências aos mesmoseventos proféticos, todavia são expressos por meio de diferentes figuras de linguagem. Os versículos do Apocalipse falam de um poder apóstata que atuaria “sobre toda a tribo,e língua, e nação” durante um período de “quarenta e dois meses”. Mas quanto tempo cor-responde os quarenta e dois meses? Em profecia cada mês corresponde a trinta dias proféti-cos. Portanto, quarenta e dois meses proféticos multiplicados por trinta dias proféticos sãoiguais a mil duzentos e sessenta dias (42 x 30 = 1260). Logo, os versículos mencionadosestão fazendo uma clara referência ao mesmo poder político-religioso que atuaria por “umtempo, e tempos, e metade dum tempo” profetizado por Daniel e também anunciado noApocalipse. É dito que foi dado a esse poder uma boca “para proferir grandes coisas e blasfêmias”durante mil duzentos e sessenta anos (538-1798). Isso significa que esse poder recebeu auto-ridade para impor a sua própria vontade. Sabemos que esse poder abriu a sua boca para pro-
  28. 28. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fimferir blasfêmias ao introduzir doutrinas contrárias à vontade do Senhor. Esse poder blasfe-mou do nome de Deus, ao sentar-se “como Deus, no templo de Deus, querendo parecerDeus” (II Tessalonicenses 2:4). Esse poder blasfemou do tabernáculo de Deus ao estabelecerna terra um sistema religioso para purificação de pecados, concorrendo com as atividades dosantuário celestial. Esse poder blasfema de Deus toda vez que realiza a purificação dos peca-dos através do batismo de criança, o qual supostamente apagaria o pecado original. Blasfemaquando diz extinguir o pecados dos fiéis através das penitências e indulgências. Blasfemaquando procuram obter a salvação pelas boas obras. Blasfema quando ensina que a virgemMaria encontra-se no céu como medianeira entre Jesus e os homens etc. Esse poder também blasfemou daqueles que habitam no céu (santos anjos) ao estabele-cer o conceito pagão de alma imortal, que com morte do indivíduo vai para o céu, purgatórioou inferno. Como esse poder prega a imortalidade da alma, ele é obrigado a ensinar a salva-ção para o céu, enquanto que a Bíblia Sagrada ensina a salvação para vida eterna (João 3:16).Também blasfemou dos que estão no céu ao estabelecer culto aos santos que supostamenteestariam no céu com os santos anjos. Durante todo o período de mil duzentos e sessenta anos, esse poder fez guerra contra ossantos do Altíssimo e venceu-os. Esse poder blasfemo realizou cruzadas exterminadorascontra os Valdenses e Albigenses. Levou João Huss e Jerônimo de Praga ao martírio nasfogueiras. Nesse período a verdadeira Igreja era tida, pelo poder dominante e apóstata, comoherética. O poeta cego John Milton expressou a repulsa do mundo civilizado ao massacre papaldos valdenses com este soneto imortal: Vinga, ó Senhor, Teu massacrado povo santo, Cujos ossos jazem nos Alpes espalhados, Aqueles que a verdade Tua amaram tanto, Embora os pais houvesse ídolos louvado. Não os esqueças, pois Teu livro relatadas Traz as angústias dessas tuas ovelhinhas No montanhês redil outrora trucidadas, Lançadas rocha abaixo – mães com criancinhas. O vale seu gemido ecoava aos altos montes, E as cinzas desses mártires predestinados Cobriam vastos campos, lá no Piemonte, Por tríplice, cruel tirano dominados. Surjam das cinzas multidões de seguidores E fujam cedo aos babilônicos horrores. Tradução de Isolina A. Waldvogel Através das guerras santas, da inquisição e do apoio dos monarcas comprometidos comRoma, os santos do Altíssimo foram sendo dizimados gradativamente em várias partes domundo. Por essa razão, a verdadeira Igreja teve que fugir para o deserto “onde já tinha lugar
  29. 29. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fimpreparado por Deus”, e foi cuidado por Deus durante mil duzentos e sessenta anos (Apoca-lipse 12:6). O fato de abrir a sua boca em blasfêmias contra Deus e contra as coisas de Deus indicaclaramente tratar-se de um poder religioso. Mas a Bíblia também afirma que esse poder reli-gioso também recebeu “poder sobre toda a tribo, e língua, e nação”. Tal fato indica tratar-setambém de um poder político de grande influência no mundo.10. Apocalipse 12:15-16 “E a serpente lançou da sua boca, atrás da mulher água como um rio, para que pelacorrente a fizesse arrebatar. E a terra ajudou a mulher; e a terra abriu a sua boca e tragouo rio que o dragão lançara da sua boca”. O que a serpente lançou de sua boca? Que ajudou a mulher? Em sua sede assassina para destruir os santos do Altíssimo e sob o pretexto de eliminarsupostos heréticos, Satanás, por meio de sua instituição política-religiosa papal, lançou dasua boca a ordem expressa para que todas as nações arrebatassem a Igreja de Deus da face daTerra. No apocalipse, a água é símile de “povos, e multidões, e nações, e línguas” (apocalipse17:15). Portanto, nações inteiras foram convocadas e lançadas no encalço da Igreja de Deus.Mas a Bíblia Sagrada diz que a “terra ajudou a mulher”. Terra faz contraste com a água. Por-tanto, se a água é símile de povos, multidões, nações e línguas, então, por contraste, a terra ésímile de locais desertos, despovoados. Destarte, podemos compreender que a verdadeira Igreja fugiu de regiões densamentepovoadas para locais totalmente afastados da civilização. Tal fenômeno ocorreu durante aIdade Média e na Idade Moderna. Por exemplo, os povos que deram origem aos Valdenses,para não serem trucidados tiveram que fugir, passando a viver em locais isolados, sob a pro-teção dos montes alpinos europeus. E, na Idade Moderna, o poder papal e a intolerância reli-giosa da época, passaram a perseguir os protestantes, os quais tiveram que fugir do movi-mento da contra-reforma e da sanha assassina dos jesuítas para regiões afastadas da civiliza-ção, muito deles vindo colonizar a América do Norte. Desse modo, os intentos de Satanásforam frustrados, pois durante todo o período de 1260 anos, “a terra ajudou a mulher” e dis-sipou a ânsia assassina do inimigo da verdade.CONCLUSÃO11. Apocalipse 12:17 “E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra ao resto da sua semente, os queguardam os mandamentos de Deus, e têm o testemunho de Jesus Cristo”. Contra quem o dragão foi fazer guerra? Que duas características identificam a Igreja de Deus? No Apocalipse o dragão é um símile para Satanás e a mulher é o símile que representa aIgreja. Como Satanás fracassou no plano de destruir o Filho de Deus, ele irou-se e “perse-guiu a mulher que dera à luz o varão” (Apocalipse 12:13). Ou seja, perseguiu a Igreja de
  30. 30. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do FimDeus, a qual teve que fugir para o deserto durante um período de mil duzentos e sessentaanos (538-1798). Decorrido esse período, o Senhor suscitou novamente a Sua Igreja de volta no cenárioda história do mundo. E, para que pudesse purificar-se dos falsos ensinos, ela recebeu deDeus o “Testemunho de Jesus Cristo”. “Porque estou zeloso de vós com zelo de Deus; por-que vos tenho preparado para vos apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber, aCristo” (II Coríntios 11:2). Essa é a razão pela qual Satanás “foi fazer guerra” contra os fiéisremanescente dessa Igreja. A Bíblia Sagrada identifica a semente da mulher como sendo aqueles “que guardam osmandamentos de Deus, e têm o testemunho de Jesus Cristo”. Portanto, na consumação dosséculos, a verdadeira Igreja se manifestaria ao mundo guardando os mandamentos de Deus,conforme estão registrados nas Santas Escrituras, inclusive santificando o dia do sábado. Os remanescentes fiéis da verdadeira Igreja também são identificados pela Bíblia Sagra-da como sendo aqueles que também guardam o “testemunho de Jesus Cristo”. Mas o que é otestemunho de Jesus? Bem! Vamos deixar que o próprio autor do livro do Apocalipse res-ponda a essa importantíssima pergunta.12. Apocalipse 19:10 “E eu lancei-me a seus pés para o adorar; mas ele disse-me: Olha não faças tal; souteu conservo, e de teus irmãos, que têm o testemunho de Jesus: adora a Deus; porque o tes-temunho de Jesus é o espírito de profecia”. O que é o testemunho de Jesus? Deslumbrado pela excelência das revelações divinas, o apóstolo João lançou-se aos pésdo anjo para o adorar. Mas o anjo recusou tal ato de adoração, e ainda acrescentou que éDeus quem deve ser adorado. Esse fato é no mínimo interessante porque um anjo, que é su-perior ao homem (Hebreus 2:6-7), recusou a receber adoração. Mas o líder máximo do poderblasfemo que estamos estudando neste capítulo aceita a reverência dos homens, como se elefosse o próprio Deus. Após recusar a adoração de João, o anjo revelou explicitamente ao autor do Livro doApocalipse que “o testemunho de Jesus é o espírito de profecia”. Portanto, a verdadeira Igre-ja, nesses dias finais da história do mundo, além de guardar os mandamentos de Deus tam-bém tem a orientação do “espírito de profecia”, cuja mensagem encontra-se materializadaem livros. A verdade é que todos verdadeiros profetas de Deus, tais como Isaías, Jeremias,Ezequiel, Daniel etc. receberam esse dom. Sendo que muitos desses profetas orientados porDeus, materializaram as revelações que receberam em livros, os quais constituem as Escritu-ras Sagradas. A única Igreja que, nestes tempos pós-moderno, preenche todos os requisitos bíblicospara constituir a verdadeira Igreja, é identificada como sendo a Igreja Adventista do SétimoDia. Desde a sua fundação, essa Igreja tem recebido orientações divinas pelo ministério pro-fético de Ellen Gould White. A Igreja Adventista do Sétimo Dia tem um papel exclusivo e de fundamental importân-cia no desfecho da história deste mundo. Cabe somente a ela, a finalização da pregação doevangelho eterno em todo o mundo em testemunho a todas as gentes. A razão para isto é quejuntamente com a pregação de evangelho, todos os povos serão conclamados a saírem debabilônia e aceitarem o sinal de Deus em detrimento do sinal da besta.
  31. 31. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim Sob a Igreja Adventista do Sétimo Dia pesa a solene responsabilidade de profetizar “amuitos povos, e nações, e línguas e reis” (Apocalipse 10:11) a breve volta de Jesus, bemcomo advertir ao mundo sobre o conteúdo da terceira mensagem angelical (Apocalipse 14:9-10).
  32. 32. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim Capítulo 3 A Besta e Sua ImagemINTRODUÇÃO1 - Apocalipse 13:1 “E eu pus-me sobre a areia do mar, e vi subir do mar uma besta que tinha sete cabeçase dez chifres, e sobre os seus chifres dez diademas, e sobre as suas cabeças um nome deblasfêmia”. O que subiu do mar? Quantas cabeças e chifres a besta possuía? Arrebatado numa de suas visões, João colocou-se sobre a areia do mar, como expecta-dor. Foi então que ele observou uma besta subindo do mar. Em profecia a palavra “mar” ésímile de “povos, e multidões, e nações, e línguas” (Apocalipse 17:15). Portanto, a besta quesubiu do mar surgiu em meio a regiões densamente povoadas. A profecia também revela queessa besta possuía algumas características bastante curiosas. A primeira característica é que essa besta “tinha sete cabeças”, que são símiles de setegrandes reinos que entraram em conflito com os santos do Altíssimo. São eles: Egito, Assí-ria, Babilônia, Medo-Persa, Grécia, Roma pagã e Roma papal. A explicação do símile dassete cabeças está em perfeita harmonia com a profecia de Daniel sobre os quatro animais quesubiram do mar (Daniel 7:3), os quais representam os reinos de Babilônia, Medo-Persa, Gré-cia e Roma (Daniel 7:17). As sete cabeças também são símiles de sete montes (Apocalipse17:9), onde se encontra localizada a cidade de Roma, que sempre foi conhecida como a ci-dade das sete colinas. A segunda característica diz respeito aos “dez chifres” da besta, os quais são símiles dosdez reinos que resultaram da fragmentação do Império Romano em 476 d.C., a saber: Lom-bardos - Itália; Francos - França; Saxônio - Inglaterra; Alamanos - Alemanha; Suevos -Portugal; Visigodos - Espanha; Burgundos - Suíça; Vândalos; Hérulos e Ostrogodos. Uma outra característica da besta que subiu do mar afirma que ela tinha “sobre os seuschifres dez diademas”. Esses “diademas” são símiles de reis. Portanto os dez reinos repre-sentados pelos chifres eram independentes politicamente. Destarte conclui-se que eles nãoformavam um novo império. A quarta característica sobre a besta diz que ela tinha “sobre as suas cabeças um nomede blasfêmia”, que é um símile indicando que os reinos políticos governados pelas cabeçastambém eram poderes religiosos, que de um modo ou de outro blasfemaram da verdade.Blasfemar não é somente falar mal das coisas sagradas ou da divindade, mas também é colo-car-se no lugar de Deus.2 - Apocalipse 13:2 “E a besta que vi era semelhante ao leopardo, e os seus pés como os de urso, e a suaboca como a de leão; e o dragão deu-lhe o seu poder, e o seu trono, e grande poderio”.
  33. 33. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim Ao que a besta era semelhante? O que o dragão deu à besta? A besta vista por João e que havia subido do mar foi descrita como sendo “semelhanteao leopardo, e os seus pés como os de urso, e a sua boca como a de leão”. Ora, essas caracte-rísticas são típicas de três dos quatro animais que subiram do mar, descritos pelo profetaDaniel. O leão era símile do Império babilônico. O urso um símile do Império Medo-Persa eo leopardo era símile do Império Grego (Daniel 7:4-6). Portanto, a besta tinha absorvido,com destaque especial, as características desses três impérios pagãos. Também é dito que o dragão deu à besta “o seu poder, e o seu trono, e grande poderio”.O dragão é símile da “antiga serpente, chamada o Diabo, e Satanás, que engana todo o mun-do” (Apocalipse 12:9). A besta é o símile de um poder político-religioso. Ela recebeu deSatanás o seu poder, governo e influência. Das sete cabeças que a besta possui, atualmenteestá em vigor o domínio da sétima cabeça. A História Universal mostra que o papado foi o único poder político-religioso que selevantou em meio dos destroços do Império Romano para alcançar domínio universal sobretodas as nações européias e os povos do novo mundo. Nos dias de hoje a organização políti-ca-religiosa papal é a besta mencionada no Apocalipse.3 - Apocalipse 13:4 “E adoraram o dragão que deu à besta o seu poder; e adoraram a besta, dizendo:Quem é semelhante à besta? quem poderá batalhar contra ela?” A quem os habitantes da Terra adoraram? Aqueles que aceitam o domínio político e a influência religiosa exercida pela besta quesubiu do mar, na verdade estão, indiretamente, adorando a Satanás, o qual deu à besta “o seupoder, e o seu trono, e grande poderio”. Além de prestarem adoração a Satanás, os homens também manifestam seu temor e re-verência à besta levantando duas perguntas fundamentais sobre o poder dessa besta: “Quemé semelhante à besta? quem poderá batalhar contra ela?” Na primeira pergunta está implícita a ideia de que não existe nenhum outro poder seme-lhante ou superior ao da besta. Nisso os homens blasfemam do poder de Deus. Na segunda pergunta, os homens manifestam o sentimento e expressam o pensamentode que o poder da besta é supremo e que não existe nenhum outro poder que possa batalharcontra ela. Portanto, os homens sentem-se seguros em apoiar a besta. Nenhum líder mundial ousaentrar em atrito ou conflito com esse poder político-religioso. Quem terá capacidade paraenfrentar esse poder?PERSEGUIÇÃO DOS SANTOS4 - Apocalipse 13:5-7 “E foi-lhe dada uma boca para proferir grandes coisas e blasfêmias; e deu-se-lhe poderpara continuar por quarenta e dois meses. E abriu a sua boca em blasfêmias contra Deus,para blasfemar do seu nome, e do seu tabernáculo, e dos que habitam no céu. E foi-lhe per-
  34. 34. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fimmitido fazer guerra aos santos, e vencê-los; e deu-se-lhe poder sobre toda a tribo, e língua,e nação”. Por quanto tempo a besta recebeu poder? O que foi permitido a besta fazer? A esse poder político-religioso – atualmente governado pela sétima cabeça da besta –que é a cabeça papal, foi dada “uma boca para proferir grandes coisas e blasfêmias”. Falandodo mesmo poder, o profeta Daniel, empregando o símile de uma ponta pequena, disse “quenesta ponta havia olhos, como olhos de homem, e uma boca que falava grandiosamente... Eproferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudaros tempos, e a lei; e eles serão entregues na sua mão por um tempo, e tempos, e metade dumtempo” (Daniel 7:8 e 25). A besta blasfemou contra Deus, quando blasfemou do Seu nome, do Seu tabernáculo edos seres celestiais. Deus foi blasfemado quando o Seu nome foi usado em vão para justifi-car atrocidades como as cruzadas, massacres e coisas semelhantes. Deus foi blasfemadoquando a obra de mediação realizada no tabernáculo – santuário celestial – foi totalmenteesquecida em favor da obra concorrente de mediação realizada na missa, na venda de indul-gência e nas rezas vazias. Deus também foi blasfemado quando a besta denegriu a imagemdos seres celestiais, distorcendo o caráter santo dos habitantes do céu ao colocá-los lado alado com supostas almas de homens e mulheres que a besta canoniza. Maior blasfêmia co-mete quando a besta diz que os santos por ela canonizados possuem méritos excedentes, eque no céu intercedem pelos vivos. A besta blasfema de Deus desde quando se assentou “como Deus, no templo de Deus,querendo parecer Deus” (II Tessalonicenses 2:4). Também blasfema de Deus quando afirmaque possui autoridade para perdoar os pecados. “Por que diz este assim blasfêmias? Quempode perdoar pecados, senão Deus!” (Marcos 2:7). Comete o pecado de blasfêmia toda vezque aceita a adoração de um ser humano (Atos 10:25). Blasfema vergonhosamente quandopermite que os habitantes da Terra o chamem de “papa”, haja vista que Jesus ensinou que “aninguém na terra chameis vosso pai, porque um só é o vosso Pai, o qual está nos céus” (Ma-teus 23:9). Comete blasfêmia quando presta culto a imagens, uma vez que o Senhor disse:“não farás para ti imagem... não te encurvarás a elas nem as servirás” (Êxodo 20:4-5). Blas-fema de Deus quando assumem a infalibilidade, que pertence somente a Deus. Nenhum ho-mem, por mais santo que seja é infalível: “Na verdade que não há homem justo sobre a terra,que faça bem, e nunca peque” (Eclesiastes 7:20). Quando constratada com a humildade deJesus blasfema de Deus pretendendo ser mais elevado do que os reis da Terra, o que cabe sóa Deus: “A qual a seu tempo mostrará o bem-aventurado, e único poderoso Senhor, Rei dosreis e Senhor dos senhores” (I Timóteo 6:15). Trata-se de um poder religioso que possui em suas mãos o poder político para perseguire subjugar os seus opositores. A Bíblia Sagrada afirma que foi permitido a esse poder “fazerguerra aos santos, e vencê-los”. A partir do Imperador Justiniano, todos aqueles que deseja-vam ser fieis à verdade revelada na Palavra de Deus, passaram a sofrer severa perseguiçãopor parte da besta. Para isso esse poder criou um tribunal, que é conhecido na história comoo famigerado Tribunal da Inquisição. Os santos do Altíssimo foram colocados para apodre-cer em calabouços nauseantes, foram levados à fogueira em praça pública ou trucidados vi-vos.
  35. 35. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim Em sua obra intitulada Divina Comédia, Dante Alighieri acusou diretamente esse poderreligioso com as seguintes palavras:Pisando os bons e exaltando os perversos, entristeceO mundo. De vós, pontífices simonistas,Fala o Evangelista S. JoãoQuando vê prostituir-se aos reis da TerraAquela que tem mando sobre muitas nações,Aquela que nasceu com as sete cabeçasE que dos dez cornos teve argumento de poder e autoridade. ...Criastes para vosso uso um deus de ouro e de prata. ...Ah! Constantino, de quantos males foi princípio,Não o teres-te feito cristão, mas a doaçãoQue fizeste do primeiro pontífice rico! Tradução em prosa, do Dr. César Falcão. O Inferno de Dante, Canto 19, pág, 89 À besta foi permitido que continuasse com o seu domínio supremo por quarenta e doismeses. Sendo que cada “mês” corresponde a 30 dias proféticos. Logo podemos concluir que:42 meses x 30 dias proféticos = 1260 dias proféticos. E, conforme Ezequiel 4:6-7, cada diaprofético corresponde a um ano literal. Portanto, 1260 dias proféticos equivalem a 1260 anosliterais. “No século VI tornou-se o papado firmemente estabelecido. Fixou-se a sede de seu po-der na cidade imperial e declarou-se ser o bispo de Roma a cabeça de toda a igreja. O paga-nismo cedera lugar ao papado. O dragão dera à besta ‘o seu poder, e o seu trono e grandepoderio (Apocalipse 13:2)’. E começaram então os 1.260 anos da opressão papal preditosnas profecias de Daniel e Apocalipse. Os cristãos foram obrigados a optar entre renunciarsua integridade e aceitar as cerimônias e culto papais, ou passar a vida nas masmorras, sofrera morte pelo instrumento de tortura, pela fogueira, ou pela machadinha do verdugo” (GC,54). A besta – autoridade política-religiosa papal – recebeu “poder sobre toda a tribo, e lín-gua, e nação” durante 1260 anos. Portanto, trata-se de um poder político de alcance mundial.Além de ser um poder religioso que comete blasfêmias contra Deus, também é um poderpolítico que tem autoridade sobre todos os povos da Terra. O período de 1260 anos teve seu início em 538 d.C., quando Justiniano nomeou o bispode Roma como papa e corretor dos hereges. Essa nomeação passou efetivamente a vigorarcom a derrota da última nação ariana, e terminou somente em 1798 d.C. (538 + 1260 =1798), quando Napoleão Bonaparte anulou o Código de Justiniano e exilou o papa Pio VI nacidade francesa de Valença.FERIDA MORTAL CURADA5 - Apocalipse 13:3
  36. 36. LEANDRO BERTOLDOProfecias Sobre o Tempo do Fim “E vi uma de suas cabeças como ferida de morte, e a sua chaga mortal foi curada; etoda a terra se maravilhou após a besta”. O que foi ferida de morte? O que aconteceu com a chaga mortal? Quem se maravilhou após a besta. João viu uma das cabeças da besta – poder político-religioso papal – “como ferida demorte”. Essa ferida foi causada na sétima cabeça da besta. A profecia anunciava que a bestaperderia o seu poder temporal, mas que depois de um certo tempo o recuperaria novamente,haja vista que a sua cabeça foi apenas ferida, mas não chegou a ser cortada do corpo ou mor-ta. Em 1798 chegou ao fim o período dos 1260 anos de domínio universal do poder opres-sor do papado. Napoleão Bonaparte, através do seu general Berthier, provocou uma feridamortal no papado. Esse imperador prendeu o papa, anulou o Código de Justiniano e tirou opoder temporal dos papas. Na época, o papa Pio VI foi levado para o cativeiro, vindo a fale-cer na cidade francesa de Valença. Mas, infelizmente para a cristandade, “a sua chaga mortal foi curada” em 1929, quandoBenito Mussolini assinou a célebre Concordata de Latrão com o papa Pio XI, entregando-lhecerca de 108,7 acres ou 0,44 km2 de superfície da Itália, a qual hoje constituem o Estado doVaticano. Desse modo a ferida mortal fora curada e os papas recuperaram o poder temporalque haviam perdido. Nos dias de hoje os governantes da terra prestam homenagens a esse poder. Há trocas deembaixadores. E, quando ocorre o falecimento do líder máximo desse poder, os principaisestadistas do mundo vão prestar-lhes as suas últimas homenagens. Agora, toda a Terra estáse maravilhando após a recuperação da besta. Atualmente, os homens têm aceitado a bestacomo a consciência moral do mundo e, por muito pouco, não a aceitaram como a consciên-cia espiritual do mundo.6 - Apocalipse 13:8 “E adoraram-na todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escri-tos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo”. Quem são aqueles que adoraram a besta? Em geral os religiosos costumam prestar adoração a coisas ou a pessoas tidas como sa-gradas. Assim, as mais diversas religiões adoram imagens, relíquias, locais sagrados, ou pes-soas tidas como santas. Adorar é a mesma coisa que reverenciar, ajoelhar-se diante daquiloque é tido como sagrado. Como a besta recebe adoração de todos “que habitam sobre a terra”, então podemosconcluir que se trata de um poder que possui uma natureza religiosa. Mesmo porque nin-guém presta adoração a um poder econômico, político ou militar. Todavia, apesar da bestapossuir um poder religioso, ela também possui um poder político de influência mundial so-bre todas as nações do mundo. Devido à grande influência desse poder “sobre toda a tribo, e língua, e nação”, os habi-tantes do mundo são levados a adorar a besta que subiu do mar, reconhecendo-lhe a sua su-premacia em todas as questões morais e espirituais e sobre todo e qualquer poder mundano(Apocalipse 13:4).

×