Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Exame Físico em Pediatria

32,466 views

Published on

Exame Físico em Pediatria: "Aspectos teórico-práticos e imagens inesquecíveis" - Aula apresentada durante Reunião Científica da Liga Acadêmica de Pediatria da UFRN - LAPED UFRN - Natal - Brasil.

Published in: Health & Medicine

Exame Físico em Pediatria

  1. 1. EXAME FÍSICO EM PEDIATRIA: UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE PEDIATRIA LIGA ACADÊMICA DE PEDIATRIA DA UFRN – LAPED UFRN EM PEDIATRIA: “Aspectos téorico-práticos e imagens inesquecíveis” Profº Leonardo Moura Ferreira de Souza NATAL 2015
  2. 2. EXAME FÍSICO EM PEDIATRIA ATENÇAÕ L A PP E D UFRN
  3. 3. EXAME FÍSICO EM PEDIATRIA L A P Instrumentos P E D UFRN
  4. 4. EXAME FÍSICO EM PEDIATRIA L A PP E D UFRN
  5. 5. EXAME FÍSICO EM PEDIATRIA L A PP E D UFRN
  6. 6. EXAME FÍSICO EM PEDIATRIA L A PP E D UFRN “Grandes Armas”
  7. 7. EXAME FÍSICO EM PEDIATRIA INSPEÇÃO L A P AUSCULTA PALPAÇÃO P E D UFRN
  8. 8. L A P EXAME FÍSICO EM PEDIATRIA P E D UFRN
  9. 9. CONSIDERAÇOES GERAIS – REGRAS BASILARES CONQUISTAR a simpatia e a confiança - criança /pais Delicadeza na abordagem da criança Conversar com a criança antes e durante o exame Criança no colo ou nos braços da mãe L A P Criança no colo ou nos braços da mãe Evitar imediato deitar a criança Evitar colocar subitamente na mesa Evitar voz elevada, gestos bruscos Jamais perder a paciência Ouvido e garganta no final Sucesso do exame físico – COOPERAÇÃO : conquista X abordagem Para o exame objetivo – boa iluminação do ambiente-luz natural P E D UFRN
  10. 10. L A P A CONQUISTAA CONQUISTA A pediatria como arteA pediatria como arte P E D UFRN
  11. 11. L A P A CONQUISTAA CONQUISTA A pediatria como arteA pediatria como arte P E D UFRN
  12. 12. L A P A CONQUISTAA CONQUISTA A pediatria como arteA pediatria como arte P E D UFRN
  13. 13. A CONQUISTAA CONQUISTA A pediatria como arteA pediatria como arte L A PP E D UFRN
  14. 14. L A PP E D UFRN A CONQUISTAA CONQUISTA A pediatria como arteA pediatria como arte
  15. 15. L A P A CONQUISTAA CONQUISTA A pediatria como arteA pediatria como arte P E D UFRN
  16. 16. L A P A CONQUISTAA CONQUISTA A pediatria como arteA pediatria como arte P E D UFRN
  17. 17. L A P A CONQUISTAA CONQUISTA A pediatria como arteA pediatria como arte P E D UFRN
  18. 18. L A PP E D UFRN A CONQUISTAA CONQUISTA A pediatria como arteA pediatria como arte
  19. 19. L A P A CONQUISTAA CONQUISTA A pediatria como arteA pediatria como arte P E D UFRN
  20. 20. A CONQUISTAA CONQUISTA A pediatria como arteA pediatria como arte L A PP E D UFRN
  21. 21. L A P A CONQUISTAA CONQUISTA A pediatria como arteA pediatria como arte P E D UFRN
  22. 22. A CONQUISTAA CONQUISTA A pediatria como arteA pediatria como arte L A PP E D UFRN
  23. 23. A CONQUISTA ....A CONQUISTA .... O “Espírito de criança”O “Espírito de criança” L A PP E D UFRN
  24. 24. A CONQUISTA ....A CONQUISTA .... O “Espírito de criança”O “Espírito de criança” L A PP E D UFRN
  25. 25. A CONQUISTA ....A CONQUISTA .... O “Espírito de criança”O “Espírito de criança” L A PP E D UFRN
  26. 26. ANTROPOMETRIA Peso Estatura / Comprimento Perímetro Cefálico –PC Perímetro torácico – PT L A P Perímetro torácico – PT Circunferência abdominal (CA) Importância: Ganho ponderal satisfatório (RN), Avaliação Pondero-Estatural (Crescimento)*,Classificação do Estado Nutricional, Detecção precoce de microcefalia, macrocefalia. * Curva padrão: OMS P E D UFRN
  27. 27. crianças < de 3 anos crianças > de 3 anos L A P Balança para bebês (até 15Kg) Balança adulto( > 15Kg) P E D UFRN
  28. 28. Cursor acoplado às balanças crianças < de 3 anos crianças > de 3 anos L A P Régua colocada á parede e um cursor. P E D UFRN
  29. 29. ANTROPOMETRIAANTROPOMETRIA –– ESTATURAESTATURA L A PP E D UFRN
  30. 30. L A PP E D UFRN
  31. 31. L A PP E D UFRN
  32. 32. EXAME FÍSICO GERAL L A PEXAME FÍSICO SEGMENTAR P E D UFRN
  33. 33. L A PEXAME FÍSICO GERAL P E D UFRN
  34. 34. ECTOSCOPIA •Impressão geral: estado geral, consciência, irritabilidade, postura, tônus, fácies, proporcionalidade, presença de malformações congênitas, atividade, estado nutricional. •Pele e anexos: cor, textura, turgor. Presença de rash, marcas de nascença, lesões. Anormalidades das unhas, L A P marcas de nascença, lesões. Anormalidades das unhas, quantidade, textura e distribuição do cabelo. Presença de tatuagens, piercings e em que condições foram realizados. •Mucosas: coloração, estado de hidratação. •Tecido celular subcutâneo: presença, espessura, turgor. •Gânglios: presença de adenomegalias, localização, consistência, tamanho, dor, coalescência, aderência. P E D UFRN
  35. 35. EXAME FÍSICO GERAL ECTOSCOPIA L A PP E D UFRN
  36. 36. EXAME FÍSICO GERAL ECTOSCOPIA L A P Marasmo Kwashiorkor P E D UFRN
  37. 37. MUCOSA, PELE, ANEXOS EXAME FÍSICO GERAL Estado de hidratação Palidez L A P Palidez Cianose Icterícia Vérnix caseoso Exantemas Dermatoses P E D UFRN
  38. 38. EXAME FÍSICO GERAL MUCOSA, PELE, ANEXOS L A P Estado de hidratação : Sinal da prega – Desidratação grave – Plano C P E D UFRN
  39. 39. EXAME FÍSICO GERAL MUCOSA, PELE, ANEXOS Palidez-Anemia L A P (Acro) Cianose Icterícia P E D UFRN
  40. 40. EXAME FÍSICO GERAL MUCOSA, PELE, ANEXOS Anemia L A PP E D UFRN
  41. 41. EXAME FÍSICO GERAL MUCOSA, PELE, ANEXOS Icterícia L A P Icterícia P E D UFRN
  42. 42. L A P Icterícia P E D UFRN
  43. 43. EXAME FÍSICO GERAL MUCOSA, PELE, ANEXOS vérnix caseoso L A PP E D UFRN
  44. 44. EXAME FÍSICO GERAL MUCOSA, PELE, ANEXOSExantemas L A P Morbiliforme Vesico-bolhoso P E D UFRN
  45. 45. EXAME FÍSICO GERAL MUCOSA, PELE, ANEXOS Exantemas L A P Escarlatiniforme Petequial -purpúrico P E D UFRN
  46. 46. EXAME FÍSICO GERAL MUCOSA, PELE, ANEXOS DERMATOSES L A P Escabiose P E D UFRN
  47. 47. INSPEÇÃO, PALPAÇÃO, AUSCULTA, PERCURSSÃO
  48. 48. L A P 1- CABEÇA P E D UFRN
  49. 49. 1-CABEÇA Deformidades cranianas L A PP E D UFRN
  50. 50. 1-CABEÇA Microcefalia x macrocefalia L A P Microcefalia Macrocefalia P E D UFRN
  51. 51. 1-CABEÇA Tumefações de couro cabeludo L A P Cefalo hematoma Bossa P E D UFRN
  52. 52. 1-CABEÇA Lesões de couro cabeludo (Piodremites, tíneas, alópecia ) L A PP E D UFRN Tínea Capitis- Kerion Celsi Alopécia mecânica- tração
  53. 53. Fontanela : abaulada, deprimida , tensa, alargamento, fechamento precoce 1-CABEÇA L A PP E D UFRN
  54. 54. 1-CABEÇA L A P Fontanela : abaulada, deprimida , tensa, alargamento, fechamento precoce P E D UFRN
  55. 55. 2- FACE L A P OLHOS NARIZ ORELHAS BOCA FÁCIES P E D UFRN
  56. 56. 2- FACE 2.1- OLHOS Estrabismo,”olhar em sol poente (hidrocefalia), secreção, hemorragias , epicanto L A PP E D UFRN
  57. 57. 2- FACE 2.1- OLHOS Reflexo puplilar branco, edema pálpebras L A PP E D UFRN
  58. 58. 2- FACE 2.1- OLHOS L A PP E D UFRN Teste do olhinho
  59. 59. 2- FACE 2.2- NARIZ Milium facial, desvio de septo , epistaxe L A PP E D UFRN
  60. 60. 2- FACE 2.3- ORELHAS Má formações, apêndices auriculares, microtia, implantação baixa, intertrigo L A PP E D UFRN
  61. 61. 2- FACE 2.3- ORELHAS L A P VERIFICAR RESPOSTA AO SOM P E D UFRN VERIFICAR RESPOSTA AO SOM
  62. 62. 2- FACE 2.4- BOCA (lábio, língua, gengivas, palato, dentes) Má formações, monilíase, L A PP E D UFRN
  63. 63. 2- FACE 2.4- BOCA (lábio, língua, gengivas, palato, dentes) Anquiloglossia, língua geográfica, língua framboesa L A PP E D UFRN
  64. 64. 2- FACE 2.4- BOCA (lábio, língua, gengivas, palato, dentes) Palato ogival, Nódulos de Bonh sangramento /edema gengivas, conservação dentária L A PP E D UFRN
  65. 65. 2- FACE 2.4- BOCA ( dentes) ERUPÇÃO DENTÁRIA TEMPORÁRIA- SEQUÊNCIA L A PP E D UFRN
  66. 66. 2- FACE2.5- FÁCIES L A P “Alérgica- Atópica” P E D UFRN
  67. 67. 2- FACE 2.5- FÁCIES L A PP E D UFRN Adenoideana (Respirador oral ) Fácies Sidrômica – Sindrome de Down
  68. 68. L A P 3 - PESCOÇO P E D UFRN
  69. 69. Linfoadenomegalias : cervical , submandibular Aumento da tireóide Má formações linha média Torcicolo 3- PESCOÇO L A PP E D UFRN Adenite Bacteriana Aguda Aumento difuso da tireóide
  70. 70. 3- PESCOÇO L A PP E D UFRN Cisto de Tireoglosso Torcicolo
  71. 71. L A P 4- TÓRAX P E D UFRN
  72. 72. 4- TÓRAX Deformidades: proeminência do apêndice xifóide, rosário raquítico, Pectum escavatum L A P “Pectum escavatum” P E D UFRN
  73. 73. 4- TÓRAX L A P Ginecomastia P E D UFRN
  74. 74. 4- TÓRAX 4.1- APARELHO RESPIRATÓRIO FR , tiragens, sibilos , creptos, alterações do MV BAN, gemência, cianose Instridor respiratório L A PP E D UFRN
  75. 75. FREQUENCIA RESPIRATÓRIA TAQUIPNÉIA é o sinal isolado mais sensível para para o diagnóstico de pneumonia em crianças menores de 5 anos (sens. 75%; espec. 70%) Valores de referência: L A P Valores de referência: < 2 meses............................ FR > ou = 60 ipm 3 meses a 11 meses ......... FR > ou = 50 ipm 12 meses a 5 anos ............ FR > ou = 40 ipm > 6 anos ............................... FR > ou = 30 ipm P E D UFRN
  76. 76. 4- TÓRAX 4.2- APARELHO CARDIOVASCULAR Ausculta cardíaca: FC , sopros, alterações do ritmo PA : GNDA, obesas, adolescentes Pulsos: centrais, periféricos Perfusão periférica - tempo de enchimento L A P Perfusão periférica - tempo de enchimento capilar P E D UFRN
  77. 77. 4- TÓRAX 4.2- APARELHO CARDIOVASCULAR L A PP E D UFRN
  78. 78. 4- TÓRAX 4.2- APARELHO CARDIOVASCULAR FREQUENCIA CARDIACA L A PP E D UFRN
  79. 79. L A P 5- ABDOMEN P E D UFRN
  80. 80. L A P Divisão do Abdome Parede Anterior 1.Hipocôndrio Direito 2.Epigástrio 3.Hipocôndrio Esquerdo P E D UFRN 3.Hipocôndrio Esquerdo 4.Flanco Direito 5.Mesogástrio ou umbilical 6.Flanco Esquerdo 7.Fossa Ilíaca Direita 8.Hipogástrio 9.Fossa Ilíaca Esquerda
  81. 81. L A P Técnicas P E D UFRN
  82. 82. 5- ABDOMEN Distensão abdominal/circulação colateral Hepatomegalia/ esplenomegalia – hepatoesplenomegalia Massas palpáveis- tumor de Wilms, Neuro blastoma L A P blastoma Ruídos adventícios P E D UFRN
  83. 83. 5- ABDOMEN L A P - Distensão abdominal - Hepatomegalia P E D UFRN
  84. 84. 5- ABDOMEN L A P PALPAÇÃO DO FIGADO P E D UFRN
  85. 85. 5- ABDOMEN L A P PALPAÇÃO DO BAÇO P E D UFRN
  86. 86. 5- ABDOMEN L A P - Hérnia umbilical Granuloma umbilical P E D UFRN
  87. 87. 5- ABDOMEN L A P Onfalocele Gastrosquise P E D UFRN
  88. 88. L A P 6- GENITÁLIA, RETO, ÂNUS P E D UFRN
  89. 89. 6- GENITÁLIA, RETO, ÂNUS Hidrocele , hérnia inguinal Fimose, Distopias testiculates Hipóspádia, epispádia Leucorréia , hiperemia vulvar( vulvo vaginites L A P Leucorréia , hiperemia vulvar( vulvo vaginites inespecíficas ) Hiperemia , edema prepucial, secreção- (balanopostites) Hiperemia, exudação áreas de fraldas (dermatite das fraldas) Plicomas, lesões verrucosas, oxiuros Estadiamento Puberal de Tanner P E D UFRN
  90. 90. 6- GENITÁLIA, RETO, ÂNUS L A P Hidrocele Hérnia inguinal bilateral P E D UFRN
  91. 91. 6- GENITÁLIA, RETO, ÂNUS L A P Fimose Testículo ectópico P E D UFRN
  92. 92. 6- GENITÁLIA, RETO, ÂNUS L A P Criptorquidia a D P E D UFRN
  93. 93. 6- GENITÁLIA, RETO, ÂNUS L A P Vulvovaginite inespecífica Sinéquia (coalescência) total pequenos lábios P E D UFRN
  94. 94. 6- GENITÁLIA, RETO, ÂNUS L A P Dermatite primária das fraldas Intertrigo P E D UFRN
  95. 95. 6- GENITÁLIA, RETO, ÂNUS L A P Puberdade precoce Mancha mongólica P E D UFRN
  96. 96. 6- GENITÁLIA, RETO, ÂNUS L A POxiuríase HPV – abuso sexual P E D UFRN
  97. 97. 6- GENITÁLIA, RETO, ÂNUS L A P Prolapso retal Fissuras ,plicomas P E D UFRN
  98. 98. 6- GENITÁLIA, RETO, ÂNUS Estadiamento Puberal Tanner L A PP E D UFRN
  99. 99. L A P 7- EXTREMIDADES P E D UFRN
  100. 100. 7- EXTREMIDADES Lesões de piodermite Edemas(cacifo positivo) Comprometimento articular (artralgia X artrite) Baqueteamento digital Polidactilia, clinodactilia , prega simiesca. L A P Baqueteamento digital Polidactilia, clinodactilia , prega simiesca. Encurtamento de membros inferiores Pés planos, Geno –varum ,pés tortos congênitos Manchas residuais P E D UFRN
  101. 101. 7- EXTREMIDADES L A P Erisipela Ectima P E D UFRN
  102. 102. 7- EXTREMIDADES L A P Edema de MMII Artrite de Joelho D P E D UFRN
  103. 103. 7- EXTREMIDADES L A P Baqueteamento digital Polidactilia P E D UFRN
  104. 104. 7- EXTREMIDADES L A P Prega Simiesca Clinodactilia P E D UFRN
  105. 105. 7- EXTREMIDADES L A P Geno- valgoGeno- varum P E D UFRN
  106. 106. 7- EXTREMIDADES L A P Pé Plano Pé equino-varum (Pé torto congênito) P E D UFRN
  107. 107. 7- EXTREMIDADES L A PManchas residuais P E D UFRN
  108. 108. L A P 8- COLUNA VERTEBRAL P E D UFRN
  109. 109. 8- COLUNA VERTEBRAL Desvios: escoliose, cifose, cifoescoliose Espinha bífida,mielomeningocele L A P Cifoescoliose Mielomeningocele P E D UFRN
  110. 110. L A P 9- OROFARINGE P E D UFRN
  111. 111. TÉCNICA ? L A PP E D UFRN
  112. 112. TÉCNICA ? L A PP E D UFRN
  113. 113. 9- OROFARINGE Hiperemia, Hipertrofia Exudatos, petéquias no palato/ vesículas L A PP E D UFRN
  114. 114. 9- OROFARINGE Hiperemia, Hipertrofia Exudatos, petéquias no palato/ vesículas L A PP E D UFRN
  115. 115. L A P 10-OTOSCOPIA P E D UFRN
  116. 116. TÉCNICA ? L A PP E D UFRN
  117. 117. TÉCNICA ? L A PP E D UFRN
  118. 118. OTOSCOPIA L A P TÉCNICA P E D UFRN
  119. 119. TÉCNICA L A PP E D UFRN
  120. 120. 10- OTOSCOPIA Aspecto da membrana timpânica: hiperemia, abaulamento, opacidade, ruptura Otorréia L A P Otorréia - Dor a compressão do tragus - validade questionada (OMA) - Dor a manipulação do pavilhão auricular P E D UFRN
  121. 121. 10- OTOSCOPIA L A PP E D UFRN
  122. 122. 10- OTOSCOPIA L A PP E D UFRN
  123. 123. L A PP E D UFRN "Na pediatria não há adultos em miniatura, há crianças. Acreditam em magia, fazem de conta que há um pó mágico no soro deles, têm esperança, cruzam os dedos e fazem pedidos. E por isso, são mais resistentes que os adultos, recuperam mais rápido, sobrevivem a coisas piores. Eles acreditam. Na pediatria temos milagres e magia. Na pediatria, tudo é possível." (Autor Desconhecido)
  124. 124. L A PFIM P E D UFRN FIM
  125. 125. Medida Idade Instrumento Procedimento Peso < 2 anos Balança até , divisões de Despida, deitada no prato da balança. > 2 anos Balança adulto Despida, em pé. Altura / Estatura < 2 anos Régua antropométrica Deitada, com cabeça mantida fixa numa extremidade pela mãe, o médico estende as pernas da criança com uma mão e guia o cursor com a outra. > 2 anos Régua antropométrica vertical Posição ereta com os calcanhares próximos e a postura alinhada. Perímetro cefálico Fita métrica A fita deve passar pelas partes mais saliente do frontal e do occipital. Perímetro torácico < 3 anos > 3 anos Fita métrica Deitado em pé A fita deve passar na altura dos mamilos. L A P > 3 anos em pé Perímetro abdominal Fita métrica A fita deve passar na altura da cicatriz umbilical. Temperatura Termômetro Mantido na região axilar, oral ou retal por 3 minutos. Freqüência cardíaca Contado por 1 minuto Freqüência respiratória Contado por 1 minuto Pressão Arterial Esfigmomanômetro Em repouso, com manguito adequado para o tamanho do braço e paciente sentado Orquidometria Orquímetro de Pradder P E D UFRN

×