Prosperidade no Caos

1,144 views

Published on

Entrevista publicada na Revista Yoha Journal, edição de Setembro/2014

Prosperidade no Caos

  1. 1. moonwm came: m ¢m. :ouJ<zz: o.. <co> _ 30m omm: Soomm: uEm no . . owe. mm SEREIF -v I :1 II
  2. 2. 1 . ~, . urban: VOGAJOUHNAL. COM. BR 7l= i$l= §l‘YA?5i'-rlx" A {$5,-K4!! ?§~‘ : r3f= i:ix‘I: *.: r_', a=J1o: M . mu: rm-we 'r‘x: -.v"r: r: _r: f fr -»>+. ‘+: i = r:i; : std: Ex Ecirw 'r. +: -.: S -L . :'; t'”’: .¢: +c: : ‘J: O que a humanidade acreditava nao consegue ser mais posto em prética. Segundo DOMENICO DE MASI, nossa civilizagao esté sem modelos para seguir. A economia tradicional néo traz mais os frutos esperados. Para CHARLES EISENSTEIN, cheqamos ao extremo da alienagao, competigao e escassez, mas na esteira desse colapso podemos encontrar oportunidade de transitar para um jeito de ser mais conectado e sustentével. Tudo a ver com o desejo dos praticantes de Yoga que buscam mais significado e plenitude na vida, néio? ORGINlZACi&O' GREICE COSTA - ARTE: HUAN GOMES Tl: '; £:¥= il
  3. 3. PROSPBZRIDADL la UMA DAS PIONEIRAS EM ECONOMIA CRIATIVA "‘ N0 BRASIL, lAlA DEHEINZELIN . £,. lf; ,¢. :‘ . b ENXERGA INFINITAS POSSIBIUDADES PARA OUEM ABRACAR TRABALHO, RElACfiES E 0 MUNDIO COM TODAS AS SUAS mmrnsfirs OGUE E ECONOMIA CRMTIVA? Ea estratégia de desenvolvimento do 4 século 21. De uma forma simples, podemos dizer que é uma economia que gem riqueza e qualidade de Vida a partir de recursos intangiveis, como 5 -. r H cultura, criatividade, conhecimento e ‘ . -_ , experiéncia. Por serem intangfveis, eles ’ _, n2‘io se esgotam, mas se multiplicam 5’ com o uso. Portanto, é a {mica possibilidade que temos de gerar abundéncia com sustentabilidade. Além disso, o que é superlegal quando se trabalha com intangiveis é que os resultados nfio sio apenas financeiros, mas também nas outras dimensées - cultural, social e ambiental. Por isso é uma chave extraordinéria, com solugées exponenciais }? ' W3-}x para nossos problemas «/ ‘{, ._{, /r 1‘ exponcnciais. ,
  4. 4. 41 0 DUE A ECONDMIA CRIATIVA TEM DUE A TRADICADNAI. NAU TE”? Na economia tra- dicional, gera-se riqueza com base em recursos materiais, que sio tangiveis, escassos, se consomem com o uso, por- tanto geram competicao. Enquanto rudo o que tem a ver com economia criativa - os intangiveis: cultura, conhecimento, criatividade - é infinito. E isso pode ge- rar abundancia por meio da colaboracao. EM DUE ASPECTDS PDDEMDS VER TRACDS, D0 FUTURO NA ECDNDMIA DE HOJE? E0 '- BRASIL ETERNO "PAES D0 FUTURO", COMO “CA NESSE WNTEATO? Avida em rede, a valorizacio do intangivel, os processos de colaboracio mostrarn que estamos mesmo em direcao ao futuro. As mudan- gas estio muito rapidas. O Brasil rem potencial, temos muitos ingredientes para desempenhar um papel importante. Agora, se vamos mesmo desempenhar esse papel, depende do que e de como fi- zermos no cotidiano. E que papel é esse? O interessante é que ha trés maneiras dc pensar no futuro. Uma é o campo dos futuros provaveis, que a gente consegue prever. Se sao provaveis, sao baseados em algo que jé existe, e se ja existe, nio serve tanto para o futuro. Outra é o campo dos fururos possiveis - aquilo que pode nio acontecer de forma tao evidente, mas é possivel, sim. E ha os futuros desejaveis. .. O que o Brasil tem de interessante? So- mos hfbridos, temos uma relacio aberta com o corpo, o afeto e a expressao, uma maneira Huida de relacionar, de nao ser estruturadio, de ter 0 jcitinho. .. O jeiti- nho tem um lado que é totalmente futu- ro! Porque rudo vai mudar tio rzipido, que a gente cada vez mais tera de improvisar, fazer “gambianas” e jeitinhos. Com essas caracreristicas, temos boa possibilidade de avancar para o campo dos futuros pos- siveis e desejaveis. E nesses Campos é que estzi toda a inovacfio, uma possibilidade muito concreta de desenhar outro mundo também desejével. VOGAJOURNALCOILBR DUE PAPEL TEMOS NDS, PRATICANTES DE YOGA, MEDITADDRES E BUSCADDRES, NESSA EPOCA DE ECONDMIA CRlAT| VA?13: inte- ressante que os buscadores sio chave porque sao os que sabem sair do campo do provavel e ir ao campo do possivel e do desejavel. Sao eles que criam futuros. 05 n50 buscadores site a “turma do deixa quieto”, e repetir o provaivel jzi nio serve mais. Os buscadores s50 05 que tém co- ragem de fazer diferente, de inovar, de saber o que é desejével, seja por uma ca- pacidade de se conhecer ou de conhecer o outro. E essa capacidade é uma condi- cao essencial. Para comego de conversa, se 0 norte da nova economia e sociedade é composto por valores intangiveis, vocé precisa conhecé-los. Se vocé nio conhe- ce quais 550 0s seus sonhos. .. E preciso estar em sintonia com o seu desejo de alma. Vocé é fmico, e se :5 finico, esté an’ o seu potencial e a sua possibilidade de ge- rar riqueza. Entao vocé precisa conhecer esse seu tesouro xinico. E precisa conhe- cer também o seu entorno. MAS PARA DUE PRECISAMDS DESSE CONHE- CAMENTO? Porque o possfvel e o desejzivel sao imprevisfveis. Entao, como vocé faz? Tem que ser um pouco surfista, porque nio ha seguranca, as mudangtas sao muito rzipidas. Para surfar, nio se sabe como sera a proxima onda, entao é preciso conhecer, ter maestria da mente, emocfio, desejo, seu corpo, peso, equilibrio. Quan- to mais novo e desconhecido é o que esta fora, mais no eixo precisa ser o que esta dentro. Por isso valem todas as formas de autoconhecimento e equilrbrio. E, sobretudo, a ideia central do Yoga, que é a integracao. A gente se meteu numa roubada quando sepa- >> I I A inovagéo sempre veio daqueles que néo tém medo de nao se encaixar. Quando a gente permite esse ‘desencaixe’, é ai que avanga
  5. 5. prospeidado 4d >> economia criativa em “CS7! POR LALA DEHEINZELIN Conhecer seus intanqiveis - saber do . que vocé esta' cuidando, qual é a sua causa, seus conhecimentos, que tipo de experiéncia dnica vocé oferece. 2 Comunicar - se vocé so conhece e nao . comunica. nao tem valor. 3 Conectar tudo o que conhece e esta' . comunicado. Conectar infraestrutura, espagos. sonhos, conhecimentos. 4_ Compartilhar - todo mundo ganha. Colaboracéo - com ela, tudo fica - exponential. 6 Celebragéo e‘ a chave para manter a nsolaboracao. Fazer com alegria. beleza. criatividade. Ouanto mais celebragéio. mais vai funcionar. Credltar - crer, perceber riquezas e 7 resultados néo apenas monetérios. . Recursos como espacos. vlnculos, instituicoes. conhecimentos. Circular - gerar fluxo do que jé esta' 8 creditado. rou tangfvel de intangivel, natureza de cultura, mundo terreno de mundo divi- no. .. é uma (mica coisa. S6 quando con- segue ligar essas coisas, vocé consegue estar de forma integra e, assirn, criar. E fundamental ter ferramentas que ajudem a percepcao e a integracfio das vérias dimensoes da vida. Isso nio é nada eso- térico, é concreto, mas a educacao tradi- cional nio faz essa ponte. Entao a gente precisa aprender com outras praticas. N08 SEUS ESTUDDS, 0 DUE E PRDSPERIDADE 4D? E muito interessante o dito brasilei- ro “santo de casa nao faz milagre”. Isso talvez seja uma heranga terrivel da coloni- zagio. Se 0 same de casa nio faz milagre, quem é que vai fazer? E o que é que 550 esses santos? Todos os tipos de recursos que a gente tem que nzio sio moeda. Se houver um historiador do futuro falando dcste presente, provavelmente diré que a gente sofre de uma espécie dc hipnose coletiva. E uma culrura que faz a gente acreditar em coisas muito pouco crfveis, como a ideia de que xiqueza é so moeda. Claro que nio. A ideia da prosperidade 4D é que a gente coloque oculos para ver 0 mundo sob um prisma no qual a eco- nomia é o fluxo de recursos nas quatro dimensoes: financeira, cultural, arnbiental e social. Quando a gente tern esses éculos da prosperidade 4D, consegue identificar os recursos que possui. mdn . h: s pela celebragao. Pu am as grandes formas de cdi>a1z; io que conhecemos in per cdebraeio: religiao, hrhuci. czrnaval. E o celebrar 2' dz -ass: narureza, nos so- :3 scam boos nisso. E uma uaclcipa que podemos valo- rizx e aportar. A celebragio 2’ 2 hon fiorma para mobi- lizarmos at e mas pcssoas a colaborar na econouia critna CDID GEM! IIDIEZI IA ECDNDMIA CR| A- ll"? 0 AIIESIIQ dessa economia é que ela ten aver corn qualquer tipo de negécia finer area, qualquer em- preendincnn Ina’ cada vez mais o seu valor baseah m que é pessoal e tipico dc cada pcssoa. Pnmcira dica: pergunte- -se ‘estnu czichndo de que? Como? ”. No ctridansucéttmdarezadequaléasua causa no trinlbo. Quando existe essa causa. vocé tem a major das riquezas. N50 precisa ser salt-ar o mundo, pode ser a cam: dos que gostam de gatos. Outro paso irnporunre é se perguntar “o que en tenho dc t'mico? ”. Se vocé tem esse enttntfimento do que vocé e sua cornunidade rém dc fmico e especial, ai consegue gear produtos, proccssos, pro- jetos que sio reflexo dessa coisa {mica e sempre vai ter firncio, porque nio vai haver nada partcido. E bem legal também pensar como aproveitar o melhor possivel tudo o que as tecnologias de comunicacao ofere- cem. Com isso da‘ para compartilhar espaqo, rccursos, que é uma ideia-chave dessa economia E o mais importante: sem coragio e confianca, nada vai fun- cionar. Afeto e confianea em si mesmo e nos outros sio a base para que toda essa abundancia seja possivel. N A futurista Lala MAS CDMO ENGAJAR MAIS E Deheinzelin traré MAIS PESSDAS PARA FAZER ESSA estas e outras ® ECONOMIA or me cmcurm ideias "0 wrso °= 12 trabalhos do Uma das grandes tecnologias do Brasil é a celebracao. E nao ha forma de manter a colaboracio sem ser por meio de celebracio. Ninguém co- Iabora tanto pela dor ou pelo herél do século 21 a partir de 15/09 no Espaco Una Yoga. unayoqa. com. br IaladeheInzelin. com. br VOGAJOURNALCOMJR

×