Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Slides unidade 2 ano 2

2,488 views

Published on

Missial Design para http://pnaicbetefeliciano.blogspot.com.br/

Published in: Education

Slides unidade 2 ano 2

  1. 1. Organização do Planejamento e da Rotina. Unidade 2 – Ano 2
  2. 2. Objetivos 1、Planejamento no ciclo de alfabetização 3、A elaboração de rotinas de alfabetização na perspectiva do letramento 2、Delimitação de objetivos e estratégias para o ensino relativo ao componente curricular Língua Portuguesa 4、A organização do processo de ensino e de aprendizagem no ciclo de alfabetização
  3. 3. – Libâneo (1994): “O planejamento é um processo de racionalização, organização e coordenação da ação docente, articulando a atividade escolar e a problemática do contexto social. Esses planos de ação podem se configurar como educacional, escolar, curricular e de ensino”.
  4. 4. Os professores devem elaborar um planejamento de ensino para o ciclo de alfabetização que vise à definição das ações concretas para as situações do trabalho pedagógico, com o objetivo de possibilitar a apropriação e a consolidação da alfabetização. Para planejar é importante ter consciência dos direitos de aprendizagem no ciclo de alfabetização, estabelecendo uma progressão no ensino que proporciona a progressão nas aprendizagens a cada ano.
  5. 5. Portanto, é necessário pensarmos no planejamento que queremos para os três anos, para cada ano, para cada etapa dentro de cada ano, e para cada eixo do componente curricular Língua Portuguesa visando atender a cada criança em seu processo de aprendizagem. Ou seja, é necessário organizar nossa ação em relação a:
  6. 6. 1、Quais nossas prioridades no ensino a cada ano? 2、O que as crianças já sabem? 3、O que esperamos que os alunos aprendam? 4、Como planejamos os eixos do ensino do componente curricular Língua Portuguesa e como os distribuímos ao longo da semana? 5、Em que critérios nos baseamos para fazer a escolha da frequência de cada um deles? 6、Como buscamos explorá-los?
  7. 7. Nas dezenove obras aprovadas no PNLD 2010, a análise das coleções evidenciou avanços e limites em relação aos eixos de ensino: 4、ANÁLISE 1、LEITURA 2、 PRODUÇÃO DE TEXTO 3、 ORALIDADE LINGUÍSTICA
  8. 8. Leitura Crescente exploração da diversidade textual circulação, gênero, tamanho, tema de debate autores), presença de textos curtos, exploração das estratégias de leitura, do vocabulário e do contexto de produção Produção de Texto Exploração do contexto de produção, destinatários e objetivos específicos de cada gênero a ser Trabalhado e pouca ênfase em atividades de planejamento e revisão dos textos
  9. 9. Análise Linguística Crescente exploração de várias habilidades que possibilitam o domínio efetivo da escrita alfabética por meio da exploração de várias habilidades; Oralidade Menor avanço quanto à exploração do gênero e suas características, presença de atividades que exploram cantorias e conversas;
  10. 10. Eixo da leitura
  11. 11. PRECISA DEFINIR Qual gênero Qual a finalidade Destinatário Qual será a frequência (diária, semanal, quinzenalmente) Como será a produção(individual, coletiva, em duplas, em grupos)
  12. 12. As estratégias de leitura são operações utilizadas para abordar o texto, são as responsáveis pela construção da compreensão e tornam o leitor capaz de resolver problemas frente à leitura.
  13. 13. Perguntas durante e/ou depois da leitura Localizar informação explícita de um texto; Elaborar inferências; Estabelecer relações lógicas entre partes do texto; Identificar tema ou apreender o sentido geral do texto; Interpretar frases e expressões; Distinguir ponto de vista do “autor” de opiniões do leitor; Explorar vocabulário e recursos coesivos; Explorar características do gênero textual; Explorar recursos estéticos e expressivos do texto; Explorar imagens como elemento constitutivo das possibilidades de sentido; Identificar ideia central a partir do texto; Emitir opinião sobre o texto; Levantar e confirmar hipóteses (previsões sobre o texto).
  14. 14. Na escolha dos textos a serem lidos, é importante considerar: Qual é meu objetivo ao escolher este texto para esta turma? O que espero de meus alunos com a leitura deste texto? Qual seria um bom texto para desenvolver determinada habilidade de leitura que meus alunos ainda não dominam bem? Qual é o lugar deste texto no conjunto dos textos a serem lidos ao longo do bimestre, do semestre ou do ano? Qual a relação deste texto com o projeto pedagógico da escola, ou com meu próprio projeto para esta turma? Minhas escolhas levam em consideração os interesses de meus alunos? Quais foram as dificuldades encontradas por meus alunos para a compreensão do texto lido? Se eu planejei alguma atividade para desenvolver a partir do texto lido, essa atividade contribuiu para a melhor compreensão do texto?
  15. 15. • Questões a ser consideradas no Planejamento das Atividades de Leitura – Quem irá ler? (professor, aluno, ambos); – Como será a leitura? (silenciosa, compartilhada, coletiva, em voz alta ou baixa); – Que gênero será lido? – Qual a regularidade dessa atividade na semana? – Que informações serão dadas sobre o contexto de produção do gênero (sobre o autor, local, suporte, tema)? – Como iremos explorar as características do gênero? – Qual a finalidade da leitura? – Que atividades irão demandar da leitura? – Quais atividades de exploração da compreensão do texto são adequadas ao gênero? Ou seja, ao planejarmos as atividades de leitura, podemos favorecer a aprendizagem das crianças sobre os elementos constitutivos dos gêneros a serem explorados? (SCHNEUWLY; DOLZ, 2004).
  16. 16. Eixo da Produção Escrita • Quanto ao Eixo da Produção de Textos, consideramos: – Ao entrarmos no mundo da escrita, operamos com a língua de modo diferente: • A língua faz-se objeto de atenção e manipulação. – Leal e Albuquerque (2005) apontam alguns tipos de uso da escrita na alfabetização:
  17. 17. Diálogo Autonomia de Pensamento Participação Reflexão sobre a língua escrita Escrita Espontânea Ludicidade Garantir atividades individuais e coletivas respeitando os diferentes ritmos dos alunos. Respeito
  18. 18. É importante pensar em atividades que envolvam ações de comparar, montar e desmontar palavras para observar e discutir os princípios do Sistema de Escrita Alfabética, promovendo a apropriação e a consolidação da alfabetização.
  19. 19. Atividades de Escrita, como: Cara (preço) / Cara (rapaz) Comparar Sem / Cem Montar Jacareí / Jacaré Jaca / Rei Desmontar Se tirar SA de SACOLA  Cidadania: Cida Natureza: Reza Fica COLA / SALA / SACO Sabia / Sabiá
  20. 20. Como? Para quem? Sempre que se escreve deve ter em mente Para quê? O que escrever? (Assunto) Objetivo da Escrita (Por quê?)
  21. 21. Planejamento das Atividades de Produção de Textos Lugar da Produção O tempo reservado para a produção Características de para quem vamos escrever A forma que interagimos com o receptor do texto Posição social do locutor e do interlocutor, objetivos da interação
  22. 22. Precisa definir: Qual gênero? Qual a finalidade? Qual é o destinatário? Qual será a frequência: diária, semanal, quinzenal? Como será a produção: individual, coletiva, em duplas, em grupos?
  23. 23. Refletindo… “É interagindo com a escrita, contemplando seus usos e funções, que as crianças se apropriam da escrita alfabética e não a partir da leitura de textos forjados como os presentes em diferentes cartilhas de alfabetização.”
  24. 24. – Morais (1999): “Ao atingir a hipótese alfabética é preciso que a criança reflita sobre a norma ortográfica, compreendendo as regularidades e memorizando as irregularidades ortográficas, a fim de escrever convencionalmente as palavras”
  25. 25. • Conhecendo a Ortografia: – Ortografia é uma convenção social e por isso deve ser ensinada assim que o aprendiz aprendeu o funcionamento do sistema de escrita alfabética. • O domínio das operações de revisão, auto avaliação e reelaboração dos textos escritos começa com a orientação dada pelo professor (a) e depois vai, gradativamente, se interiorizando até se tornar uma capacidade autônoma.
  26. 26. Eixo da Análise Linguística Forma lúdica: • É preciso considerar as por meio de jogos e atividades voltadas atividades que para o que queremos ensinar sobre o Sistema promovam a reflexão de Escrita Alfabética e o funcionamento (como se organiza esse das palavras escritas sistema), considerando (ordem, estabilidade quais conhecimentos e repetição das letras, foram construídos quantidade de partes pelos estudantes e faladas e escritas, como eles se apropriam semelhanças sonoras) desses conhecimentos.
  27. 27. Eixo da Oralidade Não é certo afirmar que a fala é informal e a escrita formal. Ambas têm graus de formalidade variáveis de acordo com as situações comunicativas, pois os usos da língua são situados, sociais e históricos, e possuem certo grau de implícito envolvimento.
  28. 28. Os conteúdos podem ser: Procedimentais Conceituais Manejar, Confeccionar, Provar, Construir, Utilizar... Identificar, Reconhecer, Comparar, Conhecer, Relacionar... Atitudinais Respeitar, Apreciar, Valorizar, Aceitar, Apreciar, Preferir...
  29. 29. TAREFA DE CASA... 1 - Ler os direitos de aprendizagem de História e comparar com o conteúdo ou habilidades com o da nossa rede e analisar. Material será enviado via e-mail 2 - Fazer um levantamento dos materiais de alfabetização na escola (MEC), 3 - Analisar os materiais, 4 - Listar alguns a serem usados na turma do 2º ano. 5 -RELATÓRIO REFLEXIVO: referente ao encontro e enviar por email o mais rápido .
  30. 30. Livro Didático PNLD 1 PNLD (Obras complementares) 2 PNBE (Biblioteca da Escola) 3 PNBE (ESPECIAL) 4 PNLD (Dicionários) 5 Jogos de Alfabetização 6 PNBE do professor 7 Coleção explorando o Ensino
  31. 31. Realização:

×