Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Bibliotecas Digitais

24,324 views

Published on

Bibliotecas Digitais e Bibliotecas Escolares

Bibliotecas Digitais

  1. 1. Bibliotecas digitais Bibliotecas Digitais
  2. 2. Bibliotecas e tecnologia ao longo do tempo
  3. 3. Bibliotecas digitais <ul><li>– “ digital libraries” no </li></ul><ul><li>+ de 1 milhão de páginas </li></ul>
  4. 4. Definições <ul><li>Segundo Leiner (1988), «Uma Biblioteca Digital é a colecção de serviços e de objectos de informação, com organização, estrutura e apresentação que suportam o relacionamento dos utilizadores com os objectos de informação, disponíveis directa ou indirectamente via meio electrónico/digital .» </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Dezenas de definições diferentes de “biblioteca digital”! </li></ul>Definições
  6. 6. <ul><li>1. Acesso remoto (através de um PC ou outro dispositivo ligado a uma rede); </li></ul><ul><li>2. Utilização simultânea do mesmo documento por vários utilizadores; </li></ul><ul><li>3. Disponibilização em suporte digital de produtos e serviços de uma biblioteca física; </li></ul>Características de consenso
  7. 7. <ul><li>4. Acesso em linha a fontes externas de informação; </li></ul><ul><li>6. Utilização integrada de diversos suportes de registo de informação (texto, som, imagem, vídeo…); </li></ul><ul><li>5. Biblioteca pode não ser proprietária dos recursos disponibilizados; </li></ul><ul><li>7. Sistemas inteligentes de recuperação da informação . </li></ul>Características de consenso
  8. 8. O que não é uma biblioteca digital? <ul><li>a) Biblioteca automatizada; </li></ul><ul><li>b) Biblioteca tradicional com catálogo automatizado, com catálogo em linha (OPAC) na Internet; </li></ul><ul><li>c) A Internet. </li></ul><ul><li>d) O Google. </li></ul>
  9. 9. Exemplos de bibliotecas digitais <ul><li>Internet Public Library </li></ul><ul><li>Biblioteca Nacional Digital (BN - Portugal) </li></ul><ul><li>Library of Congress. American Memory </li></ul><ul><li>SciELO - Scientific electronic library online </li></ul><ul><li>Biblioteca Virtual do Estudante Brasileiro </li></ul><ul><li>New Zealand Digital Library </li></ul><ul><li>Google Books Library Project </li></ul><ul><li>Gallica – Biblioteca Nacional de França </li></ul><ul><li>Projecto Gutemberg </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  10. 19. <ul><li>Conferences - ISCTE - ISCTE </li></ul><ul><li>DigIPP Beta - Biblioteca Digital do IPP - Bibl. Central, Inst. Politécnico do Porto </li></ul><ul><li>Dited - Depósito de Dissertações e Teses Digitais - Biblioteca Nacional de Portugal </li></ul><ul><li>E3P - Espaço Electrónico de Engenharia em Portugal – Serv. Doc. Infor., Fac. Engª, U. Porto </li></ul><ul><li>e-Repository - Univ. Minho e TecMinho </li></ul><ul><li>ISCTE Repository - ISCTE </li></ul><ul><li>Journals ISCTE - I SCTE </li></ul><ul><li>PAM - Portuguese Archive of Mathematics CEOC, Univ. Aveiro </li></ul><ul><li>Papadocs - Depº Sist.Inform., Univ. Minho </li></ul><ul><li>Repositório Científico da Universidade de Évora - Univ. Évora </li></ul><ul><li>RepositóriUM - Univ. Minho </li></ul><ul><li>RODA (Repositório de Objectos Digitais Autênticos) - Direcção-Geral de Arquivos </li></ul><ul><li>SciELO Portugal - Observatório da Ciência e do Ensino Superior </li></ul><ul><li>SinBAD - Univ. Aveiro </li></ul><ul><li>Wildlife Biology in Practice - SPVS (Portuguese Wildlife Society) </li></ul><ul><li>Wildrepositorium - SPVS (Portuguese Wildlife Society) </li></ul>Repositórios de acesso aberto em Portugal
  11. 20. Objectos da Biblioteca Digital <ul><li>Artefactos digitalizados </li></ul><ul><ul><li>Objectos com existência física digitalizados por meios mecânicos. Ex.: transposição para .pdf de um documento impresso, conversão de VHS para DVD. </li></ul></ul>Numa hora apenas, este dispositivo consegue digitalizar 500 páginas (manualmente, uma pessoa com alguma prática é capaz de conseguir digitalizar uma média de 100 páginas por hora).
  12. 21. <ul><li>Artefactos digitais (concebidos originalmente em formato digital) </li></ul><ul><ul><li>Critérios a respeitar: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Usabilidade ( simplicidade e facilidade com que uma interface, um programa de computador ou um website pode ser utilizado). </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Scannability (escrever para ler no ecrã) </li></ul></ul></ul>Objectos da Biblioteca Digital
  13. 22. <ul><li>Artefactos digitais que simulam o mundo físico ( Realidade Virtual, interactividade, 3D ): (representação tridimensional de uma escultura, de um edifício ou de uma paisagem; recriação virtual de ambientes históricos; etc.). </li></ul>Objectos da Biblioteca Digital
  14. 23. <ul><li>Textos digitais : podem ser facilmente actualizados, copiados, distribuídos, convertidos em novos formatos. </li></ul><ul><li>Conteúdos hipertextuais (clicáveis). </li></ul><ul><li>Indexação : textos podem ser indexados por palavras, em várias línguas e podem cobrir vários documentos. </li></ul><ul><li>Redução de custos (aquisição, armazenamento, pessoal, preservação). </li></ul><ul><li>Pesquisa e acesso facilitados (pesquisa nos conteúdos e não apenas metadados). </li></ul><ul><li>Trabalho em rede e partilha de recursos (apontadores para recursos externos, outras BD). </li></ul>Vantagens da biblioteca digital
  15. 24. <ul><li>Materiais raros , especialmente antigos ou de domínio público, podem ser disponibilizados via BD. Cópias da Bíblia de Gutenberg estão disponíveis, por exemplo, na British Library http:// www.bl.uk / treasures / gutenberg / homepage.html </li></ul><ul><li>Acesso remoto : já não é necessário ir à biblioteca; recursos e informações podem ser consultados de qualquer lugar do mundo, via Internet, sem necessidade de nos deslocarmos. </li></ul><ul><li>Acesso simultâneo : um número ilimitado de pessoas podem aceder ao mesmo recurso, mesmo ler a mesma página do mesmo texto, simultaneamente. </li></ul><ul><li>Acesso 24/7 : com a Internet, a BD está disponível 24 horas por dia, 7 dias da semana. </li></ul>Vantagens da biblioteca digital
  16. 25. <ul><li>Preservação dos originais : materiais em risco e frágeis podem ser consultados via Web sem causar problemas para os originais. Ex: Advanced Papyrological Information System http:// sunsite.berkeley.edu /APIS/ </li></ul><ul><li>Confiabilidade : BD sem os problemas comuns das bibliotecas tradicionais: livro emprestado, fora do lugar, página rasgada, falta do fascículo do periódico. O item sempre estará disponível na BD, via web. </li></ul><ul><li>Usabilidade : Ajuda a utilizadores portadores de deficiência: </li></ul><ul><ul><li>Sem limitações físicas </li></ul></ul><ul><ul><li>Manipular a informação para seu melhor entendimento. </li></ul></ul>Vantagens da biblioteca digital
  17. 26. Vantagens da biblioteca digital
  18. 27. <ul><li>Preservação da informação da biblioteca digital: os suportes ópticos tem uma vida útil curta. </li></ul><ul><li>Obsolescência dos equipamentos e programas informáticos; </li></ul><ul><li>Grau de confiabilidade da informação; </li></ul><ul><li>Impossibilidade de digitalizar todos os materiais com a tecnologia actual. </li></ul>Desvantagens da biblioteca digital
  19. 28. <ul><li>Lentidão na transmissão de dados; </li></ul><ul><li>Tecnologias muito dispendiosas ; </li></ul><ul><li>Interfaces pouco amigáveis ; </li></ul><ul><li>Segurança ; </li></ul><ul><li>Direitos de autor ; </li></ul><ul><li>Dependência total da tecnologia . </li></ul>Desvantagens da biblioteca digital
  20. 29. Novas ferramentas para as BD Biblioteca 2.0 <ul><li>Web 2.0 </li></ul><ul><li>Novo paradigma da Internet </li></ul><ul><ul><li>O utilizador como criador de conteúdos: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Utilizador participativo </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Software social </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Inteligência colectiva </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Descentração dos conteúdos </li></ul></ul>
  21. 30. Biblioteca 2.0 <ul><li>Web 2.0 </li></ul><ul><ul><li>Redes sociais ( weblogs , fotologs , Orkut ); </li></ul></ul><ul><ul><li>Wikis - Conteúdo colaborativo e/ou participativo; </li></ul></ul><ul><ul><li>Folksonomias ( del.icio.us , flickr , youTube ) - O utilizador organiza o próprio conteúdo); </li></ul></ul><ul><ul><li>Rating (avaliação pelos pares); </li></ul></ul><ul><ul><li>Novas tecnologias (XML, RSS - permite ver conteúdo de vários sítios numa única página) </li></ul></ul>
  22. 31. Biblioteca 2.0 <ul><li>Redes de pessoas e não de máquinas </li></ul>
  23. 33. Biblioteca 2.0 <ul><li>Rumos da Biblioteca 2.0 </li></ul><ul><ul><li>Serviços centrados no utilizador; </li></ul></ul><ul><ul><li>BD personalizável, adaptável às necessidades de informação </li></ul></ul><ul><ul><li>Aproveitar a experiência colectiva; </li></ul></ul><ul><ul><li>Dinamismo/versatilidade; </li></ul></ul><ul><ul><li>Dar ao utilizador um papel de colaborador nos conteúdos (comentar, avaliar, enriquecer, indexar recursos, tags, etc.; </li></ul></ul><ul><ul><li>Mudança de mentalidade, não de tecnologia. </li></ul></ul>
  24. 34. Biblioteca 2.0 - Princípios Paul Miller e Ken Chad 2005 <ul><li>A biblioteca está em todo o lado: </li></ul><ul><ul><li>Disponível no ponto de necessidade; </li></ul></ul><ul><ul><li>Ir onde os utilizadores estão. </li></ul></ul><ul><li>A biblioteca não tem barreiras: </li></ul><ul><ul><li>Não há barreiras entre o utilizador e a informação. </li></ul></ul><ul><li>A biblioteca convida à participação: </li></ul><ul><ul><li>Blogues, wikis, etiquetar e comentar no catálogo, etc.; </li></ul></ul><ul><li>A biblioteca usa sistemas flexíveis, os melhores no seu ramo: </li></ul><ul><ul><li>O OPAC feito de pequenas peças levemente agregadas; </li></ul></ul><ul><ul><li>Serviços, modulares e interoperáveis. </li></ul></ul>
  25. 38. <ul><li>Identificar as razões principais que presidem ao projecto </li></ul><ul><ul><li>Armazenar/organizar/disponibilizar recursos. </li></ul></ul><ul><ul><li>Melhorar e aumentar o acesso </li></ul></ul><ul><ul><li>Preservação de originais </li></ul></ul><ul><ul><li>Interligação de recursos… ) </li></ul></ul><ul><li>Definir: </li></ul><ul><ul><li>Requisitos técnicos, </li></ul></ul><ul><ul><li>Padrões de descrição, indexação e pesquisa </li></ul></ul><ul><ul><li>Estratégias de preservação dos recurso </li></ul></ul>Como criar uma biblioteca escolar digital
  26. 39. <ul><li>Estabelecer uma política de selecção de materiais a digitalizar ou a disponibilizar em formato electrónico tendo em conta: </li></ul><ul><ul><li>objectivos da biblioteca; </li></ul></ul><ul><ul><li>valor intrínseco do recurso (valor informacional) e extrínseco (contextual); </li></ul></ul><ul><ul><li>público-alvo; </li></ul></ul><ul><ul><li>custos associados; </li></ul></ul><ul><ul><li>relação custo/benefício; </li></ul></ul><ul><ul><li>segurança de pessoas e instituições; </li></ul></ul><ul><ul><li>direitos de autor; </li></ul></ul><ul><ul><li>previsões de utilização; </li></ul></ul>Como criar uma biblioteca escolar digital
  27. 40. <ul><li>Outros aspectos a considerar: </li></ul><ul><li>Constituir uma equipa de diferentes valências. </li></ul><ul><li>Envolver no projecto as estruturas pedagógicas e de gestão da escola. </li></ul><ul><li>Definir a estrutura informática: equipamentos, formas de acesso, software . </li></ul><ul><li>Elaborar e fazer aprovar orçamento. </li></ul><ul><li>Calendarizar. </li></ul><ul><li>Avaliar. </li></ul>Como criar uma biblioteca escolar digital

×