Apresentação dst

27,815 views

Published on

Published in: Health & Medicine, Technology
0 Comments
7 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
27,815
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5,911
Actions
Shares
0
Downloads
681
Comments
0
Likes
7
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Apresentação dst

  1. 1. DST/AIDS/ GRAVIDEZ NA ADOLÊNCIA
  2. 2. SISTEMAS REPRODUTORES
  3. 3. MÉTODOS ANTICONCEPCIONAIS (CONTRACEPTIVOS) <ul><li>A prevenção da gestação não planejada é fundamental, uma vez que a idade para início das relações sexuais está diminuindo cada vez mais, enquanto estão aumentando o número de adolescentes grávidas. </li></ul><ul><li>Os métodos contraceptivos podem ser divididos didaticamente em: comportamentais, de barreira, dispositivo intra-uterino (DIU), métodos hormonais e cirúrgicos . </li></ul><ul><li>Métodos comportamentais : </li></ul><ul><li>Método Rítmico ou O gino-Knaus (do calendário ou tabelinha) : procura calcular o início e o fim do período fértil e somente é adequado para mulheres com ciclo menstrual regular. A mulher deve ser orientada, inicialmente, a marcar no calendário os últimos 6 a 12 ciclos menstruais com data do primeiro dia e duração, calculando então o seu período fértil e abstendo-se de relações sexuais com contato genital neste período. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Método do Muco Cervical (Billing) : baseia-se na identificação do período fértil pelas modificações cíclicas do muco cervical, observado no auto-exame e pela sensação por ele provocada na vagina e vulva. A observação da ausência ou presença do fluxo mucoso deve ser diária. O muco cervical aparece cerca de 2 a 3 dias depois da menstruação, e inicialmente é pouco consistente e espesso. Logo antes da ovulação, ele atinge o chamado &quot;ápice&quot;, em que fica bem grudento.  </li></ul><ul><li>Coito interrompido : baseia-se na capacidade do homem em pressentir a iminência da ejaculação e neste momento retirar o pênis da vagina. Tem baixa efetividade, levando à disfunção sexual do casal, e deve ser desencorajado. </li></ul>
  5. 5. Métodos de Barreira <ul><li>Condom ou camisinha ou preservativo: </li></ul><ul><li>Uso da masculina: desenrolar a camisinha no pênis ereto, antes de qualquer contado com a vagina, ânus ou boca. Deve ser retirada do pênis imediatamente após a ejaculação, segurando as bordas da camisinha para impedir que os espermatozóides escapem para a vagina. </li></ul><ul><li>Uso da feminina : retirar da embalagem somente na hora do uso. Flexionar o anel de modo que possa ser introduzido na vagina. Com os dedos indicador e médio, empurrar o máximo que puder, de modo que fique sobrando um pouco para fora, o que deve permanecer assim durante a relação. Retirar logo após a ejaculação, rosqueando o anel para que não escorra o líquido seminal para dentro da vagina . </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Diafragma :é um anel flexível, coberto por uma membrana de borracha fina, que a mulher deve colocar na vagina, para cobrir o colo do útero. Como uma barreira, ele impede a entrada dos espermatozóides, devendo ser utilizado junto com um espermicida, no máximo 6 horas antes da relação sexual. </li></ul><ul><li>Esponjas e Espermicidas : as esponjas são feitas de poliuretano, são adaptadas ao colo uterino com alça para sua remoção e são descartáveis (ao contrário do diafragma), estão associadas a espermicidas que são substâncias químicas que imobilizam e destroem os espermatozóides, podendo ser utilizados combinadamente também com o diafragma ou preservativos. </li></ul><ul><li>Dispositivo Intra-Uterino (DIU) : os DIUs são artefatos de polietileno, aos quais podem ser adicionados cobre ou hormônios, que são inseridos na cavidade uterina exercendo sua função contraceptiva. Atuam impedindo a fecundação, tornando difícil a passagem do espermatozóide pelo trato reprodutivo feminino. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Lançado recentemente no Brasil, o Mirena é um novo método endoceptivo, como o DIU . Trata-se de um dispositivo de plástico ou de metal colocado dentro do útero. É um DIU combinado com hormônios. </li></ul><ul><li>Anticoncepcional Hormonal Combinado Oral (AHCO) : o AHCO consiste na utilização de estrogênio associado ao progesterona, impedindo a concepção por inibir a ovulação pelo bloqueio da liberação de gonadotrofinas pela hipófise. Também modifica o muco cervical tornando-o hostil ao espermatozóide, altera as condições endometriais, modifica a contratilidade das tubas, interferindo no transporte ovular. </li></ul><ul><li>Pílula pós-coito ou pílula do dia seguinte : a anticoncepção de emergência é um uso alternativo de contracepção hormonal oral (tomado antes de 72 horas após o coito) evitando-se a gestação após uma relação sexual desprotegida. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Injetáveis : os anticoncepcionais hormonais injetáveis são anticoncepcionais hormonais que contém progesterona ou associação de estrogênios, para administração parenteral (intra-muscular ou IM), com doses hormonais de longa duração. </li></ul><ul><li>IMPLANON (implante hormonal) : microbastão de hormônio sintético similar à progesterona, que é implantado no antebraço (com anestesia local) e inibe a ovulação. Dura três anos. </li></ul><ul><li>Nuvaring®: é um anel vaginal contendo Etonogestrel e Etinilestradiol que é colocado na vagina no 5º dia da menstruação, permanecendo nesta posição durante três semanas. </li></ul><ul><li>A maior vantagem é que a mulher não precisará tomar a pílula todo dia e nem esquecerá. Outra vantagem é que os hormônios serão absorvidos diretamente pela circulação evitando alguns efeitos colaterais desagradáveis da pílula oral. </li></ul>
  9. 9. CANCRO DURO (SÍFILIS ) <ul><li>Conceito: Doença infecto-contagiosa sistêmica (acomete todo o organismo), que evolui de forma crônica (lenta) e que tem períodos de acutização (manifesta-se agudamente) e períodos de latência. </li></ul><ul><li>Sífilis primária: trata-se de uma lesão ulcerada (cancro) não dolorosa (ou pouco dolorosa), em geral única, com a base endurecida, lisa, brilhante, com presença de secreção serosa (líquida, transparente) escassa e que pode ocorrer nos grandes lábios, vagina, clítoris, períneo e colo do útero na mulher e na glande e prepúcio no homem, mas que pode também ser encontrada nos dedos, lábios, mamilos e conjuntivas. </li></ul><ul><li>Sinônimos Cancro duro, cancro sifilítico, Leus. Agente Treponema pallidum. Complicações/Consequências Aborto espontâneo, natimorto, parto prematuro, baixo peso, endometrite pós-parto. Infecções peri e neonatal. Sífilis Congênita. Neurossífilis. Sífilis Cardiovascular. Transmissão Relação sexual (vaginal anal e oral), transfusão de sangue contaminado, transplacentária (a partir do quarto mês de gestação). Eventualmente através de fômites. </li></ul>
  10. 10. Candidíase <ul><li>Conceito A candidíase, especialmente a candidíase vaginal, é uma das causas mais frequentes de infecção genital. Caracteriza-se por prurido (coceira), ardor, dispareunia (dor na relação sexual) e pela eliminação de um corrimento vaginal em grumos brancacentos, semelhante à nata do leite. Com frequência, a vulva e a vagina encontram-se edemaciadas (inchadas) e hiperemiadas (avermelhadas). </li></ul><ul><li>Sinônimos Monilíase, Micose por cândida, Sapinho. </li></ul><ul><li>Agente Candida albicans e outros. </li></ul><ul><li>Complicações/Consequências São raras. Pode ocorrer disseminação sistêmica (especialmente em imunodeprimidos). Transmissão Ocorre transmissão pelo contato com secreções provenientes da boca, pele, vagina e dejetos de doentes ou portadores. A transmissão da mãe para o recém-nascido (transmissão vertical) pode ocorrer durante o parto. </li></ul>
  11. 11. HERPES SIMPLES GENITAL <ul><li>Conceito: Infecção recorrente (vem, melhora e volta) causadas por um grupo de vírus que determinam lesões genitais vesiculares (em forma de pequenas bolhas) agrupadas que, em 4-5 dias, sofrem erosão (ferida) seguida de cicatrização espontânea do tecido afetado. As lesões com frequência são muito dolorosas e precedidas por eritema (vermelhidão) local. </li></ul><ul><li>Sinônimos: Herpes Genital. Agente: Vírus do Herpes Genital ou Herpes Simples Genital ou HSV-2. É um DNA vírus. </li></ul><ul><li>Complicações/Consequências Abôrto espontâneo, natimorto, parto prematuro, baixo peso, endometrite pós-parto. Infecções peri e neonatais. Vulvite. Vaginite. Cervicite. Ulcerações genitais. Proctite. Complicações neurológicas etc. Transmissão: Frequentemente pela relação sexual. Da mãe doente para o recém-nascido na hora do parto. </li></ul>
  12. 12. Gonorréia <ul><li>Conceito Doença infecto-contagiosa que se caracteriza pela presença de abundante secreção purulenta (corrimento) pela uretra no homem e vagina e/ou uretra na mulher. Este quadro frequentemente é precedido por prurido (coceira) na uretra e disúria (ardência miccional). Em alguns casos podem ocorrer sintomas gerais, como a febre. </li></ul><ul><li>Sinônimos Uretrite Gonocócica, Blenorragia, Fogagem. Agente Neisseria gonorrhoeae. Complicações/Consequências Abôrto espontâneo, natimorto, parto prematuro, baixo peso, endometrite pós-parto. Doença Inflamatória Pélvica. Infertilidade. Epididimite. Prostatite. Pielonefrite. Meningite. Miocardite. Gravidez ectópica. Septicemia, Infecção ocular (ver foto abaixo) , Pneumonia e Otite média do recém-nascido. Artrite aguda etc. </li></ul><ul><li>Transmissão Relação sexual. O risco de transmissão é superior a 90%, isto é, ao se ter um relacionamento sexual com um(a) parceiro(a) doente, o risco de contaminar-se é de cerca de 90%. </li></ul>
  13. 13. CONDILOMA ACUMINADO HPV <ul><li>Conceito Infecção causada por um grupo de vírus (HPV - Human Papilloma Viruses) que determinam lesões papilares (elevações da pele) as quais, ao se fundirem, formam massas vegetantes de tamanhos variáveis, com aspecto de couve-flor (verrugas).Os locais mais comuns do aparecimento destas lesões são a glande, o prepúcio e o meato uretral no homem e a vulva, o períneo, a vagina e o colo do útero na mulher. Sinônimos Jacaré, jacaré de crista, crista de galo, verruga genital. Agente Papilomavirus Humano (HPV) - DNA vírus.  HPV é o nome de um grupo de vírus que incluem mais de 100 tipos. As verrugas genitais ou condilomas acuminados são apenas uma das manifestações da infecção </li></ul><ul><li>Complicações/Consequências Câncer do colo do útero e vulva e, mais raramente, câncer do pênis e também do ânus. Transmissão Contacto sexual íntimo (vaginal, anal e oral). Mesmo que não ocorra penetração vaginal ou anal o vírus pode ser transmitido.O recém-nascido pode ser infectado pela mãe doente, durante o parto </li></ul>
  14. 14. AIDS <ul><li>Conceito Síndrome (uma variedade de sintomas e manifestações) causado pela infecção crônica do organismo humano pelo vírus HIV (Human Immunodeficiency Vírus). O vírus compromete o funcionamento do sistema imunológico). Com a progressiva lesão do sistema imunológico o organismo humano se torna cada vez mais susceptível a determinadas infecções e tumores. </li></ul><ul><li>Sinônimos: SIDA, Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, HIV-doença. Agente: HIV (Human Immunodeficiency Virus), com 2 subtipos conhecidos : HIV-1 e HIV-2. Complicações/Conseqüências; Doenças oportunísticas, como a tuberculose miliar e determinadas pneumonias, alguns tipos de tumores, Transmissão; Sangue e líquidos grosseiramente contaminados por sangue, sêmem, secreções vaginais e leite materno. Os beijos sociais (beijo seco, de boca fechada) são seguros (risco zero) quanto a transmissão do vírus, mesmo que uma das pessoas seja portadora do HIV. O mesmo se pode dizer de apertos de mão e abraços. Os beijos de boca aberta são considerados de baixo risco quanto a uma possível transmissão do HIV. </li></ul>
  15. 15. A GRAVIDEZ <ul><li>A gravidez não confere à mulher e seu bebê nenhuma proteção especial em relação às doenças sexualmente transmissíveis, </li></ul><ul><li>Uma grávida que &quot;pega&quot; uma DST pode apresentar, as seguintes possíveis consequências tanto para a gestação em andamento quanto para a sua saúde futura: parto prematuro, ruptura prematura da placenta, doença inflamatória pélvica (DIP), hepatite crônica, câncer do colo do útero, infertilidade etc </li></ul><ul><li>A mulher grávida pode transmitir para o seu filho (transmissão vertical) várias doenças adquiridas sexualmente. Essa transmissão pode ocorrer antes, durante ou depois do nascimento. O vírus HIV e o treponema (agente da sífilis), por exemplo, podem infectar o feto ainda no interior do útero, em razão da sua capacidade de atravessar a placenta. Outras DSTs, como a gonorréia, clamídia, herpes etc podem ser transmitidas para o bebê no nascimento. O vírus HIV pode ainda ser transmitido ao bebê após o nascimento, através da amamentação </li></ul><ul><li>Prevenção: A maneira mais segura da mulher evitar o contágio de doenças sexualmente transmissíveis é o de ter uma relação duradoura, mutuamente monogâmica, com parceiro sabida e comprovadamente sadio. As camisinhas, quando usadas corretamente, são muito eficazes para evitar a transmissão do HIV. </li></ul>
  16. 16. <ul><li>A gravidez na adolescência envolve muito mais do que problemas físicos, pois há também problemas emocionais, sociais, entre outros. Uma jovem de 14 anos, por exemplo, não está preparada para cuidar de um bebê, muito menos de uma família. </li></ul><ul><li>Com isso, entramos em outra polêmica, o de mães solteiras, por serem muito jovens os rapazes e as moças não assumem um compromisso sério e na maioria dos casos quando surge a gravidez um dos dois abandona a relação sem se importar com as conseqüências. </li></ul><ul><li>. </li></ul><ul><li>As consequências podem ser instantâneas ou em longo prazo, mas sempre haverá um ponto negativo em se ter filho tão cedo, como depressão pós-parto ou problemas emocionais descontados na própria criança, </li></ul>
  17. 17. curiosidades <ul><li>P: Hoje, ao acordar, notei um corrimento amarelado pelo canal da urina. Quando fui urinar senti muita dor. É uma DST? É grave? Há 5 dias tive uma relação em que a camisinha rompeu mas eu só percebi no final da transa. R: Sua descrição sugere uma uretrite cuja causa deve ser investigada. Não se trata de doença grave e quando adequadamente tratada tem cura completa. Você deve suspender a sua atividade sexual e procurar um médico para uma avaliação </li></ul><ul><li>P: Corrimento vaginal sempre quer dizer que a pessoa tem DST? O meu corrimento começou ontem e meu namorado disse não estar apresentando nada e jura que não me traiu. Eu só transo com ele. É possível? R: É possível sim haver um corrimento vaginal não relacionado com DST. São várias as possibilidades. Você deve procurar seu(ua) ginecologista para ver qual a natureza (causa) do corrimento e, dependendo do resultado, recomendar ao seu parceiro que procure também cuidados médicos, independente dele estar ou não apresentando sintomas </li></ul><ul><li>P: Ha cerca de 12 dias estou apresentando queimação na uretra e uma pequena secreção principalmente pela manhã. É Gonorréia? Que remédio eu tomo pra isso? R: Sua descrição sugere mais uma uretrite não gonocócica (clamídia, trichomonas etc). Você deverá procurar cuidados médicos adequados </li></ul>
  18. 18. <ul><li>P: ... é possível pegar algum tipo de DST usando vibradores usados por outras pessoas? R: Sem dúvida, o vibrador pode veicular DSTs e não deve ser compartilhado </li></ul><ul><li>P: Há 1 semana, tinha bebido umas e outras e transei com uma garota de programa e não usei camisinha. Agora caí na real e estou muito preocupado. O que devo fazer? Já posso fazer o teste para HIV? R: O exame deve ser feito após 90 dias da data da provável exposição de risco </li></ul><ul><li>P: Após a relação sexual (anal e vaginal) sinto um desconfortável ardor vaginal e dores ao urinar. Será que é devido ao fato de fazer sexo anal e depois vaginal? R: Não se deve praticar um contato ou penetração vaginal após uma penetração anal. Quando isto por alguma razão tiver que acontecer, uma boa higienização peniana (no chuveiro, com água e sabão) deve ser feita antes da penetração vaginal </li></ul><ul><li>P: Apareceu no meu pênis (na glande) uma verruga muito pequena, bem menor que a das fotos disponíveis no site. Pode ser Condiloma? R: Pode sim e é muito provável que seja. O tamanho dos condilomas é muito variável. Alguns são tão pequenos que necessitam do auxílio de instrumento ótico (lupa) para visualizá-los. </li></ul>
  19. 19. <ul><li>P: Que exame se faz para saber se uma pessoa está com sífilis? R: Se tiver um cancro duro (ferida que caracteriza a porta de entrada do agente da doença no organismo) o exame a ser feito é a pesquisa do treponema no material colhido da lesão. Após a cura do cancro (a cura é espontânea, independente de tratamento) deve ser feito um exame de sangue </li></ul><ul><li>P: ... meu namorado tem uns carocinhos que parecem umas verruguinhas muito pequenas ao redor de toda a cabeça do pênis. Ele disse que faz tempo que ele tem isso mas fiquei muito preocupada com a possibilidade de ser uma DST. Ele diz que vai ao médico mas fica sempre adiando. O que o sr. acha que pode ser? É grave? R: Você deve estar se referindo a algumas glândulas que os homens possuem na coroa da glande. São as chamadas glândulas de Tyson e são responsáveis pela produção do esmegma (aquele pozinho branco e de odor desagradável que se acumula na região, eventualmente). Isto não é uma doença </li></ul><ul><li>P: Tive relação com meu namorado outro dia e quando ele &quot;gozou&quot; e retirou a camisinha, o esperma estava avermelhado, parecendo sangue. O que pode ter acontecido? Será que ele está com alguma doença? R: Este sinal recebe o nome hemospermia (sangue no esperma). Não costuma estar relacionado com DST mas deve ser investigado </li></ul>
  20. 20. <ul><li>P: Por favor, gostaria de saber quais doenças podem ser transmitidas através do sexo oral em mulheres... R: Várias DSTs podem ser transmitidas pelo sexo oral praticado tanto em homens quanto em mulheres: AIDS, Hepatite B, Sífilis, HPV, Herpes Genital etc. Recomenda-se praticá-lo com a utilização de algum protetor para evitar contato com as secreções e tecidos (camisinha ou plástico fino). </li></ul><ul><li>P: Como ocorre efetivamente uma transmissão pelo HIV através do sexo oral feito pelo homem em uma mulher? Essa transmissão se dá através da secreção vaginal e um eventual ferimento na boca do homem? R: Exatamente. </li></ul><ul><li>P: Há uns dias notei algo estranho em meu ânus, como se fossem umas verrugas...não incomodam mas fiquei preocupado... R: Você deve procurar um proctologista. Pode ser Condiloma acuminado </li></ul><ul><li>P: Queria perguntar se o líquido do esperma é parecido com o da gonorréia? R: O esperma é brancacento, leitoso e translúcido. A secreção da gonorréia é amarelada e densa. </li></ul>
  21. 21. <ul><li>P: Tenho 17 anos e tive minha primeira relação sexual há 3 dias e outra ontem, ambas com uso de camisinha. Hoje amanheci com dor intensa no canal da urina e sangramento ao final da micção, além de vontade de urinar toda hora. Será que eu peguei uma DST? È possível? R: Sua descrição sugere uma cistite (infecção da bexiga), a chamada &quot;cistite da lua de mel&quot;. Procure marcar consulta ginecológica para tratamento da infecção e para orientar-se, já que está iniciando sua vida sexual </li></ul><ul><li>P: É possível uma pessoa se contaminar com duas DSTs em uma mesma relação sexual? R: É possível e não é raro acontecer </li></ul><ul><li>P: Porque a camisinha não confere proteção absoluta em algumas DSTs? Em uma página sobre o Herpes Genital, lê-se que &quot;Não está provado que a camisinha diminua a transmissibilidade da doença.&quot;. Pergunto: qual a diferença deste vírus para o da Aids, onde a camisinha, para este último, seja recomendada e segura (tida como eficaz) mas não tão segura, segundo o site, para o Herpes genital? R: No caso do Herpes e HPV, por exemplo, o vírus pode estar localizado nos tecidos superficiais (pênis, grandes lábios da vagina, virilha, bolsa escrotal, períneo, região perianal etc). No caso da AIDS, Hepatite B está no esperma e nas secreções vaginais </li></ul>
  22. 22. <ul><li>P: E xiste alguma relação entre Herpes e HPV? Uma pessoa que Possi Herpes Labial pode contaminar o parceiro fazendo sexo Oral? R: As únicas relações entre ambos é que são vírus e causam DST. Pode sim haver contaminação genital pelo Herpes Labial bem como contaminação oral pelo Herpes Genital. Quando isto ocorre chamamos de infecção cruzada. </li></ul><ul><li>P: O exame para detectar o HIV é somente pelo sangue? E o exame preventivo que fazemos no ginecologista? R: Sim, o HIV é detectado através do um exame de sangue específico. O preventivo serve para rastreamento de câncer ginecológico e detecção de outras infecções </li></ul><ul><li>P: Caro Dr. gostaria de saber se, por exemplo, eu tiver contato sexual sem camisinha com meu namorado e ele colocar o pênis na minha vagina, por alguns segundos, sem ejacular, posso contrair alguma DST? R: Pode. HPV, Herpes genital e Sífilis por exemplo. Claro que somente se ele estiver infectado. </li></ul><ul><li>P: ... a minha menstruação estava bem no finalzinho e meu namorado não quis ter relação alegando ter visto na TV um documentário dizendo que ter relação com a mulher menstruada podem causar inflamações no pênis. Gostaria de saber se isso realmente é verdade? R: Não há nenhum problema em se praticar sexo durante a menstruação </li></ul>
  23. 23. <ul><li>P: Há 3 dias a glande do meu pênis está meio inchada e avermelhada, alem de apresentar uma leve descamação e coceira. Tudo começou no dia seguinte de uma relação com minha namorada em que pela primeira vez não usei camisinha, pois ela começou a usar anticoncepcional. Minha namorada está apresentando uma ardência na vagina. O sr. poderia me dizer se estamos com alguma DST? R: Sua descrição sugere candidíase. Procure um urologista e recomende a sua namorada que procure o(a) ginecologista pois esta infecção pode estar relacionada com o uso recente do anticoncepcional </li></ul><ul><li>P: Qual o melhor procedimento a adotar se durante uma relação sexual houver ruptura da camisinha? R: Interromper imediatamente a relação, fazer uma boa higienização local e colocar outra camisinha. </li></ul><ul><li>P: Tive relações sexuais com uma garota e ela praticou sexo oral em mim sem preservativo. Depois nós transamos com camisinha mas a mesma se rompeu sem que eu tivesse percebido. Estou muito preocupado. É possível eu ter sido contaminado por alguma DST? R: É possível sim, principalmente por tratar-se de uma parceira de risco (ela aceitou fazer sexo oral em você sem exigir proteção e pode estar fazendo isto com outras pessoas, aumentando a chance de já ter sido contaminada por alguma doença) </li></ul>

×