Impressionismo

6,368 views

Published on

1 Comment
1 Like
Statistics
Notes
  • Olá Isidro , meu nome é Marcela Silva , sou estudante de Design Gráfico e estou estudando sobre o impressionismo.
    Sou de São Paulo e desejo saber se você pode conceder uma entrevista sobre o tema para fazer parte deste conteúdo acadêmico.
    Caso possa disponibilizar esta entrevista, ficarei imensuravelmente grata.
    Se por ventura, não tiveres tempo ou interesse para tal finalidade, parabenizo-o pelo trabalho.

    Aguardo seu contato, através do e-mail : marcelaaraujosilva@ig.com.br.


    Atenciosamente,


    MArcela
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total views
6,368
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
26
Actions
Shares
0
Downloads
109
Comments
1
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Impressionismo

  1. 1. IMPRESSIONISMO O Impressionismo foi um género revolucionário de pintura que surgiu em França na segunda metade do séc. XIX. Os pintores anteriores tinham trabalhado nos seus estúdios e pintado as cenas de exterior de memória ou a partir de esboços. Os impressionistas estiveram entre os primeiros a levar para a rua os seus cavaletes, pintando de imediato aquilo que viam. Em consequência, pintaram objectos - uma árvore, uma montanha, um campo de trigo - não como achavam que essas paisagens deviam parecer mas como as viam, com uma determinada luz, numa determinada altura do dia. Por exemplo a folhagem verde, vista ao longe, parece azul, as sombras não são simplesmente cinzento-escuro ou castanho, mas podem assumir algumas das cores que as rodeiam. Os contornos de uma montanha, vistos contra o céu azul, perdem a solidez.
  2. 2. O efeito é quase como se os pintores tivessem acrescentado uma dimensão extra à realidade. A principal preocupação dos impressionistas prendia-se com todos os aspectos de luz em exteriores. Para tal, tiraram partido de três importantes inovações. A primeira foi a máquina fotográfica , utilizavam as fotografias que tiravam para estudarem a suspensão do movimento bem como objectos e paisagens vistos de ângulos invulgares. A segunda inovação, não menos importante foi a produção de bisnagas de tinta de fácil transporte . Até então os artistas tinham de misturar as tintas na paleta, antes de as aplicarem na tela, assim, libertaram-se desta restrição física. O terceiro desenvolvimento técnico de valor resultou de pesquisas efectuadas no domínio da óptica , que vieram mostrar que era possível serem criadas ilusões de óptica , colocando certas cores lado a lado.
  3. 3. As cores intensas e brilhantes são características da pintura impressionista. Se observarmos de perto muitos quadros impressionistas, podemos ver as pinceladas com muita nitidez, porém, se recuarmos, as formas tornar-se-ão sólidas e a estrutura da imagem clara. A pintura impressionista não foi bem aceite por ser demasiado revolucionária. Muitos impressionistas estiveram representados no Salão dos Rejeitados, constituindo-se um grupo próprio. Tempos depois, alguns dos melhores impressionistas como Monet e Manet, afastaram-se do grupo e desenvolveram os seus próprios estilos, marcadamente individuais.
  4. 4. <ul><li>Orientações Gerais que caracterizam a pintura impressionista </li></ul><ul><li>- A pintura deve mostrar as tonalidades que os objectos adquirem ao reflectir a luz do sol num determinado momento, pois as cores da natureza mudam constantemente, dependendo da incidência da luz do sol. </li></ul><ul><li>As figuras não devem ter contornos nítidos. </li></ul><ul><li>As sombras devem ser luminosas e coloridas, tal como é a impressão visual que nos causam. O preto jamais é usado numa obra impressionista plena. </li></ul><ul><li>Os contrastes de luz e sombra devem ser obtidos de acordo com a lei das cores complementares. Assim um amarelo próximo a um violeta produz um efeito mais real do que um claro-escuro muito utilizado pelos academistas no passado. Essa orientação viria dar mais tarde origem ao pontilhismo </li></ul>
  5. 5. <ul><li>As cores e tonalidades não devem ser obtidas pela mistura das tintas na paleta do pintor. Pelo contrário, devem ser puras e dissociadas no quadro em pequenas pinceladas. É o observador que, ao admirar a pintura, combina as varias cores, obtendo o resultado final. A mistura deixa, portanto, de ser técnica para se tornar óptica. </li></ul><ul><li>- Entre os principais expoentes do Impressionismo estão Claude Monet, Edgar Degas e Renoir </li></ul>

×