Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
TECIDO EPITELIAL Revestimento e glandular Professora: Kercia Gomes
EPITÉLIO DE REVESTIMENTO <ul><li>INTRODUÇÃO: </li></ul><ul><li>    Um dos quatro tipos básicos de tecido que forma o corpo...
EPITÉLIO DE REVESTIMENTO
  EPITÉLIO DE REVESTIMENTO <ul><li>ORIGEM EMBRIONÁRIA </li></ul><ul><li>         Todas as três camadas germinativas embrio...
  EPITÉLIO DE REVESTIMENTO <ul><li>FUNÇÕES  </li></ul><ul><li>        São funções gerais dos epitélios de revestimento: </...
  EPITÉLIO DE REVESTIMENTO <ul><li>CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS EPITÉLIOS </li></ul><ul><li>Forma e dimensões  das células e...
EPITÉLIO DE REVESTIMENTO   <ul><ul><ul><li>Pavimentosa </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Cúbica </li></ul></ul></ul><ul>...
EPITÉLIO DE REVESTIMENTO   <ul><li>Ausência de substância intercelular   </li></ul><ul><li>Entre as células epiteliais enc...
EPITÉLIO DE REVESTIMENTO <ul><li>     Presença da membrana basal   –  presente na maioria dos epitélios, representa uma fi...
EPITÉLIO DE REVESTIMENTO <ul><li>Coesão entre as células  –   as células epiteliais são relativamente resistentes à tração...
JUNÇÕES INTERCELULARES <ul><li>* FUNÇÃO:  </li></ul><ul><li>Local de adesão </li></ul><ul><li>Vedantes </li></ul><ul><li>P...
JUNÇÕES INTERCELULARES <ul><li>1.0 – JUNÇÕES DE ADESÃO </li></ul><ul><li>zônula de adesão </li></ul><ul><li>Desmossomos e ...
COMPLEXO UNITIVO <ul><li>TODAS AS ZÔNULAS FORMAM O COMPLEXO UNITIVO. </li></ul>
EPITÉLIO DE REVESTIMENTO
EPITÉLIO DE REVESTIMENTO <ul><li>Ausência de vasos sanguíneos (avascularização)   </li></ul>
EPITÉLIO DE REVESTIMENTO <ul><li>    ESPECIALIZAÇÕES DA MEMBRANA SUPERFICIAL DAS CÉLULAS EPITELIAIS   </li></ul>
ESPECIALIZAÇÃO DA MEMBRANA DAS CÉLULAS <ul><li>MICROVILOS – Projeções que podem ser curtas ou longas em forma de dedos de ...
<ul><li>CÍLIOS – Prolongamentos dotados de motilidade ( células epiteliais) </li></ul><ul><li>FLAGELOS – Semelhante  aos c...
EPITÉLIO DE REVESTIMENTO <ul><li>CLASSIFICAÇÃO DOS TECIDOS EPITELIAIS DE REVESTIMENTO </li></ul>
EPITÉLIO DE REVESTIMENTO
<ul><li>Pseudo-estratificado </li></ul>
<ul><li>ESQUEMA GERAL DA CLASSIFICAÇÃO DO TECIDO EPITELIAL DE REVESTIMENTO </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Segundo  ...
Epitélio cúbico simples
Epitélio cilíndrico simples
Epitélio pavimentoso simples
Epitélio pavimentoso estratificado
Epitélio pavimentoso estratificado queratinizado
Epitélio pseudo-estratificado cilindrico ciliado
Epitélio de transição
Tecido epitelial glandular <ul><li>O tecido epitelial glandular desempenhando funções de secreção e excreção encontra-se m...
Tipos de glândulas <ul><li>* Exócrinas  </li></ul><ul><li>* Endócrinas  </li></ul><ul><li>* Mistas </li></ul>
FORMAÇÃO DAS GLÂNDULAS
Glândulas exócrinas <ul><li>*Definição: </li></ul><ul><li>classificação: </li></ul><ul><li>- Quanto ao número de células: ...
GLÂNDULA EXÓCRINA UNICELULAR – CÉLULA CALICIFORME
MORFOLOGIA DAS GLÂNDULAS EXÓCRINAS
Glândula exócrina <ul><li>Quanto ao tipo de secreção </li></ul><ul><li>serosa e mucosa </li></ul><ul><li>Quanto a maneira ...
GLÂNDULA EXÓCRINA MUCOSA
Glândula Endócrina <ul><li>Definição: </li></ul><ul><li>Morfologia: </li></ul><ul><li>Vesiculosa e Cordonal </li></ul>
Glândula Endócrina
 
FIM
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Tecido epitelial 2009.2 - prof kercia

25,103 views

Published on

  • Be the first to comment

Tecido epitelial 2009.2 - prof kercia

  1. 1. TECIDO EPITELIAL Revestimento e glandular Professora: Kercia Gomes
  2. 2. EPITÉLIO DE REVESTIMENTO <ul><li>INTRODUÇÃO: </li></ul><ul><li>    Um dos quatro tipos básicos de tecido que forma o corpo, constitui as superfícies externas e internas do organismo animal com suas células fortemente aderidas uma às outras com escassa substância intercelular - glicocálice </li></ul>
  3. 3. EPITÉLIO DE REVESTIMENTO
  4. 4. EPITÉLIO DE REVESTIMENTO <ul><li>ORIGEM EMBRIONÁRIA </li></ul><ul><li>        Todas as três camadas germinativas embrionárias tomam parte na formação dos epitélios. Por exemplo: do ectoderma origina-se o epitélio da pele (epiderme), o epitélio da boca e das fossas nasais; do endoderma a maior parte do epitélio do sistema digestivo e respiratório; do mesoderma o revestimento das cavidades corpóreas fechadas (mesotélio) e partes do sistema urogenital. </li></ul>
  5. 5. EPITÉLIO DE REVESTIMENTO <ul><li>FUNÇÕES </li></ul><ul><li>       São funções gerais dos epitélios de revestimento: </li></ul><ul><li>    * Revestimento das superfícies; </li></ul><ul><li>    * Exercer proteção para o organismo (barreira para a permeabilidade seletiva); </li></ul><ul><li>    * Realizar absorção; </li></ul><ul><li>   * Promover excreção de algumas substâncias; </li></ul><ul><li>    * Atuar, conjuntamente com outros tecidos, na função sensorial e na secreção de algumas substâncias. </li></ul>
  6. 6. EPITÉLIO DE REVESTIMENTO <ul><li>CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS EPITÉLIOS </li></ul><ul><li>Forma e dimensões  das células epiteliais – as células dos epitélios variam muito quanto à forma e dimensões. Os epitélios apresentam desde células achatadas até células cilíndricas. </li></ul>
  7. 7. EPITÉLIO DE REVESTIMENTO <ul><ul><ul><li>Pavimentosa </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Cúbica </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Prismática ou colunar </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Globosa </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>OBS: O formato do núcleo sempre acompanha </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>o formato da célula. </li></ul></ul></ul>
  8. 8. EPITÉLIO DE REVESTIMENTO <ul><li>Ausência de substância intercelular </li></ul><ul><li>Entre as células epiteliais encontramos apenas uma fina camada glicoproteica, que é o glicocalix, que, acredita-se, seja sintetizada pelas próprias células epiteliais. Desempenhando importantes funções em fenômenos como pinocitose, imunologia e mesmo na adesividade entre as células epiteliais. </li></ul>
  9. 9. EPITÉLIO DE REVESTIMENTO <ul><li>    Presença da membrana basal – presente na maioria dos epitélios, representa uma fina camada de material mucopolissacarídeo que é produzida pelas células epiteliais. Sua natureza extremamente permeável, permite a difusão de metabólitos dos capilares sanguíneos para as células epiteliais. A lâmina basal une-se à lâmina reticular , uma rede de fibras reticulares e colágenas fina numa matriz de mucopolissacarídeo. Estas duas lâminas compõem a membrana basal , que pode ser visualizada na microscopia óptica com a reação PAS (Ácido Periódico de Schiff) e diversas colorações de prata </li></ul>
  10. 10. EPITÉLIO DE REVESTIMENTO <ul><li>Coesão entre as células – as células epiteliais são relativamente resistentes à tração e quanto maior for o atrito a que determinado epitélio está sujeito, maior será  a coesão entre suas células.  Esta coesão se justifica pela presença da glicocalix , dos íons de cálcio e sobretudo pela presença de estruturas como os desmossomos e o complexo unitivo ( zônula de oclusão e zônula de adesão ). </li></ul>
  11. 11. JUNÇÕES INTERCELULARES <ul><li>* FUNÇÃO: </li></ul><ul><li>Local de adesão </li></ul><ul><li>Vedantes </li></ul><ul><li>Previne fluxo de materiais pelo espaço intercelular </li></ul><ul><li>Podem oferecer canais para a comunicação entre células vizinhas. </li></ul>
  12. 12. JUNÇÕES INTERCELULARES <ul><li>1.0 – JUNÇÕES DE ADESÃO </li></ul><ul><li>zônula de adesão </li></ul><ul><li>Desmossomos e hemidesmossomos </li></ul><ul><li>2.0 – JUNÇÕES IMPERMEÁVEIS </li></ul><ul><li>Zônula de oclusão ( impede o fluxo de materiasis) </li></ul><ul><li>3.0 – JUNÇÕES DE COMUNICAÇÃO OU GAP – Permite o intercâmbio de moléculas </li></ul>
  13. 13. COMPLEXO UNITIVO <ul><li>TODAS AS ZÔNULAS FORMAM O COMPLEXO UNITIVO. </li></ul>
  14. 14. EPITÉLIO DE REVESTIMENTO
  15. 15. EPITÉLIO DE REVESTIMENTO <ul><li>Ausência de vasos sanguíneos (avascularização) </li></ul>
  16. 16. EPITÉLIO DE REVESTIMENTO <ul><li>   ESPECIALIZAÇÕES DA MEMBRANA SUPERFICIAL DAS CÉLULAS EPITELIAIS </li></ul>
  17. 17. ESPECIALIZAÇÃO DA MEMBRANA DAS CÉLULAS <ul><li>MICROVILOS – Projeções que podem ser curtas ou longas em forma de dedos de luvas.( epitélio do intestino delgado e dos túbulos proximais dos rins) </li></ul><ul><li>ESTEREOCÍLIOS – Prolongamentos longos e imóveis. ( epididimo e ducto deferente) </li></ul>
  18. 18. <ul><li>CÍLIOS – Prolongamentos dotados de motilidade ( células epiteliais) </li></ul><ul><li>FLAGELOS – Semelhante aos cílios, porém são mais longos e limitados a uma célula ( estão presentes apenas em espermatozóides) </li></ul>
  19. 19. EPITÉLIO DE REVESTIMENTO <ul><li>CLASSIFICAÇÃO DOS TECIDOS EPITELIAIS DE REVESTIMENTO </li></ul>
  20. 20. EPITÉLIO DE REVESTIMENTO
  21. 21. <ul><li>Pseudo-estratificado </li></ul>
  22. 22. <ul><li>ESQUEMA GERAL DA CLASSIFICAÇÃO DO TECIDO EPITELIAL DE REVESTIMENTO </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Segundo                            Segundo </li></ul><ul><li>O Número de camadas   A forma das células superficiais   Exemplos </li></ul><ul><li>                                          PAVIMENTOSO                             Endotélio, mesotélio (pleura, pericárdio e peritônio) </li></ul><ul><li>SIMPLES                         CÚBICO                                           Revestimento ovariano e de ductos glandulares. </li></ul><ul><li>                                          PRISMÁTICO (CILÍNDRICO)       Revestimento do estômago e intestino. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>PSEUDO-ESTRATIFICADO       CILÍNDRICO CILIADO    Revestimento da traquéia e brônquios. </li></ul><ul><li>     </li></ul><ul><li>                                         PAVIMENTOSO </li></ul><ul><li>                                             * QUERATINIZADO                    Epiderme, língua dorsal. </li></ul><ul><li>ESTRATIFICADO              * NÃO QUERATINIZADO          Boca, esôfago. </li></ul><ul><li>                                         CÚBICO                                             Ducto de glândulas sudoríparas. </li></ul><ul><li>                                           PRISMÁTICO                                   Conjuntiva ocular, parte da epiglote. </li></ul><ul><li>                                          DE TRANSIÇÃO                              Revestimento interno da bexiga e </li></ul><ul><li>                                                                                                       partes das vis urinárias. </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  23. 23. Epitélio cúbico simples
  24. 24. Epitélio cilíndrico simples
  25. 25. Epitélio pavimentoso simples
  26. 26. Epitélio pavimentoso estratificado
  27. 27. Epitélio pavimentoso estratificado queratinizado
  28. 28. Epitélio pseudo-estratificado cilindrico ciliado
  29. 29. Epitélio de transição
  30. 30. Tecido epitelial glandular <ul><li>O tecido epitelial glandular desempenhando funções de secreção e excreção encontra-se muito bem distribuído em todo o organismo. Esse tecido, derivado do epitelial de revestimento, é fundamental no equilíbrio interno do corpo animal, participando dos mecanismos de excreção, com por exemplo suor e a urina. Bem como do controle das atividades orgânicas através de substâncias tais como hormônios. </li></ul>
  31. 31. Tipos de glândulas <ul><li>* Exócrinas </li></ul><ul><li>* Endócrinas </li></ul><ul><li>* Mistas </li></ul>
  32. 32. FORMAÇÃO DAS GLÂNDULAS
  33. 33. Glândulas exócrinas <ul><li>*Definição: </li></ul><ul><li>classificação: </li></ul><ul><li>- Quanto ao número de células: </li></ul><ul><li>Unicelular e pluricelular </li></ul><ul><li>- Quanto a morfologia: </li></ul><ul><li>Tubulosa e acinosa </li></ul>
  34. 34. GLÂNDULA EXÓCRINA UNICELULAR – CÉLULA CALICIFORME
  35. 35. MORFOLOGIA DAS GLÂNDULAS EXÓCRINAS
  36. 36. Glândula exócrina <ul><li>Quanto ao tipo de secreção </li></ul><ul><li>serosa e mucosa </li></ul><ul><li>Quanto a maneira de eliminar a secreção </li></ul><ul><li>Merócrina, apócrina e holócrina </li></ul>
  37. 37. GLÂNDULA EXÓCRINA MUCOSA
  38. 38. Glândula Endócrina <ul><li>Definição: </li></ul><ul><li>Morfologia: </li></ul><ul><li>Vesiculosa e Cordonal </li></ul>
  39. 39. Glândula Endócrina
  40. 41. FIM

×