Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Geografia Urbana

2,583 views

Published on

Geografia Urbana

Published in: Education

Geografia Urbana

  1. 1. AS CIDADESAS CIDADES 
  2. 2. CIDADESCIDADES  As cidades são as expressões máximas do espaço artificial criado pelo próprio ser humano. É onde vive em maior intensidade o relacionamento social: na escola, nos locais de trabalho, nos shoppings, festas e etc
  3. 3. 1 Xangai 13 831 900
  4. 4. 2 Bombaim 13 830 884
  5. 5. 3 Karachi 12 991 000
  6. 6. 4 Deli 12 565 901
  7. 7. 5 Istambul 12 517 664
  8. 8. 6 São Paulo 11 821 876
  9. 9. 7 Moscou 10 563 038
  10. 10. 8 Seoul 10 464 051
  11. 11. 9 Pequim 10 123 000
  12. 12. 10 Jacarta 9 588 198
  13. 13. ORIGEM DAS CIDADESORIGEM DAS CIDADES  As primeiras aldeias e cidades surgiram no: Neolítico (3500 anos a.C, na Mesopotâmia) Todavia os fatores que as cidades têm origem foi no paleolítico, quando o ser humano começou a se relacionar com maior estabilidade em determinado lugar, seja para sepultar mortos, segurança e abrigo. Também com domesticação de animais e a atividade agrícola.
  14. 14. URBANIZAÇÃOURBANIZAÇÃO 
  15. 15. CONCEITO DE URBANIZAÇÃOCONCEITO DE URBANIZAÇÃO  O termo “ Urbanização” é definido como resultado de um crescimento populacional mais rápido na cidade do que no campo.
  16. 16. Cidade Aparência Urbano Essência
  17. 17. CONCEITO DE URBANIZAÇÃOCONCEITO DE URBANIZAÇÃO  As taxas de urbanização variam de acordo com o tempo e grau de desenvolvimento. Na África, na América Latina e na Ásia, as taxas de urbanização são superiores ás da Europa pois ... Cairo - Egito
  18. 18. CONCEITO DE URBANIZAÇÃOCONCEITO DE URBANIZAÇÃO  Em alguns países europeus, onde a população urbana é superior a 80%, a urbanização, ao que tudo indica, estabilizou, e portanto, a urbanização deixou de ocorrer. Berlim - Alemanha Luanda - Angola
  19. 19. CONCEITO DE URBANIZAÇÃOCONCEITO DE URBANIZAÇÃO  Em todos os países ocorre o fenômeno de urbanização, porém com intensidade variável. Países desenvolvidos e da América Latina já se encontram urbanizados (75%). Países africanos e asiáticos ainda apresentam o predomínio da população rural.
  20. 20. URBANIZAÇÃO NA CHINAURBANIZAÇÃO NA CHINA  No fim de 2011, o país mais povoado do mundo tinha: 690,79 milhões de pessoas nas cidades, contra 656,56 milhões de pessoas no campo Porém à partir de 2012 houve a transição e hoje os habitantes das cidades representam agora 51,27% da população total, que é de 1,347 bilhão de habitantes.
  21. 21. CONCEITO DE URBANIZAÇÃOCONCEITO DE URBANIZAÇÃO  Nos países subdesenvolvidos o processo de urbanização é mais recente do que o ocorrido na Europa e nos Estados Unidos e ele ocorreu de forma mais intensa.
  22. 22. FATORES DA URBANIZAÇÃOFATORES DA URBANIZAÇÃO  Dois são os fatores marcam a urbanização:  Revolução Industrial  II Guerra Mundial Inglaterra - Londres Brasil – São Paulo
  23. 23. URBANIZAÇÃOURBANIZAÇÃO 1ª. REVOLUÇÃO INDUSTRIAL1ª. REVOLUÇÃO INDUSTRIAL 
  24. 24. FATORES DA URBANIZAÇÃOFATORES DA URBANIZAÇÃO  Apesar do processo de urbanização ter se iniciado com a Revolução Industrial, ele foi até meados do século XX, um fenômeno relativamente lento e circunscrito aos países que primeiro se industrializaram, os chamados países desenvolvidos.
  25. 25. FATORES DA URBANIZAÇÃOFATORES DA URBANIZAÇÃO  Até a 1ª. Revolução Industrial, a população mundial se distribuía de maneira inversa ao que ocorre na atualidade, pois somente 2% da população viviam nas cidades.
  26. 26. FATORES DA URBANIZAÇÃOFATORES DA URBANIZAÇÃO  A industrialização foi o fator principal de mudança no crescimento urbano e também no comportamento humano. Inicialmente na Inglaterra se espalhou para outros países europeus e EUA.
  27. 27. FATORES DA URBANIZAÇÃOFATORES DA URBANIZAÇÃO  O surgimento de industrias não só ofereceu postos de trabalho como incentivou a necessidade de dinheiro para o consumo. Daí o êxodo rural em busca destes novos postos de trabalho com remuneração.
  28. 28. FATORES DA URBANIZAÇÃOFATORES DA URBANIZAÇÃO  A necessidade de mão-de-obra também foi preponderante para o crescimento urbano, pois as indústrias passaram ser um pólo atrativo de pessoas enquanto o campo passou a ser um pólo repulsivo A qualidade de vida também passou a ser melhor que aquelas encontradas na área rural.
  29. 29. URBANIZAÇÃO EM PAÍSES DESENVOLVIDOSURBANIZAÇÃO EM PAÍSES DESENVOLVIDOS  Os fatores atrativos da urbanização, em países desenvolvidos, estão ligados basicamente ao processo de industrialização em sentido amplo, ou seja, as transformações provocadas na cidade pela indústria, notadamente quanto à geração de oportunidades de empregos, seja no setor secundário, seja no setor terciário, com salários em geral mais altos. Essas condições surgiram principalmente nos países de industrialização antiga,os países desenvolvidos. Nova York - EUA Londres - Inglaterra
  30. 30. URBANIZAÇÃOURBANIZAÇÃO II GUERRA MUNDIALII GUERRA MUNDIAL 
  31. 31. URBANIZAÇÃO PÓS-SEGUNDA GUERRAURBANIZAÇÃO PÓS-SEGUNDA GUERRA  Devido a industrialização tardia, após a Segunda Guerra Mundial, esse fenômeno foi concluído nos países desenvolvidos e iniciado de maneira avassaladora em muitos países subdesenvolvidos.
  32. 32. URBANIZAÇÃO PÓS-SEGUNDA GUERRAURBANIZAÇÃO PÓS-SEGUNDA GUERRA  Essa urbanização ocorreu notadamente na maioria dos países latino-americanos e em muitos países asiáticos. O continente africano até hoje é muito pouco urbanizado, ainda que o processo já tenha se iniciado em alguns países.
  33. 33. URBANIZAÇÃO PÓS-SEGUNDA GUERRAURBANIZAÇÃO PÓS-SEGUNDA GUERRA  Apesar da pobreza ser maior nas grandes áreas urbanas, também são nelas que se encontram as maiores oportunidades de progresso pessoal. Pois até mesmo empregadas e ambulantes têm rendimento bem superior aos trabalhadores braçais das áreas rurais.
  34. 34. URBANIZAÇÃO EM PAÍSES SUBDESENVOLVIDOSURBANIZAÇÃO EM PAÍSES SUBDESENVOLVIDOS  Já os fatores repulsivos são típicos de países subdesenvolvidos, sem indústrias ou com um baixo nível de industrialização. Estão ligados fundamentalmente às péssimas condições de vida existentes na zona rural, em função da estrutura fundiária bastante concentrada, dos baixos salários, da falta de apoio aos pequenos agricultores, do arcaísmo das técnicas de cultivo, etc. Assim, há uma grande transferência de população para as cidades em busca de uma melhor qualidade de vida, notadamente para as grandes metrópoles, criando uma série de problemas urbanos. Nova Deli - India Havana - Cuba
  35. 35. URBANIZAÇÃO NO BRASILURBANIZAÇÃO NO BRASIL  No Brasil as cidades surgiram ao litoral em decorrência dos ciclos econômicos do pau-brasil, cana-de-açúcar, ouro e café. Com o desenvolvimento industrial, que só chegou no Brasil no século XX, o crescimento populacional nos centros urbanos originou um aumento desordenado das grandes áreas urbanas, chamado de “ inchaço urbano”. O fluxo migratório campo-cidade, ou êxodo rural, foi o marco deste inchaço populacional. Avenida Brasil – São Paulo Pça Tiradentes - Curitiba
  36. 36. URBANIZAÇÃO NO BRASILURBANIZAÇÃO NO BRASIL 
  37. 37. DEFINIÇÕESDEFINIÇÕES DE CIDADESDE CIDADES 
  38. 38. DEFINIÇÕES DE CIDADESDEFINIÇÕES DE CIDADES  Podemos classificas as cidades de acordo com a sua formação em:  CIDADES ESPONTÂNEAS  CIDADES PLANEJADAS  CIDADES ARTIFICIAIS
  39. 39. CIDADES ESPONTÂNEASCIDADES ESPONTÂNEAS  São aquelas que surgem lentamente e naturalmente , resultado do aumento progressivo de população e atividades econômicas na área. A maioria das cidades do mundo surgiram desta forma. Exemplo Curitiba que era rota de tropeiros
  40. 40. CIDADES PLANEJADASCIDADES PLANEJADAS  São aquelas que antes do seu surgimento é feito um planejamento e, à medida que o ser humano vai chegando, a cidade vai surgindo. As construções a serem erguidas obedecem as normas impostas. Exemplo: Boa parte das cidades paulistas e paranaenses que surgiram com a Marcha do Café, são cidades planejadas. Cascavel - PR Londrina - PR Maringá - PR
  41. 41. CIDADES ARTIFICIAISCIDADES ARTIFICIAIS  São aquelas que são precedidas de planejamento e construção. Somente depois de prontas elas são ocupadas. Brasília Washington
  42. 42. CIDADES ARTIFICIAISCIDADES ARTIFICIAIS  Plano Piloto de Brasília
  43. 43. RESUMINDORESUMINDO  O ser humano chega antes que a cidade para criá-la. O ser humano chega antes que a cidade para criá-la. O ser humano chega junto com o surgimento da cidade, construindo. O ser humano chega junto com o surgimento da cidade, construindo. O ser humano chega após a construção da cidade. O ser humano chega após a construção da cidade. Cidade Espontânea ou Natural: Cidade Planejada: Cidade Artificial:
  44. 44. HIERARQUIA URBANAHIERARQUIA URBANA 
  45. 45. HIERARQUIA URBANAHIERARQUIA URBANA  O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) realizou um estudo denominado de REGIC – Rede de Influência de Cidades, que mostra como está estruturada a hierarquia e a rede urbana brasileira. Dessa maneira, o IBGE classificou as cidades em 5 níveis, sendo que alguns têm subdivisões. Vamos a eles:
  46. 46. HIERARQUIA URBANAHIERARQUIA URBANA  É a classificação das cidades de um país baseada em sua área de influência Metrópoles Capital Regional Centro Sub-Regional Centro de Zona Centro Local
  47. 47. HIERARQUIA URBANAHIERARQUIA URBANA  1)1) MetrópolesMetrópoles – São cidades que têm forte poder de influência sobre uma escala maior de cidades, além de suas fronteiras estaduais. São reconhecidas 12 metrópoles, sendo as mesmas dividas em três subníveis: a) Grande Metrópole Nacional: A cidade de São Paulo é única nesse nível. b) Metrópole Nacional: Rio de Janeiro e Brasília são as cidades que fazem parte desse nível. c) Metrópole: São 9 cidades nesse nível, sendo elas Manaus, Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Curitiba, Goiânia e Porto Alegre.
  48. 48. HIERARQUIA URBANAHIERARQUIA URBANA  2) Capital Regional –2) Capital Regional – Neste nível, são 70 cidades em que a escala de influência restringe-se somente ao âmbito regional e estadual. Esse nível também possui três subdivisões: a)Capital Regional A: nível constituído por 11 cidades brasileiras, com uma população média de 955 mil habitantes. b) Capital Regional B: constituído por 20 cidades, com uma média de população de 435 mil habitantes. c) Capital Regional C: constituído por 39 cidades, com uma média populacional de 250 mil habitantes. Cascavel - PR Londrina - PR Maringá - PR
  49. 49. HIERARQUIA URBANAHIERARQUIA URBANA  3) Centro sub-regional: São 164 cidades que compõem esse nível, sendo que a escala de influência delas gira em torno da escala regional, geralmente nos municípios circunvizinhos. Esse nível possui duas subdivisões: a)Centro sub-regional A: são 85 cidades, com uma média populacional de 95 mil habitantes. b) Centro sub-regional B: constituído por 79 cidades, com uma população média de 71 mil habitantes. Foz do Iguaçu - PR Toledo- PR Paranaguá- PR
  50. 50. HIERARQUIA URBANAHIERARQUIA URBANA  4) Centro de zona –4) Centro de zona – é um nível hierárquico composto por 556 cidades de pequeno porte, com um poder de influência bem restrito a municípios próximos, subdividindo-se em: a) Centro de Zona A: formado por 192 cidades, com média populacional de 45 mil habitantes. b) Centro de Zona B: composto por 364 cidades, com a população estando numa média de 23 mil habitantes. Medianeira - PR
  51. 51. HIERARQUIA URBANAHIERARQUIA URBANA  5) Centro local –5) Centro local – é formado pelas demais 4473 cidades brasileiras, com um poder de influência que não extrapola seus limites municipais, com a população sempre abaixo de 10 mil habitantes.
  52. 52. HIERARQUIA URBANA BRASILHIERARQUIA URBANA BRASIL 
  53. 53. HIERARQUIA URBANA BRASILHIERARQUIA URBANA BRASIL 
  54. 54. MEGALÓPOLES OU MEGACIDADESMEGALÓPOLES OU MEGACIDADES  As megalópoles, megacidades ou cidades mundiais são caracterizadas como a integração política e espacial de duas ou mais metrópoles, constituindo, assim, uma mancha urbana aparentemente contínua, caracterizando também um processo de conurbação. Blue Banana (European Megalopolis) - 85 millionLos Angeles - San Diego - Tijuana, US/Mexico - 24 million
  55. 55. OUTROS CONCEITOS DE CIDADEOUTROS CONCEITOS DE CIDADE
  56. 56. MALHA URBANAMALHA URBANA  Conjunto de vias (ruas, avenidas, estradas) pertencentes a uma cidade.
  57. 57. REDE URBANAREDE URBANA  A rede urbana é formada pelo sistema de cidades, no território de cada país, interligadas pela malha urbana ou por sistemas de comunicações, pelos quais fluem pessoas, mercadorias, informações, etc. Obviamente, as redes urbanas dos países desenvolvidos são mais densas e articuladas, pois tais países apresentam alto nível de industrialização e de urbanização, economias diversificadas e dinâmicas, vigoroso mercado interno e alta capacidade de consumo.
  58. 58. CONURBAÇÃOCONURBAÇÃO  Processo em que duas ou mais cidades ultrapassam seus limites administrativos municipais para formar uma única mancha urbana, malha urbana ou extensão da cidade.
  59. 59. TECNOPÓLOSTECNOPÓLOS  Tecnopólos ou Cidades ciência, são cidades onde estão presentes centros de pesquisas, universidades, centros de difusão de informações. Geralmente os tecnopólos estão alienados a universidades e indústrias de alta tecnologia. Vale do Silício - mais importante tecnopolo do mundo
  60. 60. PROBLEMASPROBLEMAS URBANOSURBANOS 
  61. 61. PROBLEMAS URBANOSPROBLEMAS URBANOS  O Brasil, bem como países subdesenvolvidos, se urbanizaram de forma rápida, e o governo não preparado para receber a grande quantidade de pessoas que mudaram do meio rural para o urbano DESEMPREGODESEMPREGO FALTA DE MORADIAFALTA DE MORADIA CRESCIMENTO DE FAVELASCRESCIMENTO DE FAVELAS INFRAESTRUTURA URBANAINFRAESTRUTURA URBANA INCHAÇO URBANOINCHAÇO URBANO AUMENTO DA VIOLÊNCIAAUMENTO DA VIOLÊNCIA MÁ QUALIDADE DOS SERVIÇOS PÚBLICOSMÁ QUALIDADE DOS SERVIÇOS PÚBLICOS PROBLEMAS AMBIENTAIS DECORRENTES DA EXPANSÃOPROBLEMAS AMBIENTAIS DECORRENTES DA EXPANSÃO URBANA DESORDENADAURBANA DESORDENADA
  62. 62. MACROCEFALIA URBANAMACROCEFALIA URBANA  Fenômeno que produz cidades completamente desprovidas de infra-estrutura e planejamento, o que provoca marginalização, sub- moradia, aumento da violência, criminalidade, desemprego, doenças que são favoráveis à reprodução de outros problemas. Considerada como a maior arma letal contra a qualidade de vida. O NÚMERO DE HABITANTES É MAIOR DO QUE A CIDADE COM SUAO NÚMERO DE HABITANTES É MAIOR DO QUE A CIDADE COM SUA INFRAESTRUTURA PODE ABSORVER, DESSA FORMA AINFRAESTRUTURA PODE ABSORVER, DESSA FORMA A QUALIDADE DE VIDA BAIXA.QUALIDADE DE VIDA BAIXA.
  63. 63. http://noticias.uol.com.br/infograficos/2014/01/21/urbanistas-prefeitos-anhaia- mello-e-prestes-maia-tinham-projetos-diferentes-para-a-cidade-de-sao-paulo.htm http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2014/01/22/prefeitos-urbanistas- do-seculo-20-moldaram-a-cara-e-o-debate-da-sao-paulo-atual.htm#fotoNav=43
  64. 64. HIPERTROFIA DO SETOR TERCIÁRIOHIPERTROFIA DO SETOR TERCIÁRIO  Com a industrialização tardia e a modernização do campo, os trabalhadores perderam seu trabalho no campo e os pequenos agricultores perderam suas terras, sendo obrigados a migrar para os centros urbanos, onde, sem qualificação, viram-se forçados a aceitar empregos no setor terciário, semiqualificados ou sem qualificação. Isto fez com que o setor terciário desses países crescesse muito, mas sem a qualificação profissional encontrada neste setor nos países desenvolvidos. Por isso, utiliza-se a expressão "hipertrofia" para caracterizá-los. RUA 25 DE MARÇO SP
  65. 65. SEGREGAÇÃO ESPACIALSEGREGAÇÃO ESPACIAL  Separação de pessoas por classes sociais, por meio da moradia, do emprego que ocupa, e condições de vida.
  66. 66. PROBLEMAS URBANOSPROBLEMAS URBANOS  É qualquer alteração prejudicial provocada no meio ambiente, que pode ser um ecossistema natural ou agrário, um sistema urbano ou até mesmo, em microescala, o interior de uma casa.
  67. 67. PROBLEMAS URBANOSPROBLEMAS URBANOS  Ela é o resultado do lançamento de enorme quantidade de gases e materiais particulados na atmosfera, podendo causar problemas na visão e no aparelho respiratório.
  68. 68. POLUIÇÃO DO SOLOPOLUIÇÃO DO SOLO  Usando uma linguagem técnica, lixo é todo resíduo sólido descartado pela atividade humana.
  69. 69. PROBLEMAS CAUSADOS PELO LIXOPROBLEMAS CAUSADOS PELO LIXO  Proliferação de Insetos Decomposição bacteriana da matéria orgânica Contam inação com produtos tóxicos Acúmulo de materiais Não biodegradáveis chorume
  70. 70. POSSÍVEIS SOLUÇÕES PARA OS LIXOSPOSSÍVEIS SOLUÇÕES PARA OS LIXOS  Lixo hospitalarLixo hospitalar Não há outra saída senão a incineração. Lixo orgânicoLixo orgânico O ideal seria o seu retorno para o solo, para servir como adubo.
  71. 71. POSSÍVEIS SOLUÇÕES PARA OS LIXOSPOSSÍVEIS SOLUÇÕES PARA OS LIXOS  Lixo inorgânicoLixo inorgânico O ideal seria a coleta seletiva, que possibilitaria a reciclagem de grande parte dos materiais contidos no lixo domiciliar, comercial e industrial
  72. 72. POSSÍVEIS SOLUÇÕES PARA OS LIXOSPOSSÍVEIS SOLUÇÕES PARA OS LIXOS  Nas cidades, sobretudo nas grandes aglomerações urbanas, o problema da poluição das águas assume proporção catastrófica.
  73. 73. óxidos de enxofreóxidos de nitrogênio dióxido de enxofre
  74. 74. Estátua em Notre-Dame corroída pelo tempo e chuva ácida Antigo muro de pedra corroído pelo tempo e poluição de chuva ácida
  75. 75. "-É noite. E tudo é noite. Debaixo do arco admirável Da Ponte das Bandeiras o rio Murmura num banzeiro de água pesada e oliosa"; "...De repente O ólio das águas recolhe em cheio luzes trêmulas, É um susto. E num momento o rio Esplende em luzes inumeráveis, lares, palácios e ruas, Ruas, ruas, por onde os dinossauros caxingam Agora, arranha-céus valentes donde saltam Os bichos blau e os punidores gastos verdes, Em cânticos, em prazeres, em trabalhos e fábricas, Luzes e glória. É a cidade... É a amaranhada forma Humana corrupta da vida que muge e se aplaude. E se aclama e se falsifica e se esconde. E deslumbra. Mas é um momento só. Logo o rio escurece de novo. Está negro. as águas oliosas e pesadas se aplacam Num gemido". "Meu rio, meu Tietê, onde me levas? Sarcástico rio que contradizes o curso das águas E te afastas do mar e te adentras na terras dos homens, Onde queres me levar?...“ "Rio que fazes terra, húmus da terra, bicho da terra, Me induzindo com a tua insistência turrona paulista... Para as tempestades humanas da vida, meu rio!...“ "Estas águas do meu Tietê são objetas e barrentas, Dão febre, dão morte decerto, e dão graças e antíteses". "A culpa é tua Pai Tietê? A culpa é tua Si as tuas águas estão pobres de fel E majestade falsa? A culpa é tua Onde estão os amigos? onde estão os inimigos? Onde estão os pardais? e os teus estudiosos e sábios, e Os iletrados? Onde o teu povo?...“ (Mário de Andrade, A Meditação sobre o Tietê, 1944/45, extratos). O rio Tietê: sua história e a retomada
  76. 76. O plano de Saturnino de Brito para retificar o Tietê
  77. 77. Projetos para São Paulo Ilustração de projeto ecológico na marginal do rio Tietê, em São Paulo
  78. 78. Plano Consórcio Andrade Gutierrez e Queiroz Galvão: Parque linear ao longo de um dos afluentes do Tietê. Proposta do Consórcio Axal: Parque linear com passarelas sobre o rio para pedestres e ciclistas.
  79. 79. Projeto Nova Luz
  80. 80. Praça Roosevelt
  81. 81. Vale do Anhangabaú
  82. 82. Túnel do Anhangabaú – 1963.
  83. 83. Vale do Anhangabaú – 1967.
  84. 84. Av. 9 de Julho
  85. 85. Terminal Parque Dom Pedro “Innundação da Várzea do Carmo”, 1898, Óleo sobre tela de Benedito Calixto – Acervo do Museu Paulista No canto direito, é possível ver parte do antigo colégio, usado como Palácio do Governo. Do lado esquerdo, essa construção com um grande pátio é o antigo Mercado dos Caipiras (ficava no final da Rua Municipal, atual General Carneiro).
  86. 86. Cartão postal da Ilha dos Amores. A Ilha formou-se de sobra de terra da primeira retificação do Tamanduateí.
  87. 87. Belíssimo registro de Vicenzo Pastore, da lavadeira às margens do Tamanduateí, entre 1900/1910
  88. 88. Imagem do Parque Dom Pedro II, década de 1920. Fotografia tirada do Palácio das Indústrias. No plano intermediário direito, o antigo Mercado dos Caipiras, que ficava no final da Rua General Carneiro. No meio do Parque, o coreto da Ilha dos Amores
  89. 89. Vista do Parque Dom Pedro às margens do Tamanduateí em 1933. O postal registra também a passagem do famoso Graff Zepellin na capital Paulista
  90. 90. Complexo Viário Parque D. Pedro II em 1971 e: Viaduto Glicério, Viaduto Diário Popular, Palácio das Indústrias, Viaduto 31 de Março, foto de Ivo Justino – Acevo do Museu da Cidade Complexo Viário Pq. Dom Pedro II em 1971, foto de Ivo Justino – Acervo Museu da Cidade
  91. 91. Vista aérea do Parque Dom Pedro, em postal circulado em 1981. No canto esquerdo, o Mercado Municipal, e próximo a ele o edifício do Banco das Nações.
  92. 92. Parque Augusta
  93. 93. Viaduto Minhocão

×