Ifes aula 5-formação-geológica_da_terra

2,750 views

Published on

Published in: Technology, Travel
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,750
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
167
Actions
Shares
0
Downloads
127
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Ifes aula 5-formação-geológica_da_terra

  1. 1. FORMAÇÃO GEOLÓGICA DA TERRA<br />E disse Deus: ajuntem-se as águas debaixo dos céus um lugar; e apareça a porção seca. E assim foi. E chamou Deus a porção seca Terra; e ao ajuntamento das águas chamou Mar. E viu Deus que era bom.<br />Gênesis 1:9 e 10.<br />“Os modernos conhecimentos geológicos confirmam plenamente a existência do megacontinentePangéia, de idade permotriácica, assim como sua fragmentação e a aglutinação de blocos continentais paleozóicos”<br /> Fernando Flávio M. de Almeida. Ciência Hoje.<br />AULA 5<br /> Prof. Kéliton Oliveira Ferreira<br />
  2. 2. ORIGEM: UNIVERSO E TERRA<br /><ul><li>Formação do Universo: 15.000.000.000 com uma enorme explosão denominada Big Bang.
  3. 3. Origem do Planeta Terra: 4.600.000.000 a partir da aglomeração de partículas cósmicas.
  4. 4. Para melhor estudar a idade da Terra utiliza-se o termo Tempo Geológico. </li></li></ul><li>TEMPO GEOLÓGICO<br /><ul><li>O tempo geológico é dividido em Eras, que são divididas em períodos. Os períodos podem reconhecer espaços de tempo menores, chamados épocas, idades e fases.
  5. 5. O conjunto que reúne as eras geológicas é conhecido como escala geológica.</li></li></ul><li>TEMPO GEOLÓGICO<br />
  6. 6. ORIGEM DOS CONTINENTES<br /><ul><li>1596: O cartógrafo holandês Abraham Ortelius, em seu livro Thesaurus Geographicus, evidenciou uma possível separação entre Europa, Ásia e África.
  7. 7. 1858: O Geógrafo francês Antônio Snider-Pellegrini apresenta um mapa mostrando que a América do Sul e a África já teriam formado um único continente, baseado em evidências fósseis.
  8. 8. 1912: O Geofísico alemão Alfred Lothar Wegener observando o forma dos continentes e fósseis na América do Sul e na África.</li></li></ul><li>A DERIVA CONTINENTAL<br /><ul><li>Segundo Wegener, há cerca de 250 a 300 milhões de anos, teria existido uma única massa de terra chamada Pangéia e uma única porção de água chamada Pantalassa.
  9. 9. Nessa época a Pangéia teria iniciado seu processo de fragmentação que deu origem aos atuais continentes.
  10. 10. As semelhanças maiores estariam entre a Europa e a América do Norte; Austrália, África e Índia, além da África e América do Sul.</li></li></ul><li>A DERIVA CONTINENTAL<br />
  11. 11. A DERIVA CONTINENTAL<br /><ul><li>250.000.000: A Pangéia teria se dividido em Laurásia (América do Norte e Eurásia) e Gondwana (América do Sul, África, Antértida, Austrália e Índia).
  12. 12. 130.000.000: América do Norte se separou da Eurásia.
  13. 13. 125.000.000: América do Sul, Austrália e Antártida começam a se afastar da África.
  14. 14. 65.000.000: A Índia soltou-se da África e se chocou com a Eurásia.
  15. 15. Alfred Wegener só não conseguiu explicar porque tudo isso aconteceu.</li></li></ul><li>A DERIVA CONTINENTAL<br />
  16. 16. A RESPOSTA PARA WEGENER<br /><ul><li>Utilizando melhores aparelhos, os geólogos americanos Harry Hess e Robert Dietz encontraram uma explicação e chegaram as seguintes conclusões:
  17. 17. Rochas do fundo dos oceanos mais recentes que das bordas continentais.
  18. 18. Fendas são abertas nas cordilheiras submarinas por onde passam o magma que resfriam e formam nova crosta.
  19. 19. Nas regiões de contato das placas estão as zonas mais geologicamente instáveis da Terra. É onde ocorrem as maiores modificações.</li></li></ul><li>A RESPOSTA PARA WEGENER<br />
  20. 20. A ESTRUTURA DA TERRA<br /><ul><li>Em seu processo de formação a Terra registrou altíssimas temperaturas.
  21. 21. Os metais mais pesados afundaram e formaram o núcleo; os mais leves ficaram próximos da superfície da Terra.
  22. 22. Crosta: Materiais leves.
  23. 23. Manto: Camada intermediária.
  24. 24. Núcleo: Materiais mais densos.
  25. 25. Litosfera: Camada rochosa que mede entre 70 e 100 km. Inclui a Crosta e parte do Manto Superior.</li></li></ul><li>PRINCÍPIO DA ISOSTASIA<br /><ul><li>Equilíbrio dos blocos continentais sobre o manto.
  26. 26. Os mais pesados, como as montanhas, mergulham mais no manto, enquanto os mais leves, como planícies e depressões ficam mais na superfície.
  27. 27. Equilíbrio Isostático: parecido com o de um iceberg, diferenciando em decorrência da densidade do manto.</li></li></ul><li>PRINCÍPIO DA ISOSTASIA<br />
  28. 28. ROCHAS E MINERAIS<br /><ul><li>As rochas podem ser definidas como um agrupamento de minerais que, por sua vez, são compostos de elementos químicos.
  29. 29. As rochas podem ser:</li></ul> - Magmáticas ou ígneas.<br /> - Sedimentares.<br /> - Metamórficas. <br />
  30. 30. ROCHAS MAGMÁTICAS<br /><ul><li>Formam-se pela solidificação do magma.
  31. 31. Intrusivas ou Plutônicas: Resfriam-se lentamente no interior da Terra. Exemplos: Granito e Diorito.
  32. 32. Extrusivas ou Vulcânicas: Rápida solidificação do magma na superfície, sem tempo para a formação de macro-cristais. Exemplos: Basalto e Obsidiana.</li></li></ul><li>ROCHAS SEDIMENTARES<br /><ul><li>Formam-se a partir da compactação de sedimentos oriundos da erosão, transporte e deposição de minerais.
  33. 33. Derivam-se de outras rochas que sofrem a ação de processos erosivos.
  34. 34. Exemplos: Areia, Calcário e Arenito.</li></li></ul><li>ROCHAS METAMÓRFICAS<br /><ul><li>Metamórficas vem de metamorfose que significa transformação.
  35. 35. Originam-se de outras rochas, que podem se Magmáticas, Sedimentares ou mesmo outras Metamórficas, que pelo calor e pressão no interior da Terra, adquirem outra estrutura.
  36. 36. Exemplos: Gnaisse e Mármore.</li></li></ul><li>ESTRUTURA GEOLÓGICA<br /><ul><li>Conjunto de diferentes rochas de um lugar e os vários processos por ela sofridos, o que da aos terrenos desse lugar uma característica própria.
  37. 37. Três tipos básicos de estrutura geológica na crosta terrestre:</li></ul> - Núcleos Crátons ou Escudos Cristalinos.<br /> - Bacias Sedimentares.<br /> - Faixas Orogênicas.<br />
  38. 38. CRÁTONS OU PLATAFORMAS<br /><ul><li>Rochas magmáticas e metamórficas muito antigas, das eras Pré-Cambriana e Paleozóica.
  39. 39. Desgastadas e com baixas altitudes.
  40. 40. Quando estão expostas são chamadas de escudos e quando estão cobertas por terrenos sedimentares são denominadas embasamentos cristalinos.
  41. 41. Exemplos: Canadense, Siberiano, Guianas e Sul-Amazônico.</li></li></ul><li>BACIAS SEDIMENTARES<br /><ul><li>Preenchidas pelos sedimentos que formaram as rochas sedimentares.
  42. 42. Temos bacias originadas nas eras Paleozóica, Mesozóica e Cenozóica.
  43. 43. Os combustíveis fósseis são encontrados nesse tipo de estrutura geológica.
  44. 44. Exemplos: Bacia Amazônica, a do Meio-Norte e a do Pantanal.</li></li></ul><li>FAIXAS OROGÊNICAS OU DOBRAMENTOS<br /><ul><li>Podemos diferenciar os dobramentos pela sua antiguidade, ou seja, pela era geológica em que se formaram, podendo ser Antigos ou Modernos.
  45. 45. Dobramentos Antigos: Arredondados e mais baixos. Datam da era Pré-Cambriana, como o movimento Laurenciano, Huroniano, Caledoniano e Herciniano.
  46. 46. Dobramentos Modernos: Ocorreram na era Cenozóica e deram origem as mais altas cadeias de montanhas da Terra.</li></li></ul><li>AS PLACAS TECTÔNICAS<br /><ul><li>Placas de espessura média de 150 km que flutuam na Astenosfera e formam a Crosta Terrestre.
  47. 47. As seis maiores são:</li></ul> - Americana.<br /> - do Pacífico.<br /> - Antártica.<br /> - Indo-Australiana.<br /> - Euro-Asiática.<br /> - Africana.<br /><ul><li>Outras menores:</li></ul> - Nazca, do Caribe, da Anatólia, de Cocos, da Grécia, das Filipinas, Arábica e outras.<br />
  48. 48. AS PLACAS TECTÔNICAS<br />
  49. 49. LIMITE DAS PLACAS TECTÔNICAS<br /><ul><li>No encontro das placas existem três tipos principais de limites:</li></ul> - Convergentes.<br /> - Divergentes.<br /> - Transformantes.<br />
  50. 50. LIMITES CONVERGENTES<br /><ul><li>São, de modo geral, as zonas de subducção, onde as placas se encontram e colidem.
  51. 51. Uma delas sempre mergulha por debaixo da outra e retorna à astenosfera.
  52. 52. Existem três tipos de convergência:</li></ul> - Crosta oceânica-Crosta continental: Formam-se fossas abissais.<br /> - Crosta oceânica-Crosta oceânica: Formam-se arcos vulcânicos.<br /> - Crosta continental-Crosta continental: Abducção ou Colisão, formando cadeias de montanhas.<br />
  53. 53. LIMITES CONVERGENTES<br />
  54. 54. LIMITES DIVERGENTES<br /><ul><li>Também chamadas de Cristas em Expansão ou Margens Construtivas.
  55. 55. É criada nova Crosta Oceânica a partir do resfriamento do magma vindo do interior da Terra pelo afastamento entre as Placas Tectônicas.
  56. 56. Formam cordilheiras submarinas.</li></li></ul><li>LIMITES TRANSFORMANTES<br /><ul><li>As placas deslizam horizontalmente uma ao lado da outra.
  57. 57. Não há destruição nem formação de novas crostas, também chamadas de Zonas de Conservação.
  58. 58. Podem provocar grandes terremotos.
  59. 59. Geralmente estão no fundo dos oceanos.
  60. 60. A mais conhecida é a Falha de San Andreas com 1300 km, limitando a Placa do Pacífico com a Norte-Americana.</li></li></ul><li>ATIVIDADES PARA CASA<br />Página: 38<br /> - Questões para Reflexão: 1, 2 ,3 e 5.<br />
  61. 61. FIM<br />Prof. Kéliton Oliveira Ferreira<br /><ul><li> Mestrando em Geografia pela Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória-ES.
  62. 62. Especialista em Docência do Ensino Superior pela Faculdades Integradas de Jacarepaguá, Jacarepaguá-RJ.
  63. 63. Graduado em Geografia pela Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória-ES.
  64. 64. Técnico em Administração pela EEEM “Clóvis Borges Miguel”, Serra-ES.</li></ul>keliton@gmail.com<br />

×