Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Portfolio adaptação curricular

49,794 views

Published on

Portfolio adaptação curricular

  1. 1. DIRETORIA DE ENSINO CAMPINAS OESTE ESCOLAS INCLUSIVASADAPTAÇÃO CURRICULAR SETEMBRO/2011 EQUIPE EDUCAÇÃO ESPECIAL Supervisora de Ensino - Profª Dirce Maiolli Supervisora de Ensino - Profª Mônica Hanl PCOP Ed. Especial – Profª Sylvia R. S. Capel
  2. 2. Pauta Sensibilização Introdução Adaptação Curricular ( parte 1 ) VC Deficiência Intelectual Adaptação Curricular ( parte 2 ) Avaliação alunos com NEE  Intervalo para Café Currículo Funcional Natural Teste sobre Inclusão Avaliação OT
  3. 3. A educação é também ondedecidimos se amamos nossas crianças o bastante para não expulsá-las de nosso mundo e abandoná-las a seus próprios recursos e tampouco, arrancar de suas mãos a oportunidade de empreenderalguma coisa nova e imprevista para nós, preparando-as, em vez disso e com antecedência, para a tarefa de renovar um mundo comum. Hannah Arendt
  4. 4. QUADRO DIAGNÓSTICO - Maio / 2011 TOTAL DE ALUNOS COM NEE (com e sem atendimento na SR ) DA DF CAD DM CEGO V SUB AUT SUP DIS TDAH TOTAL DUNL 2 10 17 7 55 1 1 4 0 0 0 9512 DUNL 1 7 10 6 26 1 10 2 0 2 7 713 N.APAR. 8 13 1 41 0 6 1 0 2 2 744 AMORE 7 12 0 37 1 2 2 1 1 6 695 B. VISTA 0 1 1 16 0 0 0 0 0 4 226 DIC 1 1 5 3 17 0 1 1 0 0 1 297 DIC 2 6 12 2 31 0 6 1 0 0 1 598 DIC 3 4 8 7 35 0 2 2 0 0 1 599 S.DMT1 2 6 2 22 0 1 1 0 0 3 3710 S.DMT2 2 12 3 25 0 2 1 1 0 1 4711 OLIVEIR 12 9 4 46 1 5 7 1 4 18 10712 VINHED 2 1 1 3 0 0 1 0 1 1 1013 VALINH 8 5 0 3 0 2 1 0 1 2 22 Total 69 111 37 357 4 38 24 3 11 47 701
  5. 5. AVALIAÇÃO DE ALUNOS COM NEE “ A prática avaliativa deve ser capaz de ir além de avaliar a aprendizagem, mas entender o valor individual de cada aluno, propiciando o seu crescimento como indivíduo e como integrante de uma sociedade. E que acima de tudo, seja uma avaliação envolvida com uma prática pedagógica real, inovadora, não excludente e muito amorosa” . ( Luckesi, 1987 )
  6. 6. DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO EDUCAÇÃO ESPECIAL: ESCOLAS INCLUSIVAS CURRICULO ADAPTADO - 1ª PARTE 11 / Abril / 2012PCNPE Ed. Especial – Profª Sylvia R. S. Capel
  7. 7. PAUTA: OT CURRÍCULO ADAPTADO – 11/04/12 Introdução: Adaptação Curricular Matemática Química Filosofia  Intervalo para Café Física Educação Física Avaliação OT
  8. 8. O DESAFIO DA INCLUSÃOA inclusão é um desafio que, ao ser devidamente enfrentado pela escola comum, provoca a melhoria da qualidade da educação básica, pois para que os alunos com e sem deficiência possam exercer o direito à educação em sua plenitude, é indispensável que essa escola aprimore suas práticas a fim de atender às diferenças. Esse aprimoramento é necessário, para que os alunos não passem pela experiência educacional sem tirar dela o proveito desejável, tendo comprometido um tempo que é valioso e irreversível em suas vidas: o momento do desenvolvimento. Diretoria de Ensino Região de Campinas Oeste Núcleo Pedagógico 15
  9. 9. ADAPTAÇÕES CURRICULARESA maior parte das adaptações curriculares são de pequenoporte e podem ser realizadas pelo professor noplanejamento normal das atividades docentes, como: 1. Organizativas; 2. Relativas aos objetivos e conteúdos; 3. Avaliativas; 4. Nos procedimentos didáticos e nas atividades; 5. Na temporalidade Diretoria de Ensino Região de Campinas Oeste Núcleo Pedagógico 17
  10. 10. DIRETORIA DE ENSINOREGIÃO DE CAMPINAS OESTE MATEMÁTICA PCNPE - INÊS
  11. 11. OT – Currículo Adaptado MatemáticaSituação de Aprendizagem Construída - Sequências Proposta para: 1° Série do Ensino Médio – 1º Bimestre
  12. 12. DIRETORIA DE ENSINOREGIÃO DE CAMPINAS OESTE QUÍMICA PCNPE - PAULO
  13. 13. OT – Currículo Adaptado QuímicaSituação de Aprendizagem 2 – Dissolução de materiais em água e mudança de suas propriedades Caderno do aluno 2ª Série do Ensino Médio – Volume 1
  14. 14. DIRETORIA DE ENSINOREGIÃO DE CAMPINAS OESTE FILOSOFIA PCNPE - ÉRICA
  15. 15. OT – Currículo Adaptado Filosofia Situação de Aprendizagem Construída –Beleza: a experiência do prazer e a busca da verdade Proposta para: 1° Série do Ensino Médio – 1º Bimestre
  16. 16. DIRETORIA DE ENSINOREGIÃO DE CAMPINAS OESTE FÍSICA PCNPE - LAYLA
  17. 17. OT – Currículo Adaptado Física Situação de Aprendizagem 1Campos e Forças EletromagnéticasCaderno do aluno3ª Série do Ensino Médio –Volume 2
  18. 18. DIRETORIA DE ENSINOREGIÃO DE CAMPINAS OESTE EDUCAÇÃO FÍSICA PCNPE - HENRIETTE
  19. 19. OT – Currículo Adaptado Educação Física Situação de Aprendizagem 1 Jogo possível : Vôlei sentadoCaderno do aluno6ª série do Ensino Fundamental –Volume 4
  20. 20. DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO EDUCAÇÃO ESPECIAL: ESCOLAS INCLUSIVAS CURRICULO ADAPTADO - 2ª PARTE 17 / Abril / 2012PCNPE Ed. Especial – Profª Sylvia R. S. Capel
  21. 21. PAUTA: OT CURRÍCULO ADAPTADO – 17/04/12 História Arte Língua Estrangeira Moderna – Inglês  Intervalo para Café Ciências Língua Portuguesa Avaliação OT
  22. 22. DIRETORIA DE ENSINOREGIÃO DE CAMPINAS OESTE HISTÓRIA PCNPE - MARISTELA
  23. 23. OT – Currículo Adaptado História Situação de Aprendizagem 4Expansão marítima nos séculos XV e XVI Caderno do aluno 6ª série do Ensino Fundamental – Volume 2
  24. 24. DIRETORIA DE ENSINOREGIÃO DE CAMPINAS OESTE ARTES PCNPE - LUCIANA
  25. 25. OT – Currículo Adaptado Artes Situação de Aprendizagem 3 - Artes visuaisCaderno do aluno5ª série do Ensino Fundamental –Volume 3
  26. 26. DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE CAMPINAS OESTELÍNGUA ESTRANGEIRA MODERNA - INGLÊS PCNPE - LÍDIA
  27. 27. OT – Currículo AdaptadoLíngua Estrangeira Moderna - Inglês Situação de Aprendizagem 1 What’s your favorite sport?Caderno do aluno6ª série do Ensino Fundamental –Volume 2
  28. 28. DIRETORIA DE ENSINOREGIÃO DE CAMPINAS OESTE CIÊNCIAS PCNPE - ADRIANA
  29. 29. OT – Currículo Adaptado a Ciências Situação de Aprendizagem 2, 3 e 4 : - Investigando um ambiente- Características dos principais ecossistemas brasileiros - As relações alimentares nos ambientes Caderno do aluno 6ª série do Ensino Fundamental – Volume 1
  30. 30. DIRETORIA DE ENSINOREGIÃO DE CAMPINAS OESTE LÍNGUA PORTUGUESAPCNPE – ANDREA e VALÉRIA
  31. 31. OT – Currículo Adaptado Língua Portuguesa Situação de Aprendizagem 1 - Produzindo um folheto prescritivoCaderno do aluno7ª série do Ensino Fundamental –Volume 2
  32. 32. Finalizando...  Apesar das garantias da legislação, o movimento da inclusão apenas começou, haja vista que existem inúmeras barreiras ao longo deste processo que levarão anos a serem destruídas e certamente dependerão desde a efetivação das políticas públicas garantindo o direito de cada um, partindo das barreiras arquitetônicas até as barreiras atitudinais que certamente estas serão, ainda por algum tempo, o maior obstáculo na luta pela igualdade. No entanto, diante de um tema tão sério, polêmico e complexo, sabemos que existe a necessidade cada vez mais urgente de estudar, debater, pesquisar e principalmente sensibilizar a sociedade da importância de quebrarmos as barreiras construídas ao longo de todo um processo de segregação da humanidade, erguidas e fortalecidas pelo preconceito, maior responsável pela discriminação e enfraquecimento das minorias.
  33. 33. Referência Bibliográfica: BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais – Adaptações Curriculares: Estratégias para Educação de Alunos com Necessidades Educacionais Especiais. Brasília: MEC/SEESP, 1999 BRASIL. Ministério da Educação. Projeto Escola Viva – Garantindo o Acesso e Permanência de todos os Alunos na Escola: Alunos com NEE – Adaptações Curriculares de Pequeno Porte. Brasília: MEC/SEESP, 2000 BRASIL. Ministério da Educação. Saberes e Práticas da Inclusão: Avaliação para Identificação das Necessidades Educacionais Especiais. Brasília: MEC/SEESP, 2005 MANTOAN, M.T.E. Educação inclusiva: Orientações Pedagógicas. In: BRASIL. Ministério da Educação. Atendimento Educacional Especializado: Aspectos Legais e Orientações Pedagógicas. Brasília:
  34. 34.  BRASIL. Ministério da Educação. A Educação Especial na Perspectiva da Inclusão Escolar. Brasília: MEC/SEESP, 2010 BRASIL. Ministério da Educação. Educar na Diversidade: Material de Formação Docente. Brasília: MEC/SEESP, 2006 BRASIL. Ministério da Educação. O Desafio das Diferenças nas Escolas. Brasília: MEC/SEED – TV Escola/Salto para o Futuro, 2006 PACHECO, J. Caminhos para a Inclusão . São Paulo: Editora Artmed, 2007 ANTUNES, C. Inclusão: o Nascer de uma Nova Pedagogia. São Paulo: Editora Ciranda Cultural, 2008 MANTOAN, M.T.E. Inclusão escolar – O que é ? Por quê ? Como fazer ? São Paulo: Editora Moderna, 2000
  35. 35. OBRIGADA !!!PCOP de Educação Especial – Sylvia e_mail: sylviakapel@yahoo.com.br Telefone: 3772-2779 Supervisor Ed. Especial - Dircee_mail: supdircemaioli@gmail.com Telefone: 3772-2786 Supervisor de Ensino – Mônicae_mail: monicahanl@yahoo.com.br Telefone: 3772-2767

×