Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Aprenda a Criar Suas Proprias Tirinhas

3,666 views

Published on

Nesse ebook, Jrol Lima, criador e ilustrador do website de tirinhas Dobradinha Comics, ensina você a criar webcomics com dicas e instruções praticamente inexistentes na internet.
São mais de 50 páginas de informações úteis para sobre como ter ideias, fazer piadas, organizar itens, criar roteiro e publicar.

Published in: Entertainment & Humor
  • Be the first to comment

Aprenda a Criar Suas Proprias Tirinhas

  1. 1. APRESENTAÇÃO Olá, pessoal! Meu nome é Jrol Lima. Sou criador e ilustrador do website de tirinhas especializadas em RPG (mas nem tanto assim) Dobradinha Comics. Depois de dois anos com ele na ativa, publicando diariamente, eu coletei muitas informações interessantes que podem ajudar você, que quer criar seu próprio site de webcomics. Aqui juntei dicas que não via em muitos lugares (ou em lugar nenhum) que são valiosas para um iniciante, ou até um veterano. Espero ajudar vocês com esse ebook! DOBRADINHA COMICS
  2. 2. A VERDADE A realidade é que isso não será fácil. Esse é um trabalho que exige dedicação, esforço e estudo constante. Criar uma webcomic é trabalhoso, vai tomar bastante do seu tempo e talvez não lhe dê o retorno que v o c ê e s p e r a ( o u r e t o r n o algum)… Principalmente se você não tratar isso com seriedade. Lembre-se que existem milhares de sites iguais ao seu e você não triunfará sendo medíocre.
  3. 3. PERIODICIDADE Você precisa fazer o seu melhor, contudo é necessário pensar quanto tempo precisa para isso. As opções mais comuns para publicar tirinhas são: diárias, semanais, quinzenais e mensais. Proporcionalmente, quanto menor o tempo entre as publicações, mais trabalho você terá, contudo mais exposição conseguirá. Um aviso importante agora: se suas tirinhas não forem diárias, coloque um aviso BEM VISÍVEL informando de quanto em quanto tempo sai uma nova (melhor ainda se você colocar datas específicas, como "toda sexta" ou "todo dia 15")! O motivo é bem óbvio: você não quer que os novos visitantes pensem que você abandonou seu site.
  4. 4. PERIODICIDADE Pense bem e faça um teste de quanto tempo leva para concluir um desenho. Aumente esse valor em mais 30 minutos para finalização (organizar os quadros, inserir diálogos, marca d’água, etc). Em seguida dobre essa somatória. Se no final o resultado obtido for igual ou bem próximo de todo tempo livre que você tem, você precisará aumentar o espaço entre as publicações. Imagine que você tem 3 horas por dia que você acredita que podem ser disponibilizadas para desenhar, mas você leva 2 horas para fazer uma tirinha. Somando 30 minutos e dobrando esse resultado, você terá um final de 5 horas. Isso significa que você não pode fazer um site com desenhos diários, principalmente se você pensar que alguns deles serão mais trabalhosos e terão vários quadros ou exigirão um esforço maior seu em algum outro aspecto. Lembre-se que você também não pode se sacrificar demais nisso ou então será muito mais fácil largar tudo quando se sentir atolado e sobrecarregado.
  5. 5. PERIODICIDADE Também vale lembrar que você pode sempre começar ele com um espaço mais longo entre as publicações (quinzenal por exemplo) e quando você pegar o ritmo, você reduzir esse tempo (para semanal ou diário). No entanto o contrário (aumentar esse espaço de tempo entre as publicações) quase sempre é mal recebido.
  6. 6. TEMA Tudo bem, você pode sim ter um site com temas variados, porém tratar de um assunto específico cria uma identidade para sua página e pro seu nome, alem de ajudar a afastar você da multidão de webcomics que existem por aí. Outra vantagem em ter um tema é que isso gera leitores mais fiéis que voltarão com maior frequência à sua página, pois sabem exatamente o que esperar dela. Sites de tiras sem temas fixos costumam ter mais visitas únicas, no entanto esse costuma ser um numero flutuante, ou seja, a tirinha de hoje pode ser muito mais popular do que a de ontem exatamente pelo assunto tratado. No fim, eu vejo muitas vantagens de você abordar um tema específico, mesmo que em alguns momentos você escape dele para abordar outros assuntos
  7. 7. ESCOLHENDO TEMA Existem duas opções: a simples e a complicada. A opção simples é você escolher um tema cujo já está familiarizado com. Parece difícil pensar nisso, no entanto eu lhe asseguro que existe sim um assunto que você domina com maestria e entende quase que completamente. Pode ser algo bem banal como um jogo de videogame ou sua área de atuação profissional. Também pode ser uma disciplina escolar, algum esporte que pratique, série que assista ou quadrinho/livro que lê. Qualquer coisa serve, desde que você conheça profundamente esse assunto ou esteja em contato constante com ele.
  8. 8. ESCOLHENDO TEMA A opção complicada é você escolher um tema que você não domine bem. Talvez você escolha essa opção pelo fato de achar que ela possa gerar mais piadas, mais histórias ou por raramente ser usada como tema em outros websites. Embora ela dê a você maior originalidade ela tem um problema: você precisará estudar bastante.
  9. 9. ESCOLHENDO TEMA Tudo bem, em ambos os casos você precisará estudar para manter-se atualizado e renovado, no entanto quando você escolhe um tema que você já domina, isso quer dizer que ele provavelmente faz parte do seu dia-a-dia, então isso quer dizer que você o estudará involuntariamente, entretanto quando você escolhe um assunto fora da sua área, isso requererá pesquisa constante, exatamente para você ter sempre algo novo para escrever sobre, além de não falar besteira sobre o tema escolhido. Como eu apontei acima, a segunda opção dá maior relevância para seu site, contudo se você não tem muito temo livre para pesquisar e estudar, talvez ela não seja a melhor para você.
  10. 10. ANATOMIA DA PIADA Uma piada é uma mudança repentina e inesperada em algum evento, situação ou diálogos. Essa súbita mudança no roteiro precisa ser coerente, ou seja, ele precisa trazer para o leitor uma situação inédita, contudo crível e plausível. Isso quer dizer que eu não posso contar uma piada em que fui assaltado pelo motivo da minha bicicleta ser azul, pois realmente não há ligação alguma entre as informações. Você precisa criar aquela sensação de “I see what you did there”. O que estou dizendo é que você precisa dar ao leitor uma expectativa, uma conclusão e depois mudá-la, mas ainda mantendo coerência. Leve ele, durante à sua narrativa, a concluir que o evento será de uma maneira e use sua inteligência para seguir um rumo diferente, mas que realmente possa ser considerado lógico e aceitável.
  11. 11. ANATOMIA DA PIADA A parte mais básica para quem faz piada é usar-se de ‘switcheroo’. O termo se refere à prática de você causar em uma pessoa a expectativa de um resultado, para então da-la um final oposto ou totalmente não usual. O termo não é realmente próprio do humor, ele vale para todo tipo de situação em que o resultado é diferente do que seria esperado. Basicamente ele se refere à inversão e de eventos e expectativas (isso é muito visto em tiras de ‘Em Universo Paralelo’), algo muito importante para quem faz piadas.
  12. 12. BRAINSTORM Brainstorm é uma atividade desenvolvida para explorar a criatividade e a geração de ideias. O conceito é bem simples: você apresenta um tema, uma pauta ou problema e em seguida diz exatamente TUDO que acha que há relação com isso. Tudo mesmo, sem medo. Pegando essa atividade para tirinhas, vamos dizer que você quer fazer uma tirinha sobre vampiros (inclusive eu fiz uma usando essa técnica). Então em uma folha de papel, você escreve TUDO que sabe sobre vampiros. Escreva todas as coisas clássicas, todas as lendas comuns, todas as situações previsíveis, todos os pontos fortes e fracos… Tudo!
  13. 13. BRAINSTORM Depois disso, você analisará quais ideias são mais fortes para. Quais se sente mais confortável para interagir, seja por familiaridade ou por você ter uma maior fonte de informações sobre ela. Daí tente ver todas as situações previsíveis sobre esses itens e crie eventos inéditos com isso (como falamos anteriormente). A intenção é conectar crivelmente o seu tema com um final inesperado.
  14. 14. CADERNO DE IDEIAS Quando eu digo Caderno de Ideias você não precisa ser literal e comprar mesmo um caderno (embora seja legal ter um). Pode ser um bloco de notas, um app no tablet, computador, smartphone, laptop… Qualquer coisa dessas, mas é importante uma coisa: que ele guarde todas suas ideias em um só lugar! O que eu quero dizer com isso é que você não deve anotar suas ideias em guardanapos ou folhas avulsas. Lembre-se que a qualquer momento você pode ter uma sacada incrível que tornará aquela sua ideia legalzinha que estava lá encalhada no seu caderno em uma piada impressionante, então para isso, você precisa ter contato regular a essas anotações.
  15. 15. CADERNO DE IDEIAS Seu caderno de ideias otimiza seu processo criativo, além de organizar melhor todos seus pensamentos. Isso evita aquele velho lance de você ter tido uma ideia genial e revira sua casa inteira e todos seus gadgets procurando onde você a anotou.
  16. 16. ROTEIRO Nem venha começar a reclamar, você precisa SIM escrever um roteiro para suas tirinhas, mesmo que você o mude um pouco durante o desenho. Aí você me pergunta “se eu já sei como é a piada, pra que diabos eu preciso escrever esse roteiro?” e a resposta é relativamente complexa. O roteiro serve para você visualizar melhor a webcomic antes dela ser produzida, sem contar que ele mostra como é a interação dos personagens envolvidos, descrição dos acontecimentos, fluxo de narrativa e número de quadros. O roteiro também serve para você não esquecer de nada do que será desenhado, principalmente se você não for desenhar no mesmo dia em que teve a ideia.
  17. 17. ROTEIRO Não precisa ser um roteiro elaborado… Ele pode ter o mínimo de informações possíveis, contudo precisa ser preciso, explicativo e completo o suficiente para você entender a tirinha mesmo depois de semanas ou meses após ter tido a ideia. Meus roteiros são bem básicos: eu escrevo como é a cena (quando essa é importante) e defino quem são os personagens e seus diálogos. Ali também, costumo imaginar e anotar quantos quadros prevejo, embora eu goste mais de fazer quadros únicos.
  18. 18. ROTEIRO O roteiro serve também para preparar sua mente para visualização do que você quer desenhar, por isso que é nessa parte que você cogita em quantos quadros utilizará, posicionamento dos personagens, dos balões de diálogo e o formato da tira (se é vertical ou horizontal). Ele servirá para você como um manual de instruções para seu desenho.
  19. 19. NARRATIVA N a v e r d a d e , e l a ainda está fazendo p a r t e d o r o t e i r o , contudo a narrativa deve ser considerada c o m o e l e m e n t o separado, pois é nela que você define a melhor maneira de contar sua história e isso é extremamente importante.
  20. 20. NARRATIVA Nela você definirá como causar maior impacto para o leitor, como estender ou encurtar sua piada para um melhor fluxo. No fim, a narrativa nada mais é que a otimização do roteiro e desenho, fazendo você maximizar os resultados. Veja se a maneira que você escolheu para contar sua história não entrega a piada antes que você queira. Talvez criar vários quadros aumente as falas e faça o leitor perceber qual a situação cômica você quer apontar, no entanto quando você encurta demais a narrativa, talvez a pessoa se sinta não ambientada o suficiente para achar aquilo engraçado. Você precisa levar-se sempre no meio termo do longo e curto, sendo explicativo o suficiente alguém entender e intuitivo o bastante para sua narrativa não entregar antecipadamente o que você quer. Por isso mesmo evite diálogos grandes ou muitos quadros.
  21. 21. LEITOR NÃO É BURRO Claro que existe muita gente idiota na internet, mas nem por isso você precisa tratar as pessoas que lêem suas tirinhas dessa maneira. Aliais, você nem deveria deseja-las no seu website. Já existe conteúdo burro e superficial demais por aí, então tente fazer do seu trabalho o mais inteligente e perfeccionista possível. Use seu humor e inteligência para criar algo memorável. Humor inteligente faz as pessoas pensarem, debaterem e, conseqüentemente, se lembrarem de você. Humor idiota passa mais despercebido, sendo apenas mais uma coisa boba da internet.
  22. 22. RECANTO DE IDEIAS Recanto de Criatividade é quase um refúgio, um local seguro onde suas ideias fluem melhor. Acredite em mim, você tem um! Ele é um lugar onde você se sente confortável e em paz. Também é um lugar onde você relaxa e esvazia sua mente ao ponto de nenhum outro pensamento, além daqueles que você realmente quer, entra na sua mente.
  23. 23. RECANTO DE IDEIAS O meu recanto da criatividade é o banho. É um momento em que minha mente se esvazia e eu posso pensa com clareza nas minhas tirinhas. Pense bem: onde você se sente mais confortável? Qual o lugar mais pacífico do mundo pra você? Em que lugar você consegue se esquecer brevemente dos seus problemas ou da sua vida? Qual lugar você consegue analisar com clareza seu dia? Seu recanto de criatividade funciona como um organizador e seletor das melhores ideias que você teve. É local onde você terá acesso ao seu senso crítico e criativo simultaneamente.
  24. 24. EM PRÁTICA Agora… Que tal uma demonstração prática disso tudo que eu expliquei? Na minha nova série de tirinhas chamada Manual do Herói eu crio um livro de regras que todo herói deve seguir. Logo na primeira tirinha eu fiz um brainstorm para desenvolver a piada (que eu não fazia a mínima ideia de como seria) e um pequeno roteiro de como a tira seria narrada.
  25. 25. EM PRÁTICA
  26. 26. EM PRÁTICA Após me perguntar o que um herói fazia, eu descrevi três itens clássicos. Eu não segui com mais ideias, pois com apenas essas três eu imaginei que conseguiria algo. Para fins de encurtar esse texto, mostrarei apenas a seleção de ideias possíveis. Escolhi ‘salvar donzelas’ como base para prosseguir.
  27. 27. EM PRÁTICA Com a ajuda de um dicionário vi as possíveis definições para ‘salvar’ e ‘donzela’. Após isso, movi para aplicá-las em frases. Isso me permitiu visualizar melhor como eu poderia tornar a situação menos previsível.
  28. 28. EM PRÁTICA Após eliminar a opção ‘salvar solteira, virgem e bela mulher’, pois achei que poderia usá-la em outra tira não relacionada à donzela eu comecei a inverter situações, brincando com significados e com a previsibilidade das situações. Nesse momento percebi que usar a opção ‘salvar bela mulher’ tinha um potencial maior.
  29. 29. EM PRÁTICA Na problemática eu questionei quais as dificuldades eu teria com cada uma das minhas opções. A que se saísse melhor nas minhas dúvidas será a situação eleita para minha tira.
  30. 30. EM PRÁTICA Prontinho. Finalmente o roteiro foi concluído. Lembra quando eu falei que ele não precisava ser elaborado? Ele só precisa ser específico e explicativo o suficiente para você ter todas as coordenadas para guiar seu desenho.
  31. 31. EM PRÁTICA Escrevi o roteiro pegando a ideia vencedora. Vou confessar que gostei mais do lance do herói gay, porém na minha mente havia um problema com aquilo. Se eu considerasse que ele salvasse o cara eu deveria ter dois personagens fixos na história e eu não queria isso. Eu queria a história focada apenas no herói e de vez em quando aparecer um personagem regular. No roteiro criei uma situação simples, descrevi quadros e diálogos. Dividi em dois quadros pois achei que teria um impacto maior para piada se a resposta dele viesse em um local separado.
  32. 32. PERSONAGENS Após tudo definido quanto a ideias, temas, assuntos e narrativas é hora de pensar sobre o que você realmente que fazer. Com isso eu digo que você precisa pensar se irá usar personagens fixos ou descartáveis. Personagens descartáveis não são recorrentes ou sequer aparecerão novamente em outras webcomics suas, enquanto os fixos são regulares, sendo aproveitados constantemente em uma linha narrativa linear ou não. Com personagens fixos você consegue criar piadas específicas e internas. Você pode fazer brincadeiras com as roupas, personalidade e aparência deles de uma maneira natural, pois o leitor tem informações suficientes para entendê-las.
  33. 33. PERSONAGENS Com eles você também cria uma base de fãs mais fiel. Fãs esses que serão mais engajados com seu trabalho, no entanto ter personagens regulares faz com que seja menos fácil você atrair novos leitores, principalmente depois de um tempo, quando você tiver um numero razoável de publicações. É como uma série de TV com muitas temporadas ou uma revista em quadrinhos com muitos anos... O leitor se sente ameaçado pela quantidade de conteúdo e acaba evitando entrar em contato com seu material. Por outro lado, enquanto personagens descartáveis atraem novos leitores com maior facilidade, essa abordagem faz com que eles sejam menos ativos e mais esporádicos.
  34. 34. PERSONAGENS Personagens avulsos criam uma facilidade maior em você ser visto por novos viewers assim como também te dá maior liberdade para abordar diversos assuntos criando menos restrições de ideias. Eu sou a favor de você ter os dois, uma série com personagens regulares e outra com descartáveis, assim você está sempre renovando seu guarda-roupa de ideias, atraindo gente e agradando o público que é mais fiel às suas publicações.
  35. 35. CONSISTÊNCIA Por consistência eu digo a capacidade de manter o mesmo tipo, estilo e traço constantemente, sendo assim, essa é a habilidade de fazer com que os personagens sejam os mesmos sempre e tenham a mesma aparência sem ficar mudando (involuntariamente) a forma ou aspecto do que é desenhado. Caso você não consiga fazer isso, tudo bem… Isso não indica que você não possa fazer tirinhas, no entanto exigirá um pouco mais de trabalho e tempo. As melhores maneiras de você permanecer consistente são: mantenha-se simples e utilize-se de linhas-guia.
  36. 36. CONSISTÊNCIA É óbvio que é legal fazer um desenho bem detalhado, aprimorado e complexo, mas consistência é muito mais importante que isso. Se seu personagem muda de forma a ponto de ficar irreconhecível entre um quadro e outro, ISSO ESTÁ ERRADO e faz com que você seja um ilustrador ruim. Você precisa ser regular. Isso é vital para qualquer desenhista, mesmo porque em diversos momentos você será obrigado a redesenhar um personagem em uma nova pose e ele precisa ser reconhecido. Por isso mesmo, se você não consegue ser muito consistente, você deve tentar manter-se simples. Faça desenhos com poucos traços, poucas formas, poucos detalhes. Faça o mais simples que puder, contudo que ainda possa ter uma identidade sua. Isso garantirá estabilidade quadro após quadro.
  37. 37. CONSISTÊNCIA Você também deve, sempre que possível, utilizar-se de linhas-guia para fazer suas ilustrações. Essas são linhas que servem para você organizar, fixar e delimitar onde cada elemento gráfico deve aparecer no quadro. São chatas de fazer, pois são meio técnicas e r e s t r i n g e m u m p o u c o s u a liberdade, mas são uma garantia de que tudo será o mesmo o tempo todo.
  38. 38. CHARACTER DESIGN Nem venha choramingar, você precisa sim fazer um design de personagens, principalmente se você tem personagens fixos. Você precisa saber como desenhá-los e o que funciona ou não em suas formas, roupas e outras coisas. No character design você também definirá quais são suas guias e como seus personagens são construídos. Você fará o máximo de estudos possíveis. Lembre-se de algo importante: faça o maior número de rascunhos possíveis! Muitos rascunhos significam que você aprimorará o design do seu personagem, dando certeza que você fará algo único e totalmente seu, com seu estilo e traço. Siga a velha regra: nunca use o primeiro design feito. Estude bastante, faça 3 ou 4 outros projetos e só então escolha uma opção. Usar logo o primeiro estudo muitas vezes provoca uma falta de criatividade no personagem.
  39. 39. CHARACTER DESIGN
  40. 40. FINALIZAÇÃO Por finalização eu falo sobre qualquer tipo de acabamento do desenho. Na verdade eu não tenho uma dica de verdade para dar, apenas uma mensagem: você deve finalizar seu desenho da maneira que achar melhor! Não se engane pela quantidade de sites por aí com tirinhas feitas digitalmente, você deve fazer da maneira que achar melhor. Se você não tem ou não gosta de mesa digitalizadora, faça no papel mesmo, finalize à grafite, nanquim, aquarela, lápis de cor… Qualquer coisa vale de verdade! Você está buscando uma identidade, um estilo, uma personalidade para seu site e seu desenho, sendo assim, a maneira que finaliza exibe bastante disso. Não condicione-se a fazer o acabamento da maneira que parece mais convencional. Faça da SUA maneira!
  41. 41. CORES Você pode fazer tirinhas sem cores sem problema algum, no entanto caso escolha usar cores isso dá ainda mais identidade ao seu trabalho e também um apelo visual maior às suas publicações, no entanto como escolher suas cores? Como saber quais as cores certas se encaixam no seu desenho? Você deve pensar primeiro se você tem um tipo de cor favorito. Lembre-se que isso é sobre desenvolver seu material e seu estilo, por isso você deve fazer algo que goste e retrate você. Talvez você goste de cores mais saturas, mais claras, mais cinzentas, mais escuras… Defina as cores que são mais agradáveis primeiro. Para ajudar nisso, pense na característica das suas tirinhas e das suas ideias. Cores saturadas podem ser mais energéticas; cores mais claras talvez sejam mais tranquilizadoras; carregadas mais em tons de marrom pode dar a ideia mais natural. Existem também diversos sites com significado das cores e eles podem te ajudar a dar uma conotação diferente ao seu trabalho.
  42. 42. CORES Minha melhor dica para você ter acesso a uma tonelada de esquema de cores é o Adobe Kuler. Ele é grátis e acessível pela web ou como app para a maioria dos seus gadgets. Além de ter um monte de paletas prontas, separadas por nomes, criadas por o u t r o s u s u á r i o s , v o c ê também pode montar as suas, com a ajuda de uma espécie de ‘disco de cores’. kuler.adobe.com
  43. 43. FORMATO Tirinhas podem ter o formato que você quiser (horizontal, vertical, aleatoriamente espalhado pelo corpo da página, diagonal...), porém ele deve ser bem pensado para suportar e intensificar sua publicação. O formato das suas tiras deve ser pensado cautelosamente para que tenha uma aplicação correta e valorizem a piada. Uma dica valiosa aqui é: faça suas tiras pensando na melhor visualização no corpo do seu site, sem a necessidade de que o leitor tenha que efetuar cliques vê-las ampliadas. Isso ajuda o usuário a ter uma experiência de leitura mais fluida. Pra que dificultar quando você pode facilitar as coisas, né?
  44. 44. PUBLICAÇÃO Antes de publicar, vamos pensar um pouco sobre onde a gente pode fazer isso. As principais plataformas para montar seu site são: Blogspot, Wordpress e Tumblr. Entre outros, esses são três ótimos serviços e cada um tem uma vantagem específica. O Blogspot foi a plataforma que escolhi para abrigar o Dobradinha Comics. O fator principal para essa escolha é que eu desejava o blog bem simples e queria permitir anúncios com o mínimo de custo. O Wordpress não permite isso, a não ser que você pague para habilitar essa capacidade... Já o Tumblr eu não tenho muita certeza, mas nunca vi anúncios nele e sempre que procuro sobre como inseri-los, vejo gente dizendo que não conseguiu.
  45. 45. PUBLICAÇÃO No Wordpress você tem um acervo maior de templates (grátis e pagos) e ferramentas para fazer seu site ficar bem profissional. É muito mais customizável, no entanto a inferface inicial é menos convidativa para os usuários iniciantes (na minha opinião), embora você pegue o jeito em pouco tempo. O Tumblr possui um feeling de rede social e isso nem de longe é ruim. Muita gente segue tumblrs por aí e criar o seu site lá indica que você já tem uma vantagem em visualização. Seguir seu site fica mais fácil, sem contar que ele é, de longe, o que tem personalização de temas mais fácil e agradável de se usar. Você não precisa mesmo saber muito (ou quase nada) de programação, pois tudo é muito bem explicado. O único porém é que ele não suporta muitos widgets como é o caso do Blogspot e do Wordpress.
  46. 46. PUBLICAÇÃO E como escolher o certo pro seu blog? Bem, pensando de maneira mais pragmática se você quer usá-lo comercialmente (exibir anúncios) e não se incomoda com uma escassez de temas ou templates, use o blogspot. Se quiser tem um pouco de conhecimento de programação ou quer diversos widgets e templates, vá para o Wordpress, porém se seu lance é conhecer o mínimo de programação, mas ainda assim personalizar bem seu site e tentar se aproveitar de uma rede social, vá com o Tumblr. A melhor opção mesmo, seria você criar uma conta nas três plataformas e usá-las de forma experimental para ver qual delas você se dá melhor antes de iniciar suas publicações.
  47. 47. REDES SOCIAIS Crie contas nas principais redes sociais. Faça em praticamente todas que você puder, mesmo que nem chegue a usá-las no futuro. Se você não usa o tumblr como plataforma para publicar suas tiras, faça uma conta lá também. A ideia aqui é facilitar a vida dos seus leitores aproximando seu conteúdo a eles. Muitos usuários não podem ou esquecem de acessar um site durante o dia, mas praticamente todos eles possuem uma rede social favorita e a acessam diariamente, então vamos facilitar a vida deles, divulgando seu blog por lá também, né?
  48. 48. REDES SOCIAIS O lance aqui é: use pouco sua conta pessoal para divulgar o trabalho do seu site, exatamente para não ficar conhecido como um chato. Coloque algo na sua página apenas quando for conteúdo novo, isso se você publicar por semana, quinzena ou mês. Caso publique diariamente, escolha apenas a melhor tira da semana para compartilhar na sua página e deixe as publicações diárias para as redes sociais oficiais das suas tirinhas. Quando for convidar algum amigo seu para curtir/seguir sua página, não faça um convite automático… Mande uma mensagem para ele explicando o que você está fazendo e pedindo isso ou pelo menos que ele recomende a sua página. A verdade é que as pessoas estão acostumadas a negar os pedidos automáticos e provavelmente ignorarão o seu, entretanto se você explicar a elas o que é, elas se sentirão mais aptas a ajudar, no entanto não enchas as inbox dos seus amigos implorando para que divulguem seu material.
  49. 49. REDES SOCIAIS Mande apenas uma mensagem por amigo e se ele se recusar, seja compreensivo e agradeça mesmo assim (nada de ficar enchendo o saco dele tentando obrigá-lo sentimentalmente a te ajudar). Lembre-se que ele é seu amigo!
  50. 50. COMPARTILHAMENTO Compartilhe suas tirinhas em horários variados (pelo menos nos primeiros meses) para tentar entender quando é o momento que seus leitores estão online (isso não vale para o horário em que sua tirinha é postada no website. Lá ela deve ser publicada nas primeiras horas do dia, ainda de madrugada, ou na noite anterior). Isso serve para avaliar quando as pessoas visualizam melhor suas publicações e te ajuda a criar uma base de quais os horários com mais espectadores para você. Não mande emails para seus contatos compartilhando seu conteúdo sem um motivo, ao invés disso, utilize uma assinatura no fim das suas mensagens eletrônicas com endereço do site (somente o url já deve ser o suficiente para despertar a curiosidade de alguns).
  51. 51. COMPARTILHAMENTO E por falar em url, não utilize a área de comentários dos outros sites para disparar links do seu. Isso faz que você seja visto pelo dono do portal e pelos leitores como spammer e, pra ser sincero, isso raramente resulta em alguma coisa. O negócio aqui é fazer o seguinte: tente ler de verdade as páginas, os artigos e tirinhas dos seus ‘concorrentes’ e faça comentários pertinentes. Quando for comentar, utilize a conta da fanpage do seu blog (quando a opção de comentários por facebook estiver sendo usada) ou o nome do seu blog e endereço (aquela opção ‘antiga’ de formulário). Caso não haja nenhuma dessas opções, apenas comente com seu nome mesmo (ou pelo menos com o nome do seu site).
  52. 52. COMPARTILHAMENTO Tente ser o menos invasivo possível. Mostre para os outros que você é uma pessoa legal e está disposto a trocar informações relevantes. Seja um bom vizinho, interagindo de maneira não ofensiva com os outros que fazem trabalho semelhante ao seu. Eventualmente alguém vai observar você, ficar curioso e visitar sua página. Acredite em mim… ISSO VAI ACONTECER!
  53. 53. SER NOTADO Essa é difícil. Ser notado é complicadíssimo, contudo há algumas maneiras de facilitar um pouco você a ser achado pelo seu publico-alvo. Primeiro: você deve sim utilizar sites agregadores de conteúdo. Eu era meio cético no inicio, porém depois pensei ‘Eles oferecem divulgar meu site e minhas postagens de graça… Então por que não usar?’. São ótimas ferramentas e mesmo que não gere muito tráfego pro seu trabalho, pelo menos está ajudando-te a ser notado. Meus agregadores favoritos são: Ocioso, Atoa Na Net, Link Irado, Tedioso e Link Log.
  54. 54. SER NOTADO Segundo: procure por grupos no Facebook que falem sobre o tema que você publica e coloque o que você faz lá também, mas novamente, tente não ser um spammer. Leia as regras e veja qual o posicionamento do grupo sobre divulgação de links ou imagens. Se não houver nenhuma informação sobre isso lá, tente manter um ritmo de uma publicação por quinzena ou mês nesses lugares. Você não pode ser visto pelos usuários como o intruso que veio apenas para disparar seu conteúdo... Ninguém gosta dessas pessoas. Quanto à hashtags, sempre pesquise antes as que você for usar para ver se são mesmo populares e como as pessoas interagem com elas. Isso é importante para que você não caia em um assunto que não faz sentido com o que você está compartilhando.
  55. 55. SER NOTADO Terceiro: você deve/pode procurar por parcerias. A que mais acho que dá certo é você criar um material extra para outro site (que você realmente lê) com um período de publicação maior que o do seu blog (para não exaurir-te demais). Esse conteúdo deve exclusivo da outra página, ou seja, nada de publicar a mesma tirinha que você fez lá no seu site também. A ideia aqui é: a pessoa que está recebendo o conteúdo ficará feliz com o material e divulgará seu trabalho em forma de reconhecimento.
  56. 56. SER NOTADO Mas algumas considerações: se for entrar nesse esquema de parceria, faça VOCÊ a oferta.. Eu digo isso, pois aí você se oferecerá quando achar que está disposto e também pode ser firme na periodicidade. Também, se possível, limite o número de tiras que você fará para o site e AVISE-O. Diga para o seu parceiro que você fará 15 tirinhas, por exemplo. Se você achar que pode fazer mais depois, aí vocês entram em um novo acordo. Isso é pra você não se sentir amarrado a uma página quase que eternamente. Por último, forme essas parcerias com sites mais ou menos parecidos com o seu em números. Evite procurar sites 50 vezes maiores que o seu, pois eles já recebem renda e propostas demais de parceria. Vá com os pequenos primeiro e depois aumente gradualmente.
  57. 57. O FIM E isso é tudo, galera! Foi uma longa leitura, eu sei, mas eu espero de verdade que tenha sido útil para quem está querendo se aventurar no mundo das webcomics. Não deixe que as outras páginas te intimide... Não se desanime com as poucas visitas iniciais que você terá. Mantenha-se focado, esperançoso e ambicioso. Não acredite que as pessoas não gostarão do seu trabalho. SEMPRE há alguém que gostará do que você faz, desde que você se dedique e coloque seu coração no que faz. Obrigado, galera e até mais! Jrol Lima

×