Jornalsolaris 1

787 views

Published on

Jornal Solaris n1- novembro de 2010

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Jornalsolaris 1

  1. 1. Arte e Cultura de Divin€polis Saiba o que € a AGEACAC e o trabalho que ela realiza em Divin€polis e em outros estados brasileiros. O Novo Jornal Art•stico e Cultural de Divin€polis Novembro 2010, N 1 EntrevistacomoescritorFelipeLacerda CLASSIFICADOS, AGENDA CULTURAL Aprendiz de Mosca Morta, Por entre suas pernas, Eldorado
  2. 2. 02 Editorial €ndice Arte e Cultura de Divin€polis Jornal Solaris - Rua Dr. Dulphe Pinto de Aguiar, n14, Bairro Tiet• Divin‚pois-MG, Brasil. Tel: (037)9929 8108, e-mail: jornalsolaris@gmail.com, blog: jornalsolaris.blogspot.com. 03 - Contato. 04 - O novo jornal. 05 - Apoie aqueles que apoiam a cultura. 06 - Entrevista com a banda Dias de Truta. 11 - AGEACAC. 12 - Entrevista com Felipe Lacerda. 16 - Classificados. 17 - Agenda Cultural. 18 - Agradecimentos. Esta € a primeira publica•‚o do Jornal Solaris, um jornal digital de distribui•‚o gratuita via internet que trata sobre arte e cultura de Dvivinƒpolis e reigi‚o, com o objetivo de expor a arte e cultura divinopolitana ao mundo. Este jornal tem o intuito de ser um ponto de referencia em termos de informa•‚o, para os artistas e pessoas ligadas „ cultura de Divinƒpolis. Se voc… € artista ou est† ligado † cultura, entre em contato para fazermos uma mat€ria sobre a sua arte, evento, projeto, etc. Caro leitor, ajude a divulgar a arte e a cultura de Divinƒpolis, envie este material para seus amigos por e-mail e aguarde a prƒxima edi•‚o. Jeferson Dias - 19/11/2010
  3. 3. Mantenha contato pela internet Blog oficial - baixe as novas edi€•es do Jornal Solaris atrav‚s do blog jornalsolaris.blogspot.com Entre na comunidade do orkut "Jornal Solaris [oficial]" e tenha acesso aos links das pr€ximas edi•‚es,elƒm de enquetes, novidades, foruns, etc. acesse: http://www.orkut.com.br/Main#Community?rl=cpp&cmm=108314409 Siga no twitter: www.twitter.com/JefersonDiasA 03
  4. 4. 04O Novo Jornal O mais novo jornal sobre cultura e arte da cidade de Divinópolis, criado e idealizado pelo pintor e escritor Jeferson Dias. O jornal promete muito já que sua veiculação é mundial e melhor ainda, o jornal é totalmente gratuito, no formato pdf, com muita qualidade para o leitor exigente. Origem da idéia. A idéia surgiu da necessidade de se criar algo para divulgar os trabalhos artísticos e culturais de Divinópolis, já que outros jornais não o fazem e quando o fazem muito pouco, infelizmente as pessoas se esqueceram da arte e da cultura e como diz a música do titãs “a gente não quer só comida agente quer bebida, diversão e ARTE”. Outro ponto na qual serviu de gatilho para originar esta revista foi o fato d e que muitos artistas e pessoas ligadas a cultura em geral não possuem contato um com os outros o que faz com que parcerias sejam impossíveis de ser feitas, como diz um escritor divinopolitano “os escritores desta cidade se escondem, devem ter medo de sair de casa”. É muito importante que se tenha um ponto de referencia para noticiar o que ocorre no mundo da arte e da cultura de Divinópolis, pois não é de interesse de um pintor por exemplo comprar uma revista na qual grande parte de seu conteúdo fala de futebol com a esperança de ter noticia de algo ligado a arte, o que ocorre uma vez na vida e outra na morte. No entanto, o jornal solaris será destinado às pessoas interessadas na cultura de Divinópolis, não será um jornal para reportar um acidente, crime, escândalos da política, etc. pois isto os outros jornais o fazem. Por que fazê-lo em formato pdf. Poderíamos fazê-lo direto em um site, onde o leitor entra e logo se depara com a noticia sem precisar baixar algo, porém na outra semana aquela noticia já não estaria mais ali para uma futura consulta, o que não ocorre com o pdf que fica armazenado no HD do leitor, tornando o jornal um objeto "colacionável", além de que não custa nada esperar alguns segundo para baixar um jornal e ter a notícia para uma futura consulta. Uma vantagem do jornal digital em cima do jornal impresso, é que o jornal digital será veiculado no mundo inteiro, o que ajudará a expor a arte e cultura de Divinópolis não só para a população de Divinópolis e sim para o mundo inteiro. Uma pessoa no rio de janeiro poderia ver por exemplo algo relacionado com algum festival cultural que ocorreria em Divinópolis no jornal e caso for de seu interesse poderia vir até aqui para participar, o que não ocorreria com um jornal que seria veiculado apenas na região. Além da veiculação, o custo e a velocidade na publicação também possui vantagens; o jornal digital pode ser facilmente publicado na internet, questão de minutos, e logo já está pronto para o leitor fazer o download, o que não ocorre com o impresso que deve ser, como o próprio nome diz, impresso, distribuído, vendido e só então lido, o que leva tempo e requer mais dinheiro. Origem do nome. O nome Solaris vem de sol, que tem relação com a distribuição. O sol distribui diariamente a sua luz e graças a ele estamos vivos, mas o sol não distribui seus raios apenas à uma pequena região, estado ou país, ele distribui para todo o planeta e não cobra nada por isso, seus raios são gratuitos bastando apenas sair da sombra e recebê-los, assim como o Jornal Solaris, que é distribuído a todo mundo e para todas as pessoas conectadas a internet. Este é o motivo pela qual o jornal, em homenagem a este grande e maravilhoso astro chamado Sol. O Novo Jornal Art•stico e Cultura de Divin€polis
  5. 5. Muitos jornais, revistas e publica€•es em geral deixam de vir ao p‚blico por falta de apoio financeiro, por falta de pessoas ou empresas que estejam dispostas a patrocinar a equipe em troca de publicidade no material. A arte e a cultura em Divinƒpolis est„ dissipada pela cidade, pouco divulgada e o Jornal Solaris tem o intuito de dar um apoio aos artistas e pessoas ligadas … cultura, para que elas tenham um ponto de referencia, uma m†dia para que possam expor ao mundo o seu trabalho, para que artistas desconhecidos tenham a oportunidade de se tornarem conhecidos, n‡o sƒ em Divinƒpolis e sim em todo o mundo, j„ que o Jornal Solaris ser„ de distribui€‡o mundial (internet). Apesar de que o Jornal Solaris presta apoio aos artistas de Divinƒpolis e regi‡o, o jornal precisa de apoio para que possa continuar funcionando, para que possa continuar expondo os artistas de Divinƒpolis ao mundo. O Jornal Solaris est„ em busca de patrocinadores, sendo que a primeira edi€‡o do mesmo sair„ apenas quando possuir pelo menos um anunciante. Qualquer empresa pode participar e anunciar seu produto/servi€o, bastando entrar em contato pelo e-mail: jornalsolaris@gmail.com ou pelo telefone: (037)9929 8108. Apoiando aqueles que apoiam a arte e a cultura, vocˆ tamb‰m estar„ apoiando aos artistas de Divinƒpolis. Jeferson Dias Ap€ie aqueles que ap€iam a arte e a cultura. 05
  6. 6. 06 Entrevista com a banda Dias de Truta Entrevista via e-mail com o vocalista da banda Dias de Truta, Eduardo Tarc€sio (Dudu), no dia 16/11/2010. P - Como surgiu a banda? H€ quanto tempo est•o na estrada? O encontro aconteceu no fim de 2007, mais sem pretens•o nenhuma de se formar uma banda. Eu e o Karacol nos encontramos para apenas participar de um festival de m‚sicas prƒprias, e a coisa era t•o s„ria, que nos esquecemos do dia da apresenta…•o rs. Mais mesmo assim conseguimos participar, perdemos, mais ficamos amigos, e decidimos chamar mais 3 , que no caso seria bateria , baixo e guitarra. Se tornou uma banda mesmo no fim de 2008 e estamos ai at„ hoje, fazendo o melhor para que nossos f•s fiquem felizes. P - Todos os integrantes s•o os mesmos desde o inicio do grupo? No come…o o contra -baixo era ocupado pelo Andr„ cabrito. Era preferiu seguir os estudos, e o Matheus tomate ocupou seu lugar... enquanto a gente se mata de tanto beber e fazer festa pra todo lado, o cabrito hoje, faz medicina na faculdade federal hehehe!!! troca boa... pode ser que sim!!!O restante do pessoal „ desde o in†cio.. sƒ mudou um pouco da latinha!!! P - De onde vieram? Conta um vexame que passou em algum show? A banda „ toda de Divinƒpolis.O Karacol tem um forte vinculo familiar em Formiga... No ‚ltimo show , antes dessa entrevista, um mulher doida, subiu no palco, no meio do show lotado, e come…ou a beijar um dos integrantes na boca...sƒ n•o vou falar quem que „...mais vexame tem uns 500... Mais tem que ficar na maciota!!! P - O que foi mais dif†cil que tiveram que enfrentar com a banda? Poxa vida!!! Acho que „ at„ a fam†lia aceitar... Tamb„m qualquer das namoradas tem que entender... Voc‡ meio que fica fora de alguns ciclos de amizade, principalmente no nosso caso, que tocamos mais fora da cidade... voc‡ come…a a carregar uma barrigona de cerveja, e tem alguns problemas de sa‚de rs... Mais enfrentamos muitos deslizes n•o... Dias de Truta „ uma banda que na ess‡ncia de sua humildade, assume que teve boas doses de sorte!!! Talvez enfrentaremos ainda no futuro... por enquanto foi no sossego. Acho que esse „ o segredo para n•o enfrentar grandes problemas... Trabalhar com pessoas amadas e respeitosas!!! Dias de Truta
  7. 7. P - Qual foi o show mais marcante? Pra mim todos que a gente fazia no come…o da banda no Point Beer,,, Fato que eu n•o lembro de muita coisa, mais era muita bagun…a... rsrsrs... Hoje em dia n•o tocamos mais l€, por decis•o de nosso empres€rio, mais quem sabe um dia... L€ da pra fazer o som estourar cativeiro!!! P - Qual a can…•o da banda que mais gostam? LSD - Lindo sonho delirante. Esta vindo uma do cd novo que estamos entrando em est‚dio para gravar que se chama 'Tinguel„"... Essa „ bonita viu... P - Quantos shows fazem por m‡s? Depende muito... Tentamos facilitar o m€ximo pros contratantes e temos uma vontade de todas que seja 30 shows por m‡s. Mais depende do nosso empres€rio, de muitas coisinhas mais... Mais tocamos bastante... Aqui em Divinƒpolis, tentamos tocar 1 ou 2 vezes por m‡s... Pro pessoal ficar com saudade. P - Quem „ a inspira…•o de voc‡s pra banda? A minha inspira…•o, seria uma mescla de alguma coisa prazerosa, de bom gosto, de verdade, alta, que fa…a voc‡ pensar um pouco diferente do resto...Acho que para inspirar alguma coisa, „ a uni•o de v€rias... O dias de truta acredita em coisas boas pra nos inspirar, no rock, sei l€... O buraco dessa pergunta „ mais embaixo... no momento universal do riso, eu te convido pra tomar comigo!!! P - Quais cantores ou bandas q mais gostam? Eu gosto de Eric Clapton, de Raul, de Stones, de Tianastacia, de Belchior, de velhas virgens... A banda no geral, gosta dos anos 70, que „ aquela turma dos Beatles, Hendrix, led, the who.... „ muita gente boa por ai n„!!! Entrevista com a banda Dias de Truta 07Dias de Truta Dudu - Viol„o e voz
  8. 8. P - Quais cantores ou bandas q mais gostam? Eu gosto de Eric Clapton, de Raul, de Stones, de Tianastacia, de Belchior, de velhas virgens... A banda no geral, gosta dos anos 70, que „ aquela turma dos Beatles, Hendrix, led, the who.... „ muita gente boa por ai n„!!! P - Como a fam†lia reagiu ao saber que escolheram estar no mundo da m‚sica? No meu caso foi at„ eu come…ar a pagar as minhas contas... rs... Mais „ complicado, por que n•o adianta voc‡ escolher o mundo da m‚sica sem conseguir tomar conta de se mesmo... ent•o, por mais que a parada seja 100% alto astral, e prazerosa, lƒgico que voc‡ tem que ter algum retorno... Fam†lia que „ fam†lia entende, e como eu disse, n•o adianta nada, eles aceitarem numa boa, e voc‡ esta no mundo da m‚sica todo fudido... O melhor a fazer „ equilibrar as partes, para que fique todos felizes.. por que fam†lia j€ viu n„!! n•o te mechida... se voc‡ n•o estiver feliz, eles tamb„m n•o v•o estar...no caso do Dias de Truta deu tudo certo... Todas as fam†lias acompanham, e se enchem de orgulho... Essa „ a melhor parte. P - As m‚sicas s•o os integrantes que compˆe? Dos CDs do Dias de Truta, a maioria foi eu e o Karacol... mais o tomate, o chap„u e o cabeludo tamb„m compˆe.. Tem um amigo nosso "Chula" do Aldeia de Baal, que tamb„m „ autor de 3 m‚sicas com o Karacol... Estamos sempre abertos a parcerias... hehehe... Meninas legais ent•o, com as id„ias fluentes e diferentes hehehehe, „ um prato cheio!!! P - Qual o estilo musical do grupo? Acho que „ o nosso... N•o tem defini…•o.. Se voc‡ for num show, voc‡ vai perceber exatamente o que eu estou dizendo..„ uma mistura muito louca de estilos, que acabou dando certo... P - Qual o maior sucesso de voc‡s? 'Na porta de um bar’... foi a primeira m‚sica que a gente gravou.. uma composi…•o do Karacol, que pregou que nem chiclete!!! Gra…as a ela, hoje nos tomamos cerveja gelada em cima dos palcos rs... Bens a deus essa tal de porta do bar. Entrevista com a banda Dias de Truta 08Dias de Truta Karacol - Voz Thales - guitarra
  9. 9. P - J€ teve alguma loucura de f• pra contar? Que d€ pra contar n•o!!! RS P - Qual sonho voc‡s ainda pretendem realizar em rela…•o a banda? Se manter com a banda, 'pelo menos' do jeito que ela se encontra nesse exato momento, j€ seria a realiza…•o de um sonho... agora meu amigo: se melhorar, vamos agradecer bastante, principalmente aos nossos f•s, com t•o pouco tempo de exist‡ncia do Dias de Truta, eles j€ s•o t•o fi„is... ent•o tomara a todos, e se o bom deus musical poder ajudar, alcan…aremos vŠos mais altos... P - Quem d€ mais trabalho na hora de se arrumar pra shows? O tomate... Ele tem v€rias coisas pra arrumar kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk... Ele tem seu dia de beleza, mais „ um cara legal...Vaidoso...rs P - Qual o momento em que descobriram ter jeito pra m‚sica? Estamos tentando ainda... Na minha opini•o um exemplo r€pido de quem conseguiu „ o Clapton... Ter jeito pra m‚sica, n•o „ apenas tocar bem, cantar, dan…ar, o que for... ‹ voc‡ realmente saber a importŒncia dela... ‹ muita prepot‡ncia algu„m dizer que tem jeito pra m‚sica.. Tem que ter muita bala na agulha! P - Uma mensagem para pessoas que acompanham o trabalho de voc‡s? Se entorpe…a de m‚sica, tenha seus dias de rock, pratique sexo, ame 'algu„ns', e o mais importante, seja feliz , e que no meio da histƒria de sua vida, esteja tocando um pouco ou muito, Dias de Truta!!! Entrevista com a banda Dias de Truta 09Dias de Truta Fotos: disponibilizadas do orkut do DDT, atr…buidas † Ana Carina Tomate - baixo Heberton - bateria
  10. 10. Agenda de Shows Dias de Truta 10Dias de Truta http://www.diasdetruta.com.br 26/11 - Divin€polis - Hangar Music Bar - sexta feira 23/12 - Lagoa da Prata - Bora Bora 24/12 - Divin€polis - Hangar Music Bar - sexta feira de natal 25/12 - Formiga - Boate Life - s•bado "Apresenta‚ƒo do Cd NOVO Dias De Truta" muita distribui‚ƒo de cd pra galera... 31/12 - Nova Serrana - Reveillon Clube Araguaia 01/01/ - Arcos - Gringos, s•bado
  11. 11. AGEACAC (Associa€•o Gn‚stica de Estudos Antropol‚gicos, Culturais, Arte e Ciƒncia) Associa•„o Gn€stica de Estudos Antropol€gicos e Culturais, Arte e Ci‡ncia A AGEACAC leva as chaves do conhecimento gn€stico de forma gratuita a todos atravƒs, tambƒm, de confer‡ncias pˆblicas onde s„o explanados temas de auto conhecimento, antropologia, psicologia, filosofia, metaf…sica, intercalando informa•‚es de culturas antigas como a dos eg…pcios, celtas, persas, chineses e outras. O conhecimento gn€stico ƒ adquirido atravƒs da pr‰tica das chaves do auto conhecimento, n„o ƒ um conhecimento intelectual mas sim um conhecimento profundo e conscientivo de tudo. O Trabalho da AGEACAC ƒ dirigido pelos ideais humanos mais elevados. Portanto, esta n„o se interessa em fazer comƒrcio do fruto do trabalho de seus membros, o que justifica as confer‡ncias em todo territ€rio nacional serem de Entrada Franca. Fundada na dƒcada de 60 por Samael Aun Weor, hoje possui atividades em mais de cinqŠenta pa…ses. No Brasil, com 10 anos de trabalho, realizou mais de 45 Campanhas Nacionais na maioria das grandes cidades brasileiras, difundindo cultura em todo territ€rio nacional atravƒs da maioria dos ve…culos de comunica•„o, utilizando material gr‰fico e eletr‹nico patrocinado e enriquecido por membros da Institui•„o. A sede da AGEACAC em Divin€polis se localiza na rua Santa Catarina, nˆmero 1841 - Sidil, no final da rua Itapecerica. l‰ ƒ ministrado um curso de Gnosis gratuito onde ƒ abordado os seguintes temas: Ess‡ncia, personalidade e ego. Alquimia. Medita•„o. O Despertar da Consci‡ncia. A M‰quina Humana entre outros temas. Acesse o site e saiba mais: www.ageacac.org.br AGEACAC 11 "OH HOMEM, CONHECE A TI MESMO E CONHECER€S O UNIVERSO E OS DEUSES!"
  12. 12. 03 Entrevista com o escritor Felipe Lacerda Autor de Aprendiz de Mosca Morta, Por entre suas pernas, Eldorado - Quais foram os seus trabalhos realizados? R: Meus trabalhos j€ realizados dentro da literatura come•ou em 2007 com “O aprendiz de mosca morta ou a incrƒvel hist„ria dos canibais vegetarianos devoradores de plantas carnƒvoras” foi um livro meio que autobiogr€fico, n†o foi totalmente auto biogr€fico mas ele falou da minha atua•†o, tinha 22 anos na ‡poca... 21... sei l€... foi na minha atua•†o dentro do mercado independente underground de Divin„polis... foi bem legal, foi na mesma ‡poca em que lancei este livro eu estava fazendo um show no festival de primavera com a banda “borboleta mecˆnica” que fazia parte deste projeto underground assim... foi quando eu e o Cochise c‡sar, voc‰ deve ter conhecido ele, o escritor, na ‡poca est€vamos trabalhando com o “espalhando o cˆncer” que era uma iniciativa cultural que tinha esse intuito de lan•ar no mercado pessoas que n†o tinham acesso nem visibilidade no mercado independente, funcionou por certo tempo mas a pr„pria iniciativa apontou as falhas de si mesmo aƒ veio a se dissipar, mas eu continuei como escritor e o Cochise C‡sar tamb‡m continuou como escritor, depois do aprendiz de mosca morta veio o por entre suas pernas que j€ era um livro mais maduro, menos punk do que foi o aprendiz de mosca morta, ele ‡ um livro bem punk... Bem... an€rquico, eu era uma pessoa bem an€rquica na ‡poca, ent†o amadureceu alguns conceitos que veio a se torna por entre suas pernas, ele ‡ uma fic•†o, fala de amor e sexo do meu ponto de vista, n†o tem inten•†o de ser um livro filos„fico e muito menos um livro romˆntico e tem inten•†o de ser verdadeiro do ponto de vista masculino e tamb‡m eu fiz uma tentativa de expor isso no ponto de vista feminino talvez eu jamais v€ saber se eu fui bem sucedido com isto porque ‡ difƒcil para mim como homem pensar no ponto de vista feminino mas eu tentei ter a sensibilidade suficiente para compreender como seria este outro lado do sexo ou do relacionamento ou do amor. S„ que at‡ ent†o ‡ uma vis†o minha do amor, o livro, ele n†o tem um ideal romˆntico, ele n†o constitui uma idealiza•†o... ‡ s„ a minha vis†o e o que eu achava e acho ainda , do tema, do que ‡ um relacionamento, do que ‡ duas pessoas se encontrando principalmente no sexo, depois disso comecei a entrar de vez na fic•†o, ent†o eu lancei o subliminar recentemente, eu lancei agora em 2010. Subliminar ‡ um livro que ‡ uma fic•†o, uma hist„ria de terror, fala sobre mensagens subliminares na sociedade de um modo geral... do ponto de vista de um policial que est€ investigando um crime e tal... s„ que tem influencia sobrenatural e ‡ um livro bem... bem de terror assim, segue uma tradi•†o mai Stephen king , Lovecraft, ‡ uma coisa mais pesada assim, tem uma tem€tica mais pesada, e n†o chega a ser t†o escatol„gico, mas ‡ um livro que tem aquela sutileza do terror, ele ‡ feito para assustar mesmo. O trabalho mais recente de todos ‡ o que eu estou fazendo agora que ‡ uma s‡rie liter€ria, n†o ‡ um livro, ‡ uma hist„ria seriada tipo, Perry Hodan alguma coisa assim, e ela chama Eldorado, ‡ um universo ficcional, que engloba... as inspira•Šes dele s„ para voc‰ entender, as inspira•Šes ‡ Magic the gathering, um card game, alguns cen€rios de RPG, alguns cen€rios de literatura, jogos de vƒdeo game, o tema da hist„ria ‡ magia, s„ que ‡ um trabalho diferente para mim porque ele n†o ‡ uma hist„ria ‡... auto centrada, ela ‡ uma hist„ria que tem v€rias ramifica•Šes, tem v€rios personagens, tem v€rios rumos que pode tomar e est€ tomando, atualmente eu estou escrevendo o segundo volume, o primeiro j€ foi lan•ado, e fez um sucesso relativo assim, as pessoas est†o gostando, porque quem se interessa pelo tema, que este tema tem muito a ver com este cen€rio assim e est†o gostando, ‡ uma proposta diferente para mim, eu geralmente escrevo coisas mais ‡.... diferente do que eu fa•o no teatro, a literatura pra mim ‡ uma coisa mais s‡ria ,o que eu escrevo geralmente ‡ mais s‡rio, o Eldorado ‡ uma coisa mais livre assim, ele ‡ mais descompromissado do que geralmente s†o as minhas obras liter€rias. - Como voc‰ come•ou na literatura? R: Bom, eu comecei na literatura pela mesma raz†o que comecei no teatro, ou que eu comecei abrir a boca para me comunicar com outros seres humanos, a id‡ia de se contar uma hist„ria, eu sou apaixonado com essa id‡ia, essa...essa capacidade de cria•†o. Sem querer me colocar no lugar de Deus, no sentido de cria•†o, mas eu acho que o ser humano em algum sentido ele muito melhor do que Deus nisso. Ele tem uma capacidade de criar o pr„prio cen€rio, de fazer juiz a sua pr„pria exist‰ncia, eu acho que se assumiu o criacionismo como verdade a parte mais interessante que eu acho ‡ que deus criou o homem a sua imagem e semelhan•a, eu n†o sou criacionista mas eu gosto muito dessa passagem porque ele criou uma criatura que ‡ tamb‡m um demiurgo como ele ‡, ele ‡ um criador tamb‡m, de universos, de pessoas, de realidades, de fantasias. Com todos os jogos de intriga que voc‰ v‰ na bƒblia, toda aquela coisa o ser humano ‡ capaz de criar ‡ capaz de fazer aquilo. Eu iniciei na literatura com esse intuito, j€ fazia teatro na ‡poca e escrever, eu gostei muito de escrever, sempre tive afinidade muito grande desde moleque, mas eu comecei num teatro em 2005 e a partir daƒ tinha que encenar a hist„ria e contar minhas pr„prias hist„rias foi uma coisa que caminhou Felipe Lacerda 12
  13. 13. Entrevista com o escritor Felipe Lacerda junto, ent†o hoje eu enceno as hist„rias dos outros e enceno as minhas tamb‡m, escrevo hist„rias em parcerias com outros e escrevo as minhas tamb‡m e eu iniciei dessa forma, s„ que daƒ, a partir de voc‰ escrever e lan•ar um livro, se tornar um escritor propriamente dito , entrar no mercado de literatura ‡ um abismo, na verdade eu poderia afirmar pra voc‰ hoje que talvez 40% das pessoas que eu conhe•o que escrevem bem n†o s†o publicadas n†o s†o escritores que criam hist„rias fant€sticas, sabem contar de uma forma fascinante, n†o tiveram os livros publicados ainda n†o de uma forma expansiva o suficiente, se voc‰ falar de mercado liter€rio, nenhum livro meu at‡ hoje, at‡ agora, n„s estamos em novembro de 2010, at‡ hoje, se eu comecei escrever em 2005, at‡ hoje o meu livro foi lan•ado por uma grande editora , s†o sempre parcerias que eu fa•o com empresas virtuais principalmente que publicam, que voc‰ paga a tiragem do livro e eles te enviam j€ pronto e voc‰ d€ conta da distribui•†o,da venda, da divulga•†o do trabalho mesmo, eu tenho trabalhado desta forma desde a ‡poca do espalhando o cˆncer at‡ hoje e n†o s„ eu, eu conhe•o dezenas de pessoas que escrevem super bem e at‡ melhor do que eu e n†o conseguem publicar livros, os meus livros foram recusados por v€rias editoras, por que o processo seletivo de uma editora obviamente por ser uma empresa que visa o lucro tem tudo a ver com o mercado ent†o, por exemplo, o ultimo que eu tentei com editora, este do El dourado eu nem tentei com editora mais eu lancei por conta pr„pria, mas o subliminar que vem a ser eu tentei com uma editora, por ser uma hist„ria de terror , tem tudo a ver com o mercado atual, me enganei redondamente, todas as respostas que eu recebi quando recebia resposta foi justamente isto, precisaria ser um livro mais a ver com o novo nicho de mercado como hist„rias de vampiros para adolescentes , hist„ria de terror infanto-juvenil que n†o era a proposta de subliminar,ent†o o livro acabou sendo recusado e foi lan•ado tamb‡m de forma independente, e eu ainda n†o entrei definitivamente para o mercado de liter€rio , ‡ at‡ estranho de dizer isto por que eu sou escritor, todo mundo que escreve em alguma medida ‡ um escritor , a defini•†o do termo ‡ aquele que escreve , s„ que existe aquela id‡ia de que escritor ‡ aquele que publica tamb‡m, ent†o se for olhar por uma „tica de, ele saiu por uma editora grande, eu n†o sou escritor, se voc‰ for olhar pela „tica de que aquele que escreve, divulga o trabalho, que produz e que vende ou faz gratuito, no meu caso eu vendo meu trabalho mas tem gente que n†o vende, tem gente que produz e distribui, tamb‡m ‡ um escritor, at‡ com uma certa nobreza maior do que a minha mas ‡ escritor, ent†o eu comecei desta forma, eu comecei atrav‡s de contar uma hist„ria mesmo . - qual ‡ o seu m‡todo de trabalho? R: o meu m‡todo de trabalho ele ‡ totalmente intuitivo, ele ‡ sentar no computador e escrever, geralmente quando a hist„ria que eu estou escrevendo exige uma pesquisa maior, eu mantenho esta pesquisa feita, geralmente eu fa•o ela na internet mesmo, raramente eu preciso ir na biblioteca, geralmente ‡ na internet mesmo que eu fa•o uma pesquisa, geralmente ‡ pesquisa geogr€fica, ‡ pesquisa hist„rica, pesquisa contextual, subliminar por exemplo se passa na Inglaterra nos tempos atuais ent†o precisei pesquisar algumas questŠes pertinentes a Inglaterra referentes a como ‡ o transporte p‹blico em Londres, ‡ uma coisa que eu tive que pesquisar, qual ‡ os m‡todos de trabalho ou os equipamentos usados diariamente pela policia londrina, tive que pesquisar isto tamb‡m; eu fa•o esta pesquisa, mantenho solvo numa pasta no computador, no meu computador tem dividido por pastas todos os meu trabalhos, essa organiza•†o eu acho importante, ‡ o mƒnimo de organiza•†o, eu n†o sou uma pessoa organizada mas eu mantenho isso; nesta pasta tem o arquivo do Word que eu estou escrevendo o livro e tem a pasta com o material de pesquisa, ent†o geralmente voc‰ tem muito texto de pesquisa, imagens de referencias, eu me guio muito por imagens tamb‡m eu sou uma pessoa muito visual ent†o para isso eu tive muitas imagens de Londres, muitas imagens de pessoas caminhando no dia a dia de Londres, bares londrinos, ent†o para ambientar esta hist„rias eu tive de fazer uma pesquisa, ent†o meu m‡todo de trabalho ‡ este, ele ‡ baseado em pesquisa, se a hist„ria exigir isto, geralmente exige, pesquisa que ‡ mantida no computador na mesma pasta em que ‡ mantido com o texto que estou escrevendo, meu m‡todo de trabalho ‡ este. - Quais s†o as suas inspira•Šes? R: As minhas inspira•Šes foi assim, primeiro uma grande bagagem de leitura, pra quem quer escrever ‡ fundamental que leia bastante, ler ‡ uma coisa que eu sempre fiz desde moleque, eu aprendi a ler com hist„rias em quadrinhos com o gibi da Monica, coisas assim, ent†o ler eu sempre fiz isto, este ‡ o ponto principal, eu leio tudo, de existencialismo alem†o a r„tulo de xampu , tudo, etiqueta de colch†o o que vier eu estou lendo e eu acho que isto ‡ importante. Œ claro que uma bagagem cultural de modo geral a minha inspira•†o se baseia nisso, s†o m‹ltiplas e variadas formas, desde um filme, um livro, uma conversa, uma pessoa ... geralmente os personagens que eu crio s†o baseados em pessoas que existem de verdade, que eu convivo, Frankilin Rafinqui ‡ o personagem de subliminar, ele ‡ baseado no Franco Nascimento que ‡ um amigo meu, eu tenho estas inspira•Šes assim, eu procuro pegar ao meu redor , colher ao meu redor todas as informa•Šes que eu preciso, ent†o eu acho que todo artista ‡ meio que um vampiro, ele suga a ess‰ncia das coisas, ele mimetiza as coisas, ele faz uma interpreta•†o livre de acordo com sua ess‰ncia mas ele mimetiza o mundo ao redor dele, esta que ‡ a grande arte da coisa e esta ‡ a minha inspira•†o, tudo, literalmente tudo que est€ ao meu redor. 13Felipe Lacerda
  14. 14. Entrevista com o escritor Felipe Lacerda - Qual foi a maior dificuldade que voc€ j• passou no mercado da literatura? R: Bom, a maior dificuldade que eu j• passei, sem d‚vida nenhuma foi esse processo entre voc€ escrever, este abismo entre voc€ escrever e voc€ levar atƒ o final desta equa„…o que seria o leitor mesmo, ƒ dif†cil fazer isto, ƒ complicado, hoje em dia com a internet isto ƒ bastante facilitado, principalmente quando se trata de fora da cidade, para fora do estado tambƒm, a internet veio facilitar muito isto, mas a dificuldade maior ƒ esta, se tornar sua obra acess†vel de uma forma valorizada, porque n…o ƒ s‡ voc€ fazer um livro e distribuir pdf, voc€ precisa agregar um certo valor a isto atƒ pela quantidade exorbitante de informa„…o que tem na internet, ou que as pessoas lidam diariamente, e tornar isto acess†vel ƒ um desafio muito grande, eu tenho conseguido isso atravƒs da ‚nica e exclusivamente da insist€ncia minha, os meus amigos atƒ fala “eu vou te excluir do meu e-mail porque eu s‡ recebo spam”, mas ƒ isso, voc€ faz esta divulga„…o massiva, eu fa„o esta divulga„…o massiva atravƒs da internet e ela me ajuda bastante nisso,um outro desafio que eu encontro especificamente na literatura, em Divin‡polis j• n…o ƒ um desafio quando se fala de teatro e eu trabalho muito com teatro de comƒdia stand up e ƒ muito bem aceito em Divin‡polis e eu tenho conseguido fazer shows, assim,em quase todas as pizzarias e restaurantes e atƒ em funeral eu estou fazendo shows stand up; o divinopolitano ƒ muito apegado a comedia e eu gosto muito disso, isso ƒ legal, ele tem um senso de humor fabuloso, agora, a literatura encontra problema de aceita„…o entre os jovens principalmente, ƒ incr†vel como os meus livros s…o lidos mais por adultos quando na verdade eu tenho atƒ a inten„…o de escrever para o jovem, pŠ eu quero voc€ a† moleque, leia este livro! E n…o l€, ent…o a dificuldade grande ƒ essa, os jovens que seriam talvez o publico alvo meu n…o tem o menor interesse na literatura, isso ƒ deprimente, isso ƒ horr†vel pra mim quanto ao jovem, ƒ deprimente saber que os iguais iguais n…o se interessam pelas coisas que s…o t…o importantes para mim, ƒ isso. - O que poderia ser feito na cidade para auxiliar os escritores? R: Para auxiliar os escritores aqui em Divin‡polis seria muito bom que as pessoas lessem, isso seria uma ajuda tremenda para come„o de conversa, as pessoas deveriam ver menos Big Brother e ler mais livros, deveriam ouvir menos Restart e procurar musica de qualidade, ent…o eu acho que o interesse das pessoas seria um grande... ninguƒm tem um diferencial dentro do mercado de Divin‡polis, n…o s‡ na literatura mas como em qualquer tipo de arte que mere„a ser chamada como tal, agora, o que eu acho que poderia ser feito de uma forma pr•tica, e isso seria poss†vel de fazer j• que mudar o consentimento, o conceito das pessoas ƒ um pouco mais complicado, mudar cultura ƒ um pouco mais complicado, talvez a cria„…o de editoras e isso poderia se dar atravƒs do incentivo fiscal por exemplo, a prefeitura deveria facilitar vir uma editora para Divin‡polis ou se criar uma aqui, ent…o o governo poderia facilitar isso, a secretaria da cultura deveria cair de pau em cima disso, de incentivar empres•rios que j• atuam na cidade ‹ atuarem tambƒm nessa •rea ou novos empres•rios criarem editoras em Divin‡polis, criarem mais livrarias, existe quase um monop‡lio de livrarias em Divin‡polis, hoje em Divin‡polis voc€ tem quase que exclusivamente a boutique do livro vendendo livros aqui, que ƒ uma excelente livraria mas ƒ a ‚nica livraria de Divin‡polis, ent…o o pr‡prio fato dela ser excelente, o julgamento de excel€ncia dela n…o seria prejudicado pela falta de concorr€ncia, ent…o eu falo que ela ƒ excelente quase por ser a ‚nica, por que se tivesse outra eu poderia colocar numa balan„a melhor, isso ƒ melhor, isso ƒ pior e tal; deve-se criar mais livrarias, deve-se criar mais editoras, deve-se incentivar mais a escrita nas escolas principalmente, bater mais na tecla da reda„…o que ƒ importante, se tornando ou n…o um escritor voc€ vai fazer um vestibular e a reda„…o ƒ fundamental, em vez de incentivar s‡ a leitura que ƒ uma coisa muito importante dever-se-ia incentivar tambƒm a escrita, porque n…o? Se a pessoa l€, ela ƒ perfeitamente capaz de escrever e escrever ƒ um exerc†cio intelectual fant•stico que todo mundo deveria exercitar sendo ou n…o escritor, querendo ou n…o publicar um livro, todo mundo deveria escrever, cartinha para a namorada, cartinha para m…e, bilhete para pregar na geladeira, deve-se exercitar a linguagem, a comunica„…o, porque se a pessoa Le bastante e escreve vai se comunicar de uma forma mais apropriada vai se fazer entender mais facilmente, ela vai conseguir mais facilmente o que ela quer , porque quase tudo na sociedade ƒ comunica„…o, ent…o se a pessoa n…o souber ela vai se dar mau, ent…o eu acho que pra chegar na literatura, pra chegar a valoriza„…o da literatura em Divin‡polis, dever-se-ia come„ar nestas coisas mais simples mesmo, abrir menos boteco em Divin‡polis e mais livrarias. Abrir menos lojas de roupas e mais teatros, tipo isso, fazer isso,deveria ter essa valoriza„…o maior, come„ar por baixo, um incentivo mais pr•tico mesmo j• que mudar o pensamento das pessoas ƒ um processo complicado. - Deixe uma dica para os futuros escritores. R: n…o tenham medo, muito menos de pensar, transcrevam toda a ess€ncia do que voc€s pensam, n…o editem o pr‡prio pensamento, n…o cortem o pr‡prio pensamento, n…o se deixem censurar, n‡s vivemos numa falsa idƒia de que se eu n…o escrever o que o mercado est• pedindo eu n…o vou ser escritor, o que ƒ uma mentira por que eu sou um escritor, e n…o escrevo o que o mercado est• pedindo. Se voc€ optar por escrever, beleza , fa„a, se voc€ quer seguir o mercado, fa„a isso mas tenha certeza que est• fazendo porque quer fazer isso, por voc€ gosta de escrever sobre vampiros, voc€ gosta de escrever 14Felipe Lacerda
  15. 15. Entrevista com o escritor Felipe Lacerda hist‡rias de amor, qualquer coisa, mas voc€ tem que ser fiel e coerente com o que voc€ est• pensando, ent…o um conselho que eu daria ƒ isso, seja exatamente o que voc€ pensa, esse ƒ o principal. - Deixe uma mensagem para os leitores. R: Bom, ƒ... deixar uma mensagem para os leitores, ƒ redundante, eu n…o preciso incentivar os leitores, eles est…o no caminho certo, est…o lendo, leiam cada vez mais; eu vou deixar um recado para os n…o leitores: voc€s que n…o gostam de ler, pra come„o de conversa voc€s j• est…o lendo um pdf que ƒ escrito, ‡timo, ƒ um bom caminho, j• ƒ a metade do caminho andado, continuem lendo, continue buscando esse conhecimento, busquem, busquem esse aprender cada vez mais, essa alegria de saber, de buscar o conhecimento em todas as formas, n…o importa o que voc€ goste, qual seja seus pontos de interesse,que tipos de livros voc€ l€ e que tipo de filme voc€ gosta, n…o importa o seu... o que te faz bem o que voc€ gosta de seguir,busque isso, leia bastante,pesquise bastante, conhe„a bastante, porque isso vai te dar ferramentas para voc€ conseguir o que quer, no resto de sua vida, pelo menos para mim funcionaram e eu n…o sou melhor do que ninguƒm, voc€ pode sim fazer isso, qualquer pessoa pode fazer qualquer coisa na vida desde que tenha as ferramentas corretas e a leitura ƒ uma ferramenta que vai desencadear uma facilidade de comunica„…o, por que ƒ uma ferramenta ‚til para qualquer coisa. Contato: site: http://portalfelipelacerda.blogspot.com twitter: www.twitter.com/@Lacerda_MD e-mail: lipelacerda@yahoo.com.br msn: felipellacerda@hotmail.com entrevista feita dia 17/11/2010 po Jeferson Dias Felipe Lacerda 15
  16. 16. CLASSIFICADOS CJ Inform†tica: produ€•o de web site, manuten€•o de computadores, montagem e manuten€•o de redes, lLinux e Windows, edi€•o de videos, produ€•o de softares, produ€‡es gr†ficas. Tel: (37)9963 0974, e-mail: celsojudson@yahoo.com.br Anuncie aqui gratuitamente, mande um e-mail para jornalsolaris@gmail.com 16
  17. 17. AGENDA CULTURAL Anuncie aqui gratuitamente, mande um e-mail para jornalsolaris@gmail.com Circo de Batatinha. Local: Pra€a do Santu•rio 21/Novembro 10 horas Flash Moob da Boutique do Livro dia 21/11 ‚s 18:00hs Local: Pra€a do Santu•rio 17
  18. 18. AGRADECIMENTOS 18 Agradecemos „ todos os que deram seu apoio na cria•‚o deste jornal e tamb€m aos artitas que aceitaram ser entrevistados como o vocalista do DDT Eduardo Tarc‡sio (dudu)e o escritor Felipe Lacerda. E tamb€m „ voc… leitor, que talvez tenha ficado alguns minutos aguardando o download deste material, obrigado pela paciencia e por confiar no Jornal Solaris. Desde j† agradecemos „ todos que ajudarem „ distribuir este material entre os amigos. Muito Obrigado e at€ a prƒxima!

×