Litíase urinária atualizada

14,962 views

Published on

0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
14,962
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
312
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Dornier Delta
  • Caso de indicação duvidosa e boa resolução com LECO
  • Ricardo Robertoni- cálculo ureteral E obstrutivo- Ureteroscopia- 21/05/04- HSL, Cons.
  • Ricardo Robertoni- cálculo ureteral E obstrutivo- Ureteroscopia- 21/05/04- HSL, Cons.
  • Karima Orra, duplo J em TC abdominal.
  • Litíase urinária atualizada

    1. 1. LITÍASE URINÁRIA GIUSEPPE FIGLIUOLO
    2. 2. Litíase do trato urinário Epidemiologia <ul><li>Terceira afecção mais comum em Urologia </li></ul><ul><li>(infecções urinárias e doenças prostáticas) </li></ul><ul><li>Causam </li></ul><ul><ul><li>dor </li></ul></ul><ul><ul><li>danos à função renal </li></ul></ul><ul><ul><li>aumentam o risco de infecção do trato urinário </li></ul></ul><ul><li>Podem provocar transtornos importantes à vida social e profissional dos pacientes, além de despesas substanciais </li></ul>
    3. 3. <ul><li>Prevalência: 2 a 3 % </li></ul><ul><li>Incidência: ~15% da população (1/8) </li></ul><ul><li>Doença recorrente: Oxalato de cálcio </li></ul><ul><ul><li>10% em 1 ano </li></ul></ul><ul><ul><li>35% em 5 anos </li></ul></ul><ul><ul><li>50% em 10 anos (Uribarri, 1989) </li></ul></ul><ul><li>Pode ocorrer em qualquer idade (maior incidência entre os 25 e 60 anos) </li></ul><ul><li>Homem/mulher => 3/1 </li></ul><ul><li>Pode haver predisposição familiar </li></ul>Litíase do trato urinário Epidemiologia
    4. 4. Litíase do trato urinário Etiologia <ul><li>A origem de um cálculo urinário não é bem conhecida </li></ul><ul><li>Geralmente de composição mista </li></ul><ul><li>Matriz (5% do peso do cálculo) composta de proteína e carboidrato. Ninho para a agregação de cristais e iniciar a formação de um cálculo urinário </li></ul><ul><li>Nucleação x Crescimento x Agregação </li></ul>
    5. 5. LITÍASE URINÁRIA <ul><li>FORMAÇÃO DO CÁLCULO : </li></ul><ul><li>Soluto x Solvente </li></ul><ul><li>Promotores da litogênese: Hipercalciúria, hiperuricosúria, hiperoxalúria, cistinúria. </li></ul><ul><li>Inibidores da calculose: Cinética urinária, Citrato, magnésio, glicosaminoglicanos, alteração no Ph urinário, proteína de Tam-Hosfall e outros. </li></ul>
    6. 6. LITÍASE URINÁRIA <ul><li>TIPOS DE CÁLCULOS : </li></ul><ul><li>CÁLCIO: 80%. hipercalciúria tipo absortiva, renal, reabsortiva e idiopática. Radiopacos. </li></ul><ul><li>ÁCIDO ÚRICO : 10%. Hiperuricosúria com precipitação dos cristais em urina ácida. Radiotransparentes. </li></ul>
    7. 7. LITÍASE URINÁRIA <ul><li>FOSFATO DE MAGNÉSIO E AMÔNIA (ESTRUVITA OU CÁLCULO INFECCIOSO) </li></ul><ul><li>05%.Cálculos coraliformes. Bactérias produtoras de urease (Ex.:Proteus mirabilis). Urina com Ph alcalino. Baixa densidade, pouco visíveis ao Rx. </li></ul><ul><li>Outros Tipos : 05%. </li></ul><ul><li>Cistina :Dça autossômica recessiva. Manifesta-se na infância, evolui para insuf.renal. Radiopaco. </li></ul><ul><li>Indinavir: Derivado do uso de antiretrovirais em pctes HIV(+). Radiotransparente. </li></ul>
    8. 8. LITÍASE URINÁRIA <ul><li>Quadro clínico :Depende da localização do cálculo. </li></ul><ul><li>Diagnóstico: </li></ul><ul><li>Anamnese </li></ul><ul><li>Ex.Físico </li></ul><ul><li>Exames complementares laboratoriais e de imagem . </li></ul>
    9. 9. LITÍASE URINÁRIA <ul><li>Renal: Maioria das vezes assintomático. Dor quando obstrui a junção pieloureteral ou infundibulo calicial, hematúria, pielonefrite obstrutiva, insuficiência renal. </li></ul>
    10. 10. LITÍASE URINÁRIA <ul><li>Uretér: Cólica renal, irradiação para região abdominal anterior e genitália, náuseas e vômitos, hematúria, polacíuria. </li></ul>
    11. 11. Sintomas
    12. 12. LITÍASE URINÁRIA <ul><li>Bexiga: Geralmente infeccioso, secundário a obstrução infra-vesical com elevado resíduo pós-miccional. Interrupção súbita do jato urinário, hematúria, disúria e polaciúria. </li></ul><ul><li>Uretra: Retenção urinária aguda, algumas vezes palpáveis. </li></ul>
    13. 13. Cálculo vesical Sintomas <ul><li>Dor intermitente e dor à micção </li></ul><ul><li>Dor suprapúbica agravada por exercício e movimentos </li></ul><ul><li>Dor severa ao final da micção ae até mesmo interrupção do jato </li></ul><ul><li>Dor referida: </li></ul><ul><ul><li>Ponta do pênis, perineo e escroto </li></ul></ul>
    14. 14. Cirurgia Aberta? Percutânea? Transuretral? Cálculo vesical Tratamento
    15. 15. LITÍASE URINÁRIA <ul><li>E.A.S:hematúria em 85% casos. </li></ul><ul><li>Rx simples de abdomen: Permite identificação do cálculo em 70% dos casos. Falhas: Cálculos radiotransparentes, gases intestinais, estruturas ósseas, flebolitos. </li></ul>
    16. 16. Rx simples de abdome
    17. 17. LITÍASE URINÁRIA <ul><li>Ultra-sonografia: </li></ul><ul><li>Visualiza com clareza o rim e a bexiga, não é um bom método para avaliar uretér. Consegue identificar cálculos na junção ureterovesical e pieloureteral. </li></ul><ul><li>Cálculos renais – Sinal patognomônico é a sombra acústica posterior. </li></ul><ul><li>Dilatação pielocalicial na presença de obstrução urinária – Sinal indireto. </li></ul>
    18. 18. LITÍASE URINÁRIA <ul><li>Urografia excretora : Utiliza contraste endovenoso. Permite avaliar a função renal, trajeto ureteral e o ponto de obstrução. </li></ul>
    19. 19. RX simples UIV
    20. 20. LITÍASE URINÁRIA <ul><li>Tomografia computadorizada : Na fase sem contraste, permite a identificação de cálculos urinários em 98% dos casos em qualquer topografia. </li></ul>
    21. 22. LITÍASE URINÁRIA <ul><li>Perfil bioquímico simplificado para litíase urinária : </li></ul><ul><li>Dosagem sanguínea de uréia, creatinina, cálcio e ácido úrico. </li></ul><ul><li>02 amostras de urina 24h.: urina tipo I, dosagem de oxalato, citrato, sódio, cálcio e ácido úrico. </li></ul><ul><li>Análise qualitativa do cálculo. </li></ul>
    22. 23. LITÍASE URINÁRIA <ul><li>Prevenção do cálculo urinário : </li></ul><ul><li>Medidas gerais: Estimular ingesta hidríca, atividade física regular, diminuir o consumo de proteínas (carne vermelha) e sal. </li></ul>
    23. 24. Litíase do trato urinário Cuidados <ul><li>Dieta rica em sódio: </li></ul><ul><li>Aumenta a excreção de cálcio, diminui o pH urinário e diminui a excreção de citrato </li></ul><ul><li>Favorecem a formação de cristais de oxalato de cálcio </li></ul><ul><li>Diminuição da ingestão de sódio na dieta reduz a recorrência de cálculos urinários </li></ul>
    24. 25. Litíase do trato urinário Tratamento clínico da cólica nefrética <ul><li>Hidratação oral ou parenteral </li></ul><ul><li>Anti-emético </li></ul><ul><li>Analgésico </li></ul><ul><li>Antiespamódico </li></ul><ul><li>Opiáceo </li></ul><ul><li>Alfa-bloqueador </li></ul><ul><li>Bloqueador de canal de cálcio </li></ul>
    25. 26. Cálculo ureteral Eliminação espontânea Pré Pós
    26. 27. Tempo médio de eliminação de cálculo ureteral Diâmetro Miller, 1999 Dias
    27. 28. Taxa de intervenção e tamanho do cálculo ureteral (%) Miller, 1999
    28. 29. LITÍASE URINÁRIA <ul><li>Tratamento clínico: </li></ul><ul><li>Cálculos de cálcio : </li></ul><ul><li>Citrato de Potássio (Litocit ) 1-3g/dia. </li></ul><ul><li>Cálcio sérico elevado (reabsortiva): Hiperparatireoidismo. </li></ul><ul><li>Hipercalciúria renal: Diuréticos tiazídicos 12,5- 50mg/dia. </li></ul><ul><li>Hipercalciúria absortiva: Fosfato de celulose (Calcibind R) farelo de arroz 5-15mg/dia. </li></ul>
    29. 30. LITÍASE URINÁRIA <ul><li>Cálculos de ácido úrico : Alcalinização urinária com bicarbonato de sódio ou citrato de potássio, Alopurinol 100 a 300mg/d nos casos de hiperuricemia. </li></ul><ul><li>Cálculos infecciosos : Remoção do cálculo, antibioticoterapia, acidificação urinária. </li></ul><ul><li>Cálculos de cistina : D-penicilamina (Cuprimine) 1 a 2g/d. </li></ul>
    30. 31. Litíase urinária Tratamento intervencionista <ul><li>Depende: </li></ul><ul><li>Dor </li></ul><ul><li>Tamanho </li></ul><ul><li>Obstrução urinária </li></ul><ul><li>Infecção </li></ul><ul><li>Tipo do cálculo (ácido úrico) </li></ul>
    31. 32. Litíase urinária Tratamento intervencionista <ul><li>LECO (Litotripsia Extra-Corpórea) </li></ul><ul><li>Percutânea </li></ul><ul><li>Ureteroscopia </li></ul><ul><li>Cirurgia aberta </li></ul><ul><li>Laparoscópica </li></ul>
    32. 33. Litotripsia extracorpórea por ondas de choque
    33. 34. LECO PRÉ PÓS
    34. 36. Cirurgia percutânea Indicações <ul><li>Falhas de LECO </li></ul><ul><li>Cálculos grandes </li></ul><ul><li>Cálculos múltiplos </li></ul><ul><li>Cálculos associados à obstrução </li></ul><ul><li>Cálculos coraliformes </li></ul><ul><li>Cálculos em rim em ferradura </li></ul><ul><li>Cálculos em cálices inferior com dilatação </li></ul><ul><li>Cálculos em determinadas profissões </li></ul>
    35. 37. Ureteroscopia
    36. 38. Ureteroscopia
    37. 39. Ureteroscopia
    38. 40. Ureteroscopia
    39. 42. Ureteroscopia
    40. 43. OBRIGADO

    ×