Ruptura e inovação nas artes e na literatura

18,538 views

Published on

Fauvismo, Cubismo, Futurismo, Abstraccionismo, Expressionismo, Surrealismo.

Published in: Education
3 Comments
19 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
18,538
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2,573
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
3
Likes
19
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Ruptura e inovação nas artes e na literatura

    1. 1. I.3 – RUPTURA E INOVAÇÃO NAS ARTES E NA LITERATURA Multiplicidade de experiências artísticas e literárias
    2. 2. Tema: Unidade: Sumário: Palavras-chave: TEMA I – A Europa e o Mundo no limiar do século XX I.3. Sociedade e Cultura num Mundo em Mudança Sugestão: Ruptura e inovação nas artes e na literatura. Fauvismo, Cubismo, Futurismo, Abstraccionismo, Expressionismo, Surrealismo. Visita de estudo ao Centro de Arte Moderna José Azeredo Perdigão, Lisboa – 3.º período 90 minutos
    3. 3. OBJECTIVOS: <ul><li>Reconhecer as principais correntes artísticas nas primeiras décadas do século XX. </li></ul><ul><li>Compreender a inovação no campo das artes. </li></ul><ul><li>Definir os conceitos: Futurismo; Modernismo; Abstraccionismo. </li></ul>
    4. 4. A primeira metade do século XX caracterizou-se por uma diversidade de correntes artísticas e literárias . <ul><li>A inquietação, a instabilidade e as transformações sociais e morais decorrentes da 1.ª Guerra Mundial estão na origem destas novas formas de encarar as artes e a literatura. </li></ul><ul><li>As novas experiências artísticas pretendiam romper com o passado, com as “escolas” e com o gosto de uma burguesia conservadora e a afirmar-se pela inovação. </li></ul>
    5. 5. PARIS <ul><li>Paris grande centro de criação artística. </li></ul><ul><li>Aí ocorriam artistas e escritores de todas as nacionalidades para contactarem com os movimentos de vanguarda. </li></ul><ul><li>Apareceram novos movimentos artísticos que reflectiam a angústia, o desespero, o pessimismo da sociedade do tempo . </li></ul>Paris
    6. 6. Na pintura, destacaram-se alguns movimentos, tais como: <ul><li>O Fauvismo – interpretação livre da Natureza. </li></ul><ul><li>O Cubismo – redução da Natureza a formas geométricas. </li></ul><ul><li>O Futurismo – captação do movimento. </li></ul><ul><li>O Abstraccionismo – pintura não-figurativa. </li></ul><ul><li>O Surrealismo – explora o mundo do sonho, da alucinação, do subconsciente. </li></ul>
    7. 7. FAU VIS MO <ul><li>Exaltação das cores (manchas e contrastes). </li></ul><ul><li>Ausência de modelado. </li></ul><ul><li>Rejeição da perspectiva. </li></ul><ul><li>Pintores: </li></ul><ul><li>Matisse e Vlaminck </li></ul>A mulher do chapéu , Matisse (1905 )
    8. 8. EXPRESSIONISMO <ul><li>Objectos representados conforme a percepção do artista. </li></ul><ul><li>Forma e cor são apenas recursos para transmitir o mundo interior e os seus sentimentos. </li></ul><ul><li>Pintores: </li></ul><ul><li>Otto Dix, Edvard Munch. </li></ul>O grito , Edvard Munch (1893)
    9. 9. CUBISMO <ul><li>Redução dos objectos representados a figuras geométricas. (cubo, esferas…) </li></ul><ul><li>Multiplicidade de planos – perspectiva multifacetada dos objectos. </li></ul><ul><li>Rostos e corpos distorcidos. </li></ul><ul><li>Cor quase monocromática – grandes planos de cores sóbrias. </li></ul><ul><li>Pintores: </li></ul><ul><li>Picasso, Georges Braque. </li></ul>As Meninas de Avignon , Picasso (1907)
    10. 10. CUBISMO <ul><li>Acentuação das linhas dos contornos. </li></ul><ul><li>Geometrização das formas (ângulos e arestas vivas). </li></ul><ul><li>Fragmentação em planos. </li></ul><ul><li>Ausência de modelado. </li></ul><ul><li>Distorção das formas naturais. </li></ul><ul><li>Influência das máscaras africanas. </li></ul><ul><li>Fusão das figuras com o fundo . </li></ul>As Meninas de Avignon , Picasso (1907) 1 6 3 2 2 1 5 4 7 4 6
    11. 11. ABSTRACCIONISMO <ul><li>Arte não figurativa. </li></ul><ul><li>Linhas e cores conjugadas de forma subjectiva. </li></ul><ul><li>Ritmo abstracto de construção </li></ul><ul><li>Dinamismo da cor (grandes contrastes). </li></ul><ul><li>Pintores: </li></ul><ul><li>Kandinsky, Piet Mondrian. </li></ul>Esboço II para a Composição VII, n.º 182 , Kandinsky (1913)
    12. 12. FUTURISMO <ul><li>Alternância de planos na sobreposição de imagens. </li></ul><ul><li>Mobilidade no controlo das formas. </li></ul><ul><li>Fragmentação da luz. </li></ul><ul><li>Cores muito contrastadas. </li></ul><ul><li>A utilização de cores contrastantes e a sobreposição de imagens proporcionam-nos a ideia de movimento. </li></ul><ul><li>Exalta o movimento da máquina, da vida urbana e o mito da velocidade. </li></ul><ul><li>Pintores: </li></ul><ul><li>Marcel Duchamp, Balla. </li></ul>A transição de virgem a mulher , Marcel Duchamp (1912)
    13. 13. SURREALISMO <ul><li>Imagens surpreendentes , que reflectem situações normalmente impossíveis e irracionais. </li></ul><ul><li>Gradação cromática. </li></ul><ul><li>Explora o mundo do sonho, da alucinação, do subconsciente. </li></ul><ul><li>As imagens e os cenários representados são semelhantes aos sonhos. </li></ul><ul><li>Pintores: </li></ul><ul><li>Salvador Dali, René Magritte </li></ul>A persistência da memória , Salvador Dali (1931 )
    14. 14. Hist ória — 9.º ano I.3 - Ruptura e inovaç ão nas artes e na literatura Expressionismo Fauvismo Cubismo Abstraccionismo Futurismo Surrealismo Edvard Munch Henri Matisse Pablo Picasso Vassily Kandinsky Giacomo Balla Salvador Dal í Forte em emoç ões, distorcido nas formas e sinistro nas cores. Cores puras e vivas e pinceladas espont âneas. Geometrizaç ão das formas e representação das partes num só plano. Conjunto de linhas e cores n ão figurativas e sem representação específica de objectos. Representaç ão da civilização do futuro. Imagens estranhas e irreais, representando o inconsciente e o mundo dos sonhos.
    15. 15. Escultura e Música <ul><li>Todas estas correntes da pintura manifestaram-se igualmente ao nível da escultura, apresentando características semelhantes. </li></ul><ul><li>Na Música, Stravinsky, Gershwin e Débussy ensaiaram uma nova musicalidade. </li></ul>Formas Únicas de Continuidade no Espaço , Umberto Boccioni (1913)
    16. 16. Literatura <ul><li>No domínio da literatura , distinguiram-se Marcel Proust, James Joyce, Bertolt Brecht, John Steinbeck e Jean-Paul Sartre entre outros. </li></ul>
    17. 17. Literatura Problemas de c arácter social Sentimentos íntimos e pessoais Consci ência humana Literatura policial Ficç ão científica Marcel Proust, Em Busca do Tempo Perdido Temas e g éneros V irgínia Wolf , Orlando John Steinbeck, As Vinhas da Ira Ernest Hemingway, O Velho e o Mar Sir Arthur Conan Doyle, criador de Sherlock Holmes Agatha Christie, criadora de Poirot H. G. Wells, A M áquina do Tempo e A Guerra dos Mundos
    18. 18. QUADRO-SÍNTESE FAUVISMO EXPRESSIONISMO CUBISMO ABSTRACCIONISMO FUTURISMO SURREALISMO MOVIMENTO ARTÍSTICOS CARACTERÍSTICAS ARTISTAS OBRAS Exaltação das cores (manchas e contrastes). Ausência de modelado. Rejeição da perspectiva. Objectos representados conforme a percepção do artista. Forma e cor são apenas recursos para transmitir o mundo interior e os seus sentimentos. Redução dos objectos representados a figuras geométricas. Multiplicidade de planos. Cor quase monocromática. Alternância de planos na sobreposição de imagens. Mobilidade no controlo das formas. Fragmentação da luz. Cores muito contrastadas. Exalta o movimento da máquina, da vida urbana e o mito da velocidade. Imagens surpreendentes, que reflectem situações normalmente impossíveis e irracionais. Gradação cromática. Explora o mundo do sonho, da alucinação, do subconsciente. Arte não figurativa. Linhas e cores conjugadas de forma subjectiva. Ritmo abstracto de construção Dinamismo da cor (grandes contrastes). Matisse e Vlaminck Otto Dix, Edvard Munch. Picassso, Georges Braque. Kandinsky, Piet Mondrian Marcel Duchamp Salvador Dali, René Magritte A mulher de chapéu O grito As meninas de Avignon Esboço II para a Composição VII, n.º 182 A transição de Virgem a mulher A persistência de memória
    19. 19. <ul><li>OLIVEIRA, Ana, CANTANHEDE, Francisco, CATARINO, Isabel, TORRÃO, Paula, Novo História 9, Texto Editores, Lisboa, 2008. </li></ul><ul><li>CRISANTO, Natércia, SIMÕES, Isabel, MENDES, J. Amado, Olhar a História 9, Porto Editora, 2004. </li></ul><ul><li>BARREIRA, Aníbal; MOREIRA, Mendes, Rumos da História 9 , Edições Asa, 2004. </li></ul><ul><li>LAGARTIXA, Custódio, PEREIRA, Helena, GOMES, José, Viver a História 9, Editora Santillana, 2007. </li></ul>Bibliografia

    ×