Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Joao Reis Workshopformativo SessãO2

318 views

Published on

Formação_Auto-Avaliação de BE_Nov/Dez.2009
Sessão2

Published in: Education, Business
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Joao Reis Workshopformativo SessãO2

  1. 1. Workshop formativo Bibliotecas Escolares Modelo de Auto-avaliação *** Planificação
  2. 2. Sessão 2 Workshop – Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Introdução e fundamentação do Workshop As BE devem funcionar como recursos básicos do processo educativo, com um papel central nos domínios da “aprendizagem da leitura e desenvolvimento das literacias, da criação e desenvolvimento do prazer de ler e a aquisição de hábitos de leitura, da capacidade de seleccionar informação de diferentes suportes, do desenvolvimento de métodos de estudo e de investigação autónoma e do aprofundamento da cultura cívica, científica, tecnológica e artística” Depois da implementação de BE, a nível de quase todas as escolas do país, torna- se agora necessário proceder à avaliação desse mesmo trabalho. A auto-avaliação da biblioteca é um desafio, mas também deverá constituir uma oportunidade de melhoria e de mudança, indicando caminhos sustentados e seguros, baseados em evidências recolhidas no processo de avaliação, verificáveis no trabalho diário de uma Biblioteca Escolar. O modelo deve ser exequível e visar a identificação mais clara dos pontos fracos e fortes, o que orientará o estabelecimento de objectivos e prioridades, de acordo com uma perspectiva realista face à BE e ao contexto em que se insere. Neste processo há que ter em linha de conta a liderança e o perfil do professor bibliotecário, a adequação da equipa em número e qualificações às necessidades de funcionamento da BE e às solicitações da comunidade educativa, bem como a adequação da BE em termos de espaço e de equipamentos às necessidades da escola/agrupamento A avaliação não deve ser um fim em si mesma. Ela será, antes, um processo que deve facultar informação de qualidade, capaz de apoiar a tomada de decisões. Se soubermos para onde queremos ir, não estaremos mais seguros do caminho que trilhamos para lá chegar? São objectivos da AUTO-AVALIAÇÃO das Bibliotecas: • Identificar os pontos fortes e fracos; • Melhorar comportamentos; • Conhecer a ligação entre a BE, a escola e o sucesso educativo; • Avaliar o trabalho da BE e o seu impacto no funcionamento da escola e nas aprendizagens; • Repensar práticas; • Redefinir metas; • Interagir com os diferentes órgãos da escola (Conselho Executivo, Conselho Geral, Departamentos…); • Analisar o impacto das práticas da BE no contexto escolar; Formando: João Alves dos Reis Página 2
  3. 3. Sessão 2 Workshop – Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas • Aferir sobre a qualidade da gestão e eficácia da BE ao serviço dos utilizadores; • Envolver toda a comunidade educativa no processo de avaliação; • Compatibilizar diferentes instrumentos de trabalho. Enquadramento • Contexto geral de mudança do sistema educativo e as suas implicações nas Bibliotecas Escolares; • Integrar o processo de avaliação da BE na avaliação interna e externa da Escola; • A necessidade de existir um documento orientador comum “padrão”, que permita avaliar, de forma objectiva, o trabalho das Bibliotecas Escolares – qual o seu contributo para as aprendizagens e para o sucesso educativo. Objectivos do Workshop • Conhecer o Modelo de Auto-Avaliação; • Reflectir sobre a pertinência da existência de um Modelo de Auto-Avaliação para a BE enquanto instrumento pedagógico; • Reflectir sobre o real papel da BE e a sua missão no contexto actual de mudança; • Envolver todos os sectores da escola, no processo de avaliação da Biblioteca Escolar (BE); • Planificar acções conjuntas de participação da escola, no âmbito das mudanças que o modelo implica; • Implementar o Modelo de Auto-Avaliação na Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Pataias – Alcobaça. Temática Modelo de Auto-Avaliação da BE – implementação e estratégia de aplicação para o desenvolvimento organizacional. Título AUTO-AVALIAÇÃO DA BILIOTECA ESCOLAR Formando: João Alves dos Reis Página 3
  4. 4. Sessão 2 Workshop – Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Recursos • Sala espaçosa para trabalhos de grupo; • Sala equipada com projector e computadores (um por cada dois formandos); • Excertos de textos; • Fotocópia do Modelo de Auto-avaliação para todos os grupos; • Ficha informativa sobre os objectivos do workshop; • Modelo de Auto--Avaliação, em suporte papel; • Ficha de avaliação do workshop; • PowerPoint síntese do Modelo de auto-avaliação da BE. Conteúdos • Pertinência da existência de um Modelo de Avaliação para as bibliotecas escolares; • O Modelo enquanto instrumento pedagógico e de melhoria da qualidade do serviço prestado pela BE; • Organização estrutural e funcional; • Integração/ Aplicação à realidade da escola/ biblioteca escolar; • Colaboração das diferentes estruturas escolares, professores das diferentes disciplinas, áreas curriculares não disciplinares e clubes; • Oportunidades e constrangimentos. Destinatários Elementos do Conselho Geral e professores das diferentes disciplinas constantes do currículo escolar (um por disciplina, designado pelo Grupo Disciplinar). Justificação da Escolha dos Destinatários O Conselho Geral por ser o órgão mais importante na gestão escolar, por ser o mais representativo de toda a comunidade escolar e local e os professores das diferentes disciplinas por serem, também eles, actores importantes da dinâmica (ou da falta dela) da Biblioteca Escolar. Uns e outros representam os parceiros privilegiados de toda a estratégia de gestão da mudança de paradigma. Formando: João Alves dos Reis Página 4
  5. 5. Sessão 2 Workshop – Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Convidados: Directora da Biblioteca Municipal. Calendarização Dia 21 de Janeiro de 2010, das 14.00h às 19.00h, com intervalo de 15 minutos, entre as 16.45h e as 17.15h. Local Sala Multimédia ou Sala Tic, da EB 2,3 de Pataias. Metodologia Constituição de grupos de trabalho com 4 elementos cada que se sentarão em cada uma das mesas distribuídas pela sala. Breve exposição sobre o funcionamento, frequência e avaliação da Biblioteca Municipal, pela Directora da Biblioteca Municipal Breve apresentação do Modelo de Auto-Avaliação pelo professor bibliotecário. 1ª Parte Entrega do documento da RBE sobre o Modelo de auto-avaliação ( A avaliação da BE; Modelo de Auto-avaliação; Organização do Modelo; implementação do Modelo; avaliação e mudança) que será analisado pelos diferentes grupos, sendo que: Grupo A - Elabora um “PowerPoint” síntese crítico sobre o modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares Grupo B – Elabora um “PowerPoint” síntese sobre o domínio A – Apoio ao Desenvolvimento Curricular. Grupo C - Elabora um “PowerPoint” síntese sobre o domínio B – Leitura e Literacia. Grupo D - Elabora um “PowerPoint” síntese sobre o domínio C – Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade. Grupo E - Elabora um “PowerPoint” síntese sobre o domínio D – Gestão da Biblioteca Escolar. Formando: João Alves dos Reis Página 5
  6. 6. Sessão 2 Workshop – Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Grupo F – Elabora um “PowerPoint” sobre as oportunidades e constrangimentos que poderão advir da aplicação deste modelo de auto-avaliação. Grupo G - Elabora um “PowerPoint” sobre a participação e o contributo dos vários membros da comunidade educativa (alunos, pais, professores, órgão de gestão, funcionários) face à mudança do papel da BE, que este modelo exige; Grupo H - Elabora um “PowerPoint” sobre a “Biblioteca de Ontem e de Hoje”. 2ª Parte Cada grupo apresenta o resultado das suas reflexões, recorrendo ao Vídeo Projector (cada grupo dispõe de c. de 10 minutos para apresentação do PowerPoint). Os Grupos apresentam as suas conclusões e reflexões na ordem inversa em que são citados na primeira parte do Workshop. Por fim, o professor bibliotecário apresentará uma síntese de todo o modelo de Auto- Avaliação em PowerPoint, previamente elaborado (c. 15 minutos) Conclusão No Final, importa reflectir também acerca dos impactos que o modelo pode ter no funcionamento da Biblioteca Escolar: Na valorização da BE no processo de ensino/aprendizagem; No identificar de áreas fortes e fracas; No aferir de eficácia dos serviços prestados e o grau de satisfação dos seus utilizadores; Na ajuda no desenvolver de novas estratégias de actuação; No reorientar de práticas e processos; Na melhoria dos seus serviços; No reconhecimento da importância da BE no contexto escolar (ligação ao currículo e ao sucesso educativo dos alunos); No avaliar do trabalho colaborativo entre a BE e os professores; No planificar estrategicamente o trabalho, tendo em conta o Projecto Educativo da Escola/Agrupamento; No Trabalho colaborativo com toda a comunidade escolar e local. Formando: João Alves dos Reis Página 6

×