Successfully reported this slideshow.

Absolutismo2013

590 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Absolutismo2013

  1. 1. • Por que estudar o absolutismo? O absolutismo foi a centralização despótica do poder nas mãos de um soberano. Os meios usados por estes monarcas para conseguir e justificar a centralização total do poder nos ajudam a evitar que isso ocorra nos nossos dias
  2. 2. CONTEXTO: – Transição entre o feudalismo e o capitalismo. – Nova adequação do poder, conciliando parcialmente os interesses da tradicional nobreza e da nascente burguesia. NOBREZA: burocracia administrativa (cargos) e privilégios (pensões e isenção de impostos).
  3. 3. BURGUESIA: dinamização das atividades comerciais (unificação de moedas, leis, sistemas de pesos e medidas, conquista de mercados e eliminação de barreiras internas prejudiciais ao comércio).
  4. 4. • QUANDO: aproximadamente entre os séculos XV e XVIII. • ONDE: sobretudo na França, Inglaterra, Portugal e Espanha. • TEÓRICOS ABSOLUTISTAS: • JEAN BODIN (A República). • JACQUES BOSSUET (Política Segundo a Sagrada Escritura) TEORIA DO DIREITO DIVINO
  5. 5. – Jean Bodin
  6. 6. – Jacques Bossuet
  7. 7. • TEÓRICOS ABSOLUTISTAS( 1530-1596): JEAN BODIN ( 1530-1596) -A República. Defende a idéia de “soberania não partilhada” , ou seja, a soberania real não poderia sofrer restrições pois emana das leis de Deus
  8. 8. Jacques Bossuet (1627-1704) – A política segundo a Sagrada Escritura Sua teoria influenciou os reis franceses da dinastia Bourbon, Luís XIV, XV e XVI. “ aquele que deu reis aos homens quis que eles fossem respeitados como Seus representantes”, afirmava Luís XVI
  9. 9. Hugo Grotius ( 1583-1645) – Do direito de Paz e de Guerra. Defende o governo despótico e o poder ilimitado do Estado, sem os quais se estabeleceria o caos e a turbulência. CUIDADO: Freqüentemente governantes usam a desculpa da violência e da turbulência para centralizar o poder!
  10. 10. – Hugo Grotius
  11. 11. MAQUIAVEL HOBBES – NICOLAU MAQUIAVEL (O Príncipe). Ética = política. “razão de Estado” acima de tudo. “os fins justificam os meios”. – THOMAS HOBBES (Leviatã). Poder do Estado acima de tudo. Estado serve para livrar a humanidade do caos e da anarquia. “o homem é o lobo do homem”.
  12. 12. Luís XIV (1651-1715) , França : “O ESTADO SOU EU” “É exclusivamente na minha pessoa que reside o poder soberano... É só de mim que os meus tribunais recebem a sua existência e a sua autoridade; (...) a ordem pública inteira emana de mim, e os direitos e interesses da Nação (...) estão necessariamente unidos com os meus e repousam unicamente nas minhas mãos.”
  13. 13. PALÁCIO DE VERSALHES:
  14. 14. • Luís XV (1715 – 1774): – Derrota na Guerra dos Sete Anos (1756 – 63). – Perda do Canadá e Índia. • Luís XVI (1774 – 1792): – Guerra de Independência dos EUA (1776 – 1783). – Aumento de gastos. LUÍS XV DECADÊNCIA DO ABSOLUTISMO FRANCÊS LUÍS XVI
  15. 15. • • • • • O ABSOLUTISMO INGLÊS: Após a Guerra dos Cem Anos (1337 – 1453) e a Guerra das Duas Rosas (1455 – 1485). Dinastia TUDOR (1485 – 1603) Henrique VII (1485 – 1509) – Pacificação interna. Henrique VIII (1509 – 1547): – Reforma protestante. – 1534: Ato de Supremacia – criação da Igreja Anglicana. Eduardo VI (1547 – 1553) – prosseguimento da política de seu pai. Lancaster York Tudor
  16. 16. • Elizabeth I (1558 – 1603) - auge: – Retomada do anglicanismo. – Colonização da América (Virgínia). – Atividade corsária contra Espanha e Portugal (Francis Drake). – Vitória sobre a “Invencível Armada” (Espanha). – Dinamização do comércio. – Intensa atividade burguesa. – Início da supremacia naval inglesa.

×