07 avaliação no ensino superior

2,353 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

07 avaliação no ensino superior

  1. 1. AVALIAÇÃO NO ENSINO SUPERIOR Prof. Esp. João Carlos S. Balbi
  2. 2. OBJETIVO <ul><li>COMPARTILHAR ALGUMAS REFLEXÕES SOBRE A IMPORTÂNCIA DO PROCESSO AVALIATIVO NO ENSINO SUPERIOR. </li></ul>
  3. 3. AVALIAÇÃO NO ENSINO SUPERIOR <ul><li>“ O REAL NÃO ESTÁ NA SAÍDA NEM NA CHEGADA: ELE SE DISPÕE PARA A GENTE É NO MEIO DA TRAVESSIA”. </li></ul><ul><li>JOÃO GUIMARÃES ROSA - GRANDE SERTÃO: VEREDAS </li></ul>
  4. 4. O QUE ENTENDEMOS POR AVALIAÇÃO? <ul><li>Não há um só tipo de avaliação sobre o qual exista consenso! </li></ul><ul><li>Quando falamos de avaliação, com certeza não estamos fazendo referência sempre à mesma coisa! </li></ul>
  5. 5. DESAFIOS <ul><li>Superação do conceito de avaliação como sinônimo de prova; </li></ul><ul><li>Superação da mentalidade tradicional de avaliação (classificação, exclusão); </li></ul><ul><li>Mudança de práticas: de mera verificação para avaliação de fato; </li></ul><ul><li>Superação do entendimento restrito de avaliação como instrumento ou mecanismo técnico. </li></ul><ul><li>Superação da ausência de conhecimento sobre avaliação por parte da comunidade universitária como um todo. </li></ul>
  6. 6. CONCEITO DE AVALIAÇÃO <ul><li>A Avaliação é um processo abrangente da existência humana, que implica uma reflexão crítica sobre a prática, no sentido de captar seus avanços, suas resistências, suas dificuldades e possibilitar uma tomada de decisão sobre o que fazer para superar os problemas identificados / obstáculos. </li></ul><ul><li>CELSO DOS SANTOS VASCONCELLOS </li></ul>
  7. 7. COMPLEXIDADE DA AVALIAÇÃO <ul><li>Multifacetada; </li></ul><ul><li>Muitos significados; </li></ul><ul><li>Se apresenta de muitos modos; </li></ul><ul><li>Cumpre distintas finalidades; </li></ul><ul><li>Oculta significados; </li></ul><ul><li>Produz sentidos; </li></ul><ul><li>Consolida valores; </li></ul><ul><li>Afirma interesses; </li></ul><ul><li>Provoca mudanças; </li></ul><ul><li>Transforma; </li></ul><ul><li>Possui uma profunda dimensão pública; </li></ul><ul><li>Interessa a muita gente; </li></ul><ul><li>É política e ética; </li></ul><ul><li>Seu processo será sempre inconcluso e preliminar </li></ul>
  8. 8. PARA QUÊ AVALIAR? <ul><li>AVALIAR PARA CONHECER A REALIDADE; </li></ul><ul><li>AVALIAR PARA INCLUIR; </li></ul><ul><li>AVALIAR PARA PROMOVER/AVANÇAR/TRANSFORMAR A REALIDADE AVALIADA; </li></ul><ul><li>AVALIAR PARA FORMAR, NÃO PARA O MERCADO MAS PARA AS NECESSIDADES DA SOCIEDADE COMO UM TODO. </li></ul>
  9. 9. NOVO PARADIGMA DE AVALIAÇÃO <ul><li>Os avaliadores devem compreender os limites e as possibilidades da avaliação na sociedade capitalista; </li></ul><ul><li>os aspectos formativos da avaliação devem sobrepor aos técnicos; </li></ul><ul><li>o processo de avaliar deve ser compreendido como prática de investigação e não de classificação; </li></ul><ul><li>o ato de avaliar deve estar aliado ao desenvolvimento pleno em suas múltiplas dimensões (humana, cognitiva, política, ética, etc); </li></ul><ul><li>a avaliação deve servir à formação e informação, à implementação de políticas públicas e, posteriormente, à certificação. </li></ul>
  10. 10. EXIGÊNCIAS <ul><li>Desaprender para reconstruir; </li></ul><ul><li>Acolher para incluir, conhecer para interferir, organizar para mudar; </li></ul><ul><li>Compreender o contexto político social e econômico para não agir de forma ingênua, perceber a que a avaliação atende; </li></ul><ul><li>Recuperar a dimensão humana de estar junto, acreditar no outro. Reconstruir o espaço coletivo. </li></ul>
  11. 11. AVALIAÇÃO PROCESSUAL E FORMATIVA <ul><li>Recuperar o seu verdadeiro papel formativo: inclusão, autonomia; </li></ul><ul><li>Diálogo, reflexões coletivas, busca de respostas/caminhos para os problemas; </li></ul><ul><li>Oferece diretrizes/pistas para tomar decisões, definir prioridades; </li></ul><ul><li>Considera todos os condicionantes para o processo avaliativo; </li></ul><ul><li>É investigativa, busca os problemas para solucioná-los e não para punir; </li></ul><ul><li>Processos de qualidade são mais lentos; </li></ul><ul><li>Avalia também o campo dos valores e não só do cognitivo. </li></ul>

×