Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Watson.conclusões

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Watson.conclusões

  1. 1. Psicologia  –  B                                                                                                                                                                                                                                                                                                            Watson  e  o  Behaviorismo     John  Watson    e  o  Behaviorismo   Segundo   Watson,   a   psicologia   é   uma   parte   da   ciência   natural   cujo   objecto   é   a   conduta   humana;   a   vida   psíquica   ou   a   consciência   não   necessitam   de   menção.   A   linguagem  é  só  “um  tipo  de  conduta  tão  objectiva  como  o  basebol”  e  pensar  não  é  mais   do  que  falar  de  nós  próprios.  Portanto,  segundo  Watson,  os  processos  mentais    ou  da   consciência,  se  existem,  não  podem  ser  estudados  cientificamente.       CONCLUSÕES     OBJECTO  DE  ESTUDO  DA  PSICOLOGIA  PARA  WATSON   § Para   Watson   apenas   o   comportamento   (actividade   observável   e   verificável)   pode   ser   objecto   de   estudo   da   psicologia.   O   comportamento   é   a   resposta   observável   a   estímulos   igualmente   observáveis,   dependentes   destes,   isto   é,   varia  em  função  da  situação  ou  do  meio.     § O   comportamento   é   uma   relação   causal   entre   situações   e   respostas   a   essas   situações   ou   conjuntos   de   estímulos   (ordens,   recompensas,   castigos,   etc.).   toda   a   resposta   se   deve     algum   estímulo   e   a   todo   o   estímulo   se   segue   uma   resposta;  assim,  existe  um  determinismo  comportamental  de  causa  e  efeito   (leis).   §  A   psicologia   não   deve   centrar-­‐se   na   análise   da   estrutura   dos   processos   mentais,  mas  na  explicação  e  controlo  do  comportamento.     CONCEPÇÃO  DE  SER  HUMANO  PRESENTE  NESTA  TEORIA   § O  ser  humano  é  o  resultado  de  diversos  processos  de  aprendizagem  (somos   o   modo   como   fomos   educados   e   a   forma   como   crescemos   num   certo   meio,   respondendo  às  situações).  Homem  =  produto  social.     POSIÇÃO  ACERCA  DOS  SEGUINTES  CONCEITO  DICOTÓMICOS   INATO/ADQUIRIDO   § Se  somos  produtos  do  meio,  se  somos  o  que  a  socialização  e  a  educação  fazem   de   nós,   então   o   factor   hereditário   ou   inato   é   irrelevante.   Os   teóricos   em   parte   influenciados   pela   perspectiva   behaviorista   tendem   a   apontar   as   variações   culturais   no   comportamento   dos   indivíduos   como   evidência   de   que   este  é  o  fundamentalmente  condicionado  pelo  ambiente  social.     CONTINUIDADE  /  DESCONTINUIDADE   § Watson   defende   que   os   princípios   de   aprendizagem   que   se   aplicam   ao   desenvolvimento   humano   na   infância   são   praticamente   os   mesmos   que   se   aplicam   aos   adolescentes.   Muitos   partidários   do   behaviorismo     pensam   que   não   faz   sentido   falar   de   adolescência   ou   estádios   do   desenvolvimento   sobrevalorizam  a  descontinuidade  entre  infância  e  idade  adulta.     § Watson   entende   que   o   desenvolvimento   individual   é   gradual,   cumulativo,   contínuo,  sem  alterações  bruscas  de  ritmo  (mudança  quantitativa),  uniforme.  
  2. 2. Psicologia  –  B                                                                                                                                                                                                                                                                                                            Watson  e  o  Behaviorismo     EXTERNO  /  INTERNO   § Segundo   Watson,   as   causas   de   um   comportamento   não   estão   no   interior   da   personalidade  do  indivíduo.  A  ideia  de  que  o  comportamento  seria  causado  por   factores   que   atuariam   no   interior   do   sujeito   (temperamento,   pensamentos,   intenções,   necessidades   e   motivações)   era   para   Watson   cientificamente   prejudicial  e  devia  ser  abandonada.     § O   progresso   científico   na   psicologia   exigia   o   abandono   do   mentalismo.   Não   é   cientificamente   correto,   nesta   perspectiva,   dizer   que   “Manuel   bate   nas   pessoas   porque  é  agressivo”.  As  causas  do  comportamento  de  um  indivíduo  estão  fora   dele,  nos  condicionamentos  a  que  foi  submetido.     § Neste  sentido,  e  porque  aquilo  que  somos  é  inferido  do  que  fazemos,  devemos   dizer   que   “Manuel   é   agressivo   porque   bate   nas   pessoas”.   A   vida   interna   ou   mental   (sentimentos,   pensamentos)   não   devia   ser   considerada   condutora   do   comportamento  ou  da  actividade  observável.     § Pensamentos   e   sentimentos   são   simples   produtos   derivados   de   factores   ambientais   que   condicionaram   ou   causaram   a   atividade   manifesta   ou   observável  (a  agressividade).  Por  exemplo,  escutar  uma  música  que  marcou   um  jantar  memorável  com  a  namorada  pode  levar-­‐nos  a  pensar  nela  ou  mesmo   a  telefonar-­‐lhe.  A  causa  real  é  externa  –  música  –  e  não  interna  –  pensar  nela.     § A  sobrevalorização  do  externo  face  ao  interno  relaciona-­‐se  com  o  facto  de   os  estados  mentais  não  estarem  disponíveis  para  observação  alheia  e  de   os   próprios   indivíduos   que   os   vivem   não   conhecerem   com   precisão   esses   estados.     INDIVIDUAL  /  SOCIAL   § O   comportamento   difere   de   indivíduo   para   indivíduo   devido   a   diferentes   condicionamentos  ou  influências  ambientais.  A  sociedade  dá  aos  indivíduos  as   condições  de  aprendizagem  e,  por  isso,  molda  os  comportamentos  ou  os  modos   de  ser  observáveis.     § Todo   o   nosso   comportamento   é   influenciado   pela   experiência,   ou   seja,   somos   produtos   do   meio   e   por   ele   somos   modelados.   Somos   “organismos   em   situação”   e   a   observação     do   que   fazemos   permite,   com   uma   certa   segurança,   prever  o  que  faremos.     § PROJECTO   DE   MELHORAMENTO:   É   possível   uma   sociedade   com   pessoas   mais   felizes,   saudáveis   e   produtivas,   se   alteramos   as   condições   em   que   os   indivíduos  vivem.  Somos  o  resultado  da  influência,  seja  boa  ou  má,  dos  agentes   socializadores.     § Como   o   comportamento   humano   é   determinado   pelo   meio,   alterando   as   situações,   poderemos   modificar   os   comportamentos   dos   indivíduos:   o   que   cada   indivíduo   é,   ou   mostra   ser,   depende   ou   é   determinado   pelo   modo   como  foi  socializado.     Rodrigues,  L.  (2009),  Psicologia  B.  Lisboa:  Platano,  p.  58-­‐59.   Professora  Joana  Inês  Pontes  

×