Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Relações interpessoais: Conformismo e Obediência

91,662 views

Published on

Published in: Education, Technology
  • Login to see the comments

Relações interpessoais: Conformismo e Obediência

  1. 1. As Relações Interpessoais Psicologia 12º Ano| As Relações Interpessoais| Joana Inês Pontes Conformismo e Obediência
  2. 2. 1. Como é que os grupos influenciam o nosso comportamento, as atitudes e decisões? Psicologia 12º Ano| As Relações Interpessoais| Joana Inês Pontes Condescendência : trata-se de aceder a um simples pedido e não a uma exigência; ex. quando acedemos a pedidos públicos porque não temos opinião formada sobre o assunto. Normalização : é uma pressão que reflecte as normas particulares por um grupo e que permite ter expectativas a respeito do comportamento apropriado dos membros desse grupo em determinadas situações.
  3. 3. 1. Como é que os grupos influenciam o nosso comportamento, as atitudes e decisões? Psicologia 12º Ano| As Relações Interpessoais| Joana Inês Pontes As duas formas mais frequentes de exercício de influência social são o: conformismo e a obediência . A obediência e o conformismo correspondem a manifestações que correspondem a modificações comportamentais suscitadas pela pressão de determinados agentes sociais. Influência social : a capacidade de uma pessoa ou grupo mudar as atitudes e comportamentos de outras.
  4. 4. 2. CONFORMISMO: SOLOMON ASCH Psicologia 12º Ano| Inteligência | Joana Inês Pontes <ul><li>O conformismo é uma mudança de comportamento que visa torná-lo consistentes com as normas de um grupo ou as expectativas dos outros actores sociais. </li></ul><ul><li>Podemos caracterizá-la como “ seguir a opinião dos outros ” (crenças, convicções) em virtude da pressão por estes exercida (real ou imaginada). </li></ul><ul><li>Frequentemente, o conformismo traduz-se em aceitação pública do ponto de vista dos outros. </li></ul>conformismo : mudança de atitude ou de comportamento em que cedemos à pressão para pensar e agir como os outros.
  5. 5. 2. CONFORMISMO: O ESTUDO DE ASCH Psicologia 12º Ano| As Relações Interpessoais| Joana Inês Pontes Experiência de Asch : existe uma tendência para responder segundo a “ maioria ” . Neste caso,verifica-se a tendência do sujeito da experiência (37%) seguir a opinião errada dos outros membros. – ver manual pp.227-228
  6. 6. 2. CONFORMISMO: SOLOMON ASCH Psicologia 12º Ano| As Relações Interpessoais| Joana Inês Pontes Factores que influenciam o conformismo: <ul><li>Baixa auto-estima ou falta de autoconfiança: pessoas com baixa auto-estima tendem a atribuir demasiada importância ao que os outros pensam delas. </li></ul>2. Sensação de isolamento (só contra todos): quanto maior a coesão do grupo, maior será tendência para a unanimidade e mais difícil será fugir à influência. 3. O impacto da presença dos outros (contacto visual): o conformismo é significamente menor se não tivermos de enfrentar o olhar dos outros.
  7. 7. 2. CONFORMISMO: SOLOMON ASCH Psicologia 12º Ano| As Relações Interpessoais| Joana Inês Pontes <ul><li>Podemos acrescentar outros factores que nos podem conduzir ao conformismo: </li></ul><ul><li>pertencer a um grupo composto por vários membros cujo estatuto social é admirado. </li></ul><ul><li>carência de informação sobre uma assunto. </li></ul><ul><li>sentimento de insegurança e timidez. </li></ul><ul><li>O estatuto do invidíduo no grupo. </li></ul><ul><li>O grau de dependência dos indivíduos do grupo. </li></ul><ul><li>V iver numa sociedade que valoriza mais o colectivo do que o indivíduo. </li></ul>
  8. 8. 2. OBEDIÊNCIA: STANLEY MILGRAM Psicologia 12º Ano| As Relações Interpessoais| Joana Inês Pontes <ul><li>A obediência é necessária para que uma sociedade ou grupo funcionem; porém, a obediência acrítica pode conduzir a comportamentos atrozes e desumanos . </li></ul><ul><li>O problema da obediência é o de saber até que ponto é legítimo obedecer: a obediência é a influencia social na sua forma mais directa e poderosa – experiência (texto e vídeo). </li></ul>Obediência : é uma mudança de comportamento em resposta a ordens e instruções de alguém reconhecido como autoridade. Nesta forma de influência, as ordens directas têm como objectivo induzir a submissão.
  9. 9. 2. OBEDIÊNCIA: STANLEY MILGRAM Psicologia 12º Ano| As Relações Interpessoais| Joana Inês Pontes Factores que predispõem para a obediência: <ul><li>Identificação entre autoriadade, competência e saber: os que exercem determinado poder e podem legalmente dar ordens têm credibilidade suficiente para saberem o que estão a fazer. </li></ul>2. Sentimento de desresponsabilidade: os que exercem determinado poder e podem legalmente dar ordens têm credibilidade suficiente para saberem o que estão a fazer.
  10. 10. 2. OBEDIÊNCIA: STANLEY MILGRAM Psicologia 12º Ano| As Relações Interpessoais| Joana Inês Pontes 3. Obedecer é uma forma de satisfazer o desejo de ser aceite: ao longo da nossa socialização interiorizamos a obediência a figuras que representam autoridade (ex. Pais), tem consequências positivas (recompensas) e é socialmente desejável. 4. Partilha ou difusão da responsabilidade pelas consequências de um acto: quanto a responsabilidade é partilhada por vários indivíduos, mais forte é a propensão para obedecer a ordens – há uma espécie de efeito libertador.
  11. 11. 2. OBEDIÊNCIA: MILGRAM Psicologia 12º Ano| As Relações Interpessoais| Joana Inês Pontes <ul><li>O g rau de obediência diminui: </li></ul><ul><li>quando outras pessoas desobedecem à autoridade : ver modelos desobedientes reduz a obediência – no experimento, alguns participantes disseram que não sabiam que podiam desobedecer. </li></ul><ul><li>Quando a figura de autoridade se afasta . </li></ul>No experimento de Milgram, quando o instrutor estava ausente da sala, o grau de obediência diminuía 20%.
  12. 12. 2. OBEDIÊNCIA: MILGRAM Psicologia 12º Ano| As Relações Interpessoais| Joana Inês Pontes <ul><li>Alguns factores explicativos da obediência: </li></ul><ul><li>PSICOSSOCIAIS : tendência para a interiorização da ordem social, ou seja, estado psicológico de receptividade do sujeito que segue as indicações da autoridade. </li></ul><ul><li>CONTEXTUAIS: tendência para obedecer mais facilmente a uma autoridade com legitimação ou que possua menor proximidade em relação à vítima. </li></ul>
  13. 13. Psicologia 12º Ano| As Relações Interpessoais| Joana Inês Pontes Realizado por: Joana Inês Pontes Consultas: Rodrigues, Luís(2009) Psicologia B. Lisboa: Plátano Editora , pp. 230-236 Milgram, Website de Thomas Bass – http://www.stanleymilgram.com/

×