Ensaio do filme, psicologia

3,678 views

Published on

Published in: Technology, Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
3,678
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2,827
Actions
Shares
0
Downloads
12
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Ensaio do filme, psicologia

  1. 1. Escola  Secundária  Garcia  de  Orta   Ano  lectivo  2010/2011   Professora  Joana  Inês  Pontes               Emoções e o seu grande impacto Será possível controlá-las?                           Sílvia  Afonso  nº25  12ºB   Porto,  05  de  Março  de  20  
  2. 2. Introdução    O  filme  Inception  (A  Origem  em  Portugal),  é  um  filme  de  ficção  científica  lançado  em  2010.   Escrito,   dirigido   e   produzido   pelo   britânico   Christopher   Nolan,   que   tem   com  elenco   Leonardo   DiCaprio,   Ken   Watanabe,   Joseph   Gordon-­‐Levitt,   Marion   Cotillard,  Ellen  Page,  Tom  Hardy,  Cillian  Murphy,  Dileep  Rao,  Tom  Berenger  e  Michael  Caine.  A  história  retrata  um  ladrão  especializado  em  extrair  informações  do  inconsciente  dos  seus  alvos  durante  o  sonho.  Incapaz  de  visitar  seus  filhos,  Cobb  tem  a  oportunidade  de  vê-­‐los  em  troca  de  um  último  trabalho:  fazer  a  inserção,  plantar  a  origem  de  uma  ideia  na  mente  de  um  rival  de  seu  cliente.  Neste  filme  é  retratada  fundamentalmente  a  mente  e  o  inconsciente  humano,  porém  também   retrata   de   certa   maneira   o   impacto   que   determinadas   emoções   têm   no   ser  humano,  sendo  estas  positivas  ou  negativas.  As  emoções  são  fundamentais  na  vida  do  ser  humano,  visto  que  estas  ajudam  a  que  os  outros   entendem   aquele   que   estamos   a   sentir   ou   ser   nós   agrada   a   situação   ou   não;  sem  elas  era  provável  vivermos  num  de  robots,  da  qual  o  mundo  seria  uma  confusão,  pois  não  existia  decisões  sensatas  e  correctas.  Existem   componentes   e   ou   reacções   da   emoção   que   ajudam   a   perceber   o   que   o   outro  sente   ou   pretende   transmitir,   nomeadamente   as   reacções   fisiológicas   e  comportamentais  e  reacções  expressivas.  Toda   a   gente   se   apercebe   das   alterações   orgânicas   que   as   pessoas   se   manifestam   e  independentemente   da   emoção,   esta   faz-­‐se   acompanhar   de   uma   serie   de   reacções  corporais  ou  fisiológicas,  por  exemplo,  a  tristeza  leva  ao  choro,  o  medo  á  fuga,  quando  agúem  está  nervoso  o  seu  ritmo  cardíaco  é  maior.  Contudo,   as   emoções   traduzem-­‐se   por   uma   atitude   corporal   que   se   exterioriza   por  gestos,   pelo   olhar,   pela   voz   e   por   determinados   sinais   do   rosto   que   permitem   às  pessoas  reconhecer  a  emoção  a  que  o  sujeito  está  a  passar,  por  exemplo,  um  sorriso  na  cara  pode  querer  dizer  o  sujeito  está  alegre  ou  feliz  (reacções  positivas).    Com   este   filme   é   possível   verificar   estas   mesmas   componentes   e   de   como   é   difícil  controlar   as   emoções,   visto   que   em   situações   específicas   estas   controlam   os   nossos  actos,   ou   seja,   para   ser   feliz   e   alcançar   o   que   sempre   quisemos,   deixa-­‐nos   num   estado  de  ansiedade  e  até  mesmo  de  desespero,  o  que  vai  afectar  as  acções  pouco  sensatas  da  personagem  principal  que  tem  como  objectivo  superar  uma  das  magoas  da  vida  e  ir  finalmente  para  o  lado  de  quem  mais  ama.  
  3. 3. O   criador   neste   filme   tem   realizado   muitos   filmes   únicos   e   revolucionários,   da   qual  cada  um  deles  retrata  um  determinado  género  e  especifica  um  dado  tema.  A  verdade  é   que   todos   os   filmes   realizados   de   Nolan   sempre   tiveram   fortes   proporções  incompreendidas,  Inception  é  o  seu  primeiro  filme  claramente  sobre  a  ficção  científica.    Porém,  o  enredo  resume-­‐se  aos  sonhos,  como  os  trailers  e  os  posters  faziam  prever.  Não   há   criaturas   sobrenaturais,   extraterrestres   e   coisas   do   género.   Tudo   ocorre   na  Terra   e   com   pessoas   normais,   como   no   nosso   dia-­‐a-­‐dia.   É   um   mundo   onde   as   pessoas,  como  Dom  Cobb  (Leonardo  DiCaprio),  têm  a  capacidade  de  ultrapassar  realidades,  ou  seja   esta   personagem   é   como   uma   espécie   de   ladrão,   cujo   trabalho   especializado   é  extrair  informações  do  inconsciente  dos  seus  alvos  durante  o  sonho  ou  seja  envolve  a  obtenção  de  informações  valiosas,  extraídas  das  mentes  dos  seus  alvos  enquanto  estes  sonham.   Para   tal   recorrem   a   ‘arquitectos’,   que   criam   os   mundos   em   que   esses  subconscientes  se  refugiam  e  onde  guardam  os  seus  segredos  mais  preciosos.                       Fig.1-­‐  mundo  criado  por  dos  arquitectos  do  subconsciente    O   termo   ‘Inception”   (no   contexto   deste   filme)   dá   a   ideia   de   um   acto   de   colocar   uma  ideia  no  subconsciente  de  um  pessoa,  ao  invés  de  a  extrair,  tarefa  para  a  qual  Saito,  um  homem  de  negócios,  contrata  Cobb.  Um  acto  complexo  e  praticamente  impossível,  este  consiste  em  essencialmente  utilizar  o  poder  obsessivo  de  uma  ideia  (comparado  por   Cobb   a   um   vírus)   para   influenciar   o   comportamento   de   uma   pessoa.   Cobb,  perseguido   pelo  assassínio  da   sua   esposa,   afirma   que   é   possível   e   forma   uma   equipa  de   especialistas   que   inclui   a   arquitecta   Adriadne,   responsável   pela   criação   dos  designados  ‘cenários’  onde  tentarão  implantar  a  ideia  na  sua  vítima,  Robert  Fischer,o  forjador  Eames,  que  possui  a  capacidade  de  assumir  qualquer  identidade  no  mundo  do  sonho,   o   químico   Yusuf,   responsável   pelas   substâncias   que   os   permitirão   manter-­‐se  
  4. 4. num  estado  de  sono  profundo  durante  um  largo  período  de  tempo,  e  Arthur,  o  braço  direito  de  Cobb.  Com  esta  pequena  parte  do  filme,  repara-­‐se  o  quanto  as  emoções  afectam  um  pessoa;  por   exemplo,   a   personagem   principal,   Cobb   é   levada   de   certa   maneira   a   efectuar   o  trabalho   que   o   homem   de   negócios   pretende,   porém   apesar   de   ser   uma   tarefa  praticamente   impossível,   Cobb   realiza-­‐a   visto   que   sofre   ainda   pela   trágica   perda   da  mulher  e  se  conseguir  finalizar  o  trabalho  poderá  regressar  para  os  filhos,  como  tanto  deseja.  Também   se   verifica   como   “o   jogo   psicológico”   funciona,   desencadeando   diferentes  emoções   e   estados   de   espírito   num   individuo,   neste   filme   é   retratada   a   emoção   de  desespero,   de   ansiedade   e   curiosidade,   na   medida   em   que   a   personagem   principal  realiza  as  suas  funções  em  função  daquilo  que  pretende  no  futuro  e  quando  a  “nova”  arquitecta  “entra”  no  mundo  dos  sonhos,  não  sabendo  inicialmente  o  que  realmente  está  a  ocorrer.                 Fig.2-­‐  Acção  improvável  na  realidade,  esta  acção  é  possível  realizar  no  sonho  devido  aos  cenários   efectuados  pelos  arquitectos.    Neste  filme  é  visível  o  quanto  as  personagens  não  conseguem  controlar  as  emoções,  como  a  maioria  das  pessoas,  deixando  assim  afectar  as  suas  acções  que  deveriam  ser  sensatas   e   simples.   É   necessário   ter   um   grande   controlo   das   emoções,   senão   não  teremos   controlo   daquilo   que   queremos   na   realidade,   deixando   assim   as   emoções  “escolher”  a  vida  que  querem  tomar.    Em   Inception,   as   personagens   ao   levarem-­‐se   pelas   emoções,   ficam   de   certa   maneira  não   sabendo   o   que   é   real   ou   não,   deixando   assim   a   dúvida   persistir,   lembrando   um  grande   filme   do   mesmo   autor   que   relata   comportamentos   psicológicos   e   emoções,  Memento.  
  5. 5. Existe  várias  partes  distintas  no  filme,  onde  é  possível  verificar  o  quanto  as  emoções  “afectam”   de   certa   maneira   a   nossa   maneira   de   racionalizar,   ou   seja,   nós   queremos  fazer   algo   que   achamos   correcto,   mas   na   verdade   a   componente   dos   sentimentos  “fala”   mais   alto   e   aí   as   nossas   decisões   mudam,   apenas   porque   o   ser   humano   vive  muito  as  emoções  e  por  vezes  não  as  consegue  controlar.  Uma   das   partes,   já   foi   referida,   é   quando   a   personagem   principal   é   levada   a   realizar  algo   que   acha   impossível,   mas   o   desejo,   a   vontade   e   o   desespero   da   morte   e   das  saudades   dos   filhos,   levam-­‐no   a   realiza-­‐lo   na   mesma.   A   outra   parte   do   filme   que  comprova  exactamente  isto  é  quando,  a  equipa  que  pretende  implantar  a  ideia,  decide  investigar   a   sua   relação   com   o   pai   (donos   da   empresa)   para   que   seja   mais   fácil   colocar  a  ideia  na  sua  mente  e  parecer  que  este  teve  a  ideia  sozinho,  sem  ajuda.  Nesta  parte  do  filme,  leva  a  uma  discussão  de  argumentos,  das  quais  destaca-­‐se:  “  o  subconsciente   é   motivado   pela   emoção   e   não   pela   razão”   (Cobb),   esta   personagem  tem  como  objectivo  traduzir  a  ideia  num  conceito  emocional,  neste  caso  traduzir  uma  estratégia  comercial  em  emoção.  Cobb,  para  realizar  o  seu  propósito,  descobre  que  a  relação  do  filho  como  o  pai  é  tensa,  e  para  isso  necessitam  que  o  filho  (Robert)  tenha  uma   reacção   emocional   positiva   a   tudo   isto,   pois   as   emoções   positivas   suplantam   as  emoções  negativas.  No   entanto,   o   filme   têm   uma   grande   carga   emocional,   nomeadamente   quando   se  descobre  que  a  mulher  de  Cobb  morreu  devido  á  ideia  que  este  implantou  na  cabeça  da   amada,   o   que   levou-­‐a   a   confundir   a   realidade   e   consequentemente   a   matar-­‐se.  Também  ocorre  uma  parte  bastante  emotiva  quando  a  personagem  principal  e  a  sua  equipa  conclui  o  trabalho,  que  por  sua  vez  foi  bem  sucedido,  e  assim  este  pode  voltar  para  casa,  para  junto  dos  seus  filhos.  As  emoções  são  fundamentais  para  um  bom  funcionamento  do  ser  humano,  pois  sem  elas  seriamos  praticamente  robôs,  contudo  se  não  controlas-­‐mos  as  nossas  emoções,  poderão   seguir-­‐se   consequências   devastadoras,   e   este   filme   é   um   grande   exemplo  disso.                 Fig.3-­‐“totem”,  uma  espécie  de  amuleto  que  ajuda  as  personagens  a  não  confundir  o  sonho  com  a   realidade,  é  uma  espécie  de  objecto  pessoal.  
  6. 6. Conclusão    Após   a   visualização   deste   filme,   verifica-­‐se   a   grande   influencia   que   as   emoções   têm   na  vida   do   ser   humano.   Todas   as   nossas   acções   e   decisões   derivam   da   mesma   e   tudo   é  proveniente  do  nosso  subconsciente.    Todas   as   nossas   experiências   diferentes   reflectem   pensamentos   diferentes   e  transmitem   emoções   diferentes,   como   acontece   neste   filme,   ou   seja,   quando   a  personagem  principal  realiza  o  trabalho  para  que  este  seja  o  ultimo  e  volte  novamente  para   os   seus   filhos,   porém   muitas   das   acções   que   este   tem   no   enredo   provem   da  morte  da  mulher.    E  assim  podemos  verificar  o  quanto  as  emoções  afectam  a  vida  de  um  ser  humano  e  o  quanto   estas   afectam   as   nossas   acções,   visto   que   a   maior   parte   da   pessoas   não   as  controlam  deixando  a  sua  vida  em  função  das  emoções  que  tem  das  diversas  situações  que  enfrentam.  Assim,   é   possível   responder   à   questão   inicial,   de   que   sim   é   possível   controlar   as  emoções,  mas  por  outro  lado,  somos  “apanhados”  em  momentos  frágeis  e  vulneráveis  deixando  assim  a  nossa  ser  vida  ser  controlada  por  as  emoções;  mas  dependendo  das  pessoas  é  possível  esconde-­‐las  dos  outros,  também  dependo  da  pessoa  que  a  observa,  ou   seja,   se   for   uma   pessoa   muito   próxima   do   sujeito   facilmente   entende   o   que   se  passa,   se   for   uma   pessoa   totalmente   desconhecida   é   provável   que   não   se   aperceba  que  haja  algo  de  errado.  Inception   é   um   filme   revolucionário   e   magnífico,   na   medida   em   que   a   história   é  cativante   que   retrata   diversas   emoções   e   como   estas   podem   descontrolar-­‐se   e   afectar  a  nossa  vida  totalmente,  por  outro  lado,  avalia  o  poder  que  a  mente  e  o  subconsciente  de  cada  um  de  nós,  sem  eles  nada  éramos  e  nada  seriamos.  Um   factor   que   contribuí   para   a   visualização   do   filme   é   os   efeitos   especiais,  nomeadamente  quando  os  designados  arquitectos  desenham  as  coisas  no  mundo  da  mente,   da   qual   tudo   é   possível,   nada   se   opõe   ao   que   se   deseja.   Mas   coloca-­‐se   uma  questão:  Mente  e  emoções,  um  “conjugação  perigosa”?          
  7. 7. Bibliografia             Wikipédia,  a  inciclopédia  livre  (s/  data),”A  Origem”,  in   http://pt.wikipedia.org/wiki/A_Origem       Jornal  de  Noticias,  jornal  online  (25  de  Fevereiro),”Melhor  filme:  Inception-­‐  A   Origem”  (consultado  02/03/2011),  in   http://www.dn.pt/inicio/artes/interior.aspx?content_id=1793206&seccao=Cin ema                      
  8. 8. Observações  da  professora                                        
  9. 9.  

×