50ideias.pdf

30,469 views

Published on

Published in: Business, Technology

50ideias.pdf

  1. 1. SÉRIE ABC do E-COMMERCE OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS NA INTERNET Como encontrar e avaliar um nicho de mercado Todos os direitos legais Dailton Felipini www.abc-commerce.com.br dailton@e-commerce.org.br Proibida a cópia ou distribuição não Revisão de texto autorizada textopro@e-commerce.org.br -1-
  2. 2. Apresentação Caro amigo empreendedor. É com prazer que lhe entregamos mais um e-book da série ABC-commerce. Este material foi desenvolvido com o propósito de atender uma necessidade freqüente apresentada por estudantes e empreendedores interessados no mercado da Internet. Muitas vezes não se tem uma definição precisa em relação ao negócio que se pretende implantar. Ou então, já se fez a opção por determinado segmento do mercado, mas ainda é necessário analisar com critérios profissionais a viabilidade do negócio no segmento escolhido e as chances do produto na Internet. O propósito deste material é duplo: ajudá-lo a encontrar um segmento de negócio compatível com seus interesses pessoais e também fornecer critérios lógicos de avaliação desse segmento de tal forma que você tenha mais segurança com relação às perspectivas de sucesso de seu projeto. Vamos conhecer os principais modelos de negócios utilizados na Internet e os produtos que estão sendo vendidos com sucesso na rede. Vamos, também, analisar juntos as questões mais importantes relacionadas a você como empreendedor, bem como as principais variáveis com relação ao seu produto e ao seu mercado-alvo. Além de tudo isso, você também receberá 50 sugestões de negócios na Internet, com as informações básicas e fontes de dados para você ampliar o seu conhecimento sobre cada segmento de mercado. Temos certeza que o conhecimento adquirido com a leitura desse material lhe proporcionará mais segurança na decisão, que talvez seja a mais importante a ser tomada por todo empreendedor: o que vender, e para quem. O passo seguinte será arregaçar as mangas e iniciar a montagem de seu plano de negócio vencedor. Para obter outros produtos que irão ajudá-lo em seu empreendimento, visite: http://www.abc-commerce.com.br -2-
  3. 3. Para manter-se atualizado em relação ao Comércio Eletrônico, você poderá sempre visitar: http://www.e-commerce.org.br Será também um prazer receber seus comentários e sugestões sobre nossos produtos. A sua opinião é muito importante para nós. faleconosco@abc-commerce.com.br Uma boa sorte e votos de muito sucesso em seu empreendimento. Dailton Felipini ABCcommerce -3-
  4. 4. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ Sumário Apresentação............................................................................................................. 02 1. VOCÊ, COMO EMPREENDEDOR NA INTERNET............................. 05 Você busca um trabalho tempo integral ou um complemento para sua atividade?... 05 Você tem formação ou conhecimento na área de tecnologia?................................. 06 Você gostaria de continuar na mesma área de atuação? ......................................... 07 Você se imagina feliz na gestão de seu futuro empreendimento? ............................ 07 Dicas para ajudá-lo a encontrar o “seu” negócio. ...................................................... 08 2. CONHECENDO OS MODELOS DE NEGÓCIO NA WEB................... 10 O modelo do comerciante.......................................................................................... 11 O modelo de corretagem. .......................................................................................... 12 O modelo de publicidade. .......................................................................................... 13 3. AVALIANDO O SEU PRODUTO......................................................... 14 Os produtos que fazem sucesso na Internet............................................................. 14 Atributos dos produtos mais vendidos na Web.......................................................... 15 Checklist: As sete questões fundamentais sobre seu produto.................................. 17 1. Que tipo de necessidades seu produto vai atender?............................................. 17 2. Seu produto tem um bom padrão de qualidade?................................................... 17 3. A Internet oferece vantagens como canal de comercialização?............................ 18 4. Os seus custos de armazenagem e distribuição são aceitáveis? ......................... 19 5. Você já tem fornecedores confiáveis e exclusivos? .............................................. 20 6. O Produto demanda grande esforço no atendimento pós-venda? ........................ 21 7. A margem de lucro possível é interessante?......................................................... 22 4. AVALIANDO O MERCADO................................................................. 23 Quem é o seu cliente-alvo. Ele está na Internet?....................................................... 23 Qual é o tamanho do mercado. Existem nichos que podem ser explorados?........... 24 A quantidade de competidores é aceitável?............................................................... 25 Existem restrições legais que dificultam a comercialização?..................................... 26 5. GARIMPANDO INFORMAÇÕES NA INTERNET............................... 27 Fontes de pesquisa.................................................................................................... 27 Informações pesquisadas........................................................................................... 28 Bônus – 50 Idéias de Negócios na Internet.......................................... 30 -4-
  5. 5. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ VOCÊ EMPREENDEDOR. Há algum tempo atrás, em uma palestra, tive contato com um profissional de uma grande empresa de “Venture Capital” em São Paulo. Ele era responsável pela análise de mais de mil planos de negócios enviados à sua empresa anualmente em busca de financiamento. Perguntei-lhe qual aspecto de um plano de negócios ele considerava mais relevante no processo de avaliação e a sua resposta foi extremamente objetiva – “Para nós, todos os aspectos do plano tem o seu grau de importância, porém o que é crucial e decide a concessão ou não do financiamento é o perfil do empreendedor. Nós sabemos que o mais importante para o sucesso de uma empresa é a capacidade, a motivação, e o comprometimento de seu criador”. É justamente por concordar em gênero, número e grau com essa avaliação que iniciaremos este e-book abordando questões que dizem respeito a você e a seus objetivos. Você busca um trabalho em tempo integral ou um complemento para sua atual atividade? Se você planeja se dedicar em tempo integral ao seu negócio na Internet, é importante saber que vai precisar de um capital inicial para se manter durante algum tempo. Isso porque, a maioria absoluta dos negócios não dá lucros no curto prazo e a necessidade de dinheiro para fazer frente às despesas do dia- a-dia, aliada a um negócio que ainda não atingiu o ponto de equilíbrio, é receita certa para problemas. Uma boa prática é estabelecer que durante o primeiro ano de atividade, você não deve contar com o seu empreendimento para retiradas pessoais de caixa, de tal forma que receitas geradas sejam automaticamente reinvestidas no seu negócio. Se as coisas correrem melhor que o previsto e for possível retirar algum dinheiro antes desse período, tanto melhor, mas você não deve contar com isso. Se por outro lado, você optou por iniciar seu projeto mantendo, pelo menos durante algum tempo, uma outra -5-
  6. 6. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ atividade em paralelo, você terá mais tranqüilidade para planejar e executar seus planos, uma vez que não haverá a necessidade de gerar lucros no curto prazo. Em contrapartida, seu negócio não contará com sua atenção constante e fatalmente levará mais tempo para deslanchar. Isso não é necessariamente um problema, desde que você não relaxe em relação às metas estabelecidas e não deixe passar o tempo certo de lançar seus produtos e ocupar o seu espaço no mercado. Você tem formação ou conhecimento na área de tecnologia? Uma pergunta recorrente refere-se à necessidade de conhecimento especializado para implantar e operar um negócio na Internet. A dúvida talvez seja conseqüência da novidade da Internet em nosso cotidiano, passando a sensação da existência de difíceis barreiras de conhecimento a serem superadas e que poderiam inibir um projeto viável. É importante ressaltar que um negócio na Internet funciona como qualquer outro negócio tradicional. Temos de encontrar pessoas com necessidades a serem atendidas e atendê- las com eficiência através de nossos produtos. A internet não é uma rede de computadores, a Internet é uma rede de pessoas conectadas através de computadores, ou seja, as máquinas e o software que as fazem funcionar não são um fim em si mesmo, são o meio através do qual você vai chegar até o seu cliente. Lembre-se sempre que na frente de cada tela de computador existe um cliente em potencial aguardando para ser bem atendido por você. É claro também, que todo conhecimento é útil. Se você conhece uma linguagem de programação como “html” ou “ASP” ou “PHP” ou é um “web-designer”, ótimo. Isso vai ajudá-lo na fase de montagem do site e, eventualmente, você poderá até desenvolver o seu próprio site, economizando uns bons trocados em serviços de terceiros. Porém, a ausência de conhecimento especializado em tecnologia não inviabiliza, de forma alguma, a montagem de um negócio bem sucedido, pois conforme dissemos, a tecnologia deve ser um meio e não o propósito de seu negócio; a não ser, obviamente, que esse conhecimento seja o produto que você vai comercializar através da rede. Por outro lado, -6-
  7. 7. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ considerando que você vai vender para pessoas que navegam na rede, é importante conhecer muito bem esse meio para entender melhor o comportamento de seu cliente. Navegue pela rede, visite lojas virtuais, principalmente de seu ramo de atuação, realize compras, preste atenção na comunicação e abordagem utilizada no site e nos e-mails recebidos, verifique os argumentos de venda, a navegabilidade, entre outros. Afinal de contas, para conhecer bem uma tribo, nada melhor do que fazer parte dela, não é mesmo? Você gostaria de continuar na mesma área de atuação ou buscar outras áreas? Se você tiver experiência em determinada área, identificar-se com o que faz e estiver considerando a possibilidade de montar o seu negócio baseado nessa mesma área, esta condição poderá lhe proporcionar inúmeras vantagens. Com certeza, sua experiência e conhecimento do assunto serão de grande valia na implantação e gerenciamento de seu negócio, poupando-lhe um grande tempo de aprendizado. Você conseguirá executar suas tarefas com mais agilidade do que um iniciante, produzindo mais e, se tiver um bom relacionamento com seu empregador, poderá até incluí-lo em seu rol de clientes. Lembre-se, porém, que é fundamental gostar daquilo que se faz. O preço do aprendizado é imensamente menor do que a satisfação de se trabalhar com aquilo que gostamos. É justamente a esse respeito que queremos considerar com você a última questão. Você se imagina feliz, na gestão de seu negócio? Durante muito tempo se pensou que o trabalho fosse uma espécie de castigo que nós mortais teríamos que suportar como preço pelas benesses adquiridas através dele. E ainda hoje, muita gente pensa que ter prazer com o trabalho só ocorre em contos de fadas. Nada mais errôneo. Se você fizer uma pesquisa com empreendedores bem-sucedidos, descobrirá que a maior parte deles, -7-
  8. 8. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ embora trabalhe muito, gosta imensamente do que faz e encontra prazer e realização pessoal em executar as tarefas de seu dia-a-dia por mais difíceis e trabalhosas que sejam. Isso ocorre porque, para se dedicar a algo com a intensidade exigida por todo novo empreendimento e atingir a excelência que vai lhe trazer o sucesso, são necessários um grande esforço, constância e dedicação, só alcançáveis por quem se identifica e gosta daquilo que faz. É por isso que talvez essa seja a mais importante dica a ser seguida na busca por um negócio bem sucedido. Procure atuar naquilo que o faça sentir-se bem e lhe que dê prazer. O quadro seguinte vai lhe mostrar como realizar o chamado “brain-storm” e buscar dentro de você atividades que realmente facilitem o seu dia-a-dia no futuro. DICAS PARA AJUDÁ-LO A ENCONTRAR O “SEU” NEGÓCIO. Passo 1. Sente-se em um local sossegado em sua casa ou escritório, pegue uma caneta e um papel e comece a lembrar-se das últimas atividades que você fez na semana, no mês ou nos últimos anos e que lhe deram prazer. Escreva uma por uma no papel, sem se preocupar por enquanto se são viáveis ou não como negócio, apenas escreva, à medida que elas lhe vêm a cabeça. Pode ser a pescaria anual que você sonha durante todo o ano, os trabalhos em madeira que você faz durante as férias, as roupas que você desenha para suas amigas, o tempo que passa na sua biblioteca lendo e arrumando sua notável coleção de livros, o encontro semanal com os amigos da cozinha pra experimentarem novas receitas, sua fantástica coleção de revistas em quadrinhos que foi motivo de reportagem, sua paixão pela criação de animais, por passeios no campo, o prazer de conversar com suas amigas e ajudá-las a resolver seus problemas. Pense também em atividades relacionadas à sua profissão atual, sem as amarras do emprego e do chefe e com a liberdade de definir suas metas e os caminhos a seguir. Considere ainda, outras atividades que você nunca teve oportunidade de atuar ou sequer conhecer de perto, mas que sempre despertaram em você uma curiosidade, um impulso desconhecido e a sensação de que você se daria bem atuando naquele universo. Não se bloqueie nesse momento. Logo adiante, você terá oportunidade de analisar seus negócios em potencial sob outros ângulos, de forma mais fria e pragmática. Aqui, o objetivo é levantar seus reais desejos e interesses. -8-
  9. 9. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ Passo 2. Estabeleça uma hierarquia, colocando números de 1 a n, a partir daquela atividade que mais desperta seu interesse. Passo 3. Coloque um sinal de adição (+) naquelas atividades nas quais já recebeu elogios ou reconhecimento de outras pessoas. Isso é um bom indicador de aceitação. Passo 4. A partir da atividade número um de sua lista, crie uma nova coluna e escreva que tipo de produto ou serviço poderia ser extraído dessa sua atividade e quem poderia se beneficiar dela. Comece a pensar como seria possível transformar essa atividade que você tanto gosta em algo lucrativo. Se não estiver familiarizado ainda com a Internet, o próximo tópico vai lhe mostrar as diversas modelagens de negócios que vem sendo utilizadas na Rede e vai ajudá-lo a pensar no modelo mais adequado ao seu projeto. Lembre-se que praticamente qualquer assunto pode ser transformado em um site e passar a gerar tráfego de pessoas interessadas naquele tema. A partir da visitação do site, o oferecimento de produtos seus ou de terceiros será um passo. Seu interesse na pesca pode resultar em um site que divulga e oferece pacotes de pesca esportiva para pescadores como você. O interesse por revistas em quadrinhos, pode gerar um site de leilão on-line ou comércio desse produto, o gosto por livros antigos e raros pode levá-lo a montagem de um sebo virtual, e assim por diante. . Passo 5. Agora, com certeza você já tem uma ou diversas atividades para considerar como possível negócio. Mostre suas ideais a amigos e pessoas de sua confiança, sinta a opinião deles, fique com a “antena ligada” a qualquer coisa relacionada ao seu assunto. No decorrer da leitura desse material, você vai começar a descobrir se suas idéias, além de boas, representam também verdadeiras oportunidades de negócio. Quando estiver seguro, já poderá começar a desenvolver o seu Plano de Negócio. -9-
  10. 10. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ OS MODELOS DE NEGÓCIO NA WEB Hoje já se vende praticamente de tudo na Internet. Desde ovos de codorna até automóveis novos e usados, passando por cachaça de Minas, acessórios eróticos, serviços de Cartomante, aplicações financeiras, encontros e leilão de produtos químicos...entre outros. De forma que praticamente qualquer negócio tradicional pode ser replicado na Internet, com eventuais adaptações. É importante deixar claro que um negócio na Internet demanda as mesmas obrigações legais que qualquer outro negócio. Será necessário abrir uma empresa, contratar um contador, pagar tributos e afins, e principalmente, sua empresa deverá, em algum momento, atingir o equilíbrio financeiro ou seja, gerar mais receitas que despesas. Para facilitar a compreensão dividimos os negócios na Internet em três grandes grupos1: COMERCIANTE Misto, Virtual, Puro, Mercantil direto CORRETAGEM Shopping Virtual, Leilões, Marketplaces, Metamediários PUBLICIDADE Portais genéricos, Portais especializados, Gratuidade Veja as características de cada um e pense em qual dos modelos o seu projeto se encaixaria melhor, lembrando que o seu negócio não precisa ser exatamente igual a outro, já existente e, de certa forma, nem é interessante que seja. Existe a possibilidade de variantes que tornariam o seu negócio diferenciado e quem sabe, mais eficiente, que os já existentes na Internet. 1 Adaptado do site: www.e-commerce.org.br - 10 -
  11. 11. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ O MODELO DO COMERCIANTE O modelo refere-se à comercialização de serviços ou produtos tangíveis/digitais para pessoas físicas (e-tailers) ou jurídicas. Pode ser um negócio exclusivamente baseado na Internet ou com reforço de uma loja tradicional. VARIANTES DESCRIÇÃO EXEMPLO Negócio tradicional baseado em Comércio Misto instalações físicas e que utiliza a rede como mais um canal de comercialização para os seus Livraria Cultura produtos. Comercialização de produtos/serviços Comércio virtual exclusivamente pela Internet. Submarino Comercialização de produtos digitais. É a forma mais pura de Comércio Comércio virtual puro Eletrônico uma vez que todo o processo de divulgação, a venda e também a entrega são feitas pela Internet. Empresas de software ou ABCcommerce cursos on-line bem como livrarias especializadas em e-books são os principais exemplos. Empresas produtoras de mercadorias Mercantil direto que se utilizam da web como canal direto de venda para o consumidor final, eliminando total ou parcialmente Caloi os intermediários. Profissionais que utilizam a Web para Profissional divulgação e comercialização de seus Regina Célia especializado serviços. - 11 -
  12. 12. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ O MODELO DE CORRETAGEM São os chamados facilitadores de negócios. Sites que facilitam e estimulam a realização de transações, através de um ambiente virtual, que promove contatos, aproximando os fornecedores e potenciais compradores. VARIANTES DESCRIÇÃO EXEMPLO Shopping Site que reúne diversas lojas virtuais. ShopFácil Virtual Receita é obtida através de uma taxa mensal + comissão sobre as vendas realizadas Ambiente virtual que possibilita a oferta de mercadorias e a realização de lances até Leilões on-line se alcançar a melhor oferta disponível. A Receita é obtida por meio de taxas de cadastramento + comissão no caso de Mercado Livre empresas (B2B) ou comissão sobre venda no caso de pessoas físicas (C2C). Possui variantes como o Leilão reverso, onde os vendedores é que fazem os lances, e o menor preço ofertado leva o pedido. Possibilita a interação entre empresas do mesmo setor de negócio e incentiva a Portal Vertical realização de transações através de negociação direta ou leilões. Variantes: Comunidades de Negócios, onde além das Trade Hunter transações existem um grande fluxo de informação e orientação aos membros da comunidades, como boletins, diretórios de fornecedores. classificados, ofertas de empregos, entre outros; Agregador de compras, que reúne os compradores para obter maior volume e melhor negociação nas compras. Nos chamados E- marketplace agrega mais de um setor. Aproxima compradores e vendedores sendo que a receita é geralmente obtida Metamediários através de comissões sobre as transações Investshop realizadas através do site. É o caso dos Corretores Financeiros que facilitam a realização de investimentos por parte da pessoa física, disponibilizando acesso a um ou mais fornecedores de serviços financeiros como compra de ações, seguros, investimentos, ou os sites que dão prêmios aos consumidores para incentivar a compra em sites parceiros. - 12 -
  13. 13. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ O MODELO DE PUBLICIDADE Utiliza o mesmo conceito das emissoras de TV e Rádio, o chamado “Broadcasting”. Oferece produtos e serviços gratuitamente como informação ou entretenimento, gera um grande volume de visitantes e obtém receita através de anunciantes que desejam atingir esse público. Variantes do DESCRIÇÃO EXEMPLO modelo São os grande portais de acesso a Internet. Portais Embora a maioria dos portais já não utilize IG genéricos a gratuidade em sua forma pura e cobra pelo acesso, ainda existem grandes portais gratuitos. São sites especializados em determinado público ou segmento de mercado. Geram menos volume de tráfego que os portais Portais genéricos, mas com um perfil de público Mais de 50 especializados mais concentrado, o que é valorizado pelos anunciantes. Sites oferecem algum serviço/produto Gratuidade gratuitamente para gerar volume de tráfego. Yahoo É o caso típico dos mecanismos de busca e serviços de correio eletrônico. Agora que você já tem uma idéia do que vai encontrar na Internet, vamos começar a pensar no produto a ser oferecido ao mercado. - 13 -
  14. 14. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ AVALIANDO SEU PRODUTO Em qualquer negócio que você decida implementar na Internet, você estará, basicamente, oferecendo algo ao mercado em troca de pagamento. Esse “algo” é o seu produto. Ele pode ser um bem tangível, como um DVD ou artigo de artesanato, um produto digital como software ou e-books, serviços profissionais como tradução, revisão de textos, “web-design”, publicação de conteúdo especializado, entre inúmeras outras opções. Qualquer que seja o produto escolhido é fundamental ter em mente que ele deve atender a alguma necessidade de seus clientes, seja ela real ou psicológica. Deve também, agregar algum tipo de valor ao seu consumidor. Valor entendido como a diferença entre os benefícios gerados pelo produto e o dispêndio realizado para obtê-lo. Se o visitante de seu site tiver essa percepção, ele comprará seu produto e se ele mantiver essa percepção após a compra, retornará para mais compras e será um propagador positivo de sua empresa. O que vamos aprender nesse capítulo, é como avaliar as chances de sucesso de um produto na Internet. OS PRODUTOS QUE FAZEM SUCESSO NA INTERNET Antes de seguir em frente, faça uma visita ao site eCommerceOrg na seção Estatísticas da Web e veja os produtos mais vendidos atualmente na Internet Brasileira. Salvo uma grande alteração nos padrões observados até o momento em que escrevo essas linhas, você vai observar que os principais itens em volume de venda são LIVROS, CDs, DVDS, SOFTWARE/HARDWARE. Vamos então aprender com a realidade e descobrir nesses produtos alguns atributos que provavelmente foram responsáveis pelo seu sucesso na Internet. - 14 -
  15. 15. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ Alguns atributos dos produtos mais vendidos na web 1. PORTABILIDADE: A maioria desses itens é de pequeno porte, o que implica facilidade de manuseio, rapidez na entrega e baixo custo de transporte, às vezes, até custo zero como no caso de produtos digitais entregues pela própria rede. Facilidade no recebimento e baixo custo de entrega são fatores altamente estimuladores de compras on-line. 2. PADRONIZAÇÃO: O livro “Fique Milionário em 10 lições” vendido no site da livraria Cultura é exatamente o mesmo livro que você vai encontrar em outras livrarias do Brasil, esteja ela na Internet ou na esquina próxima à sua casa. Isso dá segurança ao comprador, facilitando a compra e é válido também para um CD do Chico Buarque ou um DVD. 3. CUSTO: A maioria dos itens tem um custo relativamente baixo e mesmo o computador vem mostrando uma tendência constante de diminuição no preço. Custo mais baixo significa a percepção de um risco de perda menor e, conseqüentemente, menos receio de apertar a tecla “confirma”. Esse receio tende a diminuir com a familiarização das pessoas com a Internet. 4. IDENTIDADE COM O INTERNAUTA: O internauta padrão tem boa formação, lê mais do que a média da população, tem mais familiaridade com a tecnologia e tem computador em casa, portanto, utiliza hardware e software. Produtos que possuem afinidades com o perfil do Internauta tem mais chance na rede. No capítulo 4 vamos voltar a esse assunto. Ao pensar em seu produto, verifique se ele possui um ou mais desses atributos. Se possuir, isso é um indicador positivo, mas caso contrário, não significa necessariamente que o produto seja inviável. Utilize o checklist que veremos a seguir, para conhecer melhor as características de seu produto. É - 15 -
  16. 16. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ importante ressaltar que o Comércio Eletrônico é uma atividade muito recente, em mutação, e que não existem certezas absolutas sobre ela. Há alguns anos atrás, eu dizia aos meus alunos que a comercialização de produtos como roupas encontrariam dificuldades na Internet por ter problemas com “sizing” - numeração não padronizada - o que dificulta a compra sem a prova, além de problemas com a necessidade de o consumidor verificar a textura e tonalidade, entre outras características. Nada como um dia atrás do outro, pois não é que nos Estados Unidos, esse item aparece hoje como número um em vendas. Também no Brasil vem subindo na tabela e já vende mais do que itens mais conhecidos como flores, alimentos e bebidas. Quer mais um exemplo de como as coisas são dinâmicas na Internet? Eu também dizia que um item de alto valor como automóvel teria dificuldades na venda on-line. Hoje, 80% dos automóveis do modelo Celta, para citar apenas um exemplo, são vendidos pela Internet. É claro que a transação não é totalmente pela Internet e existem outros fatores extra-mercado estimulando a venda on-line desse produto, porém, o fato concreto é que se vendem muitos carros pela Internet e nós vivemos no Brasil onde a lógica nem sempre é a do mercado. A moral dessa estória é que em relação a negócios por meio da Internet, não se deve ter conceitos rígidos mas sim, manter a mente aberta pois muita coisa interessante ainda vai acontecer e, como costumávamos dizer em nosso tempo de estudante, “apenas estamos começando la fiesta”. Agora, vamos seguir em frente e, a partir da próxima página, ajudá-lo a conhecer melhor as características de seu produto, fazendo um “checklist” das variáveis mais importantes no que se refere a vendas por meio da Internet. - 16 -
  17. 17. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ Checklist: SETE QUESTÕES FUNDAMENTAIS SOBRE SEU PRODUTO 1. Que necessidade seu produto vai atender? Já falamos sobre isso lá atrás. Qualquer produto que pretenda o sucesso deve atender a alguma necessidade de seu público. Ninguém compra uma roupa nova porque não sabia o que fazer com o dinheiro. Compra porque além de vesti-lo bem, essa roupa lhe dá a sensação de estar mais bonito. Existem aqui duas necessidades: a mais óbvia é a de proteção e de bem-estar que a roupa oferece e a mais sutil é a de se sentir mais bonito, vestindo-se com ela. Tente pensar a que tipo de necessidades seu produto atende. Se é de segurança, de lazer, de mais qualificação profissional, uma necessidade técnica, ou outras. Coloque isso tudo no papel, pois lhe será extremamente útil na montagem de sua estratégia de marketing e tenha sempre em mente que se você não souber com clareza que benefícios podem advir da compra de seu produto, vai ter dificuldades em convencer o visitante de seu site a comprá-lo. 2. Seu produto tem um bom padrão de qualidade? Pode-se pensar na palavra qualidade como “ausência de defeitos ou imperfeições” mas é importante saber que quem faz esse julgamento é o consumidor. Se ele estiver satisfeito com o desempenho de seu produto em relação ao preço pago, você está atendendo a expectativa dele em termos de qualidade. Até recentemente no Brasil, qualquer produto que oferecesse um bom padrão de qualidade podia se destacar em relação à concorrência. Com a abertura comercial ocorrida na década de 90 e a entrada de competidores internacionais de peso em praticamente todas as áreas do mercado, a questão da qualidade deixou de ser um diferencial para ser uma necessidade. Hoje, ou você oferece um produto dentro de um padrão aceitável de qualidade ou está fora do mercado, inevitavelmente. Além da competição acirrada, os - 17 -
  18. 18. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ consumidores estão mais exigentes e conscientes da existência de leis estabelecendo e garantindo seus direitos. No caso da Internet isso é mais verdadeiro ainda, porque o consumidor on-line é mais esclarecido e ainda mais exigente que o consumidor tradicional. Portanto, se você pensou em vender gato por lebre utilizando a Internet, é bom mudar de canal. As chances de se estabelecer no mercado e construir uma marca vendendo produtos ruins são nulas. Por outro lado, se você trabalhou duro para colocar na vitrine de sua loja virtual um produto que atenda e até supere as expectativas de seus clientes, você deu um enorme passo rumo ao sucesso na Internet. Você vai ter publicidade positiva gratuita dos compradores de seu produto, vai poder usar estratégias comerciais de sucesso na Internet, como entregar amostras do produto gratuitamente2, usar testemunhos de clientes satisfeitos em seu site, e, principalmente não terá que se justificar ou pedir desculpas para clientes zangados, porque eles não existirão. Terá, enfim, sua vida de empreendedor enormemente facilitada. 3. A Internet oferece vantagens como canal de comercialização para o produto? Antigamente só havia uma forma de comprar alguma coisa: deslocar-se até a loja mais próxima. Hoje, existem inúmeros canais de comercialização. A vendedora da Natura que vem até sua porta, a operadora de telemarketing que liga oferecendo um seguro saúde, a mala-direta que traz um boleto para assinatura de uma revista, a TV que mostra o produto durante três minutos até você ligar e comprar, e o mais novo canal: a Internet. Alguns produtos se prestam para vendas em qualquer um desses canais, como é o caso do livro, por exemplo, outros por motivos diversos têm maior sucesso em canais específicos, como é o caso da venda de ingressos e passagens aéreas, que nos Estados Unidos em mais de 80% dos casos é realizado pela Internet. A tradicional pizza nossa de cada dia, por sua vez, é comercializada no 2 Utilizado com muito sucesso na venda de software. O cliente baixa um produto e o experimenta temporariamente. Se gostar , pode pagar a licença em definitivo. - 18 -
  19. 19. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ restaurante e se adaptou maravilhosamente à venda pelo telefone. Isso ocorre por fatores diversos desde as características intrínsecas do produto, como tamanho, facilidade de transporte, custo, até as necessidades do próprio consumidor. O que você tem que pensar é se o seu produto tem características que indicam uma maior proximidade com o canal Internet ou não. Em princípio produtos que se adaptaram bem ao sistema de “delivery” tem bom potencial de aceitação na Internet, mas isso não é regra geral, como mostra o caso da pizza, que pelo menos nos modelos utilizados até agora, não tem decolado na Internet. É importante observar o mercado e levantar os principais canais comumente utilizados na comercialização do produto que você tem em mente, além de avaliar as vantagens e desvantagens da Internet em relação a esses canais, porque, na verdade, a competição que você vai enfrentar não será apenas na Rede. Alguém, que compre um produto igual ao seu na banca de jornal, por exemplo, estará deixando de comprar de você. 4. Os seus custos de armazenagem e distribuição são aceitáveis? Há pouco tempo atrás, a empresa “Pãodeló.com”, um grande varejista do Brasil, enxugou quase que totalmente as atividades de seu site de e-commerce depois de investir centenas de milhões de dólares no projeto. O principal problema encontrado foi equacionar o custo com a complexa logística de colocar na mão do cliente, muitas vezes com hora marcada, produtos diversos como eletrodomésticos, materiais delicados como ovos e vidros, ou altamente perecíveis como alface e sorvete. A lição que a “pãodeló.com” nos transmite é que na Internet é mais fácil vender do que entregar. Na prática qualquer coisa pode ser entregue, desde um chocolate até uma turbina de hidroelétrica de 100 toneladas, a questão é se a relação custo da entrega / valor do produto é aceitável. Geralmente os problemas ocorrem com produtos de baixo valor de venda associados a volume ou peso expressivo. Lembre-se que dificilmente você vai conseguir colocar em seu produto um preço maior do que o praticado em outros canais, portanto, os custos de frete e armazenagem, - 19 -
  20. 20. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ necessariamente, terão que se acomodar dentro do preço de venda praticado pelo mercado. Se o seu produto apresenta problemas nessa área, uma eventual alternativa seria limitar geograficamente o seu mercado-alvo, desde que isso não comprometa a viabilidade do negócio, ou tentar reduzir outros custos para compensar, mas fora isso não há muito o que fazer. Por isso é fundamental analisar cuidadosamente o seu produto sob esse prisma. Note que cada produto, com suas particularidades, tem uma margem aceitável estabelecida pelo mercado. Livros, por exemplo, aceitam taxas de entrega entre 10% e 15% de seu preço de capa. Mas é importante ressaltar que boa parte das livrarias vende mais barato na Internet para compensar o valor adicional representado pelo frete que é pago pelo consumidor. 5. Você já tem fornecedores confiáveis e exclusivos? A empresa “Braziliangift.com” estava tendo um enorme sucesso com a venda de seus produtos de artesanato regional, principalmente com algumas peças de barcos feitos de madeira entalhada que tinham grande demanda no exterior. Até que um dia, sem prévio aviso, o único fornecedor desse produto resolveu se dedicar apenas à pesca e, sem prévio aviso, interrompeu o fornecimento para a Braziliangift, que ironicamente “ficou a ver navios” com grandes prejuízos financeiros e de reputação com seus clientes. Se você depende de terceiros para o fornecimento de seu produto ou mesmo de matérias-primas que utiliza em sua produção, verifique com muita atenção a qualidade e a quantidade de fornecedores, bem como o custo, a confiabilidade e o acesso a eles, pois qualquer problema no fornecimento vai produzir conseqüências negativas em seu comércio virtual e não se esqueça de colocar isso no papel, pois você vai usar essas informações em seu plano de negócios. Uma vez exposto o produto em sua loja e realizado o pedido, este precisa ser honrado em qualquer circunstância, portanto, dentro do possível, procure manter sob seu controle essas variáveis escolhendo fornecedores que atendam aos requisitos acima e, de preferência, tenha mais de um fornecedor para cada produto. - 20 -
  21. 21. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ 6. O Produto demanda grande esforço no atendimento pós- venda? A empresa “Exportasoft.com” desenvolveu um bom software de gerenciamento na área de exportação e que tinha como estimulador das vendas o baixo custo de seu produto. Com o aumento da base instalada, a empresa logo detectou um sério problema. Seus sócios, ambos desenvolvedores, estavam gastando mais tempo atualizando os programas para fazer frente às constantes modificações na área do que gerenciando empresa ou desenvolvendo novos produtos. E o pior é que não estavam sendo remunerados por isso. As soluções encontradas foram as seguintes: 1) criar módulos de atualização no software de forma que o próprio usuário pudesse modificar as variáveis mais simples; 2) mudar a forma de comercialização do produto, ao invés de vender o software eles passaram a alugar (sistema ASP) de forma que o cliente pagava uma quantia mensal e tinha o programa sempre atualizado, hospedado no servidor da empresa; 3) para os clientes atuais que não quisessem migrar para o novo modelo, a Exportasoft.com faria o atendimento local, porém cobraria pelas horas de serviço. A Exportasoft foi ágil na mudança e aproveitou uma dificuldade para mudar o seu modelo de negócio, mas se insistisse no modelo original fatalmente inviabilizaria seu projeto. O fato é que alguns produtos, como é o caso de software, não abandonam seus criadores após a venda, demandando atenção e esforço contínuo da empresa. Se este for o caso de seu produto, isso não é necessariamente ruim, porém você deve levar em conta que o atendimento demandado deve ser computado no preço estabelecido para o produto. Note que não estamos tratando de falhas no funcionamento, mas sim da manutenção da utilidade plena do produto. - 21 -
  22. 22. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ 7. A margem de lucro é interessante? Salvo engano de minha parte, você não está implantando um projeto assistencialista, mas sim, um empreendimento que deve ser lucrativo, não é mesmo? Quando se trata de margem de lucro, temos duas variáveis a serem trabalhadas: o preço cobrado pela concorrência, que você pode imaginar como sendo o seu limite superior para fixação de preços; e o custo da mercadoria vendida, que é o seu limite inferior. Na montagem do plano de negócios, procure verificar com precisão quais são esses dois limites no caso de seu produto. O que ocorre na prática, é que para alguns produtos, a distância entre esse limites é muito estreita, de tal forma que para viabilizar o negócio se faz necessário um grande volume de comercialização, que nem sempre é possível. Essa questão da pequena margem de lucro na comercialização merece muita atenção por parte do empreendedor, pois tende a ser uma característica permanente na Internet. Isso ocorre por que é muito fácil comparar preços na Rede. Basta inserir o nome do produto em alguma ferramenta de busca e você tem instantaneamente os preços praticados por todos no mercado3. Daí, para escolher o concorrente que oferece o menor preço, a distância é um clique do mouse. Logicamente, esse problema é mais agudo no caso de produtos que podem ser facilmente comparáveis como um livro ou eletrodoméstico de determinada marca. Outros produtos exigem uma análise comparativa mais pormenorizada em que o critério preço não é o único nem o mais importante. São produtos que possuem atributos diferenciadores como um serviço prestado por um profissional reconhecidamente competente em sua área, cujo conhecimento poderia justificar um preço mais alto. De qualquer forma, na medida em que o consumidor on-line tem mais acesso à informação, ele ganha mais poder de escolha e, sem dúvida, vai usar cada vez mais esse poder, principalmente porque a quantidade de fornecedores tende a aumentar. A estratégia recomendada ao empreendedor é o controle de custos e a manutenção de preços competitivos em relação ao mercado. 3 Exemplos de sites que oferecem esse serviço: www.buscape.com.br ; www.jacotei.com.br - 22 -
  23. 23. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ AVALIANDO O MERCADO Por melhor que seja seu produto, ele só vai ser bem sucedido se houver pessoas que tenham interesse e condições de adquiri-lo. A compra vai se efetivar na medida em seu produto atenda a uma necessidade, conforme já discutido, e o consumidor possua as condições necessárias para adquiri-lo: acesso à Internet para tomar conhecimento da existência do produto e realizar a transação, acesso a local onde o produto possa ser entregue, uma vez que muitas empresas não entregam em todos os locais e, finalmente, renda suficiente para pagar o preço estabelecido. A estratégia recomendada para o pequeno empreendedor é a busca por nichos de mercado, segmentos que por alguma razão não foram totalmente explorados e nos quais você pode se firmar como líder. Vamos ver, a seguir, algumas importantes questões que você deve considerar ao avaliar o mercado potencial para seu produto e ao empreender a busca por esses nichos. Quem é o seu cliente alvo. Ele está na Internet? Se você vai vender pela Internet, o seu mercado tem que, necessariamente, ser filtrado com base no acesso à rede. Na prática, isso significa que atualmente o seu mercado é composto por, no máximo, 17 milhões de pessoas, ou cerca de 10% da população brasileira. E espero que você não considere que 17 milhões de pessoas sejam poucos clientes para seu produto, pois esses 10% são detentores de bem mais do que a metade da renda disponível para consumo no país. Eles compõem a elite dos consumidores e estão no topo da pirâmide social em termos de renda. Têm excelente formação, 55% tem no mínimo o curso superior completo, e, conforme já adiantamos na parte de qualidade de produto, eles são conscientes de seus direitos de consumidor, exigentes e críticos4. 4 Você vai encontrar mais dados sobre o consumidor on-line em: http://www.e-commerce.org.br/STATS.htm - E - 23 -
  24. 24. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ Levando em consideração o que você já conhece do consumidor on-line, o que você precisa levantar é se o consumidor típico de seu produto tem acesso à Internet. Existem duas formas de fazer isso: por meio de pesquisas ou reportagens já realizadas sobre seu produto que você pode buscar na própria Internet, ou através do nível de renda desse consumidor. Por exemplo, consumidores com níveis de renda abaixo de cinco salários mínimos, cerca de R$ 1.200,00, dificilmente se tornarão seus clientes, pelo menos no horizonte próximo. Obviamente, antes de qualquer coisa, você precisa saber quem é o seu consumidor típico. Se você já tem um negócio e está migrando para a Internet, isso se torna muito mais fácil, basta analisar o perfil de seus compradores, mas caso esteja na fase de planejamento, é necessário que realize algumas pesquisas para levantar quem é afinal o seu público alvo. Lembrando que, normalmente, todo negócio tem mais de um perfil de consumidor, constituindo assim diferentes segmentos de mercado a serem ser explorados. Qual é o tamanho do mercado. Existem nichos que podem ser explorados? A empresa “Cremedelacreme.com” desde o desenvolvimento de seu plano de negócio, sempre buscou um nicho de mercado composto por consumidores de alto poder aquisitivo e, por esse motivo, decidiu atuar no segmento esportivo de golfe. A idéia era iniciar com um site de conteúdo sobre o esporte disponibilizando notícias, informações úteis ao praticante, dicas e orientação em geral e, após um período de 6 meses, abrir a loja virtual. O que ocorre na prática é que, a despeito de, uma boa estratégia de web-marketing, com bom posicionamento nos principais mecanismos de busca e um investimento expressivo em banners em sites selecionados, ficou claro para a empresa que o nicho de mercado escolhido era ainda pequeno na ocasião. Em outras palavras, mesmo sendo evidente que o adepto desse esporte de elite, tinha acesso Internet, a quantidade de visitantes indicou que o tamanho do mercado não justificaria a montagem da loja naquele momento. A opção escolhida pela - 24 -
  25. 25. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ empresa foi mudar de segmento e atuar em outro esporte mais popular. O exemplo mostra a importância de se quantificar o mercado. Mesmo considerando-se que nichos de mercado podem ser lucrativos e ao mesmo tempo pequenos, existe um limite em termos de visitação, abaixo do qual, se torna arriscado insistir. Veja abaixo como estimar o potencial de um determinado segmento. • Faça uma estimativa da receita mensal necessária para viabilizar o seu empreendimento. (R) • Divida esse valor pelo preço médio dos produtos oferecidos para saber a quantidade de compras necessárias. (R / PM) • Multiplique esse valor por 100 para saber a quantidade de visitantes que o seu site vai precisar todo mês. (R / PM) x 100 • Se você conseguir trazer essa quantidade de visitantes, mantendo o custo para promoção dentro do previsto, então as contas fecham. Caso contrário é melhor repensar as bases do projeto. A quantidade de competidores é aceitável? A empresa “Loka-it.com” não queria ter problemas com pequenos mercados, por esse motivo, ainda na fase de planejamento procurava um segmento que comprovadamente apresentasse forte demanda. E a escolha recaiu sobre web-hosting - serviço de hospedagem de sites. Afinal de contas se diariamente cerca de 900 novos domínios são registrados no Brasil5 e parte expressiva desses domínios em algum momento vai se transformar em site, é natural que haja uma boa demanda pela hospedagem de sites e domínios temporários. E realmente existe uma grande demanda, porém na continuidade da elaboração de seu plano de negócios, a Loka-it descobriu que também existia, 5 Estatísticas sobre registro de domínios no Brasil você encontra em: www.registro.br - 25 -
  26. 26. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ como contrapartida, uma grande oferta de serviços nesse segmento. Centenas de provedores, alguns gratuitos, disputam o mercado forçando os preços cada vez mais para baixo e eliminando concorrentes que não possuem escala. E o que é pior, no caso de web-hosting, existem grandes concorrentes como UOL, Terra, IG, e diversos outros peso-pesados com grande capital disponível para bancar o jogo. Felizmente a Loka-it detectou o problema durante a elaboração de seu plano de negócio e pode mudar de rumo sem grandes prejuízos, mas o exemplo da empresa mostra claramente que, além de analisar a demanda pelo produto, é necessário também analisar o lado da oferta. Fazer um levantamento da quantidade de concorrentes e do perfil dos principais competidores, com os quais vai se disputar o cliente. Na Seção “Garimpando informações na Internet” você vai aprender como fazer uma rápida pesquisa, utilizando a própria Rede. Existem restrições legais que dificultam a comercialização? Muitas vezes alguns segmentos parecem extremamente interessantes, mas uma análise atenta pode mostrar dificuldades operacionais para a atuação da empresa. Por exemplo, o segmento de jogos on-line é muito promissor, mas esbarra em legislação extremamente rígida no Brasil. A venda de medicamentos on-line é muito promissora tendo em vista a facilidade proporcionada pela entrega, porém esse serviço só pode ser prestado sob responsabilidade de um farmacêutico, os medicamentos solicitados necessitam de consultas médicas, e assim por diante. Essas exigências, ás vezes, podem apenas representar um trabalho maior para se atuar dentro dos padrões legais, mas em determinadas situações, dependendo de quão restritivas elas sejam, podem até inviabilizar um negócio. Por esse motivo é fundamental, durante a elaboração de seu plano de negócios, fazer um levantamento preciso das normas sob as quais sua empresa vai operar. Essas informações podem ser obtidas nas associações, sindicatos e órgãos governamentais relacionados ao setor de atuação. - 26 -
  27. 27. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ GARIMPANDO INFORMAÇÕES NA INTERNET Uma vez que você já sabe a(s) áreas(s) que são de interesse, vale a pena fazer uma pesquisa e levantar alguns dados preliminares antes de iniciar o seu plano de negócios. Juntamente com este e-book, você estará recebendo 50 segmentos de negócios já analisados, mas você pode querer pesquisar um novo segmento ou, então, entender melhor o objetivo de cada informação levantada, portanto, é interessante saber onde buscar as informações e conhecer melhor cada um dos itens que utilizamos em nossa pesquisa. Principais fontes de pesquisa. Estas são as principais fontes, mas não as únicas. Existem muitas outras fontes interessantes de informação na Internet que você pode utilizar para buscar as informações pertinentes ao seu negócio. Lembrando que quanto mais informação se tem, maior o índice de acerto das decisões tomadas pelo empreendedor. Yahoo http://br.yahoo.com Google http://www.google.com.br/ Altavista http://br.altavista.com/ Radix http://radix.ibest.com.br/busca/Index IBGE http://www.ibge.com.br/ Arquivos da Folha de São Paulo http://www1.folha.uol.com.br/folha/arquivos/ Arquivos Jornal Estado de São Paulo http://busca.estadao.com.br/busca/ Revista Veja on-line http://busca.abril.com.br/veja/busca.jhtml Revista isto-é dinheiro http://www.terra.com.br/istoedinheiro/ Órgãos do governo federal http://www.brazil.gov.br/pg_gov.htm - 27 -
  28. 28. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ Informações pesquisadas. 1. NEGÓCIO: Titulo que explica em que consiste a atividade. 2. DESCRIÇÃO: • Setor: Classificação em termos de setor, ex: alimentação, turismo, vestuário, entre outros. A relação completa se encontra na página 31 no Índice de negócios. • Modelo de Negócio: Classificação baseada na tabela apresentada no item 2. Modelos de Negócios. • Fonte de Receitas: De onde virá a entrada de recursos que vai movimentar a empresa? Ex: Margem na venda, anúncios, comissão sobre os produtos vendidos,... entre outros. • Público alvo: Quem são as pessoas que costumam comprar o produto em questão? Idosos, jovens, homens, mulheres, médicos, universitários... O site do Ibge pode ajuda-lo nessa tarefa. • Cobertura de mercado e canais de distribuição: O alcance varia conforme as características do produto. A maioria dos produtos tende a ser comercializada em todo o território nacional, outros tem características regionais ou municipais como alimentos prontos. Outros, ainda, poderão ser comercializados internacionalmente desde que o site seja traduzido para a língua do consumidor que se pretenda atingir ou para o Inglês. 3. CONCORRÊNCIA: Ocorrências: Quantidade de vezes que a palavra-chave escolhida aparece na pesquisa. Podem ser sites, artigos, reportagens, etc... Esse número fornece uma idéia do grau de conhecimento da palavra na língua portuguesa. Sites: Quantidade de sites nos quais aparece a palavra chave. Se a palavra-chave escolhida for exatamente o produto oferecido, é uma indicação da quantidade de concorrentes, embora seja necessário se visitar as primeiras páginas de resultado para se confirmar se os sites listados se tratam efetivamente de concorrentes. Nota. A escolha da palavra-chave é muito importante. Para fazer isso, imagine que você pretende comprar o produto em questão. Que palavra você digitaria no mecanismo de busca para tentar localizar um fornecedor desse produto? Geralmente existe mais de uma palavra, mas é importante localizar a mais utilizada. Para isso faça a busca e verifique o resultado obtido. Aquela palavra que apresentar mais fornecedores no resultado é a que você deve utilizar. - 28 -
  29. 29. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ Nota2. No Yahoo usar a opção “Web” para as ocorrências e a opção “sites por assunto” para encontrar os sites. Marcar também “somente páginas em português” Relação de empresas: São 3 ou 4 empresas representativas do segmento em questão e que oferecem a venda on-line dos produtos. Utilize empresas conhecidas, caso existam, ou procure selecionar aquelas que aparecem na primeira página dos sites de buscas, uma vez que os mecanismos de busca possuem critérios de relevância para listar as páginas encontradas. Empresa Site Obs 4. ANÁLISE DO SETOR: Aqui são apresentados números sobre o mercado, caso estejam disponíveis, bem como evolução e perspectiva do setor, e outras variáveis que sejam relevantes para o empreendimento. Na própria busca por ocorrências você vai encontrar páginas com informações, além de revistas, jornais e, se possível, entrevista com algum profissional já atuando no setor. 5. ENDEREÇOS ÚTEIS: Páginas na Internet que contenham informações relevantes que possam ajudar no conhecimento do setor, no processo de implantação do negócio ou no gerenciamento. Podem ser artigos sobre o produto ou mercado, associações de classe relacionada ao setor, trabalhos publicados, sites de conteúdo ou livros sobre o assunto. Página O que contém - * - - 29 -
  30. 30. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ SÉRIE ABC do E-COMMERCE 50 Idéias de Negócios na Internet Todos os direitos legais Dailton Felipini ABCcommerce dailton@abc-commerce.com.br www.abc-commerce.com.br Revisão Proibida a cópia ou distribuição não textopro@e-commerce.org.br autorizada
  31. 31. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ ÍNDICE Para ir diretamente à página escolhida, basta clicar sobre o nome do segmento. Para retornar a este índice, use a seta de navegação do Acrobat no menu superior. SETOR NEGÓCIO MODELO Página 1 Alimentos Alimentos congelados Comercio 33 2 Alimentos Venda de doces no atacado Comércio-B2B 34 3 Alimentos Guia de restaurantes delivery Publicidade 35 4 Alimentos Venda de alimentos para o exterior Comércio 36 5 Alimentos Venda de cesta presente Comércio 37 6 Alimentos Produtos dietéticos Comércio 38 7 Artesanato Produtos de Artesanato Comércio 39 8 Artigos religiosos Venda de artigos religiosos Comercio 40 9 Bebidas Venda de vinhos finos Comércio 41 10 Bebidas Venda de cachaça Comércio 42 11 Beleza Venda de perfumes Comércio 43 12 Beleza Produtos para calvície Comércio 44 13 Brinquedos Brinquedos educativos Comércio 45 14 Brinquedos Hobby-modelismo Comércio 46 15 Entretenimento Venda de DVDs Comércio 47 16 Entretenimento Comunidade de colecionadores Publicidade 48 17 Eventos Venda de ingressos para eventos Corretagem 49 18 Eróticos Sex-shop Comércio 50 19 Farmacêutico Farmácia on line Comércio 51 20 Farmacêutico Vitaminas e suplementos alimentares Comércio 52 21 Fotografia Fotografia Digital Serviços 53 22 Imobiliário Imobiliária Rural. Corretagem 54 23 Informática Locação de software - ASP Serviços 55 24 Informática Desenvolvimento de games Comércio - digital 56 25 Informática Venda de computadores e acessórios Comercio 57 31
  32. 32. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ Modelo de Página SETOR NEGÓCIO negócio 26 Internet E-mail Marketing - opt-in Comércio - B2B 58 27 Internet eMarketplace especializado Corretagem - B2B 59 28 Internet Revenda de Hospedagem de sites Corretagem - B2B 60 29 Internet Cartões on-line – e-Cards Comércio 61 30 Línguas Revisão de textos Serviços 62 31 Línguas Tradução de textos Serviços 63 32 Livros Sebos Comercio 64 33 Livros e-Books Comércio - digital 65 34 Livros Livraria temática Comércio 66 35 Musica Venda de CDs personalizados Comércio - digital 67 36 Musica Venda de instrumentos musicais Comércio 68 37 Seguros Corretora de seguros Serviços 69 38 Tabaco Venda de charutos Comércio 70 39 Transporte Serviço de entrega especializada Serviços 71 40 Treinamento Soluções de e-learning para empresas Serviços-B2B 72 41 Treinamento Cursos abertos - e-learning Serviços-B2C 73 42 Turismo Turismo especializado Corretagem 74 43 Turismo Agência de turismo ecológico Corretagem 75 44 Turismo Turismo para melhor idade Corretagem 76 45 Turismo Pacotes de pesca esportiva Corretagem 77 46 Turismo Site de conteúdo - camping Publicidade 78 47 Vestuário Loja de roupas bebês e infantil Comércio 79 48 Vestuário Roupas e acessórios para surfistas Comércio 80 49 Vestuário Camisetas de times de futebol Comércio 81 50 Vestuário Venda de bijuterias Comércio 82 32
  33. 33. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ NEGÓCIO: VENDA DE ALIMENTOS CONGELADOS DESCRIÇÃO: • Setor: Alimentos. • Modelo de Negócio: Comércio – B2C. • Fonte de Receitas: Margem na produção e comercialização. • Público-alvo: Pessoas solteiras, profissionais sem tempo para cozinhar. • Cobertura de mercado e canais de distribuição: Cobertura regional devido às características perecíveis do produto. Entrega através de frota própria ou terceirizada de motoboys. CONCORRÊNCIA: 2.104 ocorrências e 6 sites para “Venda alimentos congelados“. Empresa Site Obs ALECRIM http://www.alecrimcongelados.com.br/ Alimentos naturais congelados. R J TRIVIAL http://www.trivial.com.br/trivial.htm Regiões selecionadas – São Paulo BOCADINHO http://www.bocadinho.com.br/empresa.shtml Loja Mista – São Paulo ANÁLISE DO SETOR: Apesar de ter sofrido uma queda nas vendas em 2001, devido ao racionamento de energia, o setor retomou o crescimento. A quantidade de pessoas que moram sozinhas ou não tem tempo e interesse para cozinhar continua aumentando, o que expande esse mercado. A concorrência também é acentuada nesse setor, principalmente com a entrada firme de grandes empresas como Sadia, Perdigão e outras. A vantagem das pequenas empresas é o oferecimento de produtos sem conservantes, portanto mais saudáveis, além de atuar com menor cobertura geográfica, sem necessidade de grande infra-estrutura. Especialização em produtos como: dietéticos, light, comidas regionais, entre outros é uma boa estratégia de diferenciação. ENDEREÇOS ÚTEIS: Página O que contém http://www.estado.com.br/suplementos/pain/2000/11/21/pain007.html Art. micro e pequenas empresas http://www.congeladosdasonia.com.br/noticias/gazeta.asp Art. mercado de congelados http://www.appm.pt/produtos014.html Art. Congelados convenientes - PT http://www.livrariacultura.com.br/scripts/cultura/resenha/resenha.asp?nite Livro: MANUAL DA COZINHA m=387189&sid=0185652265917653228979360&k5=3B7BE80B&uid= CONGELADA 33
  34. 34. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ NEGÓCIO: VENDA DE DOCES NO ATACADO DESCRIÇÃO: • Setor: Alimentos • Modelo de Negócio: Comércio - B2B • Fonte de Receitas: Margem na comercialização • Público-alvo: Padarias, Lanchonetes, Bares e restaurantes e Bufês • Cobertura de mercado e canais de distribuição: Nacional com concentração de esforços em um único centro urbano de grande porte, visando menor custo de distribuição. CONCORRÊNCIA. 2.358 ocorrências e 15 sites cadastrados para “doces + atacado”. Empresa Site Obs Bolos e Cia http://www.bolosecia.com.br/ Fabricante e distribuidor Leon doces http://www.superlojas.com.br/ljcategoria.cfm?login=LeonDo Doces artesanais e salgados ces&codigocategoria=5924 Docebal http://www.docebal.hpg.ig.com.br Fabricante. Não vende on-line ANÁLISE DO SETOR: No ano de 2002 foram comercializados R$ 4,15 bilhões no varejo e foram exportados mais de R$ 480 milhões pelo setor. A produção de doces e balas aumentou 31% na última década, com elevação expressiva da exportação. Trata-se de um setor já amadurecido e que pode ser um nicho interessante com o uso da Internet para alcançar novos mercados, inclusive internacionais. ENDEREÇOS ÚTEIS: Página O que contém http://www.abicab.org.br/index_home.htm ABICAB – Associação http://www.mariachocolate.com.br/novo/index.php Escola de culinária http://br.news.yahoo.com/030919/13/eemp.html Feira de doces / exportação http://br.news.yahoo.com/030903/13/dtyq.html Doces com frutos da Amazônia http://www.livrariacultura.com.br/scripts/cultura/resenha/resenha.asp?ni LIVRO: DOCES FÁCEIS PARA tem=3051975&sid=0185652265917653228979360&k5=8C6DD01&uid= TODAS AS OCASIÕES 34
  35. 35. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ NEGÓCIO: GUIA FAST-FOOD DESCRIÇÃO: • Setor: Alimentos. • Modelo de Negócio: Publicidade. • Fonte de Receitas: Anúncios no guia, nas diversas categorias de alimentos. • Público-alvo: Profissionais que trabalham fora de casa, principalmente nos grandes centros. Também famílias e pessoas que moram sozinhas. • Cobertura de mercado e canais de distribuição: Regional. Pela característica do produto, atuar em bairros específicos nos grandes centros, ou em cidades de médio e grande porte. A entrega é realizada pelo fornecedor anunciante. CONCORRÊNCIA: 947 ocorrências e 7 sites para “delivery fast-food” Empresa Site Obs DELIVERY http://www.deliverytotal.com.br/saopaulo/i Site especializado em delivery TOTAL ndex.asp Guia Aonde http://aol.guiaonde.com.br/default.asp Guia geral sobre SP. Tem seção muito boa sobre restaurantes delivery Delivery Vila http://www.bairrovilaolimpia.com.br/HTMR Site de divulgação regional – bairro Vila Olimpia ESTAURANTES/DELIVERYECIA.htm Olímpia – S.Paulo ANÁLISE DO SETOR: O setor de fast-food tem crescido muito nos últimos anos. As lanchonetes no Brasil têm um faturamento maior do que de bares e pouco menor que o das padarias. Segundo estimativas da ABIA, o segmento de fast food fatura R$ 2,7 bilhões por ano no País e 20% do consumo de alimentos é realizado fora de casa. Mudanças comportamentais da sociedade como o fato da mulher também trabalhar e a falta de tempo em geral contribuem para uma busca por alimentação rápida e pratica, como é o caso do delivery. Assim como a oferta, a variedade de alimentos também vem crescendo. Um site especializado no assunto pode ser uma ferramenta muito útil para o consumidor. ENDEREÇOS ÚTEIS: Página O que contém http://www.abia.org.br/vst/vst.htm ABIA – Associação Brasileira das Industrias de Alimentos. http://www.livrariacultura.com.br/scripts/cultura/resenha/resenha.asp?ni LIVRO: FAST FOOD NATION tem=599218&sid=0185652265917653228979360&k5=27853FBD&uid= http://hist.jcom.com.br//031003/especial/aniversario175/site_175/alimen Art. Das confeitarias ao fast food tacao.htm 35
  36. 36. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ NEGÓCIO: VENDA DE ALIMENTOS PARA O EXTERIOR DESCRIÇÃO: • Setor: Alimentos. • Modelo de Negócio: Comerciante B2C. • Fonte de Receitas: Margem na venda de produtos. • Público-alvo: Brasileiros residentes no exterior e estrangeiros simpatizantes. • Cobertura de mercado e canais de distribuição: Internacional, entrega através dos correios ou empresas especializadas. CONCORRÊNCIA: Apenas 3 ocorrências com o modelo de negócio proposto Empresa Site Obs BRAZIL- http://www.brazilbrasileiro.cjb.net Loja mista. Com instalações físicas BRASILEIRO nos USA e loja virtual. PORTAL http://www.portaldekassegui.com/ Exemplo de site com informações DEKASSEGUI sobre residentes no Japão. SENDEXNET.COM http://www.sendexnet.com/new/empresa.php Loja virtual. Região noroeste USA ANÁLISE DO SETOR: Atualmente existem cerca de 1,5 milhão de brasileiros residindo no exterior e que são responsáveis pela remessa anual de US$ 2 bilhões ao país. Se considerarmos também os estrangeiros que conhecem o Brasil e a sua comida típica temos um grande mercado a ser explorado. A Internet possibilita um acesso visual e a compra de uma vasta gama de produtos alimentícios. É importante a escolha correta dos produtos tendo em vista questões legais, o valor do produto em relação ao volume e a perecividade dos alimentos. ENDEREÇOS ÚTEIS: Página O que contém http://www.abia.org.br/vst/vst.htm Associação – Ind. Alimentos. http://www.mre.gov.br/ Governo - Relações Exteriores http://www.ibest.estadao.com.br/economia/noticias/2001/out/17/115.htm Artigo – exportação Europa http://www.terra.com.br/noticias/especial/migracao/noticias/06.htm Artigo – consulados http://ibest1.estadao.com.br/agestado/noticias/2003/jan/31/195.htm Artigo – residentes no exterior http://www.livrariacultura.com.br/scripts/cultura/resenha/resenha.asp?nitem= Livro: EXPORTAÇÃO – Dicas 159585&sid=0185652265917653228979360&k5=1807B1CC&uid= para uma opção inteligente 36
  37. 37. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ NEGÓCIO: CESTAS PRESENTE DESCRIÇÃO: • Setor: Alimentos. • Modelo de Negócio: Comércio – B2C. • Fonte de Receitas: Margem na produção e comercialização das cestas. • Público-alvo: Adultos com poder aquisitivo elevado. • Cobertura de mercado e canais de distribuição: Cobertura regional, em grandes centros urbanos devido às características de perecividade dos produtos. CONCORRÊNCIA: 18.588 sites encontrados para “cesta presente” Empresa Site Obs VENICE http://www.venice.com.br/ Loja virtual especializada ABIGAIL http://www.abigailcestas.com.br/ Loja virtual especializada CESTA SURPRESA http://www.cestasurpresa.com.br Loja Mista WEB CESTAS http://www.viab2c.com.br/classic Loja Rio Janeiro e outros estados CESTA @ CIA http://www.cestasecia.com.br Loja Mista ANÁLISE DO SETOR: O produto é dirigido ao público de alta renda encontrado na Internet. O hábito de oferecer cestas de presente é mais comum no Brasil em datas comemorativas como o Natal, dia dos namorados, da secretária e das mães. Um trabalho de comunicação e relacionamento consistente, realizado com baixo custo através da Internet, e também em outras mídias impressas, pode estimular a realização de compras também no dia-a-dia. Uma estratégia interessante seria a parceria com floriculturas na Internet para ampliar o alcance do marketing. ENDEREÇOS ÚTEIS: Página O que contém http://www.melhorainda.com.br/cestas.htm Fornecedor - software http://www.momentoscestas.com.br/empres.htm Site e artigo - nossa primeira cesta http://www.cestamania.com.br/ Site e artigo - datas para presentear com cestas 37
  38. 38. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ NEGÓCIO: PRODUTOS DIETÉTICOS DESCRIÇÃO: • Setor: Alimentos. • Modelo de Negócio: Comércio - B2C. • Fonte de Receitas: Margem na comercialização. • Público-alvo: Diabéticos e pessoas obesas ou preocupadas com a forma física e saúde. • Cobertura de mercado e canais de distribuição: Cobertura regional ou nacional. CONCORRÊNCIA: 17.981 ocorrências e 75 sites para palavra-chave “dietéticos” Empresa Site Obs NUTRA DIET http://www.mercadobr.com.br/loja.php?loja Loja Virtual especializada =66048349000101 SUBSTANCIA http://www.substancia.com.br/lv.asp Loja Mista – alimentos dietéticos DIET CENTER http://www.dietcenter.com.br/ Loja Mista - produtos dietéticos em geral DIET http://www.dietecompanhia.com.br/ Loja Mista – dietas especiais COMPANHIA ANÁLISE DO SETOR: Segundo a ABIAD o setor faturou US$ 2,5 bilhões em 2002 e cresceu mais de 870% nos últimos 10 anos, apresentando, ainda, um grande espaço para crescimento. Metade dos consumidores brasileiros tem produtos diet/light em casa, segundo a AC-NIELSEN. Como a maior parte é composta por consumidores da classe A, existe uma grande semelhança desse público com o perfil do Internauta, criando boa oportunidade de negócio para o empreendedor na Internet. ENDEREÇOS ÚTEIS: Página O que contém http://www.abiad.com.br Ass. Ind. Alimentos Dietéticos http://empresas.globo.com/Empresasenegocios/0,,ERA611733-2933,00.html Art. Alimentos diet congelados http://www.consumidorbrasil.com.br/consumidorbrasil/textos/dicasconsumo/p Art. Diet x Light rodutosdiet.htm http://www.livrariacultura.com.br/scripts/cultura/resenha/resenha.asp?nitem= Livro: ALIMENTOS PARA FINS 66996&sid=0185652265917653228979360&k5=3A3BC4B0&uid= ESPECIAIS - DIETÉTICOS 38
  39. 39. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ NEGÓCIO: ARTESANATO DESCRIÇÃO: • Setor: Artesanato. • Modelo de Negócio: Comércio – B2C. • Fonte de Receitas: Margem na comercialização. • Público-alvo: Famílias classe média e média-alta. • Cobertura de mercado e canais de distribuição: Nacional e também internacional. CONCORRÊNCIA: 1.402 sites para palavra-chave “artesanato” Empresa Site Obs ALEGREART http://www.alegreart.com.br/loja/ Artesanato simples MAMULENGO http://www.mamulengo.cjb.net Artesanato regional RMOREIRA http://www.rmoreira.pt/portugues/inicial.htm Site português ANÁLISE DO SETOR: Segundo o IBGE, trabalhos de artesanato movimentam US$ 3 bilhões em negócios por ano. A tendência é a profissionalização do setor com a formação de cooperativas e pequenas empresas. O Sebrae também tem programas de apoio e formação de empreendedores no setor. Com bons fornecedores e a escolha adequada dos produtos, pode-se atingir o mercado nacional e internacional. Na Internet o setor ainda engatinha, com pouquíssimos sites que utilizam plenamente o canal. A exportação é o caminho natural, desde que antecedida de pesquisa de mercado. O alcance de escala de produção e comercialização também é crucial para empresas que pretendem atingir o mercado externo. ENDEREÇOS ÚTEIS: Página O que contém http://www.feitoamao.com/quemsomos.php Fornecedores e feiras http://www.artesanato.net/ Site de conteúdo http://www.portaldeartesanato.com/ Site de conteúdo http://www.agrisustentavel.com/san/pmaranhao.htm Art. Maranhão exporta http://www.sebraesp.com.br/artesanato/Index.asp Programa Artesanato – Sebrae http://www.livrariacultura.com.br/scripts/cultura/resenha/resenha.asp?nitem=3107 Livro: ARTESÃOS DO 984&sid=0185652265917653228979360&k5=3A26D56D&uid= BRASIL 39
  40. 40. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ NEGÓCIO: VENDA DE ARTIGOS RELIGIOSOS DESCRIÇÃO: • Setor: Religião. • Modelo de Negócio: Comerciante. • Fonte de Receitas: Margem na comercialização. • Público-alvo: Praticantes das religiões cristãs de classe média e alta. Como a religião atinge todas as camadas sociais, parcela expressiva dos internautas é consumidora desses produtos. • Cobertura de mercado e canais de distribuição: Distribuição nacional. Pela característica dos produtos, com tamanho e peso geralmente reduzidos, pode ser feita pelos correios. CONCORRÊNCIA: 4.969 ocorrências para “venda artigos religiosos” Empresa Site Obs ARAMON www.aramon.com.br Fabricante de produtos religiosos com venda on- line – B2B, B2C LUZ E VIDA www.luzevida.com.br EDITORA livros e CDs com loja virtual BOM PASTOR www.bompastor.com.br EDITORA livros e CDs com loja virtual BUSCA www.buscacatólica.com.br Site de busca com links para lojas virtuais católicas. CATÓLICA ANÁLISE DO SETOR: A população brasileira é fortemente religiosa com cerca de 90% professando religiões cristãs. Os últimos dados do IBGE apontam para um crescimento nas religiões evangélicas, que reúnem mais de 26 milhões de praticantes. Sem dúvida é um enorme e atrativo mercado que movimenta muito dinheiro, suficiente até para se comprar uma rede de televisão, como fez a Igreja Universal. (Record) ENDEREÇOS ÚTEIS: Página O que contém www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2000/populacao/religi Dados demográficos IBGE ao_Censo2000.pdf http://pegn.globo.com/revista/index.asp?d=/edic/ed153/neg_evangelico.h Art. O comércio da Fé tm http://www.tribunadonorte.com.br/anteriores/990816/nat1.html Art. Motivos religiosos fazem moda 40
  41. 41. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ NEGÓCIO: VINHOS FINOS DESCRIÇÃO: • Setor: Bebidas. • Modelo de Negócio: Comércio – B2C. • Fonte de Receitas: Margem na comercialização. • Público-alvo: Classe A e B • Cobertura de mercado e canais de distribuição: Regional e, eventualmente, nacional. CONCORRÊNCIA: 19.006 ocorrências para “vinho” e 54 sites encontrados para “venda de vinhos” Empresa Site Obs CASA DO VINHO http://www.casadovinho.com.br/ Loja virtual VINHO.com.br http://www.vinho.com.br/ Loja de vinhos finos e site de conteúdo WINEHOUSE http://www.winehouse.com.br/index.asp Loja PIEROTH http://www.pieroth.com.br Loja ANÁLISE DO SETOR: O consumo anual de vinhos finos no Brasil é estimado em 62 milhões de litros, - metade dos quais importado - e vem aumentando a partir da década de 90. A melhora na qualidade dos vinhos produzidos no país vem contribuindo para estimular o consumo do produto nacional. Na internet, as boas lojas já tem presença, ao menos institucional, e as vendas, embora, ainda em pequeno volume apresentam indicadores de forte crescimento em 2002 e 2003. Existe espaço no mercado para sites de conteúdo e lojas virtuais que trabalhem com qualidade de produto, preços competitivos e promoções para estimular a compra e a criação de uma comunidade virtual de apreciadores dessa bebida. ENDEREÇOS ÚTEIS: Página O que contém http://www.abs-rio.com.br/ ABS – Ass. Brasileira de Sommeliers. http://www.adegavinhos.com.br/ Site de conteúdo com informações sobre assunto http://www.academiadovinho.com.br/ Site de conteúdo com informações sobre assunto http://www.krones.com.br/Boletim/Edicao13/materia6.htm Art. Vendas de vinho pela Internet http://www.livrariacultura.com.br/scripts/cultura/resenha/resenha Livro: VINHO PARA DUMMIES .asp?nitem=302519&sid=0185652265917653228979360&k5=1 3CA4614&uid= 41
  42. 42. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ NEGÓCIO: VENDA DE CACHAÇA DESCRIÇÃO: • Setor: Bebidas. • Modelo de Negócio: Comércio – B2C. • Fonte de Receitas: Margem na comercialização. • Público-alvo: Classe A e B, apreciadores de boa bebida. • Cobertura de mercado e canais de distribuição: Nacional e internacional. CONCORRÊNCIA: 48.102 ocorrências para “cachaça” e 54 sites encontrados para “venda cachaça” Empresa Site Obs CACHAÇA.COM http://www.cachaca.com.br Um dos pioneiros na venda de cachaça on-line CARIBENHA http://www.caribena.com.br/ Não tem pagamento on-line AGUADOCE http://www.aguadoce.com.br/ Franquia – loja tradicional ANÁLISE DO SETOR: Dados do PBDAC – Programa de Desenvolvimento da Cachaça, apontam que A produção brasileira atinge cerca de 1,3 bilhão de litros anuais, gerando uma receita próxima de US$ 500 milhões ao ano. Além disso, em 2002 o Brasil exportou 14,5 milhões de litros para mais de 60 países. Com as medidas de organização do setor e proteção da marca, existe a perspectiva de grande expansão. A Internet pode ser um grande estimulador das vendas para o mercado interno e externo. ENDEREÇOS ÚTEIS: Página O que contém http://www.pbdac.com.br/ Programa Brasileiro de Desenvolvimento da Cachaça. http://busca.estadao.com.br/economia/noticias/2003/out/ Art. Decreto que define cachaça e caipirinha. 03/165.htm http://an.uol.com.br/2003/out/11/0ecc.htm Art. Cachaça de Sta Catarina sem divulgação. http://br.news.yahoo.com/031029/13/fopb.html Art. Britânicos pretendem importar cachaça. http://www.museudacachaca.com.br/principal_port.html Site informativo – Museu da Cachaça. http://www.livrariacultura.com.br/scripts/cultura/resenha/r Livro: CACHAÇA ARTESANAL esenha.asp?nitem=628507&sid=0185652265917653228 979360&k5=3AE332EF&uid= 42
  43. 43. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ NEGÓCIO: VENDA DE PERFUMES DESCRIÇÃO: • Setor: Beleza. • Modelo de Negócio: Comerciante - B2C. • Fonte de Receitas: margem na comercialização. • Público-alvo: Homens e mulheres, majoritariamente classe A e B e faixa etária de 26 a 50 anos. • Cobertura de mercado e canais de distribuição: Cobertura nacional, com possibilidades de exportação. CONCORRÊNCIA: 74 sites encontrados para “venda de perfumes” Empresa Site Obs iFRAGRANCIA http://www.ifragrancia.com/ Perfumes importados diversos. AESSENCIA http://www.aessencia.com.br/ Perfumes diversos. VIA BRASIL http://www.api.adm.br/perfumes/index.htm Pagamento contra entrega. LOJAS http://www.lojabrasil.com.br/catalogo/index.pht Loja virtual com departamento BRASIL ml?query=YVdSZlpHVndkRzg5TVRVPQ especializado em perfumes. ANÁLISE DO SETOR: O setor de perfumaria e higiene pessoal teve um crescimento de 50,9% entre 1997 e 2001, movimentando no ano de 2001 R$ 8,3 bilhões, segundo a ABIHPEC. Alguns dos fatores que contribuem para o crescimento do setor são: participação da mulher no mercado de trabalho, maior preocupação do homem em relação à apresentação pessoal e diminuição dos tributos e dos preços praticados pelo setor. Ainda segundo a ABIHPEC o Brasil é um dos maiores mercados mundiais do setor. Na Internet existem poucas lojas com o padrão de qualidade que esse produto merece. ENDEREÇOS ÚTEIS: Página O que contém http://www.abihpec.com.br ABIHPEC - Ass. Ind. de Cosméticos do Brasil. http://www.adipec.com.br/ ADIPEC - Ass. dos Distribuidores e Importadores de Perfumes e Cosméticos. http://www.bitrate.com.br/Ebit1/bitNoticias/html/01agosto14_gaz Art. Perfumes ocupam espaço na Web. etamerc.htm http://www.zaz.com.br/istoe/comport/150815.htm Art. Inventores de perfumes http://www.livrariacultura.com.br/scripts/cultura/resenha/resenha Livro: PERFUME – THE ULTIMATE GUIDE .asp?nitem=312882&sid=0185652265917653228979360&k5=2 4105102&uid= 43
  44. 44. ABC-COMMERCE: O ABC do E-COMMERCE www.abc-commerce.com.br _____________________________________________________________________________________ NEGÓCIO: VENDA DE PRODUTOS PARA CALVÍCIE DESCRIÇÃO: • Setor: Beleza. • Modelo de Negócio: Comércio B2C. • Fonte de Receitas: Margem na comercialização. • Público-alvo: Homens na faixa etária de 40 a 60 anos. • Cobertura de mercado e canais de distribuição: Cobertura Nacional. CONCORRÊNCIA: 11.674 ocorrências e 44 sites encontradas para “calvície” Empresa Site Obs CACHOS DE http://cachosdeamor.tripod.com/ Venda de perucas, cílios e apliques AMOR para mulheres. CLUBE http://www.clubedoscarecas.com.br/ Site de conteúdo sobre Calvície MICROLOOK http://www.microlook.com.br/mainfram.htm Serviços de implantes ANÁLISE DO SETOR: A calvície é um assunto que preocupa os homens e também mulheres há muito tempo. Estima-se que 96% da população masculina sofram com a calvície em maior ou menor grau. Embora não exista solução definitiva para o problema, muitos produtos e serviços já foram desenvolvidos e estão no mercado. Na Internet esse segmento está muito mal explorado, existindo pouquíssimos sites especializados no assunto. Mesmo empresas que atuam tradicionalmente no setor fazem uso muito limitado do canal Internet. Como a calvície é um assunto que pode ser constrangedor para as pessoas, o acesso às informações pertinentes através da Internet é uma excelente porta de entrada para o consumidor potencial desses produtos, Opção, muito melhor do que sentar-se em salas de espera, ao lado de outros carecas. ENDEREÇOS ÚTEIS: Página O que contém http://www.msd-brazil.com/msd43/pacientes/calvicie.htm Descrição cientifica calvície http://calvicie.cjb.net/ Descrição http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2001/011015_calvicie.shtml Artigo cura para calvície http://jc.uol.com.br/jornal/noticias/ler.php?codigo=74084&canal=24&dth= Art. Calvície é porta de entrada para câncer de pele http://www.livrariacultura.com.br/scripts/cultura/resenha/resenha.asp?nit Livro: CALVÍCIE, O QUE em=382223&sid=0185652265917653228979360&k5=8475983&uid= VOCÊ PRECISA SABER 44

×