Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Maioviski E ConsciêNcia Coletiva

2,691 views

Published on

Apresentação de imagens com trilha sonora e textos reflexivos.

Published in: Technology
  • Maravilhoso! Amei . Namastê



    Marta
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Be the first to like this

Maioviski E ConsciêNcia Coletiva

  1. 1. MENSAGEM REFLEXIVA Arte da Imagem, Arte da Música e Arte do Pensamento MAIAKOVSKI E consciência coletiva MÚSICA: Rolf Lowland - Ode to Simph TEXTOS: Maiakovski e Outros
  2. 2. <ul><li>A grandeza de um povo está na maior amplitude de sua consciência coletiva; mal de um deve repercutir em toda a comunidade em que este se insere. Infelizmente, na nossa sociedade, há carência de consciências coletivas estruturadas nos valores eternos; nela impera o individualismo e o separatismo. É a grande chaga que deteriora o organismo nacional. </li></ul><ul><li>A advertência de Mater Luther King é muito atual : </li></ul><ul><ul><ul><li>“ O que mais preocupa não é nem o grito dos violentos, dos corruptos, dos desonestos, dos sem caráter, dos sem ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons.&quot; </li></ul></ul></ul><ul><li>Maiakovski , poeta russo, &quot;suicidado&quot; após a revolução de Lênin, no início do Século XX, traduziu, em palavras alegóricas, esse nefasto sentimento, vigente naquela época e tão presente ainda na sociedade brasileira. </li></ul><ul><li>Depois de Maiakovski, outras versões surgiram, de outros pensadores, todas, porém, inspiradas na versão original do poeta russo. </li></ul><ul><li>J. Meirelles </li></ul>Admiremos as imagens e meditemos sobre os textos.
  3. 3. VERSÃO ORIGINAL DE MAIAKOVSKI
  4. 4. Na primeira noite, eles se aproximam e colhem uma flor de nosso jardim. E não dizemos nada.
  5. 5. Na segunda noite, já não se escondem, pisam as flores, matam nosso cão. E não dizemos nada.
  6. 6. Até que um dia, o mais frágil deles, entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a luz, e, conhecendo nosso medo, arranca-nos a voz da garganta.
  7. 7. E porque não dissemos nada, já não podemos dizer nada.
  8. 8. Depois de Maiakovski… 1. Bertold Brecht (1898-1956)
  9. 9. <ul><ul><ul><ul><li>Primeiro levaram os negros </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Mas não me importei com isso Eu não era negro </li></ul></ul></ul></ul>
  10. 10. <ul><ul><ul><li>Em seguida levaram alguns operários Mas não me importei com isso Eu também não era operário </li></ul></ul></ul>
  11. 11. <ul><ul><ul><ul><li>Depois prenderam os miseráveis Mas não me importei com isso Porque eu não sou miserável. </li></ul></ul></ul></ul>
  12. 12. <ul><ul><ul><ul><li>Depois agarraram uns desempregados Mas como tenho meu emprego Também não me importei </li></ul></ul></ul></ul>
  13. 13. Agora estão me levando Mas já é tarde. Como eu não me importei com ninguém Ninguém se importa comigo.
  14. 14. 2 . Martin Niemöller, 1933 - símbolo da resistência aos nazistas.
  15. 15. Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei.
  16. 16. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei .
  17. 17. No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei.
  18. 18. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar...
  19. 19. 3. Cláudio Humberto, em 09 FEV 2007
  20. 20. Primeiro eles roubaram nos sinais, mas não fui eu a vítima,
  21. 21. Depois incendiaram os ônibus, mas eu não estava neles;
  22. 22. <ul><ul><li>Depois fecharam ruas, onde não moro; </li></ul></ul>
  23. 23. Fecharam então o portão da favela, que não habito;
  24. 24. Em seguida arrastaram até a morte uma criança, que não era meu filho...
  25. 25. O maior povo do mundo, em magnanimidade, alegria e criatividade – o brasileiro, tem um espírito nacional ainda imaturo, infantil. Não se congrega para o combate à corrupção e às desigualdade sociais da maneira como o faz em torno do carnaval e do futebol. A grande missão dos nossos governantes é o de plasmar consciências coletivas, mudar a forma de ver e de sentir do povo brasileiro, criar um novo paradigma. Segundo Pietro Ubaldi evoluir é fazer expandir consciências, por unidade coletivas cada vez mais amplas, da familiar consangüínea até à familiar universal, a partir da transformação das consciências individuais. Vivemos ainda o estágio evolutivo da primeira unidade coletiva – a FAMÍLIA. Para nossos filhos, tudo, mesmo o supérfluo. Para os filhos carentes da comunidade onde vivemos é problema de Governo. A nosso ver, este o grande objetivo estratégico dos governos, fazer expandir consciências, inicialmente da familiar para a comunitária; presença do Estado nas comunidades periféricas dos centros urbanos, para organizá-la e repassar poder às lideranças naturais, é a linha político-social a ser seguida. Que Deus nos Proteja! J. Meirelles
  26. 26. <ul><li>IMAGENS: Ricardo Zerranner </li></ul><ul><li>FORMATAÇÃO ORIGINAL – recebida da internet anonimamente. </li></ul><ul><li>REFORMATAÇÃO: J. Meirelles </li></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>[email_address] </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>www.jmeirelles.wordpress.com </li></ul></ul></ul></ul></ul>

×