Successfully reported this slideshow.
SÉRIE  ARTE/REFLEXÃO Arte da Imagem, Arte da Música e Arte do Pensamento FOTOGRAFIAS  COM  ALMA 1ª  PARTE TEXTOS: CORA COR...
A POESIA VISUAL DE RARINDRA PRAKARSA
A Arte é algo divino. A verdadeira Arte transmite vida à obra. Fotografias podem ser belas mas somente se tornam Arte quan...
Não podemos acrescentar dias à nossa vida, mas podemos acrescentar vida aos nossos dias.
Todos estamos matriculados na escola da vida, onde o mestre é o tempo.  .
Eu sou aquela mulher que fez a escalada da montanha da  vida removendo pedras e plantando flores .
Não sei... se a vida é curta ou longa demais para nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o cora...
Eu sou aquela mulher a quem o tempo muito  ensinou. Ensinou a amar a vida, não desistir da luta. Recomeçar na derrota.
Nasci em tempos rudes.  Aceitei contradições, lutas e pedras como lições de vida e delas me sirvo. Aprendi a viver.
Que eu possa dignificar minha condição de mulher, aceitar suas limitações e me fazer pedra de segurança dos valores que vã...
Venho do século passado e trago comigo todas as idades do mundo. (Quando completou 95 anos ).
Sendo eu mais doméstica do que intelectual, não escre-vo jamais de forma consciente e raciocinada, e sim impelida por um i...
Vizinho é mais que parente, pois é o primeiro a saber das coisas que acontecem na vida da gente.
Não te deixes destruir...  Ajuntando novas  pedras e cons-truindo novos poemas, recria tua vida, sempre, sempre.
O saber a gente  aprende com os mestres e com  os livros. A sabedoria  se aprende é com a vida e com os humildes.
Vive dentro de mim a mulher roceira. Enxerto de terra. Trabalhadeira. Analfabeta. De pé no chão. Bem parideira. Bem criade...
Muitas vezes basta ser: colo que acolhe; braço que envolve, palavra que conforta; silêncio que respeita; alegria que conta...
Acredito nos jovens à procura de caminhos novos abrindo espaços largos  na vida. Creio na superação das incertezas deste f...
O que vale na vida não é o ponto de partida e sim a cami-nhada. Caminhando e semeando no fim terás o que colher .
Eu sou aquela mulher a quem o tempo muito ensinou. Ensinou a amar a vida, não desistir da luta.
Recomeçar na derrota. Aprendi que mais  vale lutar do que recolher dinheiro fácil. Antes acreditar do que duvidar .
IMAGENS: d esconheço o autor da formatação inicial, nesse desprendido anonimato que às vezes rola na Internet.   <ul><ul><...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Fotografias com alma(1ª parte)

1,126 views

Published on

Apresentação de imagens com fundo musical e textos reflexivos

  • Be the first to comment

Fotografias com alma(1ª parte)

  1. 1. SÉRIE ARTE/REFLEXÃO Arte da Imagem, Arte da Música e Arte do Pensamento FOTOGRAFIAS COM ALMA 1ª PARTE TEXTOS: CORA CORALINA MÚSICA: Albidoni - Adágio 2
  2. 2. A POESIA VISUAL DE RARINDRA PRAKARSA
  3. 3. A Arte é algo divino. A verdadeira Arte transmite vida à obra. Fotografias podem ser belas mas somente se tornam Arte quando sentimos nela o pulsar da vida. A máquina produz o corpo, o gênio, inspirado na sua técnica por forças divinas, dá-lhe vida. Assim acontece com RARINDRA PRAKARSA, um jovem fotógrafo Indonésio, nascido em Jakarta. Humildemente, diz ele que não se considera um fotógrafo profissional. Vejam a beleza extraordinária de sua obra fotográfica e meditem sobre o texto da iluminada semialfabetizada Cora Coralina, no embalo da obra de um gênio da música. J. Meirelles
  4. 4. Não podemos acrescentar dias à nossa vida, mas podemos acrescentar vida aos nossos dias.
  5. 5. Todos estamos matriculados na escola da vida, onde o mestre é o tempo. .
  6. 6. Eu sou aquela mulher que fez a escalada da montanha da vida removendo pedras e plantando flores .
  7. 7. Não sei... se a vida é curta ou longa demais para nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas .
  8. 8. Eu sou aquela mulher a quem o tempo muito ensinou. Ensinou a amar a vida, não desistir da luta. Recomeçar na derrota.
  9. 9. Nasci em tempos rudes. Aceitei contradições, lutas e pedras como lições de vida e delas me sirvo. Aprendi a viver.
  10. 10. Que eu possa dignificar minha condição de mulher, aceitar suas limitações e me fazer pedra de segurança dos valores que vão desmoronando.
  11. 11. Venho do século passado e trago comigo todas as idades do mundo. (Quando completou 95 anos ).
  12. 12. Sendo eu mais doméstica do que intelectual, não escre-vo jamais de forma consciente e raciocinada, e sim impelida por um impulso incontrolável.
  13. 13. Vizinho é mais que parente, pois é o primeiro a saber das coisas que acontecem na vida da gente.
  14. 14. Não te deixes destruir... Ajuntando novas pedras e cons-truindo novos poemas, recria tua vida, sempre, sempre.
  15. 15. O saber a gente aprende com os mestres e com os livros. A sabedoria se aprende é com a vida e com os humildes.
  16. 16. Vive dentro de mim a mulher roceira. Enxerto de terra. Trabalhadeira. Analfabeta. De pé no chão. Bem parideira. Bem criadeira. Seus doze filhos, seus vinte netos.
  17. 17. Muitas vezes basta ser: colo que acolhe; braço que envolve, palavra que conforta; silêncio que respeita; alegria que contagia; lágrima que corre; olhar que acaricia; desejo que sacia; amor que promove.
  18. 18. Acredito nos jovens à procura de caminhos novos abrindo espaços largos na vida. Creio na superação das incertezas deste fim de século.
  19. 19. O que vale na vida não é o ponto de partida e sim a cami-nhada. Caminhando e semeando no fim terás o que colher .
  20. 20. Eu sou aquela mulher a quem o tempo muito ensinou. Ensinou a amar a vida, não desistir da luta.
  21. 21. Recomeçar na derrota. Aprendi que mais vale lutar do que recolher dinheiro fácil. Antes acreditar do que duvidar .
  22. 22. IMAGENS: d esconheço o autor da formatação inicial, nesse desprendido anonimato que às vezes rola na Internet. <ul><ul><ul><ul><li>REFORMATAÇÃO COM NOVOS TEXTOS: J. MEIRELLES </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>[email_address] </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>www.jmeirelles.wordpress.com </li></ul></ul></ul></ul></ul>MÚSICA: Albidoni - Adágio 2 Textos: Cora Coralina

×