CapíTulo 3 SíNtese

356 views

Published on

Apresentação do Cap 3 Síntese doo livro A Lei de Deus, com fundo musical e imagens.

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

CapíTulo 3 SíNtese

  1. 1. ESTUDO DAS OBRAS DE PIETRO UBALDI Arte da Imagem, Arte da Música e Arte do Pensamento OBRA: A LEI DE DEUS CAPÍTULO 3 – O PROBLEMA DO DESTINO ELABORAÇÃO DOS TEXTOS: Grupo de Estudos de Sorocaba sob a coordenação de Ferdinando Ruzzante
  2. 2. <ul><li>Esta é uma nova forma de estudo das obras de Pietro Ubaldi - a Arte como plano de fundo para criar o imprescindível ambiente psíquico para meditação. </li></ul><ul><li>Pietro Ubaldi nos diz: </li></ul><ul><ul><li>“ A ARTE será mais legítima se cumprir a função de transpor-tar o céu para a terra. Será a oração que une a criatura ao Criador, a síntese de todas as aspirações da alma, de todas as esperanças e ideais humanos”. </li></ul></ul><ul><li>Esta nova metodologia pretende fazer a ligação do Céu (inspiração de Ubaldi) com a Terra (nós, os aprendizes), na onda dos avanços tecnológicos da comunicação globalizada – a internet. </li></ul><ul><li>Que a Providência Divina possa iluminar a todos nós, aprendizes! </li></ul><ul><li>J. Meirelles </li></ul>
  3. 3. Admire a Arte do grande pintor francês Claude Monet, nos acordes da Arte Musical de Enya, e medite sobre os textos deste capítulo! <ul><li>Capítulo3 – O POBLEMA DO DESTINO </li></ul><ul><ul><ul><li>A semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória. Como orientar a nossa vida dentro do plano geral do Universo, buscando conhecer o funcionamento da Lei. </li></ul></ul></ul>
  4. 4. É difícil a arte de saber viver. A vida é um vaso que pode-mos encher com o que quisermos. Mas, na verdade, temos enchido esse vaso com muitos erros. O que podemos, então, receber senão sofrimentos?
  5. 5. Compreende-se o esforço em se obter êxito em tudo, porém, o verdadeiro êxito na vida consiste em soluci-onar o problema do destino,
  6. 6. Um problema complexo de longo alcance, que só se pode resolver conhecendo o funcionamento das leis profundas que regem a vida e a posição perante essas leis, ou seja, o plano de cada vida dentro do plano geral do universo e de Deus.
  7. 7. A vida deveria ser para os homens a realização de um traba-lho orgânico, consciente, profundo, dirigido com lógica para objetivos que a valorizem, dando-lhe um sentido construtivo.
  8. 8. Podemos, porém, deixá-la correr de forma leviana, como aconte-ce com a maioria, perdendo tempo, cometendo erros e, com isso, semeando sofrimentos, como conseqüências inevitáveis.
  9. 9. Considerada isoladamente, o que não teria sentido, ela se apresenta como um fenômeno sem causas e sem efeitos.
  10. 10. Para compreendê-la, porém, é preciso concebê-la em função das vidas precedentes que a prepararam e das vidas futuras que a completam.
  11. 11. O presente não pode ser explicado senão como fruto do passado, das atitudes livremente adotadas, cujas conseqüências constituem agora o nosso destino.
  12. 12. Da mesma forma que o passado foi a semeadura do presente, este é a época da semeadura do futuro. Saibamos, pois, escolher a semente e a hora do plantio.
  13. 13. A semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória. Esta é Lei de Deus que ninguém pode alterar.
  14. 14. Somos livres e dependentes, ao mesmo tempo, tendo o poder de nos arruinar ou nos salvar, como quisermos, mas não pode-mos alterar a Lei, que é inexorável. Ela regula o movimento de tudo, inclusive todos os movimentos dos homens.
  15. 15. A Lei é boa, sábia, paciente e misericordiosa, mas é também justa, de uma justiça inflexível, funcionando como norma, pela inteligência de Deus, mas também como poder, pela Sua vontade.
  16. 16. Obedecer a Lei como orientação de vida é seguir a vontade de Deus. Ninguém pode negar as vantagens daí decorrentes. Não significa perder a própria vontade e tornar-se um autômato. Não.
  17. 17. Deus nos quer filhos conscientes desta condição. Essa obediência é um estado de abandono em Deus, em total e absoluta confiança, como um filho nos braços da mãe.
  18. 18. Para quem vive conforme a vontade de Deus acontece um fato incompreensível para a mentalidade do mundo: é a ajuda chegar por si mesma, sem nada pedir em troca, mas por merecimento.
  19. 19. A vida passa a ser garantida, sendo tudo providenciado de modo a não nos faltar nada. É maravilhoso e simples-mente inacreditável, como se é ajudado
  20. 20. A vontade de Deus se realiza por meio da Divina Providên-cia. Esta funciona estreitamente ligada ao Amor Divino, que funciona sempre, é a Lei do Merecimento.
  21. 21. Quando formos merecedores, podemos ter certeza de que nada nos faltará, seja para a alma, seja para o corpo.
  22. 22. O mundo está cheio de necessidade porque está cheio de cobi-ça. Por isso, quem semeia insaciabilidade, tem de passar fome; quem furta, apropriando-se do que não ganhou honestamente, deverá viver na miséria, até aprender à própria custa, a lição da honestidade.
  23. 23. O Sermão da Montanha se baseia nesse principio, mas quem o leva a sério? É por isso que vemos tanta pobreza no mundo, tanta humilhação, tanta necessidade por desperdício do supér-fluo, constrangimento à obediência e ao mau uso das posições de domínio.
  24. 24. A ingenuidade do homem leva-o a acreditar que basta apossar-se de uma coisa, de qualquer modo, para que tenha o direito de possui-la!
  25. 25. A riqueza mal construída é veneno, que só pode dar frutos da mesma natureza para quem a possui. Acabará sendo uma traição, como é justo que aconteça.
  26. 26. Possuir o mundo inteiro, quando esta posse estiver fora da Justiça, não oferece segurança ao seu possuidor.
  27. 27. Acima de todos os poderes humanos existe um poder maior, que é a Justiça da Lei. A vida é uma força inteligente em que são defendidos pela Lei, só os que são úteis à sua conserva-ção e desenvolvimento.
  28. 28. Em profundidade, as coisas não são o que parecem ser na superfície. A Justiça Divina ali reina, não importando que o homem não queira dela tomar conhecimento. As aparências enganam!
  29. 29. A Providência Divina, por sua vez, existe e funciona de verdade, mas, para isso, é preciso saber fazê-la funcionar, acionando as alavancas que a movimentam, e as quais ela obedece.
  30. 30. Ela não é um milagre, mas é Lei de um plano de vida mais Alto, onde vigora uma Justiça que não atraiçoa.
  31. 31. Deus está presente para a proteção de todos; mas, o beneficio dessa proteção só recebem, como é natural e justo, aqueles que compreendem a necessidade de obedecer à Sua Lei.
  32. 32. EXPLICAÇÕES NECESSÁRIAS O texto deste trabalho é uma síntese do texto original da obra de Pietro Ubaldi, apresentada de forma atraente, envolvendo imagens e sons. A metodologia recomenda que, em seguida, se faça a leitura do capítulo original do livro. “O contato direto com a expressiva e poderosa linguagem de “ Sua Voz ” que dita a obra é um momento mágico, capaz de falar intimamente à alma do leitor e imprescindível para aquele que deseja saciar-se nessa fonte de verdades eternas. Não menospreze, portanto, essa oportunidade surpreendente de contatar-se diretamente com as correntes de pensamentos que movem os elevados conceitos desenvolvidos nesse majestoso compêndio do espírito”. (Gilson Freire, em Introdução à A GRANDE SÍNTESE) Junto a este trabalho é apresentado o texto original do capítulo, em PPS, musicado.
  33. 33. MÚSICA: Enya - Dancing on the clouds FORMATAÇÃO: J. Meirelles [email_address]

×