Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Slide apresentação carl rogers

  • Login to see the comments

Slide apresentação carl rogers

  1. 1. Disciplina: Psicologia CARL ROGERS Faculdade Boas Novas Curso de Ciências Teológicas
  2. 2. Apresentação da equipe de trabalho: - Fernando Nunes - Sara Assis de Almeida - Orleilson Gomes da Costa - Jemuel Araújo da Silva - Moisés da Cruz Marques - Celso Eduardo
  3. 3. O ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO: 1. INTRODUÇÃO -Vida e Obra 2. PRINCIPAIS IDEIAS -Congruência -Consideração Positiva Incondicional -A Empatia 3.A APRENDIZAGEM CENTRADA NA PESSOA 4. INFLUÊNCIAS NO BRASIL 5. CONCLUSÃO REFERÊNCIAS
  4. 4. INTRODUÇÃO Carl Ransom Rogers, americano, nasceu em 8 de janeiro de 1902 no estado de Illinois, e faleceu em fevereiro de 1987, na Califórnia.
  5. 5. - Porém, os seus procedimentos terapêuticos causaram muita controvérsia, pelo fato dele considerar que cada pessoa possui a capacidade de se auto atualizar, mediante a liberação do potencial. INTRODUÇÃO - Carl Rogers foi um dos mais eminentes psicólogos americanos de sua geração. A partir de sua concepção da natureza humana, elaborou uma psicoterapia original, que lhe proporcionou uma visão muito própria da educação.
  6. 6. - Essa nova concepção de Rogers, confrontou o tratamento terapêutico tradicional, pois no seu método o profissional é aquele que estimula o “paciente” a resolver seus próprios problemas. - Esta mesma concepção de natureza humana que inspirou seus escritos sobre a educação, nos quais afirma que o aluno tem motivações e entusiasmos que o professor deve liberar e favorecer. INTRODUÇÃO
  7. 7. - O pensamento de Rogers, fica melhor compreendido quando levamos em conta que ele nasceu em uma família do meio oeste americano, onde os valores rurais eram sobremaneira prezados. - A experiência adquirida por Rogers no meio rural o convencera sobre o vigor e sobre o caráter inelutável do crescimento, ou da germinação, dos elementos naturais. INTRODUÇÃO
  8. 8. A semente precisa ser estimulada para o desenvolvimento. Germinação e crescimento.
  9. 9. - Na liberação e no favorecimento do entusiasmo, o “cliente” ou a pessoa humana é motivada a germinar e crescer.
  10. 10. INTRODUÇÃO - Esse interesse de Rogers pela natureza e pelo fenômeno do crescimento, jamais foi desmentido ao longo de sua existência. - Isso levou-o a realizar estudos de agronomia na Universidade de Wisconsin, onde permaneceu por vários anos antes de descobrir sua vocação religiosa. - Em 1924, ingressa no seminário de teologia da “Union” (Union Theological Seminary).
  11. 11. INTRODUÇÃO - Saindo da área religiosa Rogers se agregou ao centro de formação pedagógica da Universidade de Colúmbia. - Descobriu as teses de John Dewey, que fazem da experiência a base da aprendizagem. - Foi fortemente influenciado pelos ensinamentos de William H. Kilpatrick nas áreas da educação e da filosofia da educação.
  12. 12. - Rogers torna-se especialista em psicologia clínica e, notadamente, em terapia infantil, profissão que exerceu durante doze anos na Rochester Child Guidance Clinic. INTRODUÇÃO - Em 1940, Rogers trocou Rochester pela Universidade do Estado de Ohio. * Aconselhamento e Psicoterapia - Lá ele conscientizou-se que havia elaborado uma nova concepção da psicoterapia, que é apresentada no Counselling and Psychotherapy* (1942).
  13. 13. INTRODUÇÃO - Tornou-se membro da Universidade de Chicago em 1945 e, cada vez mais consciente da originalidade de sua concepção da terapia, publicou, em 1951, uma obra intitulada Client-Centered Therapy*. * Terapia Centrada no Cliente - No capítulo consagrado ao “ensino centrado no estudante”, estabeleceu um paralelo entre a evolução de sua concepção de ensino e suas ideias relativas à psicoterapia.
  14. 14. INTRODUÇÃO - Segundo ele, o papel do mestre deve ser o de criar uma atmosfera favorável ao processo de ensino, o de tornar os objetivos tão explícitos quanto possível e o de ser sempre um recurso para os alunos. - Carl Rogers expôs, em 1957, o essencial de suas ideias em matéria de psicoterapia em um artigo intitulado “The Necessary and Sufficient Conditions of Therapeutic Personality Change”* e estendeu, em seguida, suas ideias para a educação. *As condições necessárias e suficientes de Terapêutica na mudança da personalidade.
  15. 15. INTRODUÇÃO - Em 1959, Rogers produziu um importante artigo: “Significant Learning in Therapy and in Education”, onde ele apontou um conjunto de condições aplicáveis à educação, análogas às que havia enunciado para a psicoterapia. - Depois de 12 anos na Universidade de Chicago, Rogers retornou à Universidade de Wisconsin, que ele havia deixado em 1963. Trabalhou em seguida, até a sua morte, em 1987, em institutos privados. *Aprendizagem Significativa em Terapia e Educação
  16. 16. PRINCIPAIS IDEIAS - O processo psicoterapêutico é um trabalho de cooperação entre psicólogo e cliente, cujo objetivo é a liberação desse potencial de crescimento, tendo como resultado a pessoa aberta à experiência, vivendo de maneira existencial, tornando-se ele mesmo. - Há três condições básicas e simultâneas defendidas por Rogers como facilitadoras, no relacionamento entre psicoterapeuta e cliente para que de fato ocorra a auto atualização.
  17. 17. PRINCIPAIS IDEIAS - As condições básicas são: I. CONGRUÊNCIA II. CONSIDERAÇÃO POSITIVA INCONDICIONAL III.A EMPATIA
  18. 18. PRINCIPAIS IDEIAS I. CONGRUÊNCIA: - […] o terapeuta deve vivenciar bem sua relação com o paciente e nela estar perfeitamente integrado.” - A noção de ‘congruência’ do terapeuta, relaciona- se, ao fato de se verdadeiramente ele mesmo. - Definição do Aurélio: 1. Harmonia duma coisa com o fim a que se destina; coerência, congruidade.
  19. 19. - Denomina também sinceridade ou autenticidade do terapeuta, remete à consciência que ele pode ter do modo como vivencia a relação com o paciente, ou cliente, e de sua atitude em relação ao mesmo. PRINCIPAIS IDEIAS
  20. 20. - No artigo citado a pouco: “Aprendizagem Significativa em Terapia e Educação” ele diz que não pode ocorrer verdadeira aprendizagem a não ser à medida que o aluno trabalhe sobre problemas que são reais para ele; tal aprendizagem não pode ser facilitada se quem ensina não for autêntico e sincero. PRINCIPAIS IDEIAS
  21. 21. II. CONSIDERAÇÃO POSITIVA INCONDICIONAL: PRINCIPAIS IDEIAS - A segunda condição é que “o terapeuta demonstre respeito incondicional em relação ao cliente”. - Rogers torna claro que: “à medida que o terapeuta aceita com confiança e compreensão todas as facetas da experiência de seu cliente como elementos integrantes de sua personalidade, ele experimentará, a seu respeito, um sentimento de respeito incondicional.”
  22. 22. - Em linhas gerais, ter consideração positiva incondicional é receber a aceitar a pessoa como ela é e expressar uma consideração positiva por ela, simplesmente por que ela existe. PRINCIPAIS IDEIAS
  23. 23. III. A EMPATIA: PRINCIPAIS IDEIAS - A última das condições essenciais é que o “terapeuta deve demonstrar compreensão empática no tocante ao sistema interno de referências de seu cliente. - Definição do Aurélio: “Tendência para sentir o que sentiria caso estivesse na situação de outra pessoa”. - Uma compreensão em relação à pessoa e não em relação ao assunto, e esforçar-se por lhe comunicar este sentimento”.
  24. 24. - Conforme acentua Rogers: “Sentir o universo particular do cliente como se fosse o seu próprio universo sem, porém, jamais esquecer a restrição implicada no ´como se´, e isto é a empatia, e ela parece indispensável à terapia”. PRINCIPAIS IDEIAS - Convém sublinhar que, para Rogers, estas condições são ao mesmo tempo necessárias e suficientes, e aquilo que não é necessário deveria ser anotado.
  25. 25. - A empatia, por sua vez, consiste na capacidade de se colocar no lugar do outro, ver o mundo através dos olhos dele e procurar sentir como ele. PRINCIPAIS IDEIAS
  26. 26. - Rogers resumiu, assim, alguns princípios que regem a aprendizagem: 1. O ser humano possui aptidões naturais para aprender. A APRENDIZAGEM CENTRADA NA PESSOA - No ser humano existe algo dentro de si que o impulsiona: a Tendência Atualizante, modos de auto- atualização de suas potencialidades, de fazer, sentir, agir seu próprio florescimento.
  27. 27. 2. A aprendizagem autêntica supõe que o assunto seja percebido pelo estudante como pertinente em relação aos seus objetivos. 3. A aprendizagem que implica uma modificação da própria organização interna representa uma ameaça e o aluno tende a resistir a ela. 4. Aprendizagem que constitui uma ameaça interna é mais facilmente adquirida assimilada quando as ameaças externas são minimizadas. A APRENDIZAGEM CENTRADA NA PESSOA
  28. 28. 5. Quando o sujeito se sente pouco ameaçado, a experiência pode ser percebida de maneira diferente e o processo de aprendizagem pode se efetivar. 6. A verdadeira aprendizagem ocorre em grande parte através da ação. 7. A aprendizagem é facilitada quando o aluno participa do processo. 8. A aprendizagem espontânea que envolve a personalidade do aluno. A APRENDIZAGEM CENTRADA NA PESSOA
  29. 29. 9. Independência, criatividade e autonomia são facilitadas quando a autocrítica e auto avaliação são privilegiadas em relação à avaliação feita por terceiros. 10. A aprendizagem mais importante, no mundo moderno é aquela que conhece o seu funcionamento e permite ao sujeito disposição a experimentar e a assimilar a suas mudanças. A APRENDIZAGEM CENTRADA NA PESSOA
  30. 30. A APRENDIZAGEM CENTRADA NA PESSOA - Demonstrou-se que os alunos cuja aprendizagem tinha sido facilitada ao máximo: 1.faltavam menos frequentemente à escola durante o ano. 2.melhoraram seus desempenhos nos testes de autodescrição, sinal de maior estima de si. 3.obtiveram melhores resultados nas matérias escolares, especialmente em matemática e leitura.
  31. 31. 4.tiveram menos problemas no âmbito disciplinar. 5.cometiam menos atos de vandalismo no ambiente escolar. 6. melhoraram seus escores nos testes de Q.I. 7.aumentaram seus escores nos testes de criatividade realizados entre setembro e maio. 8.eram mais espontâneos e utilizavam formas de raciocínio mais complexas. A APRENDIZAGEM CENTRADA NA PESSOA
  32. 32. INFLUÊNCIAS NO BRASIL - Acusado de "romântico" durante a ditadura militar no Brasil, Rogers chegou a acreditar que a democracia brasileira seria viável caso os governos militares se submetessem aos Grupos de Encontro e à Psicoterapia. - Esse pensamento obviamente impunha, no mínimo, aos psicólogos brasileiros, da época, uma questão ética: Tratar ou não daqueles que eram torturadores?
  33. 33. INFLUÊNCIAS NO BRASIL - Rogers expôs suas práticas em inúmeras gravações, tendo também se apresentando num programa de televisão sob o comando de Júlio Lerner,na TV Cultura (8 de março de 1977). - O CVV (Centro de Valorização da Vida) segue a idéia de conduta em seu atendimento estilo Rogers, onde os volutários atendentes acreditam na tendência atualizante da pessoa sendo atendida.
  34. 34. CONCLUSÃO - Hoje existem várias teorias que desenvolvem a aprendizagem por meio da valorização da pessoa, e a teoria de Rogers inspirou muitas escolas a ousarem e colocarem essas teorias democráticas em prática. - É primordial aceitar que o ser humano não é estático, mas um ser em constante mudança. E assim sempre será qualquer lugar onde houver um ser humano.
  35. 35. CONCLUSÃO O ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO: 1. INTRODUÇÃO -Vida e Obra 2. PRINCIPAIS IDEIAS -Congruência -Consideração Positiva Incondicional -A Empatia 3.A APRENDIZAGEM CENTRADA NA PESSOA 4. INFLUÊNCIAS NO BRASIL 5. CONCLUSÃO REFERÊNCIAS
  36. 36. FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo dicionário Aurélio da língua Portuguesa – 3.ed.- Curitiba: Positivo, 2004. REFERÊNCIAS ZIMRING, F. Carl Rogers - tradução e organização: Marco Antônio Lorieri. – Recife: Fundação Joaquim Nabuco, Editora Massangana, 2010. WIKIPEDIA, ENCICLOPÉDIA LIVRE. Carl Rogers. http://pt.wikipedia.org/wiki/Carl_Rogers acesso em: 04/06/2013.
  37. 37. OBRIGADO PELA ATENÇÃO!!!

×