A Inteligência

14,628 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
9 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
14,628
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
267
Actions
Shares
0
Downloads
393
Comments
0
Likes
9
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

A Inteligência

  1. 1. PSICOLOGIA Inteligência A Mente e o Significado Jorge Barbosa, 2010
  2. 2. Inteligência  
  3. 3. Inteligência   A inteligência pode ser definida de uma forma muito geral como a capacidade que, através diversas competências, nos permite uma adaptação bem sucedida ao meio. A  Inteligência  implica  várias  competências:   • Resolver  problemas  prá5cos  e  abstractos;   • Aprender  com  a  experiência;   • Adaptação  a  novas  situações;   • Etc.  
  4. 4. Inteligência   A inteligência como capacidade Geral (o factor G). Duas  Ideias  Centrais   A  Inteligência  é   Cada  pessoa   uma  capacidade   tende  a   unitária   manifestar  o   subjacente  a   mesmo  grau  de   todas  as  nossas   inteligência  em   capacidades   diferentes   intelectuais   áreas.  
  5. 5. Inteligência   Spearman recorreu a testes de inteligência e a cálculos matemáticos de correlação (análise estatística que ele próprio criou) para fundamentar a sua teoria. Os  Testes  de  Inteligência  eram  compostos  por   vários  subtestes,  incidindo  em  áreas  ou   competências  diferentes.   Spearman  verificou  que  as  pessoas  mais  bem   sucedidas  num  subteste  ob@nham,  em  regra,   bons  resultados  em  outros  subtestes  (correlação   posi@va  entre  resultados  de  subtestes).   A  correlação  não  era,  todavia,  perfeita.  Por  isso,   Spearman  admi@u  a  intervenção  de  factores   específicos  (factores  S),  mas  com  menos   influência  do  que  o  factor  G  nos  resultados   finais.  
  6. 6. Inteligência   Concepção Multifactorial da Inteligência. Aplicando  o  método  factorial  com  uma  maior   variedade  de  subtestes,  Thurstone  detectou   diferenças  de  desempenho  que  o  levaram  a   desvalorizar  o  factor  G  e  a  destacar  a  existência   de  7  capacidades  ou  ap@dões  mentais  básicas.   Segundo  esta  teoria,  seria  possível  uma  pessoa   obter  resultados  elevados  numa  área  e  obter   baixo  rendimento  em  outras.  
  7. 7. Inteligência   Concepção Multifactorial da Inteligência. Thurstone  cri@cou  os  testes  de  inteligência   des@nados  a  apurar  o  QI  (quociente  de   inteligência).  A  escala  do  QI  depende   excessivamente  da  sobrevalorização  do  factor  G.   Propôs  a  subs5tuição  da  escala  de  QI  por  um   perfil  das  capacidades  intelectuais  que  mostrasse   os  níveis  a5ngidos  pelos  sujeitos  em  cada  uma   das  sete  capacidades  básicas.  
  8. 8. Inteligência   APTIDÕES  MENTAIS   EXEMPLOS   PRIMÁRIAS   Iden5fica  sinónimos;  Compreende,  pelo  contexto,  o  significado  de   Compreensão  Verbal   palavras  desconhecidas   Fala  e  escreve  de  forma  clara  e  bem  ar5culada;  domina  a  linguagem   Fluência  Verbal   oral  e  escrita.   Ap5dão  Numérica   Capacidade  para  efectuar  cálculos  numéricos.   Iden5fica  figuras  geométricas  de  diferentes  perspec5vas;  calcula   Relações  Espaciais   intui5vamente  dimensões  e  distâncias.   Memória   Recorda  nomes  em  contextos  apropriados.   Raciocínio   Deduz,  induz  e  estabelece  analogias  apropriadas.   Rapidez  de  Percepção   Iden5fica  semelhanças  e  diferenças  entre  objectos.  
  9. 9. Inteligência  
  10. 10. Inteligências  Múl5plas  
  11. 11. Inteligência   Os estudos de Gardner não se baseiam em testes de inteligência. Pelo contrário, Gardner estuda sujeitos com características especiais: por exemplo, crianças talentosas em raciocínio matemático, mas com dificuldades de aprendizagem da linguagem A  diferença  rela@vamente  a  Thurstone  tem  a  ver   com  o  facto  de  não  se  basear  na  análise  factorial   (o  que  implicaria  a  u@lização  de  testes   psicométricos)  e  sobretudo  com  o  facto  de   defender  que  as  inteligências  múl@plas  são  @pos   de  intelecto  separados.  
  12. 12. Inteligências  Múl5plas  de  Gardner   INTELIGÊNCIAS  MÚLTIPLAS  SEGUNDO  GARDNER   Competência  em  matérias  de  natureza  lógico-­‐ abstracta,  em  estabelecer  relações  entre   Inteligência  Lógico-­‐ objectos  e  abstracções,  dominando  os   Matemá5ca   princípios  em  que  se  baseiam.  Matemá5cos,   filósofos  e  cien5stas  em  geral  ilustram  este   5po  de  inteligência.   Ap5dão  para  a  percepção  precisa  do  mundo   visível,  para  modificar  e  transformar  as   percepções,  recriando  as  experiências  visuais   mesmo  sem  o  apoio  de  esYmulos  Zsicos.   Inteligência  Espacial   U5liza-­‐se  correntemente  quando  decidimos   mover-­‐nos  ou  mover  algo  de  um  lugar  para   outro.  Arquitectos,  escultores,  pintores,   jogadores  de  xadrez  representam  este  5po  de   inteligência  
  13. 13. Inteligências  Múl5plas  de  Gardner   INTELIGÊNCIAS  MÚLTIPLAS  SEGUNDO  GARDNER   Competência  em  matéria  de  frequência,  ritmo   e  5mbre,  na  composição  e  execução  de  obras   musicais,  assim  como  também  na  sua  audição.   Inteligência  Musical   Estabelece  ligações  com  a  inteligência   linguís5ca  e  espacial.  Compositores,  maestros,   intérpretes  representam  este  5po  de   inteligência.   Competência  no  controlo  e  harmonização  dos   movimentos  do  corpo  e  capacidade  de   orientação  e  manipulação  de  objectos.   Inteligência  Corporal-­‐ Bailarinos,  actores,  atletas  representam  este   Cinestésica   5po  de  inteligência.  
  14. 14. Inteligências  Múl5plas  de  Gardner   INTELIGÊNCIAS  MÚLTIPLAS  SEGUNDO  GARDNER   Domínio  da  linguagem  e  das  palavras,   capacidade  de  exploração  das  suas  múl5plas   potencialidades.  Lêem  e  escrevem  bem  e  de   Inteligência  Linguís5ca   forma  cria5va.  Poetas,  escritores  e  linguistas   são  os  seus  representantes.   Ap5dão  para  se  compreender  a  si  mesmo,   para  se  observar  e  analisar  a  si  próprio,   descrevendo  os  seus  estados  de  alma,   determinando  com  precisão  sen5mentos  e   Inteligência  Intrapessoal   outras  situações  mentais.  Psiquiatras  e   homens  de  religião  são  exemplo  deste  5po  de   inteligência.  
  15. 15. Inteligências  Múl5plas  de  Gardner   INTELIGÊNCIAS  MÚLTIPLAS  SEGUNDO  GARDNER   Capacidade  de  compreender,  de  se  iden5ficar   com  os  outros  e  de  comunicar  com  eles.   Inteligência  Interpessoal   Inteligência  presente  nos  polí5cos  em  geral  e   em  pessoas  pertencentes  a  diversas  profissões   de  relações  humanas.   Ap5dão  para  reconhecer  e  classificar  objectos   Inteligência  Naturalista   naturais.     Ap5dão  para  compreender  as  questões   fundamentais  da  vida.   Inteligência  Existencial  
  16. 16. Inteligências  Múl5plas  de  Gardner  
  17. 17. Teoria  Triárquica  da  Inteligência   Sternberg caracteriza a inteligência como uma capacidade composta por habilidades analítico-abstractas, práticas e criativas que nos ajudam a resolver vários problemas.
  18. 18. Inteligência  Triárquica  -­‐  Sternberg  
  19. 19. Inteligência  Triárquica  -­‐  Sternberg   Designa a nossa capacidade para, através da lógica e do raciocínio, resolver problemas e avaliar estratégias para resolver problemas. É uma inteligência de tipo analítico. Os elementos integrantes da inteligência componencial incluem a capacidade de adquirir, reter, recuperar e transferir informações, de planear acções e tomar decisões, de resolver problemas abstractos e concretos, baseando-se no raciocínio lógico e analítico e de transformar ideias em desempenhos.
  20. 20. Inteligência  Triárquica  -­‐  Sternberg   Designa a nossa capacidade para resolver novos problemas rapidamente. Refere-se àquilo a que também se chama perícia. As pessoas que são capazes de reconhecer os aspectos centrais de um problema com o qual se confrontam pela primeira vez têm intuição. Se encontram soluções originais e apropriadas revelam criatividade. Encontrar soluções para problemas novos – pensamento divergente; Resolver problemas de modo rápido e eficiente – pensamento convergente.
  21. 21. Inteligência  Triárquica  -­‐  Sternberg   Designa a capacidade de adaptação ao contexto sociocultural, às circunstâncias em que os indivíduos vivem. É o tipo de inteligência próprio das pessoas com uma assinalável dose de senso comum e que sabem funcionar adequadamente no interior do seu meio habitual.
  22. 22. Inteligência  Triárquica  -­‐  Sternberg   Para Sternberg, uma compreensão adequada da inteligência implica a interacção destas três dimensões. Sternberg não partilha da ideia de Gardner segundo a qual há várias inteligências separadas umas das outras. Para Sternberg, algumas das inteligências de Gardner são meramente talentos que as pessoas possuem de forma diferenciada. Considera que se deve dar importância aos tipos de inteligência que não variam ou variam pouco em diferentes culturas.
  23. 23. Exercícios   Não  se  esqueça  de  fazer  os   exercícios  no  “moodle”   Jorge  Barbosa,  2010  

×