Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Síntese Histórica da Ética Janaira Franca

764 views

Published on

Material de apoio para a disciplina de Ética e Legislação do curso de Publicidade e Propaganda da Faculdade Cásper Líbero. São Paulo, 2016.

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Síntese Histórica da Ética Janaira Franca

  1. 1. Ética e Legislação em Publicidade Profª Janaíra França
  2. 2. Ética Síntese Histórica Esta aula dedica-se a apresentar uma síntese histórica da ética e seus grandes pensadores filosóficos, este material não contempla todas as correntes de pensamentos, foram selecionados os mais reconhecidas e que tragam referenciais essenciais para a área de comunicação. Profª JanaíraFrança
  3. 3. Síntese histórica da ética Profª JanaíraFrança
  4. 4. Ética Pré-Socrática Profª JanaíraFrança
  5. 5. Sete Sábios da Grécia Pensadores conhecidos como os “Sete Sábios da Grécia” começaram a elaborar as premissas do pensamento ético nos séculos VII e VI a.C. Não há consenso entre os historiadores sobre os nomes dos sete sábios, ao total 22 nomes foram citados como pertencentes à lista: Tales, Pítaco, Bias, Sólon, Quilon de Esparta, Cleobulo, Periandro, Míson, Aristodemo, Epiménides, Leofanto, Pitágoras, Anacarses, Epicarmo, Acusilau, Orfeu, Pisístrato, Ferecides, Hermióneo, Laso, Panfilo e Anaxágoras.. Os nomes mais presentes são: Tales, Pítaco, Bias, Sólon. (CRESCENZO, 1988) Profª JanaíraFrança
  6. 6. Tales Filósofo, engenheiro, matemático e astrônomo Mileto Pítaco Estadista, legislador e general de Atenas Mitilene Bias Filósofo Priene Sólon Legislador, jurista e poeta grego Atenas Cleóbulo Governante Lindos Periandro Governante Corintos Quílon Estadista Lacedônia Sete Sábios da Grécia Profª JanaíraFrança
  7. 7. Tales Filósofo, engenheiro, matemático e astrônomo Mileto Conhece-te a ti mesmo. A certeza é precursora da ruína. A ignorância é incômoda. Espera receber de teus filhos, quando fores velho, o mesmo tratamento que dispensaste a teus pais. Evita as palavras que possam ferir os amigos. Evita enriquecer por vias desonestas. Evita os adornos exteriores e procura os interiores. Perto ou longe, importa lembrar os amigos. Quem promete, falta. Se és chefe, começa por saber dominar-te Aforismos Pré-Socráticos Profª JanaíraFrança
  8. 8. A ambição é insaciável. Ama a educação, a temperança, a prudência, a verdade, a fidelidade, a experiência, a gentileza, a companhia dos outros, a exatidão, os cuidados domésticos, a arte e a piedade. Dá-te ao respeito. Não faças o que não gostares que te façam. Não reveles projetos para, se falhares, não seres motivo de troça. Saiba aproveitar a oportunidade. Sábio é quem sabe discernir o futuro; o passado é passado, mas o porvir é incerto. Aforismos Pré-Socráticos Pítaco Estadista, legislador e general de Atenas Mitilene Profª JanaíraFrança
  9. 9. A maioria dos homens é perversa. Adolescente, seja ativo; velho, seja sábio. Aprenda a saber ouvir. Fala sempre com propósito. Não sejas nem mau, nem tolo. O cargo revela o homem. Persuade pelo bem, e nunca pela força. Reflete nos teus atos. Vê-te num espelho. Aforismos Pré-Socráticos Bias Filósofo Priene Profª JanaíraFrança
  10. 10. Aconselha o que for justo, não o que aches agradável. Evita a mentira, confessando a verdade. Evita o prazer, se ele for causa de remorso. Guia-te pela razão. Honra pai e mãe. Procura ser honesto, porque a honestidade é melhor do que uma palavra honrada. Respeite os amigos. Quando souberes obedecer, saberás chefiar. Se exiges a honestidade dos outros, começa por ser honesto. Aforismos Pré-Socráticos Sólon Legislador, jurista e poeta grego Atenas Profª JanaíraFrança
  11. 11. Ética Socrática Profª JanaíraFrança
  12. 12. + Gregos Sócrates 469 a.C a 399 a.C Atenas Filósofo Platão 428 a.C a 348 a.C Atenas Filósofo e Matemático Aristóteles 384 a.C a 322 a.C Atenas Filósofo e Professor Profª JanaíraFrança
  13. 13. + Sócrates Sócrates 469 a.C a 399 a.C Atenas Filósofo Profª JanaíraFrança É reconhecido por estudiosos como uma das figuras mais importantes da filosofia da ética, que buscava a essência da virtude. Sócrates estava convencido de que somente o conhecimento poderia ser a fonte de um sistema coerente das virtudes humanas, assim como o erro estava na origem do mal. Na visão do pensador grego, as pessoas praticavam o mal porque desconheciam o bem, por não saberem o que é virtude. Ele incomodou poderosos e mostrava a ignorância dos “falsos sábios” em uma época que Atenas vivia não apenas uma crise de valores, como de saber. Foi condenado à morte por envenenamento.
  14. 14. Método socrático Sócrates 469 a.C a 399 a.C Atenas Filósofo Profª JanaíraFrança Sócrates perambulava pelas ruas de Atenas fazendo perguntas aos cidadãos sobre moralidade e política. A medida que as pessoas iam respondendo, ele insistia em novas perguntas, fazendo com que elas reformulassem suas respostas, melhorando-as ou descartando-as. Ele estimulava a visão crítica e subversiva dos cidadãos, levando-os a questionar tudo, por isso, os falsos sábios eram expostos. Por isso foi acusado de corromper a juventude da época. Dizia-se contra a escrita por prejudicar a memória. O que se tem de registro de sua ideias, foram os diálogos com seu discípulo, Platão.
  15. 15. Aforismos socráticos Profª JanaíraFrança Virtude é conhecimento Preserve sua integridade acima de tudo Melhor sofrer uma injustiça do que cometê-la
  16. 16. + Platão Profª JanaíraFrança É reconhecido como um filosofo complexo, que desafia os estudiosos da filosofia da ética, teve como mestre Sócrates aos vinte e poucos anos. Estava presente no julgamento e morte dele e registrou seus últimos ensinamentos que recebeu o nome de Apologia a Sócrates. Sua principal obra é conhecida como a República, dividida em 10 extensos livros. A premissa é a discussão sobre a organização da sociedade e a natureza política. É uma obra à quatro mãos, com contribuições de Sócrates e de seus dois irmãos: Glauco e Adimanto. Platão 428 a.C a 348 a.C Atenas Filósofo e Matemático
  17. 17. Dialética de Platão Profª JanaíraFrança Desiludido com a democracia na Grécia e após a morte do seu mestre, saiu em jornada pela Itália e Egito. Foi onde desenvolveu sua obra, os diálogos de Platão tinha como personagem central seu mestre, que recebia nomes como "Críton", "Laques", "Lísias", "Górgias" e "Protágoras". O foco de suas teorias era a filosofia política, um homem bom é um bom cidadão. Para divulgar seus diálogos e multiplicar o valor do saber ético-político, fundou a Academia de Platão aos 40 anos em Atenas e aceitava jovens e anciãos como estudantes. Para ele, o homem só encontra a felicidade na prática das virtudes. O homem virtuoso imita a Deus. Platão 428 a.C a 348 a.C Atenas Filósofo e Matemático
  18. 18. Virtudes platônicas Profª JanaíraFrança Justiça (ordena e harmoniza) Fortaleza ou Valor (prazer submisso ao dever) Temperança (moderação, autodomínio) Prudência ou Sabedoria (ordem nos pensamentos)
  19. 19. + Aristóteles Profª JanaíraFrança Discípulo de Platão e depois professor de Alexandre O Grande, Aristóteles estudou muitas áreas do conhecimento (lógica, física, política, economia, psicologia, metafísica, meteorologia e retórica), porém sua contribuição no campo da ética foi a análise do “agir humano”. Para ele, todo o conhecimento e trabalho do homem devem visar o bem e a busca por este bem que nos difere dos animais. As virtudes são adquiridas com a prática cotidiana e o fim de todo homem é a felicidade. A ética aristotélica é vista como uma ética do comedimento, da moderação, do afastamento de todo e qualquer excesso. Aristóteles 384 a.C a 322 a.C Atenas Filósofo e Professor
  20. 20. Ética Aristotélica Profª JanaíraFrança A sua mais famosa obra é a Ética a Nicômano, dedicada ao seu filho tem como pano de fundo a discussão sobre a felicidade humana (eudemonismo) sob o manto da preocupação de um pai com seu filho. A obra dividia em 10 volumes traz a concepção da racionalidade prática, da virtude e considerações acerca do papel do hábito e da prudência. A ética aristotélica é vista como uma ética do comedimento, da moderação, do afastamento de todo e qualquer excesso, onde a felicidade não consiste de prazeres, riquezas e honra e sim na vida virtuosa. Aristóteles 384 a.C a 322 a.C Atenas Filósofo e Professor
  21. 21. Aforismos aristotélicos Profª JanaíraFrança Viver racionalmente O maior bem é uma vida virtuosa A maior virtude é a inteligência
  22. 22. Ética na Idade Média Profª JanaíraFrança
  23. 23. Ética na Idade Média: Teocêntrica A filosofia da ética neste período sofreu forte influência do cristianismo e islamismo, onde os feudos religiosos tinham poder, havia uma servidão coletiva da população aos seus mestres e um fundamentalismo religioso imposto. Enquanto os pensadores gregos se preocupavam em entender a felicidade por meio de uma vida virtuosa, os filósofos da idade média estavam mais interessados em discutir a ética na interpretação da moral nos ensinamentos religiosos da época. Temas estranhos aos gregos foram introduzidos: imortalidade da alma, céu, inferno, purgatório. Profª JanaíraFrança
  24. 24. Ética Medieval Bispo que “restabeleceu a fé antiga”. Ensinava gramática e retórica, uma das áreas de estudo de Aristóteles. A ética agostiniana envolve o conceito de liberdade e o livre- arbítrio. A felicidade se dá pela busca de Deus, o bem é a ausência do mal. Tomas de Aquino era frade e tinha afinidade com a ética aristotélica. Abraçou diversas ideias de Aristóteles e articulou com as premissas do cristianismo. Curiosidade: ele criou o termo “preço justo”. Profª JanaíraFrança
  25. 25. Ética Medieval Profª JanaíraFrança Deus tudo vê
  26. 26. Ética na Idade Moderna Profª JanaíraFrança
  27. 27. Ética na Idade Moderna: Antropocêntrica Neste período houve um distanciamento da ética teocêntrica da idade medieval e a ética antropocêntrica surgiu, a medida que o sistema feudal foi substituído pelo sistema capitalista de produção. O ser humano passou a ser o centro das discussões filosóficas, assim como foi na Grécia antiga. Uma nova concepção moral baseada na autonomia dos homens. Profª JanaíraFrança
  28. 28. Ética Medieval René Descartes é reconhecido como primeiro pensador moderno, rompeu totalmente coma ética moderna e propôs instituiu a dúvida: só se pode dizer que existe aquilo que puder ser provado, sendo o ato de duvidar indubitável. A ética é baseada na noção de virtude e na noção de felicidade. Jean-Jacques Rousseau, filósofo, teórico político, escritor e compositor autodidata suíço. Afirmava que a consciência moral e o sentimento de dever são inatos, logo, nascemos bons, mas a sociedade nos corrompe. A “lei do coração”. O que nos diferencia dos animais é a “inquietação moral”. Profª JanaíraFrança
  29. 29. Ética na Idade Moderna Profª JanaíraFrança Livre-arbítrio/ Autonomia
  30. 30. Ética Kantiana Profª JanaíraFrança
  31. 31. Ética Kantiana: o dever Immanuel Kant é visto como o principal filósofo da era moderna, realizou numerosos trabalhos na ciência, matemática e física. Natural de Königsberg, Reino de Prússsia, nunca saiu de sua cidade e tornou-se professor na mesma universidade que estudou. Kant afirmava que a “razão humana” era legisladora, ou seja, capaz de elaborar normas universais para os homens. Portanto o “ato moral” era aquele praticado de forma autônoma e consciente, como também “por dever”. Segundo ele, ser moral é a mesma coisa que ser racional. Porque ninguém pode nos obrigar a ser racional, como também a ser moral. Profª JanaíraFrança
  32. 32. Ética Kantiana: o dever Na ética kantiana há uma relação entre as ações e intenções que pode ser resumida assim: Logo, a ética kantiana baseia-se no dever e não na felicidade, como a ética grega e medieval. A mesma ação pode ser praticada com diferentes intenções (ter benefício próprio ou dever). Para saber o “valor moral” desta ação é preciso conhecer com qual intenção foi praticada. Uma ação só tem “valor moral” se praticada em nome do dever e sem outro interesse. Profª JanaíraFrança
  33. 33. O Imperativo Categórico Os imperativos categóricos de Kant são “guias” para viver uma vida mais ética, sem usar as pessoas para conseguir algo (como meio) e sim considerar as pessoas como fim (respeito/consideração/bem comum). “Agir de tal forma que sua ação seja considera norma universal”. “Tornar a humanidade como fim e não como meio”. Profª JanaíraFrança
  34. 34. Ética Pós-Moderna Profª JanaíraFrança
  35. 35. A morte da ética? Zygmunt Bauman é um sociólogo polaco e que ainda está vivo, produzindo uma série de livros sobre as particularidades da sociedade líquida. Para ele, vivemos em tempos líquidos, onde valores e padrões morais são efêmeros e não tem forma. Em 1993 ele lança o livro Ética Pós-Moderna, a obra dedica-se a discutir se a atual moralidade está com os dias contados e se a ética tem sua morte anunciada. Para Bauman os grandes temas da ética não perderam nada de sua força, porém precisam ser revistos e tratados de modo inteiramente novo. Nossa era, sugere ele, pode ainda representar uma alvorada e não um entardecer para a ética. Profª JanaíraFrança
  36. 36. + de Bauman Profª JanaíraFrança
  37. 37. Bibliografia Profª JanaíraFrança BAUMAN, Z. Entrevista a Revista Isto é. Disponível em: < http://www.istoe.com.br/assuntos/entrevista/detalhe/102755_VIVEMOS+TEMPOS+LIQUIDOS+NADA+E+PARA +DURAR+ > Acesso em 12 de fevereiro de 2016. CECCATO, C. Filosofia antiga. Disponível em: http://profciroceccato.blogspot.com.br/p/filosofia-antiga.html. Acesso em 10 de fevereiro de 2016. CRESCENZO, L. História da filosofia grega: os pré-socráticos. Lisboa: Editorial Presença. 1988. POLIEDO. Aula de Filosofia. Immanuel Kant - Parte I. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=BuvKyjhcS1o. Acesso em 08 de fevereiro de 2016. PONDÉ, L. Vídeo Café Filosófico: o diagnóstico de Zygmunt Bauman para a pós modernidade. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=6xt-k2kkvb4. Acesso em 10 de fevereiro de 2016. YAMAGA, R. Material da disciplina de Ética e Legislação. São Paulo: 2014.

×