Mulheres na Twitosfera - Janaira Franca

787 views

Published on

Resumo do artigo apresentado no 7o Interprogramas de Mestrados em Comunicação da Faculdade Casper Líbero.

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
787
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Mulheres na Twitosfera - Janaira Franca

  1. 1. Janaíra Dantas da Silva FrançaMestranda em Comunicação na ContemporaneidadeFaculdade Cásper Líbero – São Paulo (SP)Novembro - 2011
  2. 2. O artigo visa analisar a presença da mulher no Twitter e as premissas que envolvem a construção de sua identidade digital e a busca do reconhecimento social dentro da rede. Apresenta uma introdução ao tema, em seguida, trabalha-se as particularidades da Twitosfera e a apropriação da rede social pelas mulheres. Depois articula-se com os autores escolhidos e desenvolve-se a primeira análise. Ao final, temos as primeiras considerações resultantes da reflexão.@JanairaFranca 2
  3. 3.  Início: o grupo de mulheres e a dinâmica do uso da rede social.  Os primeiros passos: baseada na leitura de alguns autores, as primeiras articulações foram realizadas e as primeiras hipóteses levantadas.  O processo: continuar investigando...@JanairaFranca 3
  4. 4. A construção da “bio” da usuária Identidade digital A preocupação com o olhar do outro A apropriação da plataforma Particularidades da rede social@JanairaFranca 4
  5. 5. Dick Costolo – 200 milhões Língua Portuguesa é a de usuários ativos segunda mais usada, a mensuráveis e 110 milhões terceira é o japonês. de tweets diários. (Web2Engage 2011) (10/2011 – Web 2.0 Summit) Com 26% o Brasil é o terceiro país em número de usuários. Segundo país mais ativo. (Web2Engage 2011) 42% dos usuários Brasileiros + influentes: brasileiros gastam em Rafinha Bastos e média 6h diárias. Luciano Huck. (E-Life 2011) (New York Times 2011)@JanairaFranca 5
  6. 6. 39 horas semanas dedicadas à mídia on- line. Representam 39% dos Twitter: 7h semanais, usuários brasileiros. (E-Life e IDGNow, 2011) (Web2Engage 2011) * Excluindo os perfis de personagens e empresas.. 57% dos usuários, segundo outros dados. Usam a rede social para (e-Marketer 2010) manter contatos com: As mulheres lideram no 1. Amigos Facebook, Orkut e 2. Celebridades Twitter. 3. Família (IGDNow 2011) 4. Marcas e Empresa (Sophia Mind 2011)@JanairaFranca 6
  7. 7. @JanairaFranca 7
  8. 8. Foram os pensadores que estimularam ainda mais a busca por respostas e essas ainda não estão fechadas, continuam abertas.@JanairaFranca 8
  9. 9. Turkle (2005), a forma como os adultos se relacionam com computadores conectados pode influenciar a concepção que tem de si mesmos, do seu trabalho, das suas relações com outros e com suas formas de pensar acerca de processos sociais.@JanairaFranca 9
  10. 10. O professor canadense afirmava que a tecnologia ressaltava o estilo narcisista de alguém que se sente hipnotizado pela extensão do seu próprio corpo numa forma técnica, ou seja, para ele, os meios de comunicação são extensão do próprio indivíduo e portanto, não precisam ser encarados como algo bom ou ruim, a sua valoração se dá pela maneira como são utilizados.(MCLUHAN, 2007)@JanairaFranca 10
  11. 11. “O sujeito deve ser visto como alguém que, por meio da aceitação (pelos outros) de suas capacidades e qualidades, sente- se reconhecido e em comunhão com seus pares, possibilitando sua disposição de também querer reconhecer o outro em sua originalidade e singularidade”. (HONNETH, 2003)@JanairaFranca 11
  12. 12. Baumann (2005) comenta sobre as atuais formas de interação social na Internet não conseguem “substanciar” uma identidade pessoal, elas não substituem os contatos pessoais físicos. As redes sociais também contribuem para que o filósofo chama de “sociedades de consumidores”, onde o indivíduo se torna o próprio objeto de desejo, ou seja, torna-se mercadoria “atraente e desejável”. A invisibilidade na era da informação é encarada como morte, por isso, ele afirma que “é a vez de comprar e vender símbolos empregados na construção da identidade”. (BAUMANN, 2008)@JanairaFranca 12
  13. 13. “A identidade de alguém é formada na intersecção de inúmeros fatores, às vezes paralelos, às vezes contrários, dentro de tempos de duração variável. É um processo contínuo no qual oportunidades de escolha se alternam com obrigações sociais ou determinações psíquicas. A decisão individual e a pressão social nem sempre encontram fronteiras definidas – aliás, decidir quem você é implica igualmente escolher quais serão suas fronteiras”. (MARTINO, 2010)@JanairaFranca 13
  14. 14. @JanairaFranca 14
  15. 15. @JanairaFranca 15
  16. 16. @JanairaFranca 16
  17. 17. Sempre que se propõe analisar as redes sociais conectadas não apenas como mídia, mas como um suporte técnico para a comunicação humana, os horizontes se ampliam e podem ficar inatingíveis. Este ser “feminino” mantém a complexidade histórica que conhecemos por autores que dedicaram anos de estudos sobre a mulher. O desafio não é simples, envolve a identidade em constante mutação de uma mulher que está presente nas redes sociais e na galáxia da internet, apropriando-se delas não apenas para comunicação, mas, como produtora e consumidoras de conteúdo, enquanto busca o reconhecimento social que só é validado pelo olhar de tantos “outros” internautas.@JanairaFranca 17
  18. 18. E-mail: janaira.franca@terra.com.br Twitter: @janairafranca Facebook: Janaíra França Slide Share: Janaíra França (11) 8596-9780 18

×